Prova #7,8819822×10^googol de que Brasil Odeia Ciência: astrônomos da USP passam sacolinha para ir a congressos

Uma vez, muito tempo atrás eu reparei a ala militante na UFF animada. Descobri que estava chegando o 12º (ou 23º, não lembro) Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação, e era importante: iriam votar… o estatuto da entidade. SIM, 12 (ou 23) anos de encontros e não tinham votado nem o estatuto. Eficiência quase Soviética. A viagem, claro, na faixa bancada pela Universidade.

Enquanto eu brigava com o único 286 do laboratório de informática, não podia imaginar que a situação fosse de penúria para outras áreas, mas descobri que quanto mais “tecnicista” mais a área era odiada. O curso eletivo de Astronomia raramente era dado, por falta de alunos.

Hoje percebo que não era algo específico da militância, o desprezo brasileiro por Ciência é geral, vide a comédia da Base de Alcântara, o mico do Brasil na Estação Espacial, a Olimpíada Brasileira de Astronomia que precisou fazer vaquinha, os óculos de papelão doados para estudantes observarem um eclipse e retidos pela Polícia Federal, a cientista que fez vaquinha pra conseguir pesquisar uma espécie invasora.… a lista é enorme e deprimente.

Agora vamos piorá-la mais um pouco. Sabe o país que tem R$ 400 mil para pagar em um cubesat (de US$ 8 mil) que não funciona? Que gasta R$ 600 milhões na Area da Amazônia, um estádio que hoje serve a um campeonato estadual com 7 times? O país que tem navios de pesquisa parados enferrujando por falta de dinheiro e excesso de burocracia?

Pois é. Esse país deixa na mão cientistas como os do SAMPA (Stellar Atmospheres, Planets and Abundances), um grupo de pesquisa do Departamento de Astronomia da USP liderado pelo Prof. Jorge Melendez e composto por um pós-doutorando, três doutorandos, dois mestrandos e um aluno de iniciação científica (sim, copiei o parágrafo na íntegra, me processe).

Mesmo com todas as dificuldades eles fazem pesquisas e publicam. Só que parte importante do trabalho de um astrônomo é participar de congressos, trocar experiências e aprender com seus pares, e pra isso nunca tem verba. O jeito é, como sempre, passar a sacolinha.

Não, eles não querem fretar jatinhos e contratar o Neil DeGrasse Tyson para fazer massagens nos pés. Eles abriram um Kickstarter pedindo a imensa e obscena só que não quantia de… R$ 8 mil.

Não são 8 milhões de reais, nem mesmo são dólares. São OITO MIL reais.

Agora a prova de que o Brasil odeia ciência: a campanha foi aberta em 6 de julho, encerra 15 de setembro. Até o momento arrecadaram 9,63% da meta; um total de R$ 770,00. Se tivessem dito que era grana pra protestar contra o governo (qualquer governo) teriam bem mais que isso.

Oito Mil Reais. O Brasil não tem R$ 8 mil para mandar cientistas para congressos de Astronomia mas tem R$ 20 mil pra um sujeito fazer fanfic erótica em Salvador. Depois não sabem por que eu bebo.

Fonte: Jornal da USP, via Tuinto da MJ, que é ruiva mas não anda com aquele loser do Parker.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • Vinicius Silva

    O Cardoso é engraçado. A gente sabe que ele entende do tema, mas ele faz questão de deixar as coisas na medida pra polemizar o máximo possível. O Brasil é fraco em ciências? Sim, é bem pior do que poderia ser se tivesse mais investimento e mais seriedade. Mas vamos lá:
    – Dinheiro pra encontros de estudantes e pra congressos são recursos totalmente diferentes, com objetivos diferentes e de fontes diferentes. Esse “na faixa bancada pela Universidade” provavelmente foi um ônibus velho que a universidade cedeu, onde a galera passou 32 horas pra ir do RJ à Salvador (já contando que o ônbius quebrou pelo menos duas vezes na estrada).
    – Se não teve disciplina de astronomia porque faltaram alunos, não se trata de um complô ou de um plano maligno da universidade. Simplesmente não teve a disciplina porque não tinha alunos interessados! O povo não depende a ferro e fogo a lei da oferta e da procura? Por que com disciplinas deveria ser diferente? Engraçado que na universidade eu via colegas de vários cursos buscando matérias em institutos diferentes, e uma das favoritas era justamente astronomia!
    – Essa história do Izzy Nobre teve uma boa deturpação, convenhamos. A galera faz questão de colocar a coisa como se tivessem entregue uma mala com 20 mil reais pro cidadão escrever aquele trabalho. Não, o dinheiro em jogo aí foi uma bolsa de estudos, que por sinal é defasada demais e é dinheiro de menos pra pessoa se manter. Você deve ter lido aquela reportagem, de uns tempos atrás, mostrando a galera que veio fazer mestrado no IMPA e alugava quartinho na favela porque esso era o único lugar possível de morar perto do trabalho que dava pra bancar com a bolsa.
    – É interessante por um lado mas triste por outro essa onda de vaquinha pra ciência, nesse ponto concordo 100% contigo. A menina do mexilhão dourado teve a sacada de lançar a primeria vaquinha bem divulgada, e teve sucesso. Mas até onde isso vai durar? A cada projeto, a cada evento internacional, lançar uma nova campanha? Infelizmente as pessoas enjoam rápido da novidade, e a tendência é cada vez ser mais difícil os caras conseguirem as metas. Financiamento científico é, no Brasil, papel principalmente do governo, e a pressão em cima dele tem que continuar.

    • HomeroGamer-BanidodoMB

      Não importa se Teddy ia se aposentar ou apenas tirar uma noitada no primeiro puteiro homo que visse com os 20mil. Foi dado 20mil pra um babaca qualquer que poderia ser melhor aproveitado em milhares de coisas, inclusive ajudar estudantes a viajar.
      Minha tese atual é sobre hidromel de frutas, tou bancando do meu bolso porque não teve um viado pra me dar 20mil.
      Edit: bancando do meu bolso enquanto estudo e trabalho porque não tou ganhando um centavo para me sustentar.

      • Vinicius Silva

        Você deve saber muito bem que essa dicotomia não existe. Vc chama um estudante de “babaca” e outro estudante de “estudante”, por que? Nem todo mundo das exatas é um santo defensor das ciências e nem todo mundo das humanas é promíscuo. Cansei de ver aluno de qualquer área pegar dinheiro da faculdade ou da pós pra ir no congresso, apresentar porcamente um poster qualquer que nem entende direito e ficar de sacanagem em todas as festinhas e fazendo turismo. Chopada de qualquer engenharia era onde mais rolava droga, cara agarrando mulher à força, confusão de bêbado, etc. Da mesma forma que conheço gente da letras que trabalhava desde o começo do curso pra se manter, mantinha o CR nas alturas e levava 100% a sério o curso.
        Desenvolver pesquisa sem bolsa, e tendo que trabalhar ao mesmo tempo, é prejudicial pra todo mundo: pra você, que tem que ficar numa correria desgraçada, pro seu orientador, porque sua dedicação no projeto vai ter que ser menor do que poderia ser, e pro programa, porque aumenta a taxa de evasão. Bolsa não é mordomia nem frescura, é um instrumento econômico usado pra dar condição de as pessoas se dedicarem à produção científica.
        Geralmente os cursos tem poucas bolsas (e menos ainda de 1 ano pra cá), e só quem ganha é quem passa na seleção classificado nos primeiros lugares. Você realmente acha que deveriam tirar bolsas existentes de um curso de comunicação, por exemplo, e direcionar pra um curso de química?

        • ffcalan

          Você realmente acha que deveriam tirar bolsas existentes de um curso de comunicação, por exemplo, e direcionar pra um curso de química?
          Eu não, mas dar uma bolsa para um cara analisar a chupar pirocas, aaaaaaaaaaaaaaaaa cara, VSF.

        • Lucas Timm

          Ahh então é o mimimi de sempre, humanas versus exatas?

          Para de espantalhar o tópico, velho.
          Não tem JUSTIFICATIVA na terra de um estudo sobre chupação de rola em banheiro público de terminal de ônibus.

        • HomeroGamer-BanidodoMB

          Me diz o nome de um dos outros estudantes que escreveu um conto homoerótico disfarçado de tese de mestrado e eu te digo o nome de um babaca.

        • HomeroGamer-BanidodoMB

          Preguiça de editar… o fato de outros fazerem festa ou aprontarem com dinheiro público não torna eles menos babacas que um cara que escreve um livro de conto homoerótico disfarçado de tese de mestrado.
          Portanto não estou defendendo babacas e sim estudantes que realmente querem fazer algo de interessante cientificamente.

        • Mirai Densetsu

          Eles não acreditam quando digo que direito, administração e economia são cursos de humanas.

          Edit: E com tanta gente séria em comunicação precisando de bolsa e eles a concedem para um cara que quer escrever um livro erótico.

          Definitivamente, acho que esse dinheiro devia ser melhor aplicado.

        • HomeroGamer-BanidodoMB

          Vamos lá. Reply decente agora.
          “Vc chama um estudante de “babaca” e outro estudante de “estudante”, por que?”
          Porque existem estudantes e existem babacas? Sua faculdade de humanas não ensina que existe mais de um tipo de pessoa no mundo? A minha ensina.
          “Cansei de ver aluno de qualquer área pegar dinheiro da faculdade ou da pós pra ir no congresso, apresentar porcamente um poster qualquer que nem entende direito e ficar de sacanagem em todas as festinhas e fazendo turismo.”
          E dai? Tenho de exemplo minha turma que pega grana pra ir em congresso e viagens de campo e gasta com congresso e viagens de campo… Acho que você deveria mudar de faculdade.
          “Chopada de qualquer engenharia era onde mais rolava droga, cara agarrando mulher à força, confusão de bêbado, etc.”
          E eu cansei de ver isso em cursos de comunicação e marketing, babaca se encontra em tudo que é lugar. Até comentando merda no meiobit.
          “Da mesma forma que conheço gente da letras que trabalhava desde o começo do curso pra se manter, mantinha o CR nas alturas e levava 100% a sério o curso.”
          Parabéns para ele, não fez mais do que a obrigação, merece ser chamado de estudante.
          “Desenvolver pesquisa sem bolsa, e tendo que trabalhar ao mesmo tempo, é prejudicial pra todo mundo: pra você, que tem que ficar numa correria desgraçada, pro seu orientador, porque sua dedicação no projeto vai ter que ser menor do que poderia ser, e pro programa, porque aumenta a taxa de evasão. Bolsa não é mordomia nem frescura, é um instrumento econômico usado pra dar condição de as pessoas se dedicarem à produção científica.”
          E tem babaca que usa isso pra ficar chupando rola em banheiro público.
          “Geralmente os cursos tem poucas bolsas (e menos ainda de 1 ano pra cá), e só quem ganha é quem passa na seleção classificado nos primeiros lugares. ”
          E quando liberam bolsa o cara gasta ela pra escrever um conto homerótico de chupar rolas. Portanto continua valendo o que eu disse.
          “Você realmente acha que deveriam tirar bolsas existentes de um curso de comunicação, por exemplo, e direcionar pra um curso de química?”
          Sim. Quando comunicação tiver tanta relevância para o mundo quanto a química sempre teve desde os princípios dos tempos vou achar que dinheiro primeiro tem que ir para pesquisa séria.

      • Hidromel de frutas? Fale mais sobre isso, por favor, que talvez eu tenha uma boa dica para te passar.

        • HomeroGamer-BanidodoMB

          A tese é sobre análise sensorial de Black Mead (Hidromel Negro) pra isso o uso de frutas escuras, raspa de carvalho carbonizada e levedura apropriada para vinho tinto. Como os açúcares do hidromel são fermentáveis posso fazer o mesmo processo que uso para vinho tinto com proporção de 70% de mel 30% de massa de frutas. A diluição em água vai ser feita para obter gradação 10ºGl assim ficando dentro das normas da Anvisa tanto para hidromel quanto para vinhos de frutas.

          • Muito interessante, eu nem fazia ideia que existia hidromel negro, mas agora preciso experimentar isso.
            Olha, tempos atrás conheci o seu Ivo Maldaner que mora no centro de Campo Bom, RS. Ele é um engenheiro aposentado, resolveu se dedicar a apicultura e, só para provar que era possível, decidiu produzir hidromel.
            Seu Maldaner foi para a Alemanha e passou um ano por lá sendo aprendiz do maior fabricante de hidromel da Europa. E trouxe tudo que aprendeu para cá, junto com a ideia de comprar pipas de alumínio dessas usadas para vinho na Serra Gaúcha e fazer o processo semelhante, afinal, era “vinho de mel”.
            O que posso dizer? O homem tem mais de 80 anos e nem sabe que é um tipo de hacker, afinal, ele foi em busca de fazer hidromel só para provar que era possível fazer hidromel no sul do Brasil. E fez!
            Suas histórias são formidáveis, seu hidromel… Bom, o Dirt Old Man, famoso bar de drinks aqui de Porto Alegre, vende um hidromel que alguns jovens produzem na região. É uma bebida escura, “suja”. Já a pureza que o seu Maldaner obtêm é inacreditável. Só consigo descrever essa bebida numa taça como “ouro líquido”. Você vê o hidromel do Seu maldaner e entende porque surgiu a história da lua-de-hidromel.
            Ele tem toda a experiência, ele sabe coisas como “você não pode colocar a levedura quando o tempo estiver para chuva, senão a bebida ficará escura”. Por quê? Qual a relação entre a umidade do ar e a cor final do hidromel? Este é um caso para Homero Gamer decifrar!
            Enfim, o que mais lamento é que esse mestre já tem mais de oitenta anos e sinto que o conhecimento dele se perderá assim que ele partir. Quem sabe, já que você se dedica a esse estudo, uma conversa com esse mestre lhe seja útil.

          • Islan Oliveira

            Esse senhor nunca pensou em escrever um livro, alguma forma de passar o conhecimento adiante?

          • Não… Acho que ele vê a coisa toda como um hobby. Eu sei que numa época ele andou bem empolgado, mas a galera que o incentivou, na minha opinião, errou na proposta. A estampa do “Hidromel Milenar” é um viking com um machado. “Hidromel é a bebida dos vikings…”.
            Faltou sensibilidade, pois a cor da bebida, dourada, e a história dela remetem a bebida para o brinde de núpcias. E funciona mesmo: imagine um brinde de noivos e padrinhos onde vai parecer que eles estão bebendo ouro…
            Seu Maldaner poderia ganhar muito dinheiro só vendendo essa bebida limpa que ele produz para cerimonialistas porque encaixa perfeitamente nas “novidades e diferenciais” que esse pessoal vive colocando nos casamentos.

          • ô Homelro, sua missão de vida, conhecer este senhor e fabricar hidromel … e lembra da gente. =D

          • E Samael, ele vende fora da região? Links please… xD

          • Reinaldo Matos

            Achei a página do facebook
            https://www.facebook.com/hidromelmilenar/

            Senhor Ivo Ernani Maldaner

            Com certeza terei que dar uma passada em Campo Bom

          • Show! Ali em cima, passei um link onde tem o telefone do seu Maldaner. Dica: vá com tempo para conversar e ele te contará muitas histórias de outrora.

          • Bom, vou tentar a sua dica do code…
            http://www.agricultura.pr.gov.br/modules/qas/uploads/2398/apis_199.pdf
            Nesse texto tem o telefone dele. Quanto a enviar, bom, você terá que ser bom de papo… O seu Ivo faz hidromel como hobby, começou a fazer porque teimou que era possível. Ele até foi estimulado a criar rótulos e tal, e enviava para todo Brasil até o dia em que os Correios destruíram uma carga que ele mandou para o Rio de Janeiro. Quando ele recebeu de volta as garrafas quebradas, desistiu dos envios “para não se incomodar”.

          • O code funcionou! Valeu! 😀

          • Tenho um amigo que fabrica e vende muito pela região de Campinas/SP, mas não consegue enviar pra mais lugar nenhum…. os CUrreios recusam….

          • Bom, eu também já tive experiências terríveis com os Curreios, e também escuto relatos das misérias que eles aprontam há pelo menos trinta anos, passando pro todo o tipo de Governo Federal. Minha pergunta é sempre a mesma: quando é que vão privatizar de vez essa porcaria?
            Deu né? Chega de insistir, acabou a paciência por esperar um serviço público de qualidade que nunca vem.
            Hoje tudo o que peço é: privatizem o que der para ser privatizado, baixem os impostos e saiam do caminho. O resto a gente se vira.

          • HomeroGamer-BanidodoMB

            Mas a verdade é essa mesmo. Tanto o vinho quanto o hidromel sofrem o mesmo tipo de trabalho, a única diferença é a parte relativa a entrada de matéria prima (no caso de uvas necessita remoção do baraço, limpeza, etc…). O processo fermentativo é igual, o acabamento e o mesmo e o envase é igual. Quem produz vinho pode produzir hidromel sem custo adicional, até a cepa de levedura usada é a mesma (Saccharomyces cerevisiae para vinho tinto cepa para fermentação em baixa temperatura).
            Esse hidromel sujo é devido a não ser feita filtragem para retirar impurezas do produto final e a decantação para retirar a levedura (que não sai na filtragem). A decantação vou ter que pular pois leva muito tempo e estou com prazo apertado, se muito vou aproveitar a centrífuga pra produzir uma quantidade pequena para fins de apreciação (auehuaeheau).
            E minha pretensão é produzir modelo para fabricação em maior escala, mas como a incubadora que me sobrou é pouco maior que um frigobar vou ter que limitar bem a produção.
            E obrigado pela dica. Vai ser um pouco difícil eu viajar para Campo Bom (apesar de ser no mesmo estado) mas vou procurar entrar em contato com esse senhor.

          • Sophos Nsm

            uma pena que não rolou bolsa pra vc

        • Reinaldo Matos

          OPA… Tenho contatos em Campo Bom… Vou começar a acioná-los para conseguir um pouco desse nectar…

          @gghomero:disqus, sua missão é ir atrás desse senhor e não deixar que esse conhecimento morra… Se criar uma vakinha digital, avisa que apoiarei…

    • Sophos Nsm

      Cara deixa quieto o Cardoso tem umas zikas com algumas áreas que ele considera desimportantes. Não significa que sejam realmente desimportantes.
      Concordo com ele quando diz que o país parece odiar ciência, discordo das bobagens relacionadas a preconceito contra outras áreas da universidade.
      pra constar: publicidade é uma das áreas mais rentaveis (e comunicação por extensão) astronomia é uma das menos rentaveis. tão pouco rentável que mesmo em paises desenvolvidos e como a frança estão transformando doutores em astronomia (e desempregados) em professores do ensino médio. lá implantaram a disciplina astronomia na marra pro ensino médio. as custas de diminuir a carga horaria de portugues, matematica, biologia, quimica, fisica, historia e geografia. tudo pra não deixar os astronomos desempregados.
      agora veja só… com a abundancia de empregos (quantos astronomos o país pode absorver anualmente? muito menos do que bachareis em comunicação social e com certeza muito menos do que os bachareis em ciencia da comunicação) quem pode censurar os estudantes estarem mais interessados em comunicação social que em astronomia?

      • Eu falei que Ciência tem que ser fonte de renda aonde exatamente?

        De resto, boa sorte justificante chupadores de pirocas no lugar de astrônomos.

        • Sophos Nsm

          não disse que falou nada. só ficou de choro pq alunos não se interessavam menos pela área do que os de comunicação social.
          não tenho que justificar nada não cardoso. quem teve que justificar foi ele frente la a banca de 3 doutores da área. quanto a seu argumento bobo contra a dissertação do cara que vc sequer leu vou evitar comenta-lo.

          • Se você leu a Tese do “banheirão” do “grande astrônomo das lunetas de carne e grande gourmet da via láctea alheia” então por favor, nos elucide a questão, o que DIABOS foi aquilo e sua importância?

            É um “Pirocas for Dummies” pra futuros alunos de humanas?

            Pode ser você, o @disqus_1ulXbi4dwT:disqus , ou qualquer um que tenha lido aquilo… seja defendendo ou não.

          • Vinicius Silva

            Não sou de humanas, nunca estudei seriamente nada da área, não li essa dissertação e nem pretendo ler num futuro próximo. Na verdade tenho pouco interesse por humanas, e não entendo quase nada da área, mas acho que todo mundo tem que ter o mínimo de humildade e respeito por outras áreas do conhecimento que a gente não entende. O Cardoso gosta de se mostrar entendedor de todo e qualquer assunto. Não é, claro, como ninguém é, e sempre que alguém coloca ele numa situação desconfortável com algum argumento ele se esquiva, faz piada, xinga, etc, mas é incapaz de contra-argumentar.
            Esse “cara das pirocas” que todo mundo zoa, no mínimo passou numa seleção de mestrado em uma universidade federal, passou bem a ponto de conseguir bolsa durante a maior parte do curso, defendeu a dissertação frente a uma banca de professores especialistas no assunto, nao satisfeito passou numa seleção de doutorado em uma universidade federal, e em breve deverá defender a tese com uma nova banca (e meu palpite é que vai passar). Provavelmente isso é muito mais do que a maioria dos leitores e escritores aqui já atingiram academicamente.
            Jogar tudo no lixo só porque não entendemos do tema, pra mim, é de uma ignorância tamanha. Quando chega um político qualquer e fala que não devemos investir em telescópios porque os astros que devem ser observados são o povo brasileiro, muita gente aqui fica condoída e protestando. Mas na hora de tacar pedra na área de conhecimento ao lado, a maioria nem pensa duas vezes. Será que nos países desenvolvidos, que tanto são admirados aqui, isso acontece também?

          • Diego Marco Trindade

            Somente escreveu suposições. Pesquise e leia sobre a tese antes de defendê-la, antes de tentar se fazer de SJW de um cara que ganhou dinheiro para ficar observando pirocas e pessoas manuseando pirocas num banheiro público.

          • Sophos Nsm

            “Pesquise e leia sobre a tese
            ” favor pesquise e leia “A TESE” antes de ataca-la.

          • Diego Marco Trindade

            LEIA UMA PARTE DA “TESE”, pag 54. Te mando por email de desejar pesquisar mais:

            “Mas agora voltemos a Estação de Transbordo do Iguatemi. Já passavam das 19 horas e ao adentrar ao sanitário masculino, me deparo com o mesmo homem, trajando uma calça de uma empresa de segurança patrimonial, uma camiseta regata branca e com uma mochila nas costas. Com o intuito de me aproximar, finjo urinar no mictório ao lado. Trocamos olhares e começamos a nos masturbar, enquanto olhávamos um para o outro. Em seguida, estrategicamente, guardo o meu pênis e deixo o sanitário. Ele me segue. Sento-me em um dos bancos da Estação e logo após, ele senta ao meu lado. Puxo uma conversa e ele me convida para voltar ao sanitário. Informo que não posso, pois tenho horário para chegar em casa. Ele pergunta se sou casado, respondo que não, mas moro com minha mãe. Ele me conta que tem 32 anos, é casado com uma mulher, mora no bairro de Massaranduba, na Cidade Baixa, e tem um filho de 6 anos. O papo sobre a família é a deixa para que eu pergunte sobre como ele se define sexualmente. Ele responde que se considera heterossexual, pois é um “cara homem”, comporta-se como um homem, não anda rebolando e nem desmunhecando e não freqüenta o meio-gay.”

          • Sophos Nsm

            Tudo bem Diego? Prefiro não julgar a tese por um fragmento saído de um relato dele. Aprendi a respeitar outras formas de se obter conhecimento que não o meu metodo logico-formal (método hipotetico dedutivo). Como aprendi isso? Bem ha alguns anos trabalhei em uma das maiores empresas de consultoria ambiental do país, era meio freelancer mas participei de diverstos trabalhos. Entre eles participei da construção do estudo de impactos ambientais (EIA) de um grande empreendimento (grandão mesmo na epoca um dos maiores do país) e como tal eu iniciei meus trabalhos como sempre: hipotese, descriçaõ, falseamento, conclusão.

            Mas daí foi pra lá participar da equipe uma senhora de idade trabalhar como etnografia (acho que era isso, não tenho certeza) e como eu cheguei bem antes e ela era uma senhora de idade eu fiquei de acompanhar ela nos trabalhos dela e não tinha absolutamente nada a ver com minha área mas eu passei a acompanhar as visitas dela pq era uma imposiçaõ da empresa. Ela fazia a comunidade e ia de casa em casa batendo palmas e pedindo “uma palavrinha” com as pessoas que seriam afetadas pelo empreendimento.
            Ela sentava nas casas com um gravadorzinho, pedia pra ligar, batia papo, tomava café, conversava sobre mil assuntos e no meio ia inserindo o tema em questão. ao longo da conversa iam fluindo coisas que não sairiam de outras formas, expectativas deles, cultura, ligação com o lugar, raizes, etc. Era coisa que se eu fosse fazer eu teria ignorado completamente pq meu estudo seria direcionado ao que eu acho importante e não ao que eles acham importante.

            Bem não quero falar o nome da empresa pq bem, não vou meter nome de ex-empregador em papo de internet. tb acho respeitoso não incluir o nome da senhora a quem acompanhei, mas ela me fez respeitar mais as pessoas que trabalham com outros metodos de pesquisa.

            – vc trouxe um fragmento da dissertaçaõ dele (não era tese pra que fique claro), ok! mas como isso se insere no trabalho completo? qual o metodo de pesquisa? Quais os resultados? nada disso está claro apenas com esse fragmento compreende? eu imagino que se possa tirar um monte de informações preciosas dai (casado, não se considera gay, tem preconceito contra homossexuais embora obviamente seja um, faz parte de uma população de alto risco de dst já que não usou preservativos, a esposa está em risco de contrair uma dst tambem, possui filho, etc. O resultado poderia subsidiar sei lá uma campanha pra distribuição de preservativos, conscientização, ou mesmo de educação (contra homofobia).mas veja que essa é a minha visão de trabalho logico-formal eu não tenho a minima ideia se as conclusões que ele chegou ao fim do trabalho são significativas ou não pq eu não li o trabalho e como disse antes se tivesse lido não entenderia pq não tenho embasamento teorico-metodologico pra compreender.

            eu não tenho a minima ideia se vc vai mudar sua posição sobre o trabalho e vai retirar os sapatos de preconceito e vai lá ler o trabalho dele todo e ler a fundamentação teorica e tal. provavelmente não pq internet é assim mesmo. mas enfim, só queria que compreendesse que as coisas não são tão preto e branco como parecem. o cara foi estudante de mestrado e recebeu uma bolsa de 1200 reais mensais (mixaria) os caras de astronomia tb são e recebem a mesma bolsa. pode parecer estranho os dois receberem a mesma bolsa quando um usa pra se sustentar enquanto faz sexo com estranhos e usa o bate papo pós-sexo pra tentar compreender o funcionamento do mundo e o outro recebe pra se sustentar equanto analisa uma serie de dados numa tabela e tenta entender o funcionamento do universo. pode parecer injusto mas a priori não há hierarquia entre as ciencias e a partir do meu ponto de vista ambas as pesquisas são equiparaveis independente do metodo. o meu julgamento viria se eu compreendesse ambas e pudesse ler os resultados e conclusão pra entender se isso se trata de boa ciencia ou má ciencia (a boa ciencia faz o estado inicial avançar para um novo estado a má ciencia mantem as coisas estagnadas (por falsificações, plagios, metodos mal aplicados ou mesmo por tirar conclusões obvias e não necessárias)

          • HomeroGamer-BanidodoMB

            “Jogar tudo no lixo só porque não entendemos do tema, pra mim, é de uma ignorância tamanha.”
            Ué tu tá fazendo exatamente o que o Cardoso fez então. Porque você nem ao menos leu a tese do banheirão e tá jogando no lixo tudo que o Cardoso falou sobre povo pedindo esmola para estudar.

          • Mirai Densetsu

            Professor especialista em… Piroca?

            Mesmo eu, que sou de esquerda e SJW na maior parte do tempo, não consigo concordar com esse financiamento. Pelo menos não até que alguém consiga me convencer que uma pesquisa sobre chupar rolas vai trazer algum benefício para a sociedade.

            Se ele quisesse ser gay pesquisando na área de comunicação social, por que ele não pesquisou formas de combate à homofobia? Seria útil para todo mundo.

          • Sophos Nsm

            eu não li le mario. nem pretendo ler pq passa longe de minha área de conhecimento. mas tenho algumas coisas a falar:
            a) pesquisa não precisa ser necessariamente pragmatica. a propria astronomia passa ao largo do pragmatismo. e olha que interessante: são justamente essas áreas que mais necessitam de recursos do estado pq dificilmente o setor privado vai financiar uma tese da área de filosofia ou mesmo de astronomia pq a aplicabilidade tenderá a zero na maior parte dos casos . o mesmo vale para boa parte das pesquisas envolvendo cultura (especialmente da fenomenologia) ou etnografia (esse ultimo caso é justamente o caso da pesquisa do cara que é antropologica).

            b) minha critica foi quanto ao preconceito do cardoso ai. eu gosto dos textos dele pq ele tem um humor rabugento que eu adoro, mas ele dá bastante mancadas e costuma criar oposições (poderia falar de falacias (e foi mais de uma ai ao colocar um falso dilema: astronomia ou etnografia) mas é meio chato ficar citando elas) que não existem. astronomia não é oposiçao a antropologia, mesmo que o trabalho de mestrado seja sobre sexo com transeuntes.

            c) o fato de eu ter dito que a pesquisa não precisa ser pragmatica não quer dizer que a pesquisa do cara não seja pragmatica. eu não li pra avaliar e se lesse provavelmente não entenderia já que minha área trabalha mais com a logica formal e não com a auto etnografia. mas eu consigo imaginar um monte de usos pra uma pesquisa que descreve habitos de homossexuais em banheiros publicos. campanhas contra dst, campanhas contra discriminação, etc. problemas comuns para quem pratica com frequencia este sexo. lembremos que não faltam ai pesquisas do tipo sobre prostituição, mas daí o preconceito é um pouco menor do que contra homossexuais. novamente vou repetir: eu não li a pesquisa do cara e não vou avaliar pq não pretendo ler, só estou falando que é necessário de desvestir de todos os preconceitos e pegar a dissertaçaõ do cara ante de pre-julgar. do meu ponto de vista a unica pista que tenho sobre a qualidade do cara fala por ele e não contra ele: uma banca de 3 doutores (dois conceituadissimos na área de antropologia etnográfica) colocou as carreiras em risco e aprovou o cara. além disso artigos derivados da dissertação já foram publicados em periodicos após serem avaliados por pares.

            d) serio esse negocio de criar falsa oposiçaõ é uma porcaria. o dinheiro que foi pra antropologia não foi retirado das viagens dos pesquisadores lá não. são coisas completamente diferentes que tem fontes de financiamentos diferentes. estudantes de astronomia (e ouso dizer que os pós graduandos que estão passando a sacola) tem suas bolsas tambem exatamente do mesmo tipo que as do cara lá da etnografia dos banheiros. e não é a unica falsa oposição que o cardoso já criou: tem o negocio lá do empresário que falou que queria fazer do brasil referencia lá nos tais chinelos de pneus e o cardoso interpretou como uma ofensa, como uma oposiçaõ a foguetes e astronomia, quando era nada mais nada menos que uma peça publicitaria (veja só que ironia, criada talvez por um daqueles estudantes de comunicação social que o cardoso criticou no artigo) que agregou bastante valor a marca.

        • Alvaro Carneiro

          Cardoso, obrigado por sua frase:

          – “De resto, boa sorte justificante chupadores de pirocas no lugar de astrônomos.”

          Você conseguiu me tirar uma gargalhada em um dia nefasto.

          Obrigado.

        • Guilherme Resende

          fui obrigado a logar só para dar um like

      • gfg

        Nooossa, então a França esta fazendo com a astronomia o que eles e o resto do mundo já fizeram há décadas com a filosofia e sociologia?

        • Rafael Rodrigues

          Shhhhhhhhhhhh

          Fala baixo.

          • Sophos Nsm

            pode falar alto se quiser. filosofia e sociologia são outras duas áreas de baixissima rentabilidade longe das costas do estado. ta mais ou menos no nível de astronomia mesmo em questão de rentabilidade e é por isso que as três são sustentadas pelo estado.
            bem diferente da criticada – no texto – comunicação social onde os alunos majoritariamente estão no setor privado.

        • Sophos Nsm

          mais duas áreas com baixissima rentabilidade.
          mas verdade seja dita o uso prático da filosofia e sociologia na busca pela autonomia do aluno é maior que o de astronomia.

          • Ivan

            Ainda mais pra ensinar que socialismo e comunismo da certo.

          • Rodrigo

            Tanto é que todos os estudantes do ensino médio no Brasil hoje são comunistas e socialistas.

          • Ivan

            todos não mas muitos são, já vi provas em que se defendia socialismo, video de uma turma cantando que socialismo é bom e capitalismo é ruim, livros do MEC falando que capitalismo é ruim e socialismo é bom, exemplos não faltam.

          • Rodrigo

            Por isso que PSOL, PSTU e PCdoB são os partidos mais votados então. Agora entendi…

          • Sophos Nsm

            _|_

          • Ivan

            Achou ruim?

          • Doutrinação agora é chamada de autonomia?

            Senti até um calafrio só de lembrar das incrivelmente úteis aulas de filosofia que tive.

          • Sophos Nsm

            não sei do que vc esta falando. bacana as aulas de filosofia que vc teve. mas enquanto vc tem aulas eu dou aulas.

          • Isso explica muita coisa 😉

            Ps.: Não tenho aulas desse lixo faz mais de 10 anos, e que continue assim.

          • Sophos Nsm

            ok cara. vamos lá ver se vc aprendeu alguma coisa. quais os filosofos que vc estudou?

          • Sophos Nsm

            Deve ser bem interessante a vida de alguem que despreza a filosofia. Gosta de astronomia? É baseada no metodo logico-formal e portanto na Filosofia.

          • Não, não gosto de astronomia, nem é minha área de atuação, não passa nem perto. Mas se hoje desprezo filosofia, sociologia e estudos religiosos (sim, fui obrigado a estudar isso também) é justamente pelo fato dos professores se preocuparem mais em fazer doutrinação em sala de aula, do que realmente ensinar algo.

            Por isso, disse eu, que sinto até calafrios só de lembrar da minha primeira aula de filosofia, onde o “professor” ao entrar na sala disse que não haveria nada para ensinar, pois aprenderíamos com a conivência em sala, e que ao fim do bimestre todos faríamos uma avaliação pessoal e esta seria a nossa nota.

            Se você ensina, bom para você, e pelo bem dos seus alunos espero realmente que você seja um ótimo professor, pois, os exemplos que tive em escola, apenas me ensinaram que estas são matérias tão úteis para a vida quanto secar gelo na chuva, e não existe nada que mude minha opinião hoje.

            Boa sorte, paz e muita luz para você.

          • Sophos Nsm

            eu discordo de seu conceito de doutrinação. vc pode ter tido um professor ruim mas a educação atual não tem como doutrinar ninguem. ela pode puxar sardinha pra um lado e ainda assim não é doutrinar. ela pode omitir fatos e ainda assim não é doutrinar. pode ser má educação mas não doutrinar pq o cnceito de doutrinação é bastante especifico.

            eu não dou aula de filosofia par ao ensino medio pq não é minha formaçaõ. dou aula de epistemologia e teoria do conhecimento cientifico clássico (basicamente filosofia da ciencia)e outras disciplinas ligadas a epistemologia (filosofia da ciencia). tb dou aulas mais especificas de geociencias e tal mas nao é o assunto. o assunto é que eu considero filosofia bastante importante pq ela embasa o conhecimento cientifico e não estou falando la dos gregos não. estou falando de gente que embasa os metodos dialetico, logico-formal e fenomenologico. é gente do tipo de karl popper, feyrabend, thomas kun, bachelard, laudan, karl marx, hegel, capra, prigogine, dentre outros. isso pra não falar lá do pessoal das ciencias mais ligadas as ciencias humanas mais puras como sociologia, história, antropologia, etc (tais como o metodo etnografico, estruturalismo (esse eu conheço melhor), tipologico, funcionalista, hermeneutico-fenomenologico, idealismo, etc).

            quanto a utilidade de se estudar isso? eu não consigo entender como se ensina ciencia sem ensinar a base da construção (e novamente repito não estou falando de historia da ciencia e sim de metodo cientifico). por isso vejo um monte de gente saindo do curso superior como um tecnico (e não tou falando do tecnicismo estou falando é da falta de capacidade de compreender o que está fazendo que eu vejo em alguns estudantes do ensino superior). talvez por isso as pessoas virem marionetes e se mostrem incapazes de questionar qualquer coisa do nucleo duro de suas áreas.

          • Sophos Nsm

            pra constar sou formado em uma área das ciencias ambientais. durante o mestrado e doutorado me interessei por epistemologia do conhecimento cientifico mas não fiz a dissertação e tese nessa área apenas passei a ler sobre o tema e no emprego quando surgiu a oportunidade acabei migrando pra ela.

          • Sophos Nsm

            sabe uma coisa interessante? é que a propria ideia de doutrinação precisa passar por uma minuciosa revisão filosofica. eu não estou habilitado para falar sobre isso pq meu conhecimento é bastante simplorio sobre isso. mas posso dizer sem sombra de duvidas que o caminho pra evitar doutrinação do ponto de vista filosofico é exatamente o inverso do que o tal escola sem partido propoe.

            a principal caracteristica do ato doutrinário é conseguir explorar fraquezas cognitivas (seja pelo uso de drogas, seja por impedir a alimentação, seja por meio de tecnicas de psicologia e sociologia bastante sofisticadas) pra implantar uma dada ideologia na cabeça de uma pessoa contra a sua vontade (um ataque ao livre-arbitrio).

            o fato de seu professor ter sido horrivel não significa que ele seja doutrinador. o fato de seu professor defender o comunismo em sala de aula tb não é doutrinar. é só ser parcial. a doutrinaçaõ depende de ferramentas dos quais os professores não dispõem (drogas, conhecimentos avançados sobre psicologia, ferramentas sociais, etc) e por isso a ideia de que ele doutrine é absurda.

            pq eu acho que a ideia do escola sem partido é idiota? pq o escola sem partido é uma mera doutrina. doutrina é a simplificação de um ideal filosofico sem o exame aprofundado. é tipo o comunista que grita abaixo o capital mas jamais leu marx pra compreender lhufas. vá no site do escola sem partido e vai encontrar a recoendação de 4 livros cheios de bobagens e simplificações grosseiras (doutrina das ruins) professor não é educador, por uma critica da geografia critica, e dois guias do politicamente incorreto. não digo que são livros doutrinadores pq eu ja li alguns e assim como o professor de sala de aula o autor não possuia conhecimentos necessários para doutrinar.

            por outro lado a ideia do tal escola sem partido é absurda. querem obrigar ao professor de historia a retirar marx ou colocar tambem autores de contraposiçaõ a ele. e sugerem o esbirro do mises. o maior problema é que mises é um esbirro perto de marx quando o negocio é historia. os autores que podem ajudar a formar uma contraposição a marx já estão em sala de aula, é gente do calibre de adam smith ou comte e não o esbirro do mises.

            quer pior? quando vc retira ou limita marx em sala de aula vc em tese estaria contribuindo para auto-doutrinação (isso sim é possivel) que é o aluno que vai pesquisar por sí so e pela rasa compreensão acaba caindo em simplificações filosoficas (doutrina)

            o ideal é que o estudante tenha acesso a classicos (de marx a descartes, de newton a darwin) para que possa compreender mais profundamente os conceitos que fundamentam o mundo moderno. e ninguem melhor pra apresentar esses classicos que o professor de filosofia.

      • Ivan

        Publicidade é tão rentavel assim? Acho que o mercado não suporta tantos publicitários assim tbm.

        • Sophos Nsm

          é uma área bastante rentavel. e ainda que nao suporte tantos publicitarios certamente suporta mais publicitarios que astronomos.

      • Mirai Densetsu

        O mesmo aconteceu aqui no Brasil, só que com filósofos e sociólogos.

        Edit: Se bem que a área de comunicação só é rentável para quem faz marketing. Até porque o mercado da área de jornalismo não tem como absorver mais profissionais. E a profissão de jornalista tem mais ou menos o mesmo padrão de pagamento dos jogadores de futebol: só os top de linha de grandes agências conseguem ganhar muito dinheiro. 99% não recebe mais do que 3 mil e ainda trabalha feito escravo de faraó. Isto é, quando tem emprego, pois emprego para jornalista é muito difícil.

        Tanto que os estudantes de jornalismo hoje em dia são incentivados já na faculdade a tentar abrir um blog.

        • Sophos Nsm

          publicidade é a área mais rentavel da comunicação social, jornalismo a mais facil de ficar desempregado. mas há muitas outras. a maioria dos formados em comunicação social que eu conheço atuam como relações públicas de empresas. mas há outras opções.

    • Me deu até vertigem quando você comparou uma pesquisa que se constituía em chupar pirocas com um mestrado no Instituto Brasileiro de MATEMÁTICA PURA E APLICADA.

      • Vai ver ele tentou comparar se utilizando do “livreto de contos eróticos com termos técnicos” do banheirão (que custou fucking 20mil) em alguma parte em que o sujeito mensurava no olhômetro o tamanho das “lunetas de carne que nada veem” que ele usava pra comprovar a via láctea dos outros…

        Não li, não lerei, mas não terei (tanta) raiva de quem leu. Alguém pode confirmar se ouve medição e aferição numérica em cm~m~km na tese do banheirão? Talvez isso possa salvar a reputação de nosso nobre defensor dessa comparativa com MATEMÁTICA e… nope, esqueçam, não há o que salve…

        • ElGloriosoRangerRojo™

          Não houve aferição numérica, foram utilizados apenas termos genéricos para caracterizar as dimensões dos falos dos sujeitos envolvidos.

        • Diego Marco Trindade

          Eu baixei, e comecei a ler numa parte aleatório do meio do projeto. Quando chegou numa parte em que o cara entra no banheiro e tem 5 contra 1 (cinco caras contra um de joelhos) eu parei.

          • Olha o servico de Streaming da Melhor Koréia ai gente… HAUHAHUHAHUAHUAHUAH

      • Nilton Pedrett Neto

        você definitivamente não compreendeu o que o cara tentou explicar…

    • Você escreveu 752 linhas justificando chupar pirocas em relação a pesquisa astronômica. Não vou perder meu tempo respondendo.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        Vc criou uma falsa oposição, Cardoso. Uma coisa é a lamentável falta de apoio a pesquisa – e vc sabe muito bem que isto não tem a ver com pesquisa sobre pipoca ou piroca. Outra, bem diferente, é aproveitar e tripudiar do trabalho de outras pessoas e ainda por cima adotar uma postura dogmática em relação a outras áreas do conhecimento que não são de sua afeição.

        • Sophos Nsm

          irretocável.

        • Desculpe, mas não tem a ver com afeição achar ridículo gastar R$20 mil pra chupar pirocas e chamar isso de ciência.

          • Fernando Bento Chaves Santana

            Também me desculpe, mas Antropologia é um campo científico consolidado e a observação etnográfica um método de de pesquisa válido.
            Se vc se incomodou pelo dinheiro que o pesquisador recebeu ao logo de menos de um ano e meio de seu trabalho financiado por uma entidade de fomento procure pesquisar sobre o montante destinado a pesquisa aqui no Brasil e como esta verba é dividida entre as diversas áreas. Depois veja composição dos conselhos das entidades de fomento Verifique a quantidade de bolsas oferecidas pelos programas. Procure pelo conceito de cada curso a partir destes dados você pode começar a analisar o destino do dinheiro empregado em pesquisa.
            Na Unicamp por exemplo, todos os pós-graduandos em Física contam com bolsa integral. O programa de Ciência da Computação concede algumas bolsas até mesmo para quem já possui renda, enquanto nas “humanas” apenas os três primeiros colocados de cada programa tem garantia de financiamento. Então este é um caso onde você, com visão seletiva sobre o que é ou não ciência, pode ficar sossegado. Mas não posso pegar este exemplo acima e transforma-lo em uma generalização com uma falsa relação de causa e consequência. Não posso dizer que o financiamento dos pós-graduandos de Física ou de CC é feito em detrimento do subfinanciamento das pesquisas em Ciências Sociais. E é justamente este tipo de manipulação que você fez ao afirmar que o Brasil tem 20k para financiar a pesquisa sobre o banheirão, mas não da 8k para financiar os astronomos. E o pior é que vc sabe que o problema disto é a histórica ausencia de sólida política de Estado para o desenvolvimento científico. E cria um casuísmo sem o menor sentido com a finalidade de tripudiar o trabalho de outras pessoas desperdiçando uma boa oportunidade de ir ao centro da questão. E no final utilizou uma pauta importante apenas para alimentar uma birra sobre o que você, baseado apenas em “achismo”, julga não ser ciência. E este comportamento, lamentavelmente, não deixa de ser apenas uma variação do ódio à ciência quê vc tanto critica.

          • Aldo

            Essa galera de “çieenssias ulmanas” não tem jeito mesmo! Ontem vi um grupinho deles no mercado! Aqui perto de um shopping, vendendo bugigangas e miçangas na rua! É destino certo dessa galera que justifica limpar piroca suja com a boca, usando dinheiro dos meus impostos!

          • Fernando Bento Chaves Santana

            infelizmente o destino do subemprego não escolhe formação ou área de conhecimento.

    • Bruno Santos

      Meu amigo, 20 mil é 20 mil sendo parcelado ou a vista.

    • Rafael Rodrigues

      Filho, eu baixei o PDF e li o trabalho do cara. Eu sou obcecado por fonte primária de informação e embora acredite no Izzy, tenho o hábito de ler com meus olhos.

      Indefensável.

      Indefensável.

      Indefensável.

      • Lucas Timm

        Tem piores.

        Se liga nesse aqui:
        http : // http://www.lume. ufrgs .br/bitstream/handle/10183/139266/000989911 . pdf

        EDIT: Não envolve jirombas ou banheirão, no entanto.

        • Tássio Brunelli

          Véi, que desgraça. A mulher não se deu nem ao trabalho de consertar o TÍTULO! Tá escrito “OCPAÇÃO”. Diversos erros de português, não tá formatado. Só tem loucuras escritas. Eu não sei nem se está escrito em português!

          Muito lixo esse trabalho. Não sei como isso foi aprovado por alguém. 48 páginas de loucura. Realmente lamentável…

          • Anderson Oliveira

            Cara tu não entendeu a poesia do OCPAÇÃO!!! hahaha

            na verdade esse texto parece uma aposta do tipo “vou escrever a coisa mais louca, de maneiras bizarras e diferentes possíveis, ABNT fod*-s*, e aposto que tira mais que 8 de nota”.

            E a bibliografia “Bibliografia – em letras diferentes porque são diferentes, uma homenagem à diferença.”

        • FerMarques

          E a autora, ainda recebe bolsa do Ministério da Ciência e Tecnologia!!

          http :// portaltransparencia .gov .br /despesasdiarias/pagamento-detalhe?documento=364102362012013OB805677&pagina=111

          Fraco somos nós…

          • Fernanda Santos

            Nossa, depois de ler um pouquinho desse texto “científico”, loguei só pra comentar que esse tipo de trabalho só pode ter sido trolagem, porque não é possível uma pessoa escrever um negócio assim. Inacreditável.

        • Quando li que o sobrenome da autora era Cardoso, eu pensei que era trolagem. “Vai ver que isso foi escrito na Argentina”, mas, não! Isso é Filosofia da UFRGS, cujos defensores alegam ser uma das mais avançadas do mundo.
          Pode fechar o Brasil.

    • Ganhar 20mil pra pegar em “lunetas de carne alheias que nada veem” não tem o que justifique…

      A universidade sendo nacionalmente conhecida como banheirão não seria um local o qual eu confiaria a educação de um descendente meu.

      • Fernanda Santos

        Tem o link desse trabalho?

    • Achei o cara de humanas

  • Carlos Cabral

    Só pela curiosidade, o 12º Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação foi em 1988.

    • Faz sentido.

    • Lucas Timm

      “Eu estava lá, eu era a ata do estatuto, e que não fui aprovado na mesma ocasião”.

      • Carlos Cabral

        Aparentemente foi fundada Executiva Nacional Provisória naquele ano, extinta no ano seguinte :v.

  • Single Player

    Colaboração realizada.

  • Pingback: Prova #7,8819822×10^googol de que Brasil Odeia Ciência: astrônomos da USP passam sacolinha para ir a congressos - Lojas Mídia()

  • O (ex)Datilógrafo da AEB

    Por essas e outras que continuo no mesmo cargo por décadas, sem receber qualificação e treinamento. É triste .

  • HomeroGamer-BanidodoMB

    Seguinte, preciso de grana pra comprar mel, amora, blackberry, uva tinta, raspa de carvalho carbonizada, levedura para vinho tinto (cepa de fermentação lenta em baixa temperatura, da australiana de preferência) e fermentadores de aço inox com pescoço de ganso. Será que se eu der um festão com isso arranjo alguém para custear minha pesquisa?

    • Festa com tema viking… ?

      • HomeroGamer-BanidodoMB

        Pior… Tese de especialização.

    • Atrollando Natuacara

      Dependendo da temática, é capaz de arranjar um ou vários Teddys para se embebedar no banheirão…

    • Junior Capitanio

      se esperar ate dezembro do ano que vem mando um pouco de mel de graça, vou começar a produzir uns 300 kg/ano. em torca tu me manda a receita do hidromel pra eu fazer essa marvada em casa hahahah

      • HomeroGamer-BanidodoMB

        Vai dar pra esperar não, até dezembro desse ano tenho que ter toda pesquisa pronta.

        • Junior Capitanio

          é que vou assumir a produção em janeiro deste ano , dai passa inverno e a primeira coleta so da pra dezembro do ano que vem, mas de qualquer modo nao custa me passar a receita kkkkk.

          • HomeroGamer-BanidodoMB

            Minha pesquisa vai ser pública, não se preocupa.

          • Junior Capitanio

            vc ta fazendo sua pesquisa em cima de metodo de produção?, ou ta tentando uma receita nova?

          • HomeroGamer-BanidodoMB

            Tanto em método quanto em receita. O método vai ser necessário pois pretendo fazer a mesma padronizada (o máximo possível tendo em conta variações que existe na matéria prima) mas o principal vai ser a análise sensorial do produto final.

          • Junior Capitanio

            hummm analise sensorial… ou seja da umas bicada na marvada pra ver se ficou boa hahhaha. boa sorte no empreendimento e espero de todo coração que saia algo bom aí.
            em um mundo onde pesquisa de sucção peniana faz sucesso é bom ver gente trabalahndo por algo util.

    • Diego Marco Trindade

      Se vc fizer um catarse/kickstarter garantindo uma garrafa eu apoio! (depende do frete)

      • HomeroGamer-BanidodoMB

        Não vai dar porque o principal da tese vai ser justamente a análise sensorial. Mas vou pensar no caso.

        • Diego Marco Trindade

          Esses dias atrás eu vi a propaganda de um hidromel no face. Nunca tomei, mas sempre fui curioso, por que é uma das bebidas mais antigas da humanidade. Talvez aí esteja mesmo um mercado inexplorado, e se da análise surgir uma boa receita, espero que você ganhe muito dinheiro com isso!

          • HomeroGamer-BanidodoMB

            Segundo o que eu pesquisei tanto a Cerveja quanto o Hidromel vem da região da Ásia e mais ou menos na mesma época. Com isso fica situado a alguns milhares de anos atrás não tem como saber exatamente qual desses dois é mais velho.
            E valeu pelo apoio moral.

        • Diego Marco Trindade

          Ah, e aproveita verificar quais receitas seriam boa para acompanhar, como um javali assado ou algo que o valha.

        • Reinaldo Matos

          Disponibiliza a receita que já tá de bom tamanho… A tua causa é nobre…

          • HomeroGamer-BanidodoMB

            Se tudo der certo e eu conseguir passar nesse TCC vou fazer um resumo do processo todo. Tecnologia de ficar bêbado vai bombar aqui no MB.

    • Reinaldo Matos

      Falando sério agora… Aqui em porto alegre, um amigo meu tem um pub e está sempre em contato com o pessoal que produz a Meadgard, um hidromel que as vezes ele vende. Posso ver se consigo algumas informações úteis.

      A propósito, amanhã (25/08) terei que passar lá para deixar um livro com ele.

      • Lucas Timm

        Dirty? Shamrock? 😛

        • Reinaldo Matos

          La Cava.
          Fica na Fernando Machado do lado do Brechó do Futebol.
          Não é especificamente um pub. O Sandro, que é um dos sócios morou um tempo em Barcelona, e lá é comum estes tipos de bares estilo pub, onde ao invés de ter como produto principal a cerveja, eles vendem taças de espumantes, e alguns petiscos.

  • Pingback: Prova #7,8819822×10^googol de que Brasil Odeia Ciência: astrônomos da USP passam sacolinha para ir a congressos | Portal Hospedagem()

  • alvaro lordelo

    na Area da Amazônia, arena…
    Na Ufba sempre as mesmas queixas de falta de verba, alunos deixando de apresentar trabalhos em congressos internacionais etc…
    Mas a culpa não é do PT.

  • Smartfox

    O Brasil não é um país que odeia ciência Cardoso, os governantes só não querem que o povo descubra o que é isso e para o que serve… Caso contrário a maioria vai começar a entender o universo a volta e vai ficar inteligente, consequentemente as coisas vão começar a melhorar.

    Imagina só se o governo vai querer investir num absurdo desses, o que eles querem é investir dinheiro em Funk pancadão sujo e axé, fazer desses lixos “cultura”, tudo para deixar a massa burra e ganhar votos durantes as eleições. 😁

    • Rafael Rodrigues

      Não é culpa dos governantes. Nossa política é um lixo mas não pode ser muleta para tudo.

      Olhe à sua volta. Converse com alguém sobre astronomia e veja a cara de paisagem.

      Mude o assunto e fale de relacionamentos entre cancerianos e librianos e vire o centro das atenções.

      Pois é….

      • Smartfox

        Na verdade eu me referia a ciência em si, e não apenas a astronomia. 🙂

        Mas concordo contigo, se é que te entendi, pois a falta de interesse da população sobre assuntos científicos não colabora muito com a nossa situação.

      • Ivan

        Só ver os cortes que aconteceram na era PT e agora no governo Temer, cortaram bolsa de doutorado, entre outras coisas, fica dificil fazer pesquisas sem grana.

      • Daniel

        Triste verdade… mas eu discordo, quando você diz astronomia, a pessoa só perde o interesse quando começa a perceber que é diferente de astrologia… Para muitos que ainda escrevem razoavelmente bem as duas palavras significam a mesma coisa. =(

    • O que é um país se não o povo que o habita? Brasileiro acha um desperdício investir em pesquisa “se tem tanta gente passando fome”.

      O Brasil odeia MUITO a Ciência. É ela quem vai matar seus amigos imaginários, e o país sabe disso.

  • Rolando

    Não é a toa que muitos cientistas se mandam do Brasil para poder fazer pesquisa em um país decente que leva a ciência a sério.

    • A Suzana Herculano-Houzel tava certa, fazer ciência no Brasil é viver pedindo esmola. A melhor coisa que ela fez foi ir embora daqui.

      • Rafael Rodrigues

        Como a Taísa Storchi Bergmann e tantas outras que passam/passaram muito tempo fora daqui… Pena.

      • Alguns pesquisadores largam a Academia e vão ser professores de ensino médio

        Pelo menos, recebo em dia… ou pelo menos recebo

    • Lucas Timm

      Aqui no Brasil, se tu não escreve sobre banheirão, sobre a solidão da mulher negra ou sobre ocupação de corpos, não recebe financiamento.

  • Ivan

    Arrumam dinheiro pra um bando de desocupado fazer rodinha e enfiar o dedo no cu do outro e pra cantor de sertanejo fazer turne pelo pais mas não tem uma lei de incentivo a ciência, esquerda diz defender tanto educação mas não fazem nada por ela.

    • Nem esquerda nem direita, nem partido nenhum fazem real incentivo para ciência. Por que o povo não consegue entender, então não da voto, não esta ligado a empreiteiras, então não rola propina. Preferem ser importadores de tecnologia e exportadores de grãos e minério pra sempre. Fora os políticos que realmente nem entendem oque é realmente ciência, visto casos como o deputado que entrou com ação contra a verba que o brasil ia entrar no telescópio internacional no chile.

      • Jean

        Esse é o grande problema. Estou trabalhando a fundo em campanha esse ano, e duas coisas que notei: Nas reuniões NUNCA citam o que acreditam ser o melhor para as pessoas. Mesmo os mais esquerdistas, não citam temas de suas bandeiras “entre quatro paredes”, ou seja, nas reuniões com os líderes da campanha. Esses temas só são lembrados quando falam com o povão, e daquela forma mais genérica: “acesso a moradia, melhorar a infraestrutura, etc”. E NUNCA, em uma reunião com o povão, eleitores cobram o politico por algo realmente útil. É sempre pedindo algum favor, vaga em creche, casa popular, etc. Enfim, perdi a esperança nesse país faz horas, isso aqui não vai mudar nunca e é perda de tempo querer ir contra.

    • Lucas Timm

      Arrumam dinheiro para uma criminosa viajar de avião da FAB.

      (Ah é, esse não arrumaram, foi lavagem mesmo)

    • Rick

      Pior que arrumaram uma teta chamada Ciência sem fronteiras, mas infelizmente foi mal aproveitada por muitos que conseguiram a bolsa.
      As vezes acho que faltou investimento na educação básica antes de investir na qualificação universitária e acadêmica.

      • Ivan

        Por isso sou a favor do projeto do Christovon Buarque pra federalizar todo o ensino

  • Joca

    Em “…retidos pela Polícia Federal…”, quem barrou os óculos foi a Receita Federal, não a Polícia Federal

  • HiagoHenrique

    Droga! Ia abrir uma campanha “kickstarter” pro meu fucking projeto que irá mudar a educação brasileira. Mas pelo que vi, vou ter que ir pro modo hard das coisas..

  • David Matheus

    Se esses astrônomos tivessem dito que iam a um congresso pra fazer banheirão sobre a justificativa de “estudar as relações interpessoais da sexualidade no meio científico”, talvez teriam ganho 8 mil cada um.

  • Tiago Alves

    O problema deve ter sido na escolha da plataforma.
    Utilizar o Kickstarter não é uma boa pra projetos nacionais. Seria melhor ter usado o Catarse

    • Um Estranho No Ninho

      KS geralmente é utilizado com StartUps e produtos, com a promessa de entrega de um produto, early access e tals, realmente Catarse teria feito mais sentido…

  • RôShrek

    Esse é o país com o atraso mais avançado do mundo.

  • Diego Marco Trindade

    Na espera de criarem um tributo sobre a receita das igrejas para financiar a educação. Imagina que maravilha! Ia dobrar a verba de educação no Brasil!

    Spoiler: Infelizmente não vai rolar.

  • Carlos Ferreira

    A situação de pesquisadores científicos no Brasil é deprimente.

    E pior ainda é ler os comentários e ver “textão” tentando justificar um pesquisador de pirocas.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    No plano discursivo a ciência só é relevante para os iniciados. Para os demais, a maioria, ela irrelevante – importante é, como dizia Belchior, acreditar em deus e outras coisas invisíveis.

    • HomeroGamer-BanidodoMB

      Para os demais não é irrelevante. É um desperdício. Não precisa de ciência quando a filosofia e a religião consegue curar câncer.

    • Bruno Santos

      Dá pra acreditar num Deus invisivel(espiritual) e amar ciência. Tem muito cientista por ai que prova isso.

  • Stelios Kokkinakis

    Em outro setor de ciencias como é a saude, la no incor no inistituto de imunologia estão bancando com seu próprio dinheiro em viajar pra congressos, trazer especialistas da asia pra trabalhar junto para elaborar vacinas como o da dengue (q na hora H o governo cortou verba quando mais se precisava na fase de teste finais) e na vacina da zika.

  • Icaro Kossmann

    Poderia ser pior, eles poderiam simplesmente escrever em uma página o quanto o brasileiro ‘odeia’ ciência, ficarem se lamuriando, reclamando o quanto outras áreas de ensino tem mais atenção que eles e tals. Mas mesmo com todos os problemas e dificuldades resolveram por iniciativa própria tentar mudar isso, porque ficar sentado esperando pelo governo não rola e mesmo os sites que se dizem dedicados a esses temas só comentam o assunto um mês depois da iniciativa… e ainda da pior ótica possível, comparando áreas de conhecimento como se fossem mais ou menos importantes. E se muita gente não tem interesse, talvez seja mais por falta de divulgação, mas quando se divulga é sempre reclamando de algo…

  • Bom, galera. Já está em R$ 1120,00. Vai que dá…

  • Reinaldo Matos

    Mais um chute nos ovos… Obrigado.

  • Reinaldo Matos

    Apenas uma Atualização:

    Arrecadados R$ 1.150,00
    Boletos pendentes de aprovação: R$ 2.100,00

  • Marcelo Eiras

    Enquanto isso o governo dá 20 mil para um baitola obter mestrado em chupar pirocas na Bahia…
    Duvida ? /watch?v=DQ1B1qVeenE

  • Jefferson Viana

    Eu já falei em alguns comentários que o melhor seria separa as faculdades de ciências e tecnologias das humanas e sociais, colocando em 2 universidades diferentes com orçamentos separados, em 2 pontos opostos da cidade, melhor seria em cidade diferentes para não ter perigo de invasão da universidade de CT, só isso teríamos uma melhoria em 100% da ciência no brasil.

  • Wagner Felix

    Estou feliz que depois desse texto a vaquinha lá engrenou.
    Funcionará por agora, mas, e depois?

    Bom, cai na bobagem de ler os comentários, é tipo um masoquismo, é ruim mas é bom! To impressionado com a justificativa de um rapaz ai sobre os 20k pra chupar pirocas ser “ok”.

    O cara escreveu um conto erótico gay travestido oficialmente de trabalho acadêmico, só isso. Não é questão de “elitismo ciêntifico”, criticar aquilo é só bom senso mesmo.

  • Well Dias

    Uma pergunta para “cutucar”: Quantos de vocês farão/fazem ou fizeram graduação usando como critério o conhecimento que irão/iriam adquirir e não o salário que receberão/receberia? Quantos fizeram/fazem ou sonham em fazer uma pós-graduação pois gostam de pesquisar (estou falando de pesquisa mesmo, ler livros dissertações, teses, artigos, etc) e estudar e não pelo motivo de um aumento salarial ou de melhor cargo? Uma pergunta mais simples ainda: o que vocês andam lendo?

    Tenho a impressão que a grande maioria esquece que, quando dizem “brasileiro não gosta de estudar”, também fazem parte desse tal “brasileiro”. Ou seja, vocês são herdeiros de uma cultura miúda, passiva e paralisante. Se quer dão-se o trabalho de ver a inconsistência disso tudo, muito menos querem mudar mas esperam que os outros mudem por você.

  • Murilo Cardoso

    Efeito Cardoso? De 770 para 4500 em dois dias!

  • Daarkath

    Obsceno foi ler essa noticia…é a velha cultura do futebol e samba…que se [email protected] o resto…mas enfim,divago.O mais importante mesmo é saber qual a tabela do Brasileirão 2016 e quem é a novas celebridades que mostram suas bundas tão grandes,que se uma pedra fosse jogada na altura de suas cinturas, a pedra entraria em órbita elíptica automaticamente,criando assim um mini-sistema solar…mas enfim,divago novamente…

  • Pingback: Talvez o problema não seja só o Zika vírus - Deviante()

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis