Home » Internet » Viber: grupos abertos e parcerias com criadores de conteúdo

Viber: grupos abertos e parcerias com criadores de conteúdo

Grupos Abertos são aposta da Viber para continuar crescendo; recurso entra no ar em setembro e traz canais de criadores de conteúdo como Omelete e Não Salvo

5 anos atrás

viber

Em evento realizado nesta terça-feira em São Paulo, a Viber anunciou uma novidade para manter seu app atraente e interessante para seu público: a partir de setembro a aplicação contará com os chamados Grupos Abertos, chats de discussão que diferente dos fechados, permitirá que qualquer pessoa possa segui-los e interagir com seus criadores. E para atrair o público a empresa conta com parcerias junto a criadores de conteúdo, de modo a interagir melhor com seus leitores/fãs.

O Viber cresceu muito no último ano. Em pouco mais de nove meses, o número de usuários no Brasil saltou de 9 milhões para impressionantes 17 milhões. Embora ele seja visto por muita gente como um concorrente do Skype, tanto o CEO Talmon Marco quanto o diretor-geral no país Luiz Felipe Barros não o vêem assim. Para eles, o programa da Microsoft é uma solução corporativa adaptada para as pessoas comuns (o que não deixa de ser verdade), ao passo que a proposta do Viber é focar sempre no usuário final. Nem mesmo o WhatsApp é um concorrente direto; para eles, os principais rivais do app são as redes sociais.

viber-felipe-barros

Ao contrário do que possa parecer, estamos vivendo uma situação que Barros chamou de "era da liberdade social", que é diferente do boom da socialização dos anos 2000: as inúmeras redes sociais nos permitiram encontrar e manter contato com muita gente, mas também geraram muito ruído. O formato estaria de desgastando, portanto o usuário está fugindo para apps de mensagens instantâneas, para manter perto só quem lhe interessa, filtrando gente que você conheceu num dia, adicionou em sua rede social e nunca mais viu, mas continua poluindo sua timeline.

Porém temos um problema: compartilhar conteúdo, seja um vídeo, uma foto ou um link com seus contatos em um chat de mensagens instantâneas chega a ser em alguns casos bem incoveniente. Nisso chegamos aos Grupos Abertos, um novo recurso que introduzirá uma forma simplificada e direta de compartilhar conteúdo com contatos e seguidores.

viber-grupos-abertos

A proposta aqui é transformar o Viber não numa rede, mas numa plataforma social: os grupos poderão ser criados por qualquer pessoa, e haverá dois públicos: os membros, que poderão conversar e interagir com outros convidados, e os seguidores, que poderão visualizar todo o conteúdo do canal, mas só poderão conversar com outros seguidores. A ideia é que canais como emissoras de TV e rádio, sites, blogs, jornais, celebridades, instituições e quaisquer marcas relevantes criem seus grupos abertos, a fim de interagir com seu público-alvo de forma mais direta. Por isso mesmo a lista inicial de parceiros é bem interessante:

viber-parceiros

Desde canais como a rede de televisão A&E (que conta com os canais History, o futuro H2 e lifetime), e Esporte Interativo, conglomerados como o Grupo Mix (TV, rádio, net, Grupo Objetivo e UNIP), rádios como Coca-Cola FM, apps como Easy Taxi e sites e blogs como Omelete e Não Salvo, todos contarão com canais exclusivos voltados a fornecer conteúdo senão exclusivo, de forma mais direta a fim de aumentar a proximidade com seus fãs e leitores.

Por exemplo: o Esporte Interativo contará com quatro canais, sendo um deles sobre a WWE; o Grupo Mix utilizará seus canais como segunda tela, além de segmentar e estender seu conteúdo para manter o contato com seu espectador mesmo quando ele está longe da TV; Marcelo Forlani disse que o Omelete fornecerá três canais distintos para discussão: cinema, games e séries de TV, além de manter o leitor informado com novidades de coberturas de eventos em tempo real; já Maurício Cid vê os Grupos Abertos como mais uma forma de aumentar o engajamento dos fãs do Não Salvo, com compartilhamento de links de forma mais rápida, ou mesmo promovendo uma conversa sobre assuntos aleatórios. Aliás, Cid revelou que em a parceria rendeu um adicional: um pack com diversos stickers tematizados do blog.

Cada canal terá um endereço customizado, como www.viber.com/nomedocanal. Produtores de conteúdo e empresas parceiras receberão um número customizado especial, que lhes permitirá extrapolar o limite de mensagens recebidas; esse recurso não será disponibilizado para usuários finais. Ainda sobre canais de empresas e outros grupos maiores, pessoas comuns não poderão deter domínios de entidades estabelecidas, uma vez que o Viber já se reservou a prevenir que isso aconteça com as maiores marcas. Em caso de um engraçadinho registrar o nome de um site, blog ou empresa que tenha passado pelo filtro do app, o real detentor do nome poderá exigir que o usuário ceda a marca, e o Viber a passará a quem de direito. E sim, já é possível entrar em contato e reservar seu domínio.

Os Grupos Abertos entrarão no ar globalmente nas próximas semanas inicialmente para iOS e Android e depois para demais plataformas mobile e desktop, e a princípio somente os parceiros iniciais estarão disponíveis. Aos poucos o Viber abrirá o recurso para novas empresas, e só então a funcionalidade será liberada para os usuários finais.

relacionados


Comentários