Home » Áudio e vídeo » Como tunar o seu Chromecast

Como tunar o seu Chromecast

Você tem um Chromecast e acha que ele é um acessório fraco? Leia estas dicas e extraia todo o potencial oculto do dongle do Google

4 anos atrás

Então você acabou de adquirir um Chromecast (oi Cardoso, tudo bem?). Já leu pra caramba sobre ele, viu como as pessoas elogiam o fato dele tornar qualquer TV comum numa tela esperta e está empolgado para consumir conteúdo esparramado no sofá.

chromecast

Mas aí você assistiu um vídeo no YouTube, conectou o Netflix e não sabe mais o que fazer com ele. Se você comprou no Brasil então, vai achar que jogou R$ 249 fora. Palma palma, não priemos cânico! Além de ter apps compatíveis a rodo, ele possui algumas funções escondidas que passam batido pela maioria dos usuários. Vamos dar uma olhada nisso?

Para começo de conversa há uma cacetada de apps compatíveis com o Chromecast, indo dos óbvios do próprio Google e Netflix a Crunchyroll, Rdio, Comedy Central, e outros não listados, tais como apps de podcasts: Pocket Casts, Podcast Addict e outros são completamente compatíveis. Games também são uma boa pedida, com destaque para Just Dance Now.

OK, isso não é o bastante, você quer fazer algo a mais com o Chromecast. Então vamos ver do que o dongle é capaz:

guest-mode

Funções como o Guest Mode ou o espelhamento de tela, embora não sejam óbvias já são conhecidas de boa parte dos usuários, mas ainda assim é bom lembrar: a primeira permite que você ceda o acesso de seu Chromecast para aquele amigo ou visita que quer mostrar as fotos ou o vídeo da última viagem, ou aquela tia que insiste em colocar na TV o vídeo de gatos que achou ontem no YouTube para todo mundo ver. Em situações como essa dificilmente alguém vai ceder a senha do Wi-Fi, e nem é necessário: ao ativar o Guest Mode, qualquer smartphone ou tablet próximo, independente se está na mesma rede ou não poderá compartilhar seu conteúdo em seu Chromecast, e como host você poderá cortar a conexão a qualquer hora.

google-cast

Já o espelhamento de tela está disponível em qualquer dispositivo Android a partir do 4.4.2 KitKat (por razões óbvias iGadgets não contam com a funcionalidade), e através dele você pode utilizar em sua TV outros conteúdos não compatíveis nativamente (Spotify, por exemplo). Já o desktop pode ser espelhado através da extensão Google Cast, e como dá para executar vídeos pelo browser, transformar seu PC numa máquina de streaming é até fácil.

simplink-001

Fora isso dá para fazer truques bem legais. Por exemplo: você pode ligar sua TV através do Chromecast, sem ter que depender do controle remoto. Isso é possível porque o dongle é compatível com a tecnologia HDMI-CEC, que a maioria das TVs modernas usa. Não fique chateado se você nunca ouviu falar disso: cada fabricante usa um nome diferente para a função: para a LG o nome é Simplink; Samsung, Anynet+; Sony Bravia, Bravia Sync; Panasonic, Viera Link; Toshiba, Regza Link, e por aí vai.

A única coisa que você terá que fazer é fuçar nos controles da TV, ativar o HDMI-CEC e conectar o cabo de energia do Chromecast na tomada e não na porta USB, para que ele esteja ligado quando você for fazer o truque.

allcast

Você também pode compartilhar conteúdo local de seu smartphone, se você tiver o app certo: o AllCast é um dos mais conhecidos, que reconhece praticamente tudo que está em seu smartphone ou tablet, mas com uma pegadinha: a versão free limita muito a experiência, praticamente obrigando o usuário a gastar US$ 5 pela versão completa. Se estiver a fim de fuçar bastante tem o Localcast, que não regula a mixaria mesmo na versão free. Claro, só vai dar mais trabalho.

Se você tem bastante conteúdo no seu PC uma boa é o Plex, que transforma seu computador num servidor de mídia e que pode ser controlado pelo smartphone, e devidamente espelhado. Prefere compartilhar fotos? O Dayframe permite espelhar até o acervo do Facebook, Google+ e outras fontes.

cardboard

Para encerrar, esse exige uma TV 3D mas não deixa de ser legal: consumir conteúdo 3D. E é tão fácil quanto fazer um sanduíche: execute qualquer conteúdo em três dimensões que poderia ser apreciado no Cardboard, o headset 3D de papelão do Google (ou mesmo no Oculus Rift), espelhe no Chromecast e pegue os óculos da TV. Pronto: conteúdo de Realidade Aumentada sem ter que gastar os tubos num kit de três dimensões caro (ou ter trabalho cortando e colando papel).

Alguns outros usos demandam pequenas gambiarras, como por exemplo usar o Localcast para espelhar o áudio de um vídeo para seus fones de ouvido (exige sincronização manual), transformá-lo num adaptador de áudio ou conectá-lo numa rede de hotel… as possibilidades são várias. Portanto, diferente do que parece o dongle pode sim ser utilizado de diversas formas, basta um pouquinho de imaginação, algumas linhas de código e o velho espírito hacker, pois fuçadores sempre existirão.

Leia mais sobre: , , , , , , .

relacionados


Comentários