Facebook vai introduzir paywall de notícias no iOS a partir de março

facebook-instant-articles

Jornalismo de qualidade exige recursos, e embora essa frase tenha virado piada ela é a mais pura verdade. Embora boa parte do público na internet defenda que informação e conteúdo jornalístico deveriam ser distribuídos gratuitamente, a verdade é que manter uma redação, jornalistas, fotógrafos, cinegrafistas, redatores, editores e artistas gráficos e investigar, apurar, produzir, escrever, filmar, fotografar, editar, etc., tudo isso custa dinheiro e o leitor/ouvinte/espectador vai pagar para consumir, de um jeito ou de outro.

Foi assim por séculos, desde o jornal impresso ao rádio, cinema e TV e não é diferente com a internet: veículos de mídia sempre odiaram o formato de distribuição de conteúdo livre em seus portais e fizeram de tudo para limitar o acesso, erguendo paywalls e plugins que impedem o uso de bloqueadores de anúncios, e ao menos boa parte do público está sim disposta a pagar para ler em seus computadores ou dispositivos móveis conteúdos de grandes veículos jornalísticos. Dessa forma, não foram poucas as reclamações ao longo dos anos de que as redes sociais deveriam prover meios para que esses portais fizessem dinheiro com suas publicações, em vez de indexarem e liberarem tudo de graça.

O Facebook está planejando fazer algo a respeito quanto a isso: em 2017 a rede social revelou que o Instant Articles, sua plataforma dedicada para veiculação de notícias móveis introduzirá uma modalidade de paywall, que permitirá ao veículo barrar o acesso aos leitores após cinco ou dez artigos lidos de forma gratuita. Depois disso o software fecha a porta e oferece uma assinatura para que o leitor continue a ler os artigos, ou espere o próximo mês se não quiser abrir a carteira. O modelo, ao contrário das primeiras informações veiculadas é flexível e quem não quiser não precisará cobrar nada.

O modelo, que está em testes há alguns meses no Android prevê que toda a renda será repassada de forma integral aos produtores de conteúdo, com o Facebook fazendo dinheiro com coleta de dados e anúncios. Porém a Apple, que não admite nenhum formato de monetização no iOS que não lhe renda 30% de todo o dinheiro que entra e não permite links para fora de seu ecossistema barrou a iniciativa, e que não haveria acordo enquanto o Facebook não pagasse o que deve.

Agora, segundo a diretora de parcerias do Facebook Campbell Brown o imbróglio com a maçã “foi resolvido”, e o paywall poderá ser introduzido nos iPhones e iPads já em março. Ainda que a posição oficial seja de que houve um acordo entre as partes e levando em conta que a Apple nada comentou, bem como seu Modus Operandi absolutamente inflexível é quase certo que o Facebook foi obrigado a baixar a cabeça e vai de fato pagar os 30% da receita, repassando a conta para os produtores de conteúdo que terão que de se contentar em fazer menos dinheiro no iOS do que no Android.

A executiva revelou também que o Facebook também reservará uma área de destaque na plataforma de vídeos aos conteúdos jornalísticos, chamada Watch voltada principalmente para os “Breaking News”; o vice-presidente Adam Mosseri acredita que o recurso poderá ser bastante acessado durante eventos específicos, portanto é válido explorar essa janela e ligar o conteúdo com o disponibilizado nos Instant Articles, com ou sem paywall.

Fonte: Recode.

Relacionados: , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples