O Nintendo Switch de fato não terá gráficos no nível do PS4 ou Xbox One

nintendo-switch

Que a Nintendo não persegue performance há tempos a gente já sabe, mas acreditava-se que depois dos fracos resultados do Wii U a companhia japonesa mudaria tudo e tentaria em seu próximo console uma solução mais poderosa, que rivalizasse com seus principais concorrentes.

Então… não vai acontecer. Segundo informes o Nintendo Switch não é tão poderoso quanto o PS4 ou o Xbox One (e me refiro às primeiras versões), mas isso faz parte do plano.

Quando a nVidia anunciou seu envolvimento no novo console da Nintendo, diversas especulações foram levantadas quanto às suas capacidades gráficas. A casa do Mario não tem perseguido performance de ponta desde o GameCube, se reservando a apenas atualizar levemente seu hardware e posiciona-lo no mercado com funções e recursos inovadores, seguindo a cartilha do saudoso Gunpei Yokoi: “desenvolvimento lateral com tecnologia existente”, adaptar e melhorar o que já está disponível e colocar no mercado com outra roupagem.

Isso deu muito certo com o Wii e seus sensores de movimento, o que fez a indústria inteira seguir atrás. No entanto a ideia de jogar com o GamePad do Wii U não vingou, e embora o console conte com games first party de primeira o abandono por parte de outras desenvolvedoras foi mortal para sua receptividade no mercado de game. Nisso chegamos ao cenário atual, onde ele será substituído após meros quatro anos de estrada.

No entanto a Nintendo continua não dando preferência à capacidade gráfica como seus concorrentes, se atendo ao velho ditado “poder não é nada sem controle”. Ou no caso, sem premissas realmente inovadoras. A ideia de um console híbrido pegou todo mundo de surpresa, e muitas softhouses embarcaram no trem da Nintendo.

Só que novamente o Switch não é tão poderoso assim. Ele não pode ser chamado de atualização do Wii U porque a nVidia entrou na brincadeira, mas o console em termos de gráficos ficaria entre os rivais de sétima e oitava geração. As informações acerca do dev kit já indicavam isso.

Com base na versão que os desenvolvedores receberam previamente, o Switch viria com a seguinte configuração:

  • CPU ARM Cortex-A57 com clock de até 2 GHz, GPU Maxwell de 2ª geração (traduzindo, um Tegra X1 customizado), 256 núcleos CUDA a até 1 GHz, 1.024 flop/ciclo (1 teraflop/s no clock máximo);
  • 4 GB de RAM a 25,6 GB/s, com VRAM compartilhada;
  • 32 GB de espaço de armazenamento com taxa de transferência máxima de 400 MB/s entre o console e os cartuchos;
  • portas USB 2.0 e 3.0;
  • display IPS de 6,2 polegadas com resolução HD (237 ppi), com tela capacitiva sensível a 10 toques simultâneos;
  • saída 1080p a 60 fps ou mesmo 4K a 30 fps.

Foi especulado que a Nintendo poderia trocar o Tegra X1 por um suposto X2 de arquitetura Pascal, mas agora fontes internas dizem que o hardware final do Switch é o mesmo do dev kit. Ou seja, ele terá um chip Maxwell mesmo levemente melhorado, mas ainda assim baseado numa arquitetura de 2014. O motivo é simples: desenvolver consoles leva tempo e isso vale dinheiro, a Nintendo não está disposta a perder mais grana esperando para adicionar uma CPU Pascal que além de tudo encareceria o híbrido.

Esse é aliás outro ponto crucial pela decisão em manter o Tegra X1: com um valor de mercado mais atrativo (algo em torno de US$ 299) o Switch seria mais uma vez o que o Wii foi, o segundo console de todo mundo. É preferível para a Nintendo não concorrer diretamente com Sony e Microsoft e sim correr por fora, com um aparelho mais baratinho que poderá ser adquirido por mais gente. E com a proposta portátil muitos mais se mostrarão interessados, especialmente os que não gostaram do PS Vita ou mesmo do 3DS.

Claro que é uma decisão arriscada: uma máquina menos potente significa menos games multiplataforma saindo para o Switch, mas creio que nem isso preocupa a Nintendo: ela está mis interessada em fornecer novos jogos explorando as funcionalidades inovadoras do console e se tudo o mais falhar, ela ainda pode contar com suas franquias próprias: teremos mais um Mario The Legend of Zelda: Breath of the Wild está a caminho, sem falar em Kirby, F-Zero, Donkey Kong, Pokémon, Super Smash Bros. e etc. Menos Metroid, a Nintendo abandonou a Samus Aran.

Claro, há de se encarar essas informações com o pé atrás pois são apenas rumores; nós só teremos certeza do que a Nintendo aprontou com o Switch em janeiro, quando ele for oficialmente apresentado. Até lá a especulação é livre.

Fonte: VentureBeat.

Leia também:

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Diego Nascimento

    Até hoje não entendo por que chamam de console híbrido.
    Se for assim o Atrix era um smartphone híbrido também.
    Não passa de um tablet com uma dock.

    No mais, nVidia Shield V2 with Free Dock.

    • Christian Oliveira

      Sim, sim e sim. E a Nintendo aposta as fichas que esse form factor ainda não foi devidamente explorado.

    • Ivan

      Isso se chama marketing, é a alma do negocio.

      • Diego Nascimento

        O marketing eu até entendo, o ruim é todo mundo comprar a “ideia” como inovadora só porquê veio da N.

        • Ivan

          inovador é mas não quer dizer que é bom, pior é a apple que coloca uma tecnologia de 2 anos num celular e diz que é revolução/inovação e as pessoas caem.

  • Cocainum

    Quando em modo “console”, tem a concorrência dos equipamentos mais poderosos,Xbox One e PS4. Quando em modo “portátil”, tem a concorrência dos smartphones. A grande vantagem é poder jogar os mesmos jogos nos dois ambientes, mantendo o mesmo progresso, os mesmos saves. Vamos ver se essa proposta vai ser suficiente para garantir o sucesso do produto.

  • Magnosama

    Não dá pra ser inovador e potente?

    • Cocainum

      Acho que não dá pra ser “portátil” e potente (pelo menos não no nível dos consoles da MS e Sony).

      • Magnosama

        O “portátil”, pra mim, seria totalmente irrelevante…

        já inovação e potencia, acho muito importantes.

        Enfim, acho mais uma pisada da Nintendo nos consoles. Se for isso mesmo.

        • Cocainum

          Mas nesse caso, a inovação é justamente ser ao mesmo tempo, um console portátil e de mesa. Então o fato de ser portátil faz parte do que a Nintendo considera ser “inovador” no seu equipamento. Pelo menos no caso do Switch, não tem como separar as coisas.

        • No meu caso ser portátil é muito importante, o tempo que tenho pra jogar geralmente é no horário do almoço, e console e PC ficam em segundo plano. Nunca joguei tanto um console quanto joguei o 3DS, e a galera sem tempo para sentar e jogar, que pode jogar no horário do almoço ou no ônibus não é pequena, tanto que mesmo com o hardware fraco o 3DS vendeu muito. Como a nintendo não vende bem consoles de mesa, ela com o tempo vai ter um console só. Com apenas um console , da pra dobrar o desenvolvimento de jogos por console e ficar menos dependente dos thirdies para ter sucesso no seu console. Enfim ela esta focando no seu publico fiel e não querendo competir diretamente, principalmente que a essa altura, quem queria um console com graficos potentes já comprou um PS4 ou um bom PC.

          • Magnosama

            Nunca vendeu um console de mesa pq nunca fez um que valesse a pena.
            E apenas seu público fiel já não é mais o suficiente.
            Devia mirar mais alto.

          • Nunca vendeu para não vende atualmente é bem diferente, a nintendo esta mal com o Wii-U, mas foi campeão de vendas com o nes, super nes e Wii . E quanto a console prestar mesmo o Gamecube e o Nintendo 64 não sendo os lideres de suas gerações tiverem jogos memoráveis.

    • Christian Oliveira

      Sai caro, óculos VR seria esse inovador e potente, que parece não ter decolado.

    • O ponto é, ser inovador, potente, portátil e custar um valor pagável.

      Tem que abrir mão de algo, no caso a Nintendo prefere um jogo mais “divertido” em um console menos potente, é o nicho dela.

      Outros preferem focar na potência, inovam menos no console e mais nos jogos para gamers, cada um na sua área.

      Quero conhecer pessoalmente, tenho um PS4, mas compraria fácil um switch, claro, vai do preço que vai chegar no BR HUEHUHUEUE

      • Magnosama

        O sucesso comercial do PS4 e XOne já mostraram que potência são MAIS relevantes nessa equação,
        me parece birra da Nintendo bater nessa tecla.
        Conciliar as duas coisas e cobrar mais caro é melhor do que fracassar. Os clientes já se mostraram dispostos a pagar mais por um console mais capaz.

        • Felipe Braz

          A questão é: mais relevantes pra quem? Tudo depende do nicho de mercado almejado.
          Wii tinha hardware defasado e foi relevante pra muita gente.

          • tuneman

            vamos ver se o switch vai ser relevante para pessoas o suficiente.
            gostaria muito que a Nintendo investisse no Brasil. outras empresas já entenderam que, apesar dos problemas, temos um mercado gigantesco para jogos.

          • Felipe Braz

            Switch fabricado aqui seria muito bom, mas acho muuuuuuuito difícil que isso ocorra. =(

  • Christian Oliveira

    Com certeza o segundo console, uma ótima reposição para o bom Wii, o meu aqui já está com uns bons 8 anos de estrada.

  • Bem dito a parte: “o segundo console”. Mas o Wii conseguiu ser o primeiro para muitos. O rebaixamento na lista de prioridades voltou com o WiiU, e agora não sabemos como será com este.
    Mas como já sabemos, quem é do fandom fiel vai comprar sem olhar os concorrentes.

    • radiobrasil

      Pra crianças pequenas o Wii sempre foi muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito melhor… Games como Mario Party, Wii Party nunca achei semelhantes no Xb/Ps.

  • Inquisidor

    mas parece forte o suficiente para um portátil , competir com o ps4/x0ne é complicado sem cooler, portátil e com bateria.

    • Ivan

      poderia ter uma melhora grafica quando ele estivesse na base.

      • Cocainum

        Na verdade, tem. A telinha é HD. Já a saída de vídeo é Full HD e até 4K.

        • Ivan

          será que não dava pra colocar uma full hd?

          • Cocainum

            $$$

          • Ivan

            Concordo, mas seria melhor né?

          • Smartfox

            Se você colocar uma tela de boa qualidade com uma boa densidade de pixels você nem sente falta de Full HD.

          • Ivan

            Densidade de pixel vai depender da resolução não?

          • Smartfox

            Sim e não. Rsrs

            Depende muito do tipo da tela também, tipo IPS, Amoled, Oled, Super Amoled, Retina, etc. As telas da Apple, por exemplo, costumam ter resoluções mais baixas com uma densidade de pixel alta. A diferença é imperceptível, só os chatos reclamam.

        • Ivan

          Então ele é potente suficiente pra rodar jogos em 4k? Isso não precisaria de um hardware potente?

          • Cocainum

            Falaram em 4K ali em cima na matéria (a 30 fps). Mas duvido que Zelda seja em 4K. Talvez campo minado, hehehe.

          • Smartfox

            Só fazer upscale pra 4K igual o One S nos jogos, já a parte multimídia pode rodar em 4K nativos.

          • Saída 4K para vídeo. Não necessariamente os games vão rodar em 4K na TV.

          • Vin Diesel

            E se o jogo tiver uma dinamica ao estilo de vector>bitmap por que não rodaria em 4K?

        • Tiago Ferrari

          Acho que esse é o ponto. Ele deve rodar em downclock na telinha HD (para economizar a bateria e não aquecer) e quando ligar na dock ele deve rodar em processamento pleno, Full HD com refrigeração.

      • Alexandre Moca

        Acredito que os gráficos não sejam tudo, acho a diversão mais importantes, mas o tempo é de realismo(melhoria gráfica), se a Nintendo não seguir esta tendência estará fadada a comer poeira da Microsoft e da Sony, no mínimo um console híbrido próximo ao One já fariam muitos que tem xbox one e ps4 a comprarem devido ao hibridismo

    • Metalmacumba

      Dá pra enfiar um cooler alí no Switch. o Shield tem um.

      Aliás, esse negócio de rodar até 2 GHz lembra as specs do Vita de começo, aí descobriram que roda a 333 MHz.

  • Germano

    Só li o titulo por hora… deveria fingir surpresa?

  • Metalmacumba

    eu ja acho o wii u um console com graficos muito bons. O switch nada mais é do que o wii u bem feito. por mim está bom, poderia ser melhor, mas se tiver a mesma capacidade gráfica do wii u está ótimo.

    • Ivan

      um wii u que saiu da fase beta.

      • Metalmacumba

        pior que é bem isso mesmo.

    • Felipe Braz

      De fato, tenho um e não reclamo dos gráficos, jogos como Bayonetta 2 e Xenoblade Chronicles X estão aí pra provar isso.

      No meu ponto de vista o principal erro foi na arquitetura: pouca RAM e processador PowerPC, suportanto poucas engines no SDK, tornando ports uma verdadeira obra de arte, demandando tempo (e dinheiro) que as softhouses optaram por não investir.

      • Metalmacumba

        essa arquitetura foi pra manter a compatibilidade com os consoles antigos. até o ps3 e o cell infernal tinha alguma coisa de powerpc.
        eu vendi o meu por que me mudei e não comprei outro. não compraria agora por que vai sair o switch porém eu vou comprar um ainda. eu acho ele um ótimo console.

        • Felipe Braz

          Acredito que como o hardware do wii e do gamecube não eram tão poderosos, essa retrocompatibilidade poderia ter sido por software.

  • Ivan

    Como diz o ditado é chover no molhado falar isso.

  • Ivan

    Acho que uma das limitações de potencia dele está justamente na bateria, daria pra colocar um xone dentro mas iria em meia hora.

    • Cocainum

      Meia hora? 5 minutos e olhe lá. Seria até bom, pois mais do que isso, queimaria a mão do usuário. Tanto X1 quanto PS4 usam refrigeração ativa, com cooler (que não é pequeno). Não tem como colocar o hardware desses consoles em um portátil.

  • Ivan

    Nintendo não esta preocupar com jogos multi plataforma e irá focar nas franquias, mas não foi justamente isso uma das causas do fracasso do wii u?

  • Marcelo Eiras

    Isso vai desanimar ainda mais as third parties em lançarem ports, que além de complicados ficarão pior no switch. Parece mais um console com IPs da Nintendo e ports melhorados de jogos do 3ds

    • Pablo Lukan

      as third’s já tem essas informações a tempos…

      • Marcelo Eiras

        Da mesma forma que já tinham a tempos as informações do WiiU antes de seu lançamento e todo mundo viu no que deu, mesmo com o entusiasmo inicial e promessas de apoio das third parties. A Nintendo está tentando juntar os usuarios de portáteis (cade vez em menor número canibalizado por smartphones e tablets) com os entusiastas da Nintendo e ver se formam um mercado sustentável para correr (bem) por fora. Mas o lançamento do Mario Run para mobile já mostra que nem a Nintendo está acreditando muito nisso e já está com o plano B na manga, que seria sair do mercado de consoles, infelizmente =(.

  • marcelosite

    Gente, a Nintendo não é boba. Lucro, Lucro, Lucro.
    É a Apple dos games. Nunca monta seus produtos com componentes de ponta.
    Monta tudo com segunda geração, embala com sua mágica e vende por um preço alto, e tendo lucros bons.
    Para mim está correta nisso.
    Além do mais aquela telina 240px do 3Ds não dá né.
    Viram que os portáteis estão indo bem , fizeram um 3ds de acordo agora.

    Microsoft e Sony tomam tinta no quesito lucro com esses consoles high end deles as vezes.
    Se a Nintendo for seguir esse caminho, irá falir. Nào tem suporte a isso.

    • Germano

      Wii-U deu muito lucro?

      • marcelosite

        Acho que não querem repetir o erro.
        Por unidade o lucro é bom sim.
        Não foi sucesso de mercado, por isso não escalou.

      • Ele quis dizer que o Wii-U não é um hardware vendido com prejuizo para recuperar com os jogos. O console vende pouco, mas não deu prejuízo.

        • Germano

          Procurei me informar um pouco em outras fontes, e o que descobri e que no lançamento, a venda individual de cada console nao gerava lucro. Mas com o barateamento dos custos de producao, hoje, ou seja apos 4 anos, cada unidade da lucro. Todavia, como e largamente conhecido, nao geraram lucro suficiente para sustentar a empresa. Especulo eu que a sorte dela e que as IPs dela, tendo o valor que tem, tambem geram lucro fora dos games, ou seja, em camisetas, brinquedos, lanches do mac donalds… e por ai vai. Ainda assim, o que li por alto de relatorios financeiros, foi que ela fechou as contas no prejuizo varias vezes.
          Ela esta tentando se reinventar, e olhe que precisa muito, pois quem diria que veriamos ela apostar em mobile, mas esse Switch ai… se for o que esta ai… nao acho que va ter o sucesso esperado nem que o console viesse acompanhado de um Mario, um Zelda, e um Metroid!

          • marcelosite

            Concordo, a maior propriedade da Nintendo são seus personagens, suas franquias.
            Acredito que ela nunca vai largar o osso (fazer hardware) mas sair na frente, não mais.

  • Samuel

    Acho que o recurso matador desse console vai ser a facilidade que ele vai trazer para as pessoas disputarem partidas online mas perto uma das outras. Saudade das LAN Party de fds…

  • Vinicius Santos

    ainda acho que teremos sim muitos títulos multiplataformas, visto que várias desenvolvedoras já afirmaram que adaptar jogos para o Switch tá muito mais fácil do que no Wii U. Claro que não alcançará o mesmo nível visto no Xbox e PS, mas não deixa de ser uma opção. E que mundo chato esse em que gráficos vêm em primeiro lugar, antes da diversão hein! Eu com certeza vou comprar, só o Zelda já é motivo mais que suficiente, e além de tudo está lindo demais!

  • Diogo

    Nada de novo sob o sol…
    E isso é ótimo!

  • Glauber Silva

    Pode dar certo sim. Eu sempre gostei de portáteis, mas aí você vê por exemplo um PES do Vita e um PES do PlayStation e dá aquele sentimento de tristeza. Se tiver variedade de jogos, coisa que o Wii U não tinha, eu vou querer um.

  • O grande problema que os desenvolvedores não trouxeram seus jogos para o Wii-U era a dificuldade de portar os jogos. Com um processador IBM Power PC ele era diferente da maioria das arquiteturas do mercado. Tendo um processador ARM, a maioria das game engines podem ser portadas com maior facilidade. Se o Switch pelo oque tudo indica já vai começar compativel com as maiores game engines, o trabalho de portar o jogo vai ser minimo, vai ser apenas em alguns casos de configurar resolução do jogo e efeitos para não ficar pesado demais. Não importo com gráfico realista, só espero frame rate decente. E acho que como a maioria vai comprar pra jogar os jogos da nintendo que são cartunescos, se rodar jogos das thirdies com grafico pior pra mim é bonus. Mas acredito que deveria vir com 8GB de RAM, 4GB com certeza vai dificultar mais que poder de CPU e GPU.

    • Lucas Timm

      O processador era o mesmo desde o Game Cube, e também foi utilizado pelo XBox 360 e tinha semelhanças com o Cell do PS3.

      Com o Wii U o problema nem foi ser PowerPC, mas sim o game pad, mesmo. Aliás, eu ainda me pergunto o motivo daquilo. Eu odeio aquela tela resistiva.

      • Metalmacumba

        a tela resistiva é a nintendo tentando baratear o produto.

  • 299 dólares pra ser segundo console? Mas o PS4 e o XOne tão esse preço (na real, agora no Natal tá menos).

    http://www.bestbuy.com/site/sony-playstation-4-console-uncharted-4-a-thiefs-end-bundle/5389000.p?skuId=5389000
    http://www.bestbuy.com/site/microsoft-xbox-one-s-500gb-minecraft-favorites-console-bundle-robot-white/5613810.p?skuId=5613810

    O Wii foi realmente meu console secundário, mas a Nintendo continua errando feio. Tela com baixa densidade de pixels, especificação de um tabletzinho mequetrefe. Processador ARM (ou seja, esqueçam 99% dos jogos multiplataforma). Vai ser um tablet com uma media dúzia de indies e ports de jogos de celular e 500 Marios (incluindo Mario Curling e Mario Lacrosse), Zeldas, Donkey Kongs e Pokemons (Gold, Silver, Platinum, Diamond, Ametista e Cascalho), conectividade parca, armazenamento pífio e uma deliciosa trava de região pra coroar a bosta. Mal posso esperar!

    • Felipe Braz

      Porque ARM impossibilitaria 99% dos thirdies? Diferente do PowerPC, ARM é uma plataforma consolidada e muito popular, com suporte as principais engines do mercado. Assim sendo, o principal trabalho pra portar um jogo são ajustes finos, como resolução, efeitos de iluminação etc.

      • Vinícius Cordeiro

        Até pode ser, mas é frequente em jogos utilizar-se de programação em baixo nível (assembly) para aumentar o desempenho em trechos críticos do jogo. E o assembly do ARM e da plataforma x86 (usada nos processadores tanto do PS4 quanto do XONE) são incompatíveis entre si.

        • Felipe Braz

          Programação em baixo nível é utilizada em jogos mobile, por não ter uma plataforma padronizada de desenvolvimento.

          Pra desenvolvimento de jogos de console se usa o SDK do fabricante. Se a engine utilizada é suportada em ambos os SDK, o trabalho de port é relativamente pequeno.

          • Vinícius Cordeiro

            E as SDKs têm recursos para programação em baixo nível, tanto para computação geral quanto para gráficos. É inevitável, existem trechos de código que só programando em assembly você consegue otimizar, qualquer que seja a plataforma.

          • Felipe Braz

            De fato, mas tem que lembrar que isso também acontece quando se desenvolve um jogo com versões pra ps4 e xone, tem uma diferença em reprogramar coisas especificas (como os códigos em assembly) e, além de fazer isso, ter que adaptar também toda a engine, como no caso de port para o wii u.

        • Flávio Pedroza

          Tem certeza que usam ainda assembly? Pergunto isso sempre achei que com a evolução dos compiladores hoje em dia, o pessoal não conseguisse mais ganho em velocidade ao usar linguagem de baixo nível…

          • Vinícius Cordeiro

            “Optimization isn’t simply rewriting a chunk of code in assembly—although sometimes it is that.”
            Fonte: blog dos desenvolvedores de League of Legends engineering . riotgames . com / news / random-acts-optimization

    • Dreadful

      “500 Marios (incluindo Mario Curling e Mario Lacrosse), Zeldas, Donkey
      Kongs e Pokemons (Gold, Silver, Platinum, Diamond, Ametista e Cascalho)”
      E não está bom?

    • Christian Oliveira

      No lançamento, se colocarmos na conta dos dois os anos já passados, o NSW estaria no patamar dos 199 ou menos.
      O que manda mais aqui é a GPU, de resto a camada de software dos Vulkan, directx, OpenGL, OpenCL, etc, etc da vida também tem falado mais alto que o processador em si.

  • la_gomes

    Se eu fosse a Nintendo tentaria colocar de alguma forma a Steam no console, mesmo sendo uma estratégia de louco afinal ela ganha dinheiro vendendo Mário e Cia

  • Pablo Lukan

    estão tentando vender uma experiência única a um bom preço!

  • Vinícius Cordeiro

    “E com a proposta portátil muitos mais se mostrarão interessados”

    Eu sinceramente tenho sérias dúvidas quanto a isso, ainda mais num mundo onde cada vez mais gente usa o celular para jogar. Não duvido que as vendas iniciais sejam boas, mas vão se sustentar? É esperar para ver

  • Caso substitua a família 3DS certeza que vou comprar.
    Esperando pra ver a versão Switch XL haha

  • Marcelo Eiras
  • Othermind

    “4 GB de RAM a 25,6 GB/s, com VRAM compartilhada;”

    ..compartilhada…

  • Alexandre Moca

    Acredito que seja mais um rumor, o Nintendo Switch como um todo só será revelado em janeiro, ainda acredito na pascal, não acredito que a Nintendo virá com a Maxwell de 2014, serão quase 3 anos de atraso

  • Germano

    Eu so me pergunto em que mercado isso vai competir, se não for só rumor mesmo como especularam: no de consoles de mesa? Só se for competir por ser a maior piada do mercado. No de portateis? Ela já não percebeu que o 3DS vendeu MUITO menos que o DS porque os jogadores casuais desse tipo de plataforma migraram para os smartphones?

    Claro que as IPs dela contam e contam muito, eu sou um que gosta muito delas, mas acredito que eu esteja entre a maioria ao não estar disposto em investir em um hardware para só jogar os jogos dela. Somente os fãs mais ferrenhos fazem isso, nada contra eles, mas esses são nicho, e nicho não faz numero suficiente para sustentar essa empresa.

    • tuneman

      acho que eles vão tentar se enfiar entre os consoles de mesa e portateis. não sei se vai agradar muito, mas espero que seja um sucesso. não tenho mais vontade de video games (me falta tempo). mas um switch por um bom preço seria interessante. (mas só acredito vendo!)

  • Smartfox

    Já comentei varias vezes sobre isso: o Switch não vai entregar jogos com a qualidade de PS4 e One, não tem como fazer isso em um SoC de no máximo 10 W, principalmente se o console/portátil vier com essa largura de banda pra GPU que é mais lenta até que a do Wii U, essa quantidade de RAM, e os cartuchos vierem limitados a apenas 16 GB de armazenamento.

    Mas tem coisas que não adianta querer explicar, falar que “não é simples assim” não funciona.

    Eu ainda acredito que o Switch vai ser bem sucedido, a Nintendo esta mirando no público certo, que é a do portátil 3DS, é onde os gamers dela estão nos dias de hoje. No primeiro Pokémon anunciado para o console pode ter certeza que ele venderá milhões em poucos meses.

    O fato de ele ser um híbrido pouco importa, isso é só um bônus.

    • Vin Diesel

      Se ele vier com a biblioteca de jogos que já tem no nVidia Shield e outros outros lancamentos no mesmo nível, mais os da nintendo já ta bom demais… Quase que pegava um shield quando veio o anuncio do Switch.

  • https://uploads.disquscdn.com/images/05c7bd3a378e9b33969f4eaa02322a5164da42c92cc9bd1b9467834799c7186f.gif

    Já era esperado, claro, mas sempre fica uma esperança da Nintendo acordar de uma vez…

  • Germano

    Como a maioria aqui, estou na torcida pela Nintendo. Ainda tenho meu GameCube e meu Wii comigo, foram consoles que marcaram muito. Mas tambem como a maioria, tambem estou cético.

    Uma coisa é “vender de graça” copias de um Pokémon GO que roda em dispositivos que todo mundo tem. Outra é vender por um preço significativo um hardware que só roda Pokémon, e mais um ou outro titulo no lançamento.

  • Vin Diesel

    Eu curto muito o No Limits que jogo no S7. Aqueles gráficos são sensacionais em uma tela de 5.1″ se eu pudesse jogar com um joystick BT e mandar para uma tela eu ficaria muito feliz, alias, tirando a falta de capacidade de jogar com o BT (vai que rola uma versão) esse jogo bem que poderia estar na lista de jogos do Switch. Adorei por ser dinâmico. acho que a corrida mais longa não passa de 60 segundos… Tem horas que está facil demais e tem horas que a poHa encrespa que leva semanas para passar de fase… Isso na raça, porque eu não dou um centavo para esse negócio de freemium… Quer R$ 29,90? faz uma segunda versão e offline que eu compro… E é esse tipo de jogo simples, jogo que roda na onboard do Haswell, Skylake, APU AMD que as empresas precisam fazer…

  • Cássio Amaral

    Depois que se tornar um Wii U 2.0 e não vender nada devido ao hardware fraco e híbrido, não sabe porque. Não entendo qual o problema de lançar um console com hardware decente como o Game Cube.

    Tinha jogos 1st party, tinha 3rd party e bons gráficos, não entendo porque botar um hardware tão fraco, até porque 299 nem acho tão barato assim. Eu queria muito jogar Mario e Zelda, mas 3rd parties também.

    • Jaffy

      É que não caiu a ficha ainda que Nintendo largou consoles de mesa de mão. Se tu vir isso como sucessor do 3DS e não do WiiU tudo faz sentido.

      • Cássio Amaral

        Pode ser, nunca vi console híbrido, realmente ainda não caiu a ficha. Aliás, nem sabia que o 3DS vai ser descontinuado. Só após o lançamento para vermos se esta estratégia vai ser bem-sucedida ou não 🙂

    • Well Dias

      A própria Nintendo já disse, ano passado, que não compete com os consoles, o mercado dela é outro. Esse Switch reforça isso, o problema é que a mídia, inclusive a especializada, ainda quer comparar ele com os consoles da Microsoft e Sony.

    • Luiz Miguel

      Vim do futuro para dizer que o Switch lidera há 3 meses o mercado de games.

      • Cássio Amaral

        Bem, vamos ver daqui a uns 7 meses, quando completar um ano de lançamento. Se continuar vendendo tão bem, eu admito que estava errado. À longo prazo, a biblioteca de jogos thirds vai ser essencial para o Switch continuar vendendo bem.

  • Germano

    Se bem que aquele Nes classic em termos de hardware/gráficos eu não preciso nem dizer…. e tá vendendo….

  • Jaffy

    Eu ainda tenho pé atrás quando tentam comparar hardware do Switch com PS4/Xone. Cara…a proposta mudou. É um portátil parrudo , não um console de mesa. Ok..é um hibrido no fim das contas… mas assim que o Switch foi anunciado, qualquer um que considerou que o console fosse ter a mesma força que PS4 se baseou na emoção e não na inteligência.

    Por US$300 isso ai , chutando agora, vai virar febre. Ainda mais se substituir o 3DS com o tempo.

  • Quem quer gráficos já foi pra Glorious PC Mater Race. nem PS4, nem XBO.

    Quem vai comprar o Switch vai ser a mesma turma que comprou o Wii e o DS, quem quer se divertir, de preferência em grupo.

  • FrankTesl

    se for lembrar, a geração do SNES/SuperFamicon de 1991 foi a última em que a Nintendo apresentou o hardware mais poderoso de sua época, pelos menos nos consoles alcançáveis por mortais comuns. O NeoGeo lançado pela SNK desde 1990 no Japão/EUA era absurdamente melhor, mas era coisa de outro mundo na época, ainda mais aqui no Brasil, além de praticamente só contar com exclusivos da SNK em cartuchões que custavam os olhos e os rins.

    o N64 tinha até potencial para gráficos melhores que o PS1, mas o cartucho de 32 MB frente ao CD de 650 MB melou tudo, principalmente em texturas e músicas. Só ganhava em tempo de leitura.

    O Game Cube tinha jogos lindos e vibrantes, mas de novo não teve chance em questão de jogos thirds frente ao PS2 embalado pelo sucesso do PS1, e em termos de força bruta para gráficos o Xbox Classic era o melhor daquela época.

  • FrankTesl

    POrra, será que custava muito tirar um pouco o escorpião do bolso, nem que seja só para garantir uma sobrevida maior do hardware, com mais CPU GPU e memória, e quem sabe até atrair um pouco mais as thirds?? Se bem que frente aos PCs Master Race, nem um PS4/X_one duraram mais de 3 anos, Sony e MS tiveram que tunar e turbinar para aguentar o tranco puxado pelos PCs

  • ruan

    A própria nVidia falou que seria a tecnologia das suas novas placas, ou seja: é bem díficil ter tecnologia Maxwell.

  • ruan

    e támbem não se pode afirmar que isso é verdade até janeiro

  • Germano

    Independente de qual seja o hardware, sera que teremos acesso aos jogos? Falando tanto da civilização quanto aqui da republica das bananas que é onde a maioria de nós aqui vive afinal. Porque lembro quando Bayonetta 2 saiu, era uma verdadeira caça ao tesouro conseguir uma cópia, isso no lançamento! Talvez os jogos da propria Nintendo tenham sido mais faceis de conseguir, ou não, os que possuem o console talvez possam completar aqui.

  • Linus Taralds

    Pra mim o mais surpreendente nas configurações foi a tela capacitiva, finalmente em 2017 a Nintendo se rende a essa espantosa tecnologia para um portátil…

  • Felipe Dos Santos F. De Souza

    Graficos ou resolução, porque nas comparações entre jogos de desenhos como Dragon Ball, o Nintendo Swith da uma surra no PS2, as cores são muito mais vivas.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis