Home » Ciência » Greg Force, o menor herói da Apollo XI

Greg Force, o menor herói da Apollo XI

22/07/2019 às 23:55

Nem todo herói usa capa, e alguns usam calças curtas. É o caso de Greg Force, um garoto de 10 anos que ganhou todos os concursos de se gabar na escola, e merecidamente.

Um dos problemas que a NASA precisou resolver para a missão da Apollo XI foi a comunicação. Você precisa de uma antena bem grande e um sinal de rádio potente, para alcançar a Lua, e há um agravante; você precisa na verdade de várias antenas, pois além de ser redonda, a Terra gira, o que é muito inconveniente.

Uma antena em Houston em 12 horas está apontando pro lado oposto, então é preciso toda uma rede de antenas para garantir comunicação constante.

Uma dessas antenas ficava em Guam, uma ilha de 45Km de comprimento literalmente no meio do nada. Ou melhor, depois do nada.

Tudo estava indo bem, a estação de Guam estava rastreando a Apollo XI em sua volta para a Terra, quando do nada, a antena travou. Correria para todos os lados, a NASA arrancando os cabelos, pois corriam o risco de ficar sem comunicação,e Guam era fundamental. A cápsula iria amerrissar no Pacífico, perto do Hawaii mas por causa da trajetória Guam era a estação principal.

Os engenheiros rapidamente diagnosticaram o problema: Um rolamento da antena havia quebrado, e levariam horas pra desmontar tudo e trocar. E eles não tinham horas! Quer dizer, até tinham mas não podiam arriscar.

A alternativa seria saturar o rolamento de lubrificante, mas o painel de acesso era pequeno demais, teriam que desmontar tanta coisa que de novo o tempo não seria suficiente, e eles não tinham nenhuma ferramenta capaz de entrar no buraco de acesso de 7cm de diâmetro e aplicar a graxa.

Diante do problema, o Diretor da instalação, o engenheiro da NASA Charles Force disse "eu tenho a ferramenta ideal".

Telefonou para casa, e chamou seu filho de 10 anos, Greg, para a instalação. Eram dez da noite, mas Greg, como todo garoto de dez anos foi correndo, because NASA, e nem precisou ser muito convencido pelo pai da importância da missão. Encheu a mão de graxa, esticou o braço pelo buraco, achou o rolamento defeituoso e besuntou o danado mais do que os anões do Veríssimo.

Testes feitos, a antena ronronou feito um gatinho, se movendo perfeitamente.

Greg provavelmente foi para casa, limpando as mãos nas calças, para desespero da mãe, enquanto isso a Apollo continuava a se comunicar com a Terra, via Guam de forma perfeita.

A história foi imediatamente reportada para Houston, que agradeceu e reconheceu a contribuição de Greg em uma comunicação oficial!

Para fechar com mais final feliz ainda, tempos depois Greg recebeu uma visita especial: Neil Armstrong, que foi agradecer pessoalmente pelo trabalho de salvar a antena.

Greg, como todo garoto da época queria ser astronauta, mas era daltônico demais para entrar pra Força Aérea. Ele hoje é dono de um ginásio em Greenville, Carolina do Sul, e nunca esqueceu de seu momento de fama, e se não conseguiu ser astronauta, ao menos se diverte como piloto privado.

Fonte: NPR, Greenville Online

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários