Vacina contra a AIDS passa por primeira fase de testes em humanos com sucesso

aids-cure-needle-image

A companhia farmacêutica Sumagen Canada, cuja origem é sul coreana, anunciou ontem que a Fase 1 de testes clínicos da SAV001-H, vacina contra o HIV e AIDS, foi concluída com sucesso. As aplicações e análises duraram um ano, desde março de 2012 até o mês passado, e tinham como objetivo verificar a “segurança, tolerância e respostas imunológicas” da droga em seres humanos.

A SAV001-H obteve êxito pleno em testes de seleção aleatória, estudo duplo-cego, testes controlados por placebo, com homens e mulheres assintomáticos, sem apresentar nenhum evento adverso grave. Isso significa que a Fase 2, na qual vai ser verificada a eficiência da medicação, pode ter início.

O estudo vem sendo desenvolvido pelo Dr. Chil-Yong Kang e sua equipe da Escola de Medicina e Odontologia Western’s Schulich, em parceria com o laboratório sul-coreano, e é visto com esperança, mas certa apreensão pela comunidade científica. Isso porque a vacina inclui uma versão “morta” do vírus HIV. Para a maioria das pessoas, a ideia de ter um vírus HIV injetado em sua corrente sanguínea não é lá muito atraente, mas isso faz parte do processo de fabricação da droga.

Explicando em palavras simples: os cientistas separaram o vírus HIV ativo e modificam sua estrutura genética afim de eliminar sua patogenicidade, que é a habilidade de fazer a pessoa falar com voz de pato. Mentira, é a capacidade do agente invasor em causar a doença com suas manifestações clínicas entre os hospedeiros suscetíveis. Após tratamento químico, os vírus são irradiados com raios gama até que se tenha certeza que eles estão mortos. Bem mortos.

Outros pesquisadores tentaram criar uma vacina contra o HIV/AIDS sem o vírus morto, mas a maioria dos experimentos falharam na Fase 3. De qualquer forma, a Sumagen está otimista à respeito de seu produto, baseados no sucesso obtido em outras vacinas feitas com processos semelhantes, como Pólio, Influenza, Raiva e Hepatite A, que trabalham com o mesmo princípio.

Pode parecer prematuro se empolgar demais sobre a SAV001-H, uma vez que ela ainda precisa passar pelas Fase 2 e Fase 3. Mas quando a gente lembra que 35 milhões de pessoas já morreram de AIDS no mundo todo, e quase esse mesmo número se apresenta infectado, buscamos o mínimo de esperança. Vale lembrar também que 40% das novas infecções acontecem em pessoas com idades entre 15 e 24 anos.

Segundo a Sumagen, quando essa vacina chegar ao mercado (e, tudo indica que vai chegar), isso pode representar a erradicação da AIDS entre seres humanos. Erradicação. Pra sempre. Finito. Kaput.

Fontes: Western’s Schulich e Sumagen Canadá.

Relacionados: , , , , ,
  • Pingback: Vacina contra a AIDS passa por primeira fase de testes em humanos com sucesso | C.I.A()

  • Luiz Felipe

    Technology Wins! Vai ter idiota agourando por conta da radiação, blah blah blah, não entendem nada, acham que algo irradiado se torna um emissor de radiação para sempre. Fodam-se, ninguem acredita mais em superstições, pode agourar.

  • Hugo

    Viver no futuro é foda demais!

  • Isso que dá transar com chipanzés…

    • Bruno Rocha

      Isso é verdade. Na África eles estupravam os macacos.

      Ai essas ongs politicamente corretas inventaram a história de quem eles se infectaram comendo a carne deles. Tá.

      • Guilherme M.

        Claro. As gripes aviárias são pq os chineses estupram as aves.

        • Bruno Rocha

          Já ouviu falar em zoofilia?

          Garoto de apartamento.

          • Guilherme M.

            É “interessante” relacionar doenças entre espécies com sexo entre espécies, quando a principal forma de contágio é a alimentação.

          • Bruno Rocha

            Politicamente Correto atacou novamente, oh meu deus…

          • Guilherme M.

            Entendi sua lógica e concordo:
            – Politicamente correto = com informação
            – Politicamente incorreto = sem informação

          • Bruno Rocha

            Politicamente Correto: inventar histórias baseadas em achismo e não dar a verdadeira informação e usar isso para ludibriar as massas ignorantes.

            Politicamente Incorreto: Dizer a verdade e ser odiado pelo de cima.

            Fazer sexo com algum animal/pessoa aidético te da mais chance de contrair AIDS do que comendo a carne cozida dele.

          • Guilherme M.

            Depois, isso que falou é obvio, mas não tem procedência. As últimas pragas, por exemplo, não foi causada por sexo com aves, com porcos ou com morcegos.

            Quem está falando mitos, inventando histórias, é você. E não é a primeira vez quando o assunto é África. Lembra qdo você ignorou mais de um século de história e geopolítica e resumiu os problemas sociais, políticos e econômicos do continente com burrice de quem é de lá. Isso mostra como há falta de informação tremenda.

          • Bruno Rocha

            Veja bem, não estou dizendo que não há contaminação por comer esses animais, o que eu disse é que há sim zoofilia na África e isso é banalizado pelas aquelas bandas, coisa que as ONGs escondem, porque querem passar uma falsa noção dos africanos, de pobres coitadinhos ferrados pelo capitalismo opressor, e escondem as milhares de guerras civis todos os anos, chacinas e genocídio, cometidos por eles próprios por guerras tribais. Isso, meu caro, não passa na TV, só passam uns coitadinhos morrendo de fome.

            Isso é o politicamente correto, esconder a real face dos problemas culpar outras coisas.

          • Guilherme M.

            Zoofilia existe no mundo inteiro, desde o começo da humanidade. Pandemias não foram criadas em razão disso. A contaminação entre especies não é feita unicamente por sexo. Nem mesmo é algo comum. Zoofilia é a exceção e não a regra. Não foi preciso fazer sexo com primatas, aves, porcos, morcegos, etc, etc, etc, pra haver contaminação de animal para humano. A principal forma de contaminação é pela alimentação. É por isso que caça silvestre é incinerada, pois há possibilidade de contágio.

            Depois, não novamente, sua visão de mundo é rasa e deturpada. Problema da África, América Latina e da Ásia (continente com maior pobreza), quase todo o planeta, não é de burrice, como vc mesmo já disse, mas social e econômico causado por fatores políticos, que vem desde a colonização europeia, passando pela Guerra Fria, pela especulação financeira e indo até a neocolonização. Falar o que você falou só mostra desinformação.

            Eu já falei sobre isso, você ignorou, não contra-argumentou com informação e está novamente falando o que já tinha explicado. Não ter conhecimento é uma coisa. Não querer conhecimento é outra.

          • Kveikja

            Esse Bruno Rocha é só mais um babaca vagando por aí. Nem vale a pena discutir.

          • Bruno Rocha

            Sim, se eu não concordo com algo sou babaca. Muito bom mesmo seu argumento.

          • Kveikja

            Do mesmo nível dos que você usa contra quem discorda de você.

  • Guilherme M.

    E será que funciona pra todos os tipos de HIV?

    • Com certeza, não. Gravamos um podcast bem detalhado sobre o assunto. Se quiser saber mais, procure por “scicast aids Parte 1” no Google, o conteúdo tá bem informativo. Participação do Atila Iamarino.

  • Bicows

    Difícil ler e não lembrar de Resident Evil…

    • Bruno Rocha

      To se caso cheio de zumbis, e olha que sempre fui fã. Hoje gosto mais dos “fungos humanos” do The Last of Us.

  • Bruno Silva

    Raios Gama no HIV… e se?

  • Bruno Rocha

    São seres vivos sem, possuem RNA que vira DNA, e ainda tem mutação, tudo que um ser vivo tem. Acontece é que os vírus são os mais simples.

  • Marcos Andrade

    Não exatamente. Os vírus não estão mortos e são seres vivos. Na verdade, eles compõem uma categoria à parte de seres vivos com limitações. O que a radiação faz (da mesma forma que faria com qualquer organismo vivo), é ionizar o DNA, impedindo as possibilidades de replicação e de interação com o DNA das nossas células 😉

    • Léo Vailati

      Opa, obrigado, gostei da explicação.
      Realmente não sabia disso.

  • Victor Hugo Bueno

    Será que só eu vejo um cenário de gente trepando pra todo lado sem preservativo, pq já tá vacinado, ou pros mais ignorantes “já existe a cura”… já pensou se nessa brincadeira surge um “super virus”? eu hein..!!!11!

    • Thiago Margarida

      A questão acho que não é nem um ‘super vírus’, mas sim as outras 347234283049 doenças sexualmente transmissíveis

  • Alex Oliveira

    Excelente!

  • Guest

    Sim. Por isso as aspas.

  • Xultz

    Eu não entendi se este remédio tem como função imunizar uma pessoa, de forma que ela não consiga se infectar com o vírus, ou se ele consegue curar uma pessoa já infectada.
    Agora, esperar que a doença seja erradicada, é ser um pouco ingênuo. A indústria farmacêutica iria à falência se curasse as pessoas. O mais provável é que seja erradicada em partes ricas do mundo, e se plorifere no lado probre…

  • Denis J. Alves

    “[…]a vacina inclui uma versão “morta” do vírus HIV.” Aprendi que toda vacina é assim. São vírus “aleijados” e até “mortos”, justamente para que o corpo crie anticorpos para estes.
    Enfim, a ciência é incrível.

  • Kidjapa

    vish, acho que o pessoal que vendem aquelas centenas de remédios que o sujeito com HIV positivo precisa tomar, não iram gostar muito da noticia. HUASHUASuhas

  • Cético, pois se hoje é tratável e não “vacinável”, é mais lucrativo do jeito que está…

  • Pingback: SciCast 003 – AIDS (Parte 1)()

  • Pingback: SciCast 004 – AIDS (Parte 2)()

  • Pingback: SciCast #03: AIDS Parte 1 | SciCast()

  • Pingback: SciCast #04: AIDS Parte 2 | SciCast()

  • Pingback: #04: AIDS Parte 2 | SciCast()

  • Pingback: #03: AIDS Parte 1 | SciCast()

  • Pingback: Scicast #03: AIDS Parte 1 – Podflix - #SciCast - Podcast()

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Walmart, Cupom de desconto Ricardo Eletro, Cupom de desconto Extra, Cupom de desconto Adidas, Cupom de desconto Submarino, Cupom de desconto Americanas, Cupom de desconto Casas Bahia