Home » Pop » Cinema » Resenha — Guardiões da Galáxia

Resenha — Guardiões da Galáxia

Resenha do novo filme da Marvel, Guardiões da Galáxia. Não clique, não perca tempo, leia. Levante AGORA e corra pro cinema. Sério, pode confiar. Pageview é legal mas você precisa ver esse filme o quanto antes.

4 anos e meio atrás

rocket

AVISO: resenha sem spoilers, exceto os óbvios que aparecem no trailer e em outros filmes da Marvel.

Depois que as primeiras imagens de Rocket apareceram ficou evidente que um filme com um guaxinim ensandecido (ou texugo, segundo este estagiário) seria imensamente divertido. Com a chegada do primeiro trailer Guardiões da Galáxia se tornou o filme que mais fiquei com vontade de ver, depois de Brokeback Mountain 2, mas nem sempre foi assim. Quando a Marvel ressuscitou o gênero de filmes divertidos de quadrinhos os fãs se acostumaram com personagens mais sérios, com uma visão mais “adulta”. Capitão América 2 é um dos melhores filmes da Marvel, mas (e talvez por isso) é carregado de discussões sociopolíticas.

Ao anunciar um filme com os Guardiões da Galáxia a Marvel mergulhou de cabeça no gibi de várzea, no gibi moleque, no gibi para público jovem que quer ler uma história divertida, impossível e cheia de aliens, naves espaciais e armas que fazem pew pew pew. Tudo que os “sérios” Thor, Vingadores e X-Men não são. Dias de Um Futuro Esquecido é uma linda recriação cinematográfica, a FOX está de parabéns, mas é um filme pra lá de pesado. Será que com Guardiões a Marvel decidiu partir pra galhofa, vão zoar com o Universo que criaram?

A escolha dos personagens já foi mais que questionável. Estamos falando de um supergrupo igual a tantos outros, há mais supergrupos na Marvel do que bandas de pagode no Rio. E são todos igualmente iguais e esquecivelmente esquecíveis. Em 2010 o gibi dos guardiões terminou na 948ª posição entre os mais vendidos. Não exatamente material de 1ª. Será que a Marvel consegue tirar algo bom disso?

GUARDIÕES É O FILME MAIS DIVERTIDO DA MARVEL E EU QUERO O SEGUNDO FILME AGORA!

Marvel's Guardians of the Galaxy - Trailer 2 (OFFICIAL)

Vamos então ao formato perguntas e respostas, que é mais simples e divertido:

1 — Qual a sinopse? Quem são esses Guardiões? O que eles guardam?

Eles guardam a Galáxia. Ok, nem tanto. Guardiões é um filme de origem, mas só por uns 3 minutos, quanto vemos Peter Quill ser abduzido da Terra ainda criança, nos anos 80. Em sua mochila um Walkman (pergunte a seus pais, ou clique aqui) com uma mix tape de flashbacks e um presente misterioso da mãe. Melhor ainda, dê play e vá entrando no clima:

O filme avança uns 20 e poucos anos e descobrimos que Peter Quill é uma espécie de Han Solo que ao invés de Chewbacca prefere a companhia de jovens deslumbradas do sexo feminino. Ele é um saqueador, ladrão, fora da lei capaz de passar a perna em qualquer um, mas não é necessariamente malvado. Como li em outra resenha, ele chama a si mesmo de Star-Lord, principalmente porque ninguém mais o chamaria assim. Quill gosta de achar que é muito mais importante do que realmente é.

Em seu último roubo ele coloca as mãos em um artefato que também era alvo das ambições de Ronan, o Acusador. Ronan é cria de Stan Lee e Jack Kirby. É um guerreiro que ascendeu às mais altas posições no Império Kree. Superforte ele empunha o que chama de Arma Universal, uma marreta que só perde para Mjolnir em termos de ferramentas de construção civil transformadas em armas de combate.

chapolin

Versão aproximada

Ronan quer o artefato pois em troca dele Thanos prometeu destruir o planeta Druídia, Naboo, Aldeeran Xandar, e tudo daria certo se não fossem aqueles garotos intrometidos e seu guaxinim.

Atrás de Peter Quill Ronan manda Nebula e Gamora, ambas filhas de Thanos, de espécies diferentes. Ele tem uma espécie de serviço social, então quando chacina um planeta ou uma cidade, costuma adotar uma criança local, para mostrar que dentro daquele vilão genocida existe um coração.

Nebula é uma ciborgue cruel e malvada, interpretada pela linda e ruiva Karen Gillan, que mostrando que Hollywood é mais séria que o PROJAC, raspou os cabelos para compor a personagem. Gamora é a Zoe Saldana, e verde. Assassina talvez mais eficiente que Nebula, convence o patrão a deixá-la participar da caçada. Não, não escapa a ironia de Zoe ter sido azul em Avatar e ter feito Star Trek, onde dividia alojamento com uma garota Orion, verde.

guardioes

Ambas chutam bundas. Só que todo mundo está atrás de Quill, inclusive Yondu, o chefe dos saquea… — ok, na verdade são piratas — que abduziram Peter quando pequeno. Pois é, ele resolveu ficar com o artefato e passar a perna no colega. Yondu coloca uma recompensa de 40 mil estalecas pela captura de Quill. Aí entram Rocket e Groot, as duas maiores apostas do filme.

No melhor estilo Hollywood tudo dá errado, pois o contato de Quill se recusa a aceitar o artefato quando descobre que Ronan está envolvido, Gamora aparece para recuperar o negócio e — claro — Rocket e Groot tentam capturar Quill para receber a recompensa. Todos são presos pela surpreendentemente não incompetente polícia de Xandar.

Eles são mandados para Azkaban Kyln, uma prisão de onde não conseguirão fugir. Gamora é jurada de morte assim que chega, inclusive por Drax o Destruidor. Usando do bom e velho papo-mole que só terrestres dominam, Quill convence Drax que ela é melhor viva, pois Ronan virá atrás de Gamorra e então Kratos Maximus Drax poderá vingar a morte de sua mulher e sua filha.

Nessa fase o filme vira a clássica trama de fuga da prisão, orquestrada por Rocket, mas como Guardiões usa abusa e brinca com os clichês, a fuga não é exatamente a que esperávamos.

Como o filme se chama Guardiões da Galáxia e não Green is the New Black, o resto da história não se passa no Kyln, eles fogem e vão entregar o artefato ao Colecionador, em sua base na estação de mineração Knowhere, que é apenas a cabeça decapitada de um Celestial, e fica no fim do Universo (dizem que tem um excelente restaurante por lá). Sim, crianças, os CELESTIAIS, a raça de aliens imensamente poderosos, criados por Jack Kirby inspirado em Eram os Deuses Astronautas.

galaquinho

Um Celestial. Galactus para escala. (uma banana ficaria pequena demais)

O Colecionador revela que o artefato contém uma das Jóias do Infinito, que estão entre os objetos mais poderosos do Universo. CLARO, tudo dá errado e Ronan coloca as mãos na jóia, dá uma banana pra Thanos e vai sozinho destruir Xanax, digo, Xandar.

Peter Quill faz um mea-culpa geral, joga na cara que todos ali são perdedores, que tiram onda de engraçadinhos, briguentos e arrogantes irônicos mas no fundo carregam culpa, dor, perda e não têm amigos. Ali mesmo tentam afastar uns aos outros. Se há metáfora maior pra Internet, eu não conheço.

É a hora de fazerem diferença, abrirem mão do egoísmo, tentar salvar Xandar. E ele tem um plano. Ok, 12% de um.

Quill convence Yondu e com ajuda dos Saqueadores vão atrás da nave de Ronan, que planeja usar a Jóia para destruir toda a vida no planeta.

O plano não dá exatamente certo (claro) mas no final Quill descobre que assim como os Transformers, ele é mais do que os olhos podem ver, e juntos conseguem eliminar Ronan, mas não sem o custo de um grande sacrifício.

O grupo agora unido tem sua ficha criminal apagada, ganham uma nave nova igual à anterior e saem pelo espaço, atrás de coisas boas e coisas ruins para fazer.

Guardiões da Galáxia é uma daquelas aventuras espaciais de antigamente. Não tenta ser dramático e sério como um Dark Knight, não é cínico como Kick Ass, não tenta ser realista como Capitão América nem tem pretensões épicas como Thor. É um filme genuinamente divertido mas, como o primeiro Star Wars Guerra nas Estrelas, não usa personagens descartáveis.

Em Star Wars Episódio 1 Gungans morrem a torto e a direito, ninguém liga. Nas batalhas do Ep 3 clones são dizimados o tempo todo, e o espectador dá importância zero. São personagens de papelão. Em Guardiões até os coadjuvantes são importantes para quem está vendo. Há momentos genuinamente emocionais no filme, inclusive com Groot e Rocket. Sim, você deixará de se preocupar com a CGI e os aceitará como personagens muito rapidamente.

Dave Bautista, que em qualquer outro filme seria o brutamontes de plantão, adiciona uma camada emocional a Drax. Ele não é o monstro que vira bonzinho, nem é o brucutu em busca de vingança cega. Isso é o peixe que ele vende. Drax é um sujeito com uma profunda e compreensível dor, que faz o possível para ninguém perceber. Como sempre digo, auto-negação é a metade da cura.

Guardiões é uma rara conjunção onde tudo dá certo. O roteiro é simples, sem nenhuma reviravolta estilo M. Night Chupacabra, mas isso não é demérito. É a clássica Jornada do Herói, e Star Wars pode ser escrito nas costas de um selo. Chris Pratt rouba o filme como Peter Quill mas todo mundo é ladrão então a bola passa de mão em mão o tempo todo, mas não é no estilo Vingadores, onde cada um tem um momento de brilhar. Sei que vai soar polêmico mas os Guardiões funcionam como grupo melhor que os Vingadores.

thanos-throne-guardians-of-the-galaxy

Os personagens têm motivação, e isso adiciona toda uma camada de complexidade a eles. Como em Thor: The Dark World, quando Loki recebe a notícia da morte da mãe, aparece impassivo mas é tudo uma ilusão, a cela está toda destruída e ele caído no chão, arrasado e sedento de vingança.

Guardiões da Galáxia é um filme leve, mas não é um filme descartável e esquecível. Não é profundo mas também não é raso. Claro, se sua idéia de filme de super-herói é a versão de Ingmar Bergman para o Flash, só lamento. Se você quer ver um filme para se divertir, mesmo sem saber nada de quadrinhos, esse é o filme perfeito. Vais sair do cinema com um sorriso no rosto.

2 — Então os outros filmes da Marvel são uma droga?

Não, claro que não. São excelentes, Guardiões apenas tem outra pegada, é uma aventura espacial que por acaso se passa no Universo Marvel, com um grupo de gente bem menos certinha do que Steve Rogers. O truque aqui é que você não precisa levar a sério quem não se leva a sério, e Peter Quill é o primeiro a fazer isso, mas sem aquela ironia autodepreciativa que contaminou tantas histórias boas. Universos tendem a ser coisas grandes e há espaço para todo mundo no Marvel.

3 — É uma comédia?

Céus, não. Guardiões é um dos filmes mais engraçados do ano, você vai rir alto várias vezes, mas não é uma comédia, onde tudo se organiza tendo como objetivo a piada. Você não vai ver pastelão estilo Jar-Jar Binks nem cenas de Spaceballs, mas verá tiradas principalmente do Rocket sensacionais. Guardiões é aquele amigo legal que fala besteira na mesa do bar, não o chato que decora anedotas e começa “vocês conhecem a do alemão, do judeu e do botafoguense no avião?”.

4 — Tem sacanagem? A Gamora é gostosa.

Fale isso pra ela. Não, não tem sacanagem, não tem pegação e as cenas da Gamora de topless de costas só aparecem no trailer. A Zoe Saldana é uma mulher muito bonita mas isso apenas faz parte da personagem, não é usado como adereço de cena. Se quiser ver a Gamora de lingerie, pegue Star Trek. Claro, como ela e Nebula conversam sobre Thanos e Ronan, o filme não passa no Teste Bechdel, então não é recomendado para feministas.

5 — Tem Stan Lee?

Tem, em Xandar. Não tem como não ver, fique tranquilo.

6 — Tem ligações com os outros filmes?

Sim, as Jóias do Infinito aparecem em Thor 2, a Manopla do Infinito aparece em Thor 1, o Colecionador em Thor 2 recebe de Sif e Volstagg o Éter, que seria uma das outras jóias. Uma imagem bem familiar aparece quando o Colecionador conta a história delas. Thanos aparece no final de Vingadores e em Guardiões. Está começando a prestar atenção na Terra, imagino. Embora não anunciado é meio evidente que Vingadores 3 será a Saga de Thanos, possivelmente com envolvimento FORTE dos outros filmes do Universo Marvel.

As peças estão se ajeitando no tabuleiro. Quem viver, verá.

7 — Não fica confuso esse monte de alien?

Falaram que é como 2 h na cantina de Mos Eisley, mas eu discordo. Na cena de Star Wars o objetivo era mostrar os aliens, veja, nossa galáxia é diversificada, oh quantos monstros espaciais. Funcionou por ser uma única cena. Em Guardiões o foco é a história, não um portfólio em vídeo da vida e obra de Rick Baker. Não é o Senado Imperial. Há muitas espécies, em muitas cenas mas elas não ficam pulando na cara do espectador.

8 — Há batalhas espaciais?

Há sim senhor, mas  há gente dentro das naves. Não são clones ou robôs. As batalhas têm um propósito maior do que mostrar como a equipe de efeitos visuais consegue modelar naves lindas no Maya. Não se preocupe, o filme é visualmente lindo, James Gunn dirigiu um filme que enche os olhos, mas apenas como aperitivo, ele alimenta o cérebro e o coração.

9 — Posso levar as crianças?

Pode, mas depois elas vão querer um guaxinim de estimação. O filme segue a regra de violência sem sangue, não há sustos nem monstros saltando de cantos escuros. Os vilões são malvados e assustadores mas não no estilo Hellraiser. As piadas não são inacessíveis nem cheias de duplo-sentido.

10 — Vin Diesel, sério?

Sim. E funciona MUITO BEM. Todo mundo sacaneou por ser um personagem de uma única fala, mas ele diz I AM GROOT em um monte de entonações, e com o tempo você acaba entendendo perfeitamente o que ele quer dizer. Mais ainda: Vin Diesel gravou a fala em vários idiomas. Quem assistir dublado ouvirá a voz original dele próprio falando em bom português sim, senhor. Aliás, a dublagem está excelente, com destaque para Guilherme Briggs, que fez Cosmo, o cachorro espacial. Sim, ele aparece.

Marvel's Guardians of the Galaxy - Vin Diesel Proclaims I Am Groot in Brazilian Portuguese

Groot é 10x melhor do que Barbárvore e mostra em Guardiões que um filme do Monstro do Pântano pelo menos visualmente ficaria excelente.

11 - 3D?

Não. Não. Funciona perfeitamente em 2D. Guarde seu dinheiro pro boneco do Hulk Groot.

Conclusão:

Guardiões de Galáxia é um dos melhores filmes dos últimos anos, expressão máxima de que Cinema é a Maior Diversão, mas respeitando a inteligência do espectador, sem apelar para piadas fáceis. É um filme que usa conceitos que todo mundo conhece, distorce alguns mas não tenta reinventar o gênero. E NÃO HÁ NADA DE ERRADO NISSO.

Esqueça os chatos que adoram denunciar clichês, ou peça para eles apontarem um filme sem nenhum. Compre o ingresso, corra para o cinema e passe 121 minutos deliciando-se com um filme que você vai jurar que já viu 1 milhão de vezes mas raríssimas tão bem-feito.

O io9.com disse que assistir Guardiões da Galáxia é como recuperar parte de sua alma. Sim, Guardiões tem alma para dar e vender. É a grande diferença entre ele e Avatar, um filme tecnicamente primoroso mas que no fundo é um bolo de supermercado. Usa os mesmos ingredientes, a mesma receita mas não tem a mão mágica da avó cozinhando em uma manhã de sábado.

relacionados


Comentários