Meio Bit » Arquivo » Miscelâneas » 1/4 do Mundo estará online em 2012. Grande coisa.

1/4 do Mundo estará online em 2012. Grande coisa.

14 anos atrás

Segundo uma pesquisa da Jupiter Research por volta de 2012 1,8 bilhões de pessoas estarão online. Os maiores responsáveis? China, Russia, India e Brazil. Levando-se em conta que 1/4 do mundo sequer tem acesso a eletricidade, são números impressionantes.

Isso quer dizer que viveremos uma linda utopia, todos ligados ao Google, combatendo tiranos, defendendo a Verdade, Justiça e o American Way?

Não, o super-homem não virá nos salvar, nem a Internet.

Inclusão digital não faz milagres. OK, o Brasil cresce muito nessa área, é excelente, mas apenas estar online não quer dizer nada. Qual a influência no cenário sócio-político-cultural brasileiro que tem a comunidade "Lindomar: o Sub-Zero brasileiro (Número de Membros: 240.000)"  (fonte) E essa nem é das maiores.

Inclusão digital também não é acordar, correr pra favela, sair tirando foto de valão e mandar email pro Cesar Maia.

inclusaodigital

Toda vez que há a quebra de um paradigma tecnológico (céus, escrevi igual ao Negroponte) um bando de otimistas incuráveis (incuráveis mas não morrem. Bah) aponta AQUELA solução tecnológica como algo que iria nos levar à Utopia. Foi assim com a Televisão (que iria alfabetizar e ensinar o mundo), com o rádio, com a mídia de massa, com a impressão por tipos móveis, com os pergaminhos, com as tabuinhas de argila, com a invenção do número 1 (eu vi o especial do History Channel).

Principalmente esse 1/4 da população mundial estará online mas usará MAL esses recursos.

Há uma carência de cursos e treinamentos sobre PARA QUÊ usar o computador. TODO curso de "inclusão digital" ensina o pacotinho word/excel/explorer, ou OpenOffice/OpenExcel(whatever)/Firefox. Não é disso que as pessoas precisam.

Um curso muito mais eficiente seria um que mostrasse como identificar seus problemas do dia-a-dia, como pesquisar soluções, como interagir com gente com os mesmos problemas.

Ao invés de um sujeito ir a uma cidade perdida no interior do Acre (estou assumindo que o Acre existe. Há controvérsias) e doar um forno solar para uma comunidade carente, ao invés de outro sujeito aparecer e ensinar como criar sapatos de couro de piranha para exportação, não seria muito melhor ensinar a população a procurar por essas idéias?

Relação de dependência é a mesma, não importa se o sujeito depende do Governo ou depende do tio bonzinho da ONG. É ruim. Mais do que -citando a clássica frase- ensinar a pescar, temos que ensinar esse pessoal a QUERER APRENDER a pescar. Pode parecer simples, mas eu conheço MUITA gente que escova os dentes três vezes ao dia e não consegue fazer a ligação entre "tenho um problema" e "vou procurar na Internet". Imagine o pessoal que mal sabe que a Internet existe.

 

Fonte: ITNews

relacionados


Comentários