Home » Meio Bit » Análise » Review: iPad Mini 2, será que ainda vale a pena comprar?

Review: iPad Mini 2, será que ainda vale a pena comprar?

Testamos o iPad Mini 2 e respondemos a pergunta mais importante para quem quer comprar um iPad. Será que vale a pena comprar logo, ou é melhor esperar pelo iPad Mini 3?

4 anos e meio atrás

ipad-mini-2_1

O iPad Mini 3 já foi anunciado pela Apple, mas trouxe poucas diferenças em relação ao iPad Mini 2, modelo do ano passado e que ainda segue a venda no Brasil. Testei o iPad Mini 2 na versão preta por mais de um mês no dia a dia, deixando o iPad Air totalmente de lado, e este post vai mostrar as minhas impressões sobre o aparelho, e tentar responder a pergunta, vale a pena comprar o iPad Mini 2 agora, ou é melhor esperar pelo novo modelo com Touch ID ou até mesmo pelo novo iPhone 6 Plus, que já é praticamente um tablet?

A resposta é simples, mas depende do caso. Se você não aguenta esperar, vá em frente, mas é provável que ele baixe de preço com o lançamento do novo iPad Mini 3. O Mini 2 não tem Touch ID, mas fora isto é absolutamente idêntico ao novo modelo, a não ser por não ter uma versão com acabamento dourado e 128 GB de capacidade. Seu processador A7 dual-core (1,3 GHz) de 64 bits dá conta do recado e funciona muito bem inclusive com o novo iOS 8.1, lançado dia 20/10 pela Apple. Se você está acostumado com o Mini original, a diferença com processador A7 e o processador M7 é realmente bem grande.

ipad-mini-2_3

Desde a sua primeira versão, o iPad Mini é um ótimo companheiro para viagens, e também para andar na mochila ou até mesmo no bolso de trás, algo que não recomendamos para não causar acidentes. O Mini 2 tem exatamente com o mesmo formato da primeira versão, mas é um pouco mais pesado com 23 ou 29 gramas a mais nas versões Wi-Fi e 4G. Ele também é um pouco menos fino que o original, com 7,5 mm de espessura contra 7,2 mm; mas isto é compensado e muito pela tela Retina. Com a mesma resolução do iPad Air em 7,9 polegadas, a tela oferece a melhor taxa de densidade de toda a linha iPad, com 326 pixels por polegada, e é a grande vantagem do Mini 2 em relação ao modelo original, pois ela é perfeita para ler textos, ver fotos e navegar pela web. Quando você olha de longe, a tela Retina pode até não fazer muita diferença, mas de perto é outra história, além das cores serem mais nítidas e fiéis do que as do Mini original.

O grande trunfo da linha iPad é a App Store, e suas opções de aplicativos de alto nível criados especialmente para tablets. Eu poderia citar uma infinidade de aplicativos que uso no dia a dia, mas vou ficar com o mais importante deles, o app Notability, eu gravo palestras e apresentações fazendo anotações em palavras chave, e posso ouvir tudo depois, ou apenas as frases que realmente quero usar no texto. Qualquer dono de iPad certamente teria uma resposta diferente, mas garanto que seria algum aplicativo tão interessante ou útil quanto este. Outra razão para optar pela Apple são os programas iWork e que merecem aplausos, especialmente o iMovie, Garage Band e o Keynote.

Com o iPad Mini 2, jogar é uma diversão, já que a tela e o processador fazem bonito até com os jogos mais recentes, e ele é bem mais leve que o iPad Air. Para filmes e séries, o formato 4:3 não ajuda muito, mas como a tela tem resolução suficiente para ficar bem perto dos olhos, dá pra assistir muito bem.

ipad-mini-2_2

A câmera ganhou a função para fazer Time Lapse, e apesar de não ser algo indicado em todas as ocasiões, pode resolver a questão quando você precisar tirar uma foto ou digitalizar um documento. Esperamos que pelo bem da humanidade, você não seja daqueles que usa tablets ou smartphones para gravar shows ao invés de assisti-los. O iPad Mini 2 conta com o processador A7, que tem ótimo desempenho no novo iOS 8.1. Ele funciona tão bem que a Apple decidiu manter o processador no iPad Mini 3, mas isto é assunto para outro post.

Recentemente a Apple divulgou seus resultados, e os (impressionantes) números mostram que a linha Mac e o iPhone venderam muito, mas o iPad segue estagnado, vendendo “apenas” 12 milhões e meio de unidades no trimestre. O problema que a Apple vem enfrentando no mercado do iPad é que os produtos são muito bons, quem tem um iPad em casa dificilmente quer ou precisa trocar. Sim, a inclusão do Touch ID com o Apple Pay é um excelente argumento de vendas para a próxima geração, mas ela acabou de sair, e o seu resultado só poderá ser realmente avaliado nas vendas de fim de ano. A Apple tem uma estratégia clara, oferecer um iPad Mini de entrada com o velho modelo original, um iPad Mini acessível, o 2, e o iPad Mini 3, modelo de luxo com Touch ID, versão dourada e até 128 GB de capacidade. Tim Cook não parece estar preocupado, e não tem motivos pra isto, pelo menos enquanto a Apple continuar lançando ótimos produtos, ainda que em seu próprio ritmo.

Sim, existem alternativas mais baratas no mercado, mas nenhuma com o nível de integração de hardware e software que a Apple oferece, e nem com a mesma quantidade de aplicativos desenvolvidos especialmente para tablets disponíveis. O iPad Mini é um excelente

Os preços no Brasil são R$ 1.399 na versão de 16 GB em cinza com frente preta ou prateado com frente branca. A versão Wi-Fi de 32 GB custa a partir de R$ 1.549, e o modelo 4G custa a partir de R$ 1799 com 16 GB e R$ 1.949 com 32 GB, saiba mais na Apple.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários