Home » Games » Games para PC » Dariusburst Chronicle Saviours — Review

Dariusburst Chronicle Saviours — Review

Leia nossa análise do Dariusburst Chronicle Saviours, um excelente “jogo de navinha” para PC, Vita e PS4 que nos faz lembrar da época em que o gênero fazia muito sucesso nos fliperamas.

4 anos atrás

Dariusburst

Eu não saberia dizer com certeza qual jogo foi responsável por isso, mas a verdade é que desde o início da década de 90 eu me tornei um grande apaixonado por Shoot 'em ups. Ao longo de todos esses anos evidentemente pude conhecer várias franquias e uma das que mais me agradou foi a Darius. Pode parecer bobeira, mas os enormes chefes de fase parecidos com peixes sempre me pareceram algo fantástico e embora tivesse se passado muitos anos sem que eu tocasse em um título da série, nunca a esqueci.

Foi então que certo dia eu me deparei com o Dariusburst Chronicle Saviours, uma versão melhorada de um jogo lançado em 2009 para o PSP e que no ano passado chegou ao PS Vita, ao PlayStation 4 e ao PC. Eis que após algumas horas jogando no computador, posso afirmar que o título tem me oferecido muita diversão.

Num primeiro momento o jogo funciona de maneira muito parecida com os capítulos anteriores da série, com os jogadores sendo colocados para enfrentar uma série de inimigos por fases com progressão horizontal, dificuldade crescente e tendo que encarar uma nave em formato de criatura marinha no final.

Dariusburst2

Para nos ajudar na tarefa teremos à nossa disposição um tiro que se tornará mais forte conforme coletarmos orbes vermelhas, misseis que serão disparados em diversas direções e um escudo, que nos protegerá de alguns ataques enquanto ele ainda estiver ativado. Porém, a grande novidade dessa versão é o sistema conhecido como Burst.

Para que esse tipo de disparo se torne disponível, basta destruirmos as naves adversárias até que uma barra encha e ao acionamos o ataque conseguiremos deter a maioria dos tiros inimigos e lhes causar muito dano. Além disso, ainda poderemos optar por deixar o Burst disparando de um ponto fixo da tela, o que permitirá a execução de várias estratégias e por fim, a arma ainda poderá ser utilizada para infligir um poderosíssimo contra-ataque nos chefes, apesar de sua utilização ser bastante arriscada.

O jogo ainda traz diversas naves para serem utilizadas, algumas delas vindo direto de capítulos anteriores da franquie e até de outro jogo da Taito, o Scramble Formation, sendo que cada uma delas conta com tiros e características diferentes. Por exemplo, se você optar por aquelas que apareceram no Darius ou no Darius II, não poderá usar o sistema Burst e acredite, isso tornará sua vida muito mais difícil.

E por falar em variedade, aqui entra algo que pode ser considerado tanto uma virtude quanto um defeito do Dariusburst Chronicle Saviours. O problema é que embora o jogo seja descrito como tendo mais de 3.000 estágios desbloqueáveis em um dos modos (e isso seja verdade), no fundo eles são apenas variações de alguns poucos, apenas nos colocando em certas condições para que o desafio fique maior, como por exemplo não nos dar vidas extras ou retirar os upgrades da nave.

Isso fica bastante evidente no modo Chronicle Saviours, que funciona como uma campanha onde podemos escolher qual caminho seguir, mas logo a aventura se torna um pouco cansativa, afinal passaremos várias vezes pelos mesmos cenários e enfrentaremos variações dos mesmos chefes. Ainda assim, a progressão nesse modo é muito legal e como os estágios não costumam durar muito, fica sempre a vontade de jogar um pouco mais.

Dariusburst3

Outra crítica a ser feita ao jogo — embora ela possa não ser muito justa — é em relação as dimensões da tela, principalmente no modo Arcade. O problema é que o Dariusburst Chronicle Saviours foi feito para ser aproveitado num conjunto de dois monitores, logo, se você não o encarar dessa forma é bom se preparar para ver enormes barras pretas em cima e embaixo da tela, o que dificultará bastante principalmente a vida de quem jogar num monitor pequeno. É bem verdade que isso acontece também em Shoot 'em ups verticais, com a diferença das barras estarem nas laterais, mas se no modo Chronicle Saviours tais barras são bem menores, porque a desenvolvedora não nos deu a opção de jogar de maneira semelhante no Arcade?

Isso passa a impressão de ter havido pouco cuidado com os retoques finais dado ao título, algo que fica ainda mais evidente ao olharmos para o menu. Oras, custava o pessoal da Chara-Ani Corporation colocar breves descrições em cada opção? Eu tive que recorrer a internet para saber qual a diferença entre o AC e o CS Mode, isso sem falar nas dezenas de gabinetes disponíveis, que pelo o que pude entender, seriam como fliperamas virtuais em que jogaremos e cujos estágios no AC Chronicle são liberados coletivamente por jogadores de todo o mundo.

Contudo, nenhum desses problemas são capazes de tirar o brilho do Dariusburst Chronicle Saviours, um “jogo de navinha” com ótima dificuldade, gráficos simples mas muito bonitos, uma trilha sonora bacana e principalmente, capaz de nos fazer sentir como se estivéssemos jogando um shmup das antigas e como era exatamente essa viagem no tempo o que eu esperava dele, acho que o jogo não poderia ter me agradado mais.


Degica Games — Dariusburst CS Trailer

O jogo foi cedido para análise pela Nuuvem e se você quiser comprar ele ou qualquer outro título disponível na loja com 10% de desconto, basta utilizar o cupom MEIOBITNANUUVEM.

relacionados


Comentários