The Umbrella Academy, HQ desenhada por Gabriel Bá vai virar série da Netflix

A Netflix segue em sua cruzada para lançar conteúdo original variado que apele para vários tipos de público, e uma estratégia que deu muito certo foi oferecer séries baseadas em personagens de quadrinhos. O acordo com a Disney/Marvel que levou a Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro, Os Defensores e em breve ao spin-off Justiceiro teve excelente retorno (ainda que não tenham agradado todo mundo), ao abordar personagens mais urbanos e menos super-heróis que Homem de Ferro e cia.

Logo é hora de diversificar, e uma das estratégias foi se aproximar da Universal Cable Productions, que em 2015 fechou um acordo com a Dark Horse para levar algumas de suas HQs premiadas para a telinha. O que nos leva à adaptação de The Umbrella Academy, obra vencedora do Prêmio Eisner como o primeiro fruto dessa parceria.

A obra é fruto de uma parceria no mínimo curiosa entre o roteirista Gerard Way, mais conhecido como o vocalista da bandinha emo My Chemical Romance (o que poucos sabem é que ele já estagiou na DC) com o desenhista brasileiro Gabriel Bá, que junto com o irmão gêmeo Fábio Moon são responsáveis por obras obrigatórias do cenário de HQs do país, como a excelente fanzine 10 Pãezinhos, a adaptação de O Alienista de Machado de Assis (vencedora do prêmio Jabuti de melhor livro paradidático) e a fantástica Dois Irmãos, baseada no romance de Milton Hatoum (e que recentemente virou minissérie da Globo). Os gêmeos também já trabalharam para a DC na HQ do selo Vertigo Daytripper.

A trama de The Umbrella Academy se desenrola numa realidade alternativa em que JFK nunca foi assassinado, e foca numa família absolutamente disfuncional formada por sete crianças nascidas com poderes especiais sem nenhuma explicação, adotadas por um milionário excêntrico e treinadas para se tornarem heróis. Anos depois cada uma delas segue seu caminho mas são anos depois forçados a se reunir, de modo a desvendar o mistério por trás da morte de seu pai adotivo.

A UCP assegurou os direitos de algumas das principais obras da Dark Horse de modo a produzir séries para a TV, em que originalmente o destino seria a emissora NBC. Ao que tudo indica o caldo desando e a Netflix, para garantir mais conteúdo de qualidade em seu portfólio fechou um acordo de distribuição. Steve Blackman, mais conhecido por seu trabalho em Fargo e a também original do serviço de streaming Altered Carbon será o showrunner e produtor executivo, junto com Mark Richardson e Keith Goldberg da Dark Horse. Gerard Way será co-produtor e o roteiro o piloto será escrito por Jeremy Slater (O Exorcista). Não está claro se Gabriel Bá está envolvido com a produção, fora o poster acima.

A série tem estreia prevista para algum momento de 2018, e desde já é uma excelente notícia não só por uma obra desenhada por um brasileiro receber um tratamento de primeira, como o acordo com a Netflix abre as portas para as demais obras da Dark Horse como a excelente Concreto, de Paul Chadwick.

Um humano preso num corpo monstruoso de pedra que decide fazer o bem? Isso é algo que eu gostaria muito de ver numa série; vamos torcer para que a Netflix apoie essa também.

Fonte: The Hollywood Reporter.

Relacionados: , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples