Home » Mobile » Novos iPhones podem ter telas OLED da BOE, LG e Samsung

Novos iPhones podem ter telas OLED da BOE, LG e Samsung

Chinesa BOE Technology passaria a ser a segunda principal fornecedora de telas OLED para iPhones, à frente da LG e atrás da Samsung, segundo fontes

13 semanas atrás

A Apple começa a ensaiar a redução da dependência de concorrentes no fornecimento de telas OLED: a BOE Technology, companhia chinesa que já fabrica displays LCD para iPads e MacBooks, pode neste ano passar a produzir também telas para iPhones, se tornando a segunda principal fornecedora do componente; a LG passa a ser a terceira, enquanto a Samsung continua sendo a primeira opção, ao menos por enquanto.

iPhone 11 Pro Max / oled

Não é de hoje que a Apple vem fazendo de tudo para afastar suas rivais sul-coreanas da cadeia de produção de seus gadgets, especialmente a Samsung: esta perdeu de vez o espaço que tinha na manufatura de processadores AX e AXX, linha de produção assumida integralmente pela TSMC, mas no que diz respeito a telas OLED, a gigante ainda é a primeira da lista graças a seu nível de excelência na produção do componente.

Não que a Apple não tenha tentado fechar com outros fabricantes, mas uma tela IGZO da Sharp (que hoje pertence à parceira Qualcomm) encareceria demais os iPhones, e as telas AMOLED da Samsung e as OLED da LG possuem uma ótima relação custo/benefício, sem prejudicar a experiência do usuário, o mantra de Cupertino. Ainda assim, a maçã continuou buscando alternativas.

A BOE Technology entrou no radar da Apple em março de 2019, quando ela anunciou estar investindo na mesma tecnologia em que a Samsung estava trabalhando e pode introduzir em breve, de uma mesma camada agregando o display per se e a superfície touch, hoje separadas em dois elementos, reduzindo ainda mais o custo de produção e resultando em componentes mais finos e leves.

A empresa já vinha incomodando principalmente a LG Display, que perdeu a chance de equipar o Huawei P30 Pro com uma de suas telas, e curiosamente, a LG considera não mais adotar telas de sua divisão em seus lançamentos, passando a adquirir os componentes de BOE, principalmente por causa do custo (fabricar telas na China é mais barato do que na Coreia do Sul). A Samsung usa suas próprias telas em seus produtos, além de vendê-las para outros fabricantes; a Apple, sem surpresa é seu principal cliente de displays para celulares.

Quando os primeiros rumores em torno de um possível acordo entre Apple e BOE para o fornecimento de telas surgiram, as primeiras suspeitas apontavam para a maçã dando um pé na bunda na Samsung (e na LG) mais uma vez, mas ao menos por enquanto, a empresa está agindo com cautela: segundo fontes, a fabricante chinesa entrará na cadeia de fornecimento de displays como a segunda principal fabricante, atrás da Samsung e à frente da LG, o que nem surpreende.

O acordo prevê o envio de telas já em 2020, e de acordo com as informações apuradas, a BOE irá fabricar 45 milhões de telas OLED para iPhones em 2021; o mais provável é que a Apple espera avaliar a qualidade dos displays chineses em um primeiro momento, para só então analisar a possibilidade de dispensar as coreanas, limitando mais uma vez os ganhos de duas rivais diretas.

Com informações: RPRNA.

Leia mais sobre: , , , , , .

relacionados


Comentários