Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Final Fantasy XIII é ou não um RPG?

Por em 17 de maio de 2010
emMiscelâneas relacionados   
Mais textos de:

Site | Twitter
  • http://naotenho AlbertoMyra

    Esse debate é dos bons Dori.
    Eu sou do time que apesar de achar os J-RPGs divertidos não consigo classifica-los como RPGs legítimos. Sã bons adventures com.
    Também não classifico boa parte dos Hack-Slach do estilo Diablo como RPGs.
    Chego assim a conclusão que não existem tantos RPGs legítimos para computadores no mercado.

  • garoa

    JRPGs contém elementos dos RPGs papel-e-lápis:

    batalhas aleatórias em turnos
    stats e upgrades
    cenários de fantasia

    De resto, o dungeon master é o autor do jogo, não um dos jogadores. Ele também dita como são os personagens e suas histórias. Não tem realmente muita escolha e opções, mas talvez justamente por conta disso a história e personagens são em geral mais cativantes.

    Também não tem personagens pelassaco te importunando com suas medíocres vidas reais em MMORPGs quebrando assim o cenário de fantasia que os autores se esforçaram em propiciar…

    • JayShaman

      @garoa, De acordo. RPGs ocidentais são muito divertidos (estou jogando Star Wars KOTOR 2, muito bom) mas não dá pra contar uma história com um estilo mais dramático dando espaço pra tanta customização. No próprio KOTOR o que me irrita muito é o seu personagem não ter uma linha de diálogo dublada, enquanto até os droids têm seus beeps.

      JRPGs sempre foram divertidos por causa do enredo e agora o pessoal começou a decretar como um gênero “morto”. Eu até concordaria se JRPGs se resumissem a Final Fantasies.

      • http://prazersemsentido.wordpress.com Krash Destrutor

        @JayShaman, já jogou o primeiro KotOR? Em questão de história ele é muito superior ao segundo. E se quer o personagem principal falando também, joga Mass Effect ;)

  • http://prazersemsentido.wordpress.com Krash Destrutor

    Eu nunca considerei nenhum Final Fantasy RPGs de verdade, mas também nunca considerei MMORPG como RPG de verdade. Alguns jogos, como Neverwinter Nights, Fallout e Dragon Age se aproximam de um RPG tabletop, mas também nunca me deram a mesma experiência de poder decidir fazer o que eu bem entender. É claro que fazer um jogo eletrônico com a mesma liberdade de um tabletop é praticamente impossível, e dentro dessa limitação, podemos considerar que tais jogos são RPG.

    Dito isto, espero que as palavras do sr. Erickson sejam respaldadas por ações. Tenho muitas expectativas quanto a SWTOR, e essas declarações apenas as aumentam. Vamos ver se esse jogo vai realmente entregar tudo o que está prometendo…

    • http://www.mmog.com.br Tuco

      @Krash Destrutor, eu nunca espero muito de um novo mmorpg. Eu prefiro sempre colocar a mão antes de me animar com ele. Já fiquei sabendo que alguns jogadores testadores do FFXIV estão decepcionados com o sistema de combate. Vai acabar sendo mais um mmorpg de gráficos bonitinhos apenas.

      • http://prazersemsentido.wordpress.com Krash Destrutor

        @Tuco, Eu não posso evitar, sou fã do universo de SW e os caras estão prometendo uma experiência inovadora em matéria de MMO. Se o jogo tiver uma história interessante, eu até relevo (um pouco) o sistema de combate.

  • Felipe Arruda

    Resumo, pra ele, quanto mais não-linear, melhor. Opinião dele. E opinião é como c*.

    Pra mim Final Fantasy sempre foi como ler um bom livro. Tenho uma ótima história e, o que é melhor, é interativa.

    RPG eu posso interpretar o personagem que criei. Ou encarnar em um personagem já criado. FF é o segundo caso. Já a estrutura, se é linear ou não, não interfere na classificação do gênero.

  • Dark Fulgore

    Final Fantasy XIII foi o jogo mais sem personalidade que joguei nos últimos anos.
    Mesmo com essa pancada de Shooters pra todos os lados, eu ainda considero ele como o que tem menos personalidade.

  • http://luizzeross.blogspot.com luizzeross

    Pra mim , que comecei meus RPGs com o glorioso FF7, hoje em dia, vejo novos FFs como se fossem mais um jogo tipo “Poneyz” ou um daqueles titulos “Imagine: My Eggs”. Muita pressão da mídia, e pouca qualidade. Como sempre digo por aqui, um bom jogo nunca precisou ter gráficos estupendos para ser um bom jogo. Exemplos? Dragon Quest 5 do SNES e Chrono Trigger. Os JRPGs hoje morreram de certa forma, muitos por querer “inovar demais”, quando tudo que o jogador quer, é um bom enredo. Isso se explica pelo sucesso mundial dos Dragon Quest’s até o dia de hoje, um “old shool” que conquista até os que começaram a jogar na modernidade. Os FF’s eram bem conhecidos pelos enredos, que hoje estão meio volúveis. Parte disso pela saída do mestre Hinorobu Sakaguchi, outra parte, pelo desespero atrás de lucros da Square-Enix. Isso causa nostalgia imensa ao abrir um titulo antigo e lembrar quando o logo era apenas “Square”,e tinha um rival imbativel que era a Enix. Concorrencia gera qualidade. Acho que o último Final Fantasy foi o X. Este mesmo final de semana vi um amigo meu jogando o XII (12, não aquela aberração X-2), tirando os gráficos, não toda aquela empolgação que havia nos combates como havia no 7, 8, 6, 5 e demais titulos. O jeito é jogar Modern Warfare mesmo =).

    • garoa

      @luizzeross, Chrono Trigger e DQ5 tinham gráficos estupendos para a época.

      DQ8 para PS2 também é fenomenal, assim como DQ4 para NES.

  • http://isaqueprofeta.deviantart.com/ IsaqueProfeta

    Se parar para pensar, Final Fantasy XIII tem é um sério problema de personalidade, a própria Square adimite que cagou (com a declaração de que o próximo game, será UM Final Fantasy).

    Bioware e Cia estão apelando, acho que o caso não é a questão de JRPG ou RPG. Resumindo a ladainha: eu não pego um Final Fantasy / Dragon Quest / Seja lá o que For JRPG, para escolher o que eu quero fazer com o mundo. Eu pego para curtir uma história contada, como se fosse um livro… eu faço parte da história porque “ajudo” os personagens com a questão da ação, dos puzzles, e em alguns casos (raros com sucesso) algumas escolhas que influenciam no fim (no FIM!).

    Esse negócio de querer comparar um JRPG com o mundo aberto de RPG “de mesa”, é no mínimo sem noção, mesmo os MMO’s que tem uma pequena chance de chegar nisso não chegam devido a organização das empresas e as limitações dos mundos.

    Troulzinho: me falar que o bando de FPS’s que andam saindo é RPG é tão complicado quanto o assunto dos JRPGS.

    • ale.leleco

      @IsaqueProfeta, puts cara acho que to meio por fora do assunto RPG eu sei o que é mas JRPG ja foge da minha nobre compreenção, posso estar falando besteira, mas eu com meus poucos 27 anos de idade acostumado a ver grandes versões do Final Fantasy, Dragon Quest, e muitos outros que morreram no caminho mas eram titulos muito bons, fique a ver navios com este esquema de jogo, quando pensso num RPG, quero andar pela cidade sim, influenciar diretamente na vida do personagem, tiro com exemplo o Fable II, o cara pode ficar gordo, magro, bom ruim, bonito, ou com chifres, ser bom ou mau, e ainda sim você pode escolher o final do jogo, sem falar de quando eu terminhar o jogo não preciso recomeçar de um nivel mais dificil, eu apenas continuo com minha vida fazendo o que não fiz, ou as coisas que aparecem novas, para min isso sim é RPG.

      • http://isaqueprofeta.deviantart.com/ IsaqueProfeta

        @ale.leleco, JRPG começou com um jogo chamado Zelda… onde na época jogos casuais com Score eram o normal e dominavam o mercado. Se você levar em conta, todos os RPG’s que contam uma história e tem pouca influência do jogador são JRPG’s, mas também são a base da maioria dos RPG’s. Eu pelo menos ainda sou da velha guarda onde um RPG é uma história sendo contada. Acho que isso atende muito mais a questão de um mundo virtual.

        Minha opinião claro, mas jogos de RPG atualmente, remetem muito a missões, A ordem e o jeito que você realiza mudam o desenrolar e o fim da história mas são uma liberdade virtual que me dá uma sensação de liberdade falsa que me incomoda… bom, meu gosto então muito pessoal.

    • Dark Fulgore

      @IsaqueProfeta,

      Se o trecho final foi pra mim, você não entendeu coisa alguma do que eu quis dizer.
      Eu estava falando sobre originalidade.

      • http://isaqueprofeta.deviantart.com/ IsaqueProfeta

        @Dark Fulgore, nem estressa cara, nada a ver com a sua colocação. O troll foi para qualquer *tard da bioware que ta torrando o saco sobre o assunto.

        Concordo com você, apesar de não ter jogado, peguei uns spoilers com um amigo meu e realmente o jogo não tem originalidade nenhuma, concordo, mas sair criticando todos os JRPG’s é chato. Deveriam criticar não o conceito de RPG, mas a linearidade dos jogos.

        Eu gosto de jogar para curtir uma história, e não para ser parte da história, isso é um gosto meu mas acho que discutir se linearidade é bom ou ruim, e trocar o nome disso por RPG, JRPG, é sem noção.

  • http://www.smash-club.blogspot.com Alexandre h

    Sou suspeito pra falar de um jogo que ainda não pude experimentar, mas pelo que pude perceber, muitos reclamam que depois do PS1 a série não foi mais a mesma…

    Talvez a mudança brusca na mecânica do jogo tenha influenciado negativamente…

  • cquintela

    Acho que os jogos evoluiram muito nos últimos anos, a definição rpg ficou ultrapassada.

    • garoa

      @cquintela, é, se até shooters genéricos como Mass Effect podem se passar por RPG, a definição ficou pra trás mesmo…

      • http://www.vidadegamer.com.br Dori Prata

        @garoa, Mass Effect shooter genêrico? Mass Effect é um jogaço cara, não comete uma heresia dessas.

        • Dark Fulgore

          @Dori Prata,

          Depois de MGS4, Mass Effect foi o melhor jogo que joguei nessa geração.
          É do cara*** demais o jogo, estou doido pra jogar o 2. *-*

          • http://prazersemsentido.wordpress.com Krash Destrutor

            @Dark Fulgore, Pois eu te digo que depois de jogar o 2, o primeiro Mass Effect ficou parecendo joguinho de criança pra mim…

  • Jason Manchest

    Eu ando vendo gente jogando mais jogos browsers online RPG/gerencia que jogando JRPG em videogames, para mim a época de ouro dos JRPG foram na época dos 16 e 32 bits apenas depois disso a qualidade foi caindo muito (com excessão dos portateis, acredito eu).

    • http://isaqueprofeta.deviantart.com/ IsaqueProfeta

      @Jason Manchest, acho que essa questão é mais quanto a moda, estamos vivendo um período onde as redes sociais são a moda. Jogos em browser on-line e mmoRPG são apenas uma falsa sensação de rede social que está na moda. Questão de JRPG’s ou RPG’s nos estilos antigos bons, busque os ultimos Y’s, ou então a série Disgaea a qualidade ainda é alta.

  • http://frankcastiglione.wordpress.com/ FrankCastle

    Essa é uma questão polêmica que costuma causar troca de farpas para todos os lados!

    Essa semana comentei essa notícia por e-mail com um grupo de amigos (estamos com um projeto voltado a falar somente de RPGs) e é incrível como tem alguns gamers que são totalmente fechados nesse gênero de RPGs Orientais e os defendem com unhas e dentes de forma que lembra o fanatismo religioso!

    Eu tenho a seguinte opinião: jogos evoluem e os JRPGs para mim estão engessados, se quiserem fazer um jogo retrô no mesmo estilo de FF 6 ou Chrono Trigger EM 2D desenhado, tudo bem. Agora fazer estes jogos em 3D com batalhas por turnos, personagens em SD, temática medieval, isso eu não consigo engolir mais.

    Muitos criticam Mass Effect e outros RPGs ocidentais dizendo que eles não tem emoção, não tem diversão. Eu acho que Mass Effect tem muitos defeitos, mas em sua maioria técnicos, pois o enredo é emocionante lembrando um filme. Aliás muitos eventos são totalmente cinemáticos, daí a não-necessidade de se criar um filme baseado no jogo.

    Para não me alongar, acho que os RPGs Orientais deviam se espelhar em “Shenmue”, um jogo que consegue mesclar com maestria Diversão, Emoção, Jogabilidade e Técnica.

  • Wocgames

    Realmente é uma discussão mt complexa, quanto a FF XIII ser ou não um RPG!
    Minha opinião é a seguinte: FFXIII é um “RPG” não é um RPG nato! Pelas suas características(que o transforma em JRPG) é que ele é muito critikdo, vejamos: O jogo é extremamente linear! Sidequests pratikmente morreram; exploração das dungeons é pobre…..Como classifikr esse jogo como um RPG nato c nem é importante voltar para explorar algo q foi deixado p/ atrás….não tm como?!
    Não concordo c o roteirista da Bio Ware d q o jogo é um adventure. Ele é um JRPG+ ou algo desse tipo, ou seja, como o público rpgista sempre anceiam por algo novo, a Square inovou num jogo extremamente dramático e meloso com 9 horas de cutscenes e CG,s.
    Logikmente q ñ vou jogar o game ao abismo…não! No quesito técnico o game é impressionante com gráficos, cutscenes e CG,s fodástiks! Mesmo o game sendo muito inovador, traz um pouco de nostalgia na sua trilha sonora que é muito boa. O diferencial e inovador de FFXIII fik por conta de seu sistema de batalha que se mistura a algo parecido aos turnos com as barras de ATB, porém ao mesmo tempo tem o dinamismo de um ARPG.

    Pontos + e -:
    +:
    + Sistema de batalha (o diferencial do game);
    + Gráficos (simplesmente lindo c ressalva p a modelagem dos cenários e personagens);
    + Trilha sonora (excelente, com muitas osts de outros FF);
    -:
    – História (trama simples);
    – Personagens (sem sal, sem personalidade)
    – Linearidade (Meus Deus q jogo linear!);

    Conclusão: O jogo é lindo tecnicamente e é jrpg+!