Desligamento da TV analógica é adiado mais uma vez

tv

Eu tive uma Sharp Linytron de 16″ igualzinha

Você lembra quando o Ministério das Comunicações dava como certo o fim do sinal de TV analógico para junho deste ano, a fim de liberar a faixa de 700 MHz o mais rápido possível para as operadoras utilizarem em suas conexões 4G? Lembra que em 2013 mudaram de ideia, se tocaram que nem todo mundo ia conseguir migrar para a TV digital e postergaram o desligamento para 2018?

Então, adiaram de novo e o motivo é mais simples do que você imagina.

A saga do fim do sinal analógico dura quase uma década e vai se estender por mais alguns aninhos a fio. Em um novo comunicado o ministério mudou novamente o cronograma do desligamento para o antigo formato de transmissão caducar. A cidade de Rio Verde, no estado de Goiás seria a primeira onde o sinal digital passaria a ser o único distribuído a partir de 29 de novembro último, mas como a data passou e nada mudou o governo agora informa que o desligamento ocorrerá no dia 15 de fevereiro. O impacto medido na localidade (a cidade possui pouco mais de 207 mil habitantes) será utilizado para calcular como outras cidades menores poderão ficar passando a contar só com o sinal digital.

A capital Brasília será a 1ª metrópole a fazer a migração, entrando em vigor já em outubro junto com outras nove cidades em torno do Distrito Federal. São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte que seriam desligadas em 2016 foram jogadas para o ano que vem, junto com Vitória, Goiânia, Salvador, Recife e Fortaleza. Outras cidades da região Nordeste e do estado de São Paulo também serão afetadas somente em 2017. Em 2018 as capitais do Sul, Centro-Oeste e Norte também perderão o acesso ao sinal analógico, junto com todas as cidades do interior de Rio de Janeiro e São Paulo.

Todas as demais serão afetadas somente quando o sinal for devidamente puxado da tomada de vez, e o que ocorreria em 2018 foi jogado para 2023. Motivo para a mudança? Mais uma vez o governo percebeu que a população não terá tempo hábil para migrar, seja adquirindo novas TVs digitais ou os conversores para os aparelhos antigos; para muita gente no país tal investimento ainda é proibitivo, em especial se lembrarmos que muita gente no país mal possui água encanada. Ainda é comum no interiorzão do Brasil encontrarmos famílias que ainda ostentam antigos televisores CRT com batente de madeira plenamente funcionais. E não estão nem um pouco preocupados em trocar de TV.

O secretário de comunicação eletrônica do ministério Roberto Pinto Martins disse que a mudança se deu por causa dos grandes eventos que ocorrerão nos próximos anos, como as Olimpíadas, a Copa de 2018 e (é sério) as eleições municipais, e privar o público de ver as baboseiras dos políticos não é algo muito viável.

O ministério quer que o sinal digital atinja ao menos 93% dos municípios do país para que o desligamento da transmissão analógica seja viável. Na minha opinião podiam muito bem puxar a tomada agora, pois eu garanto que o consumidor só vai se mexer para migrar quando um belo dia ligar sua TV e descobrir que não consegue assistir o futebol ou sua novela favorita.

Fonte: Ministério das Comunicações.

Relacionados: , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar