Meio Bit » Games » Metacritic: os piores jogos lançados em 2023

Metacritic: os piores jogos lançados em 2023

Metacritic divulga lista com os 10 piores jogos de 2023 e com The Lord of the Rings: Gollum e Flashback 2, primeiros lugares nem chegam a ser uma surpresa

20/12/2023 às 7:23

O ano que está preste a acabar foi fantástico para os games. Poucas vezes vimos tantos jogos tão bem avaliados e para quem teve tempo e dinheiro, as opções foram muitas. Porém, isso não significa que algumas porcarias não tenham sido lançadas e para saber quais foram os piores jogos de 2023, o Metacritic publicou a sua já tradicional lista.

Os piores jogos de 2023

The Lord of the Rings: Gollum (Crédito: Divulgação/Daedalic Entertainment)

Para chegar aos 10 piores jogos lançados em 2023, o agregador usou o critério mais simples possível: a média de notas dadas pelos sites que os avaliaram. A única exigência para um título ser incluso na tão temida lista era que ele tivesse recebido pelo menos sete críticas. Além disso, no caso de um mesmo jogo aparecer várias vezes por ter sido lançado em múltiplas plataformas, valeria a nota mais baixa.

Essa regra acabou evitando que dois dos jogos mais criticados do ano (aqui e aqui) fossem alvos de uma vergonha ainda maior. Os jogos a que me refiro são o Skull Island: Rise of Kong e o The Walking Dead: Destinies, que ficaram com médias 23 e 29, respectivamente. Não fosse por isso, a dupla publicada pela famigerada GameMill “conquistaria” as duas primeiras posições, e com uma certa folga.

Feita essa observação, tenho que admitir que boa parte dessa lista de piores de 2023 é composta por jogos que eu nem sabia que existiam. De certa forma isso é bom, afinal eles não chegaram a ser uma decepção, ao menos para mim. Contudo, quando se trata das duas primeiras colocações, foi difícil não me frustrar com eles.

Começando por aquele que recebeu a pior média no ano, eu fui um dos que acreditou no The Lord of the Rings: Gollum. Além de ter gostado do aspecto visual do que estava sendo mostrado antes do lançamento, achava que a ideia de nos colocar na pele do Gollum poderia dar muito certo.

Outro fator que me iludiu foi a produção ser da Daedalic Entertainment, empresa que já nos deu tantos ótimos adventures. Porém, eu estava muito enganado e fiquei triste por ver uma propriedade tão poderosa ter sido bastante maltratada.

Os piores jogos de 2023

Flashback 2 (Crédito: Divulgação/Microids Studio Paris)

Passando para a segunda colocação, aí a decepção foi ainda maior. Flashback 2 tinha tudo para ser a continuação que, como grande fã do original, por tanto tempo esperei, mas infelizmente Paul Cuisset errou mais uma vez.

O jogo foi lançado num estado tão lastimável, que é fácil encontrar comentários afirmando que ele é praticamente injogável. Com problemas indo de bugs até a própria estrutura, eu gostaria de dizer que tenho esperança de que o tempo corrigirá esses problemas, mas isso seria uma mentira.

Embora o Flashback: The Quest for Identity tenha recebido uma continuação em 1995, Fade to Black não era um bom jogo e acho justo que ele seja ignorado. Assim, Flashback 2 poderia ter sido a redenção do seu criador, mas tudo indica que Cuisset será a famosa “banda de uma música só”.

Gargoyles Remastered (Crédito: Divulgação/Empty Clip Studios)

Quanto aos outros jogos apontados como os piores de 2023, merece destaque a remasterização do Gargoyles, jogo para lançado originalmente para o Mega Drive e foi baseado no desenho animado Os Gárgulas, da década de 90. Embora visualmente essa nova versão até tenha ficado bonita, a crítica reclamou principalmente do elevado nível de dificuldade e da curta duração.

Eu também citaria o Hellboy: Web of Wyrd, mais uma tentativa fracassada de levar o Braço Direito do Destino para um jogo. O título entregou uma direção artística interessante, mas não muito mais do que isso e mesmo com a versão para PC tendo recebido uma média 14 pontos maior que as dos consoles, não foi o suficiente para salvar a criação da Good Shepherd Entertainment.

Outro que merece ser mencionado é o Crime Boss: Rockay City. Contando com uma das campanhas de divulgação mais forte do ano, o título da Ingame Studios trouxe um elenco estelar: Danny Trejo, Michael Madsen, Chuck Norris, Kim Basinger, Danny Glover e Michael Rooker são apenas alguns dos nomes que aparecem no jogo.

Porém, talvez as pessoas envolvidas em sua criação devessem se preocupar mais em entregar uma boa experiência do que fechar contratos com estrelas de Hollywood. O resultado foi uma cópia de má qualidade da franquia PayDay.

Greyhill Incident (Crédito: Divulgação/Refugium Games)

Por fim, deixo o jogo que apareceu na terceira posição da lista, o Greyhill Incident. Nos colocando para tentar sobreviver a uma invasão alienígena, as opiniões sobre ele são quase unanimes: um jogo com potencial, que propõe uma boa ideia, mas que foi muito mal-executado.

Por ser o título de estreia da Refugium Games, acho que não dá para dizer que este foi uma decepção, mesmo assim o jogo entregou pouco e ficará marcado para sempre como um dos piores do ano.

Abaixo você confere a lista completa e as respectivas médias que os jogos obtiveram.

  1. The Lord of the Rings: Gollum – 34
  2. Flashback 2 – 35
  3. Greyhill Incident – 38
  4. Quantum Error – 40
  5. Testament: The Order of High-Human – 41
  6. Crime Boss: Rockay City – 43
  7. Hellboy: Web of Wyrd – 47
  8. Gangs of Sherwood – 48
  9. Loop8: Summer of Gods – 49
  10. Gargoyles Remastered – 49

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários