Home » Ciência » O mais SINISTRO sistema de visão noturna que você verá este ano

O mais SINISTRO sistema de visão noturna que você verá este ano

Esqueça tudo que você já viu sobre óculos de visão noturna e veja esta câmera trazida direto da ficção científica!

1 ano atrás

Por milênios guerra era uma atividade diurna. A menos que estivessem no meio de um combate, exércitos não faziam ataques noturnos, era muito fácil se perder e confundir um amigo com um inimigo, quando a única fonte de iluminação eram tochas e a luz da Lua.

Como ninguém conseguia localizar a Espada Justiceira, o desejo por uma forma de enxergar durante a noite permaneceu um desejo não-atendido até a Primeira Guerra Mundial, quando projéteis com tochas de Magnésio começaram a ser usados, quebravam o galho mas tinham a desvantagem de funcionar pros dois lados.

A primeira experiência de visão noturna foi patenteada em 1929 por um engenheiro húngaro chamado Kálmán Tihanyi, um dos pioneiros da televisão. Ele criou a primeira câmera de TV por infravermelho mas não se sabe se ele chegou a construir um protótipo.

Só na Segunda Guerra apareceram os equipamentos para uso em combate, o primeiro em 1939 desenvolvido pelos alemães, mas logo apareceram sistemas de visão noturna dos EUA, Inglaterra e Rússia.

O modelo alemão foi inicialmente usado em tanques, por causa do tamanho. Note que ele tinha um enorme refletor, iluminando a área com infravermelho, sistemas passivos (ui!) só apareceriam bem mais tarde.

Os americanos instalaram o sistema deles em rifles de snipers...

Que vinham com uma mochila com a bateria. No total o kit M3 pesava 15Kg e tinha um alcance prático de 75 metros. O Forgotten Weapons fez uma excelente resenha de um desses:

Os detectores da época não tinham sensibilidade para funcionar apenas com a iluminação ambiente, por isso o holofote infravermelho, mas a desvantagem é que se o inimigo tiver um equipamento semelhante, você estará literalmente anunciando com uma lanterna a sua posição.

Esses sistemas foram se tornando mais e mais sensíveis, no começo da Guerra do Vietnã os sistemas de visão noturna tinham uma amplificação de luz na casa de 1000x, hoje em dia sistemas militares de ponta trabalham com mais de 50000x.

Existem basicamente 3 tipos de visão noturna, cada uma com vantagens e desvantagens.

O primeiro e mais antigo usa iluminação infravermelha simples, com uma faixa pequena do espectro, e como a frequência é baixa, a resolução fica prejudicada, as imagens são sempre borradas, sem definição.

Outro modelo é a visão térmica, que usa infravermelho também mas separa várias faixas do espectro associando-as a sua temperatura, esse tipo de visão permite ver por trás de paredes, camuflagens e identificar se alguém esteve pela área nos últimos minutos. É basicamente a visão do Predador, mas real.

O terceiro modelo usa amplificação de luz no espectro visível, mantendo a resolução. É uma técnica bem mais recente e bem mais complexa:

Essa imagem acima é um dos exemplos X27 HD da Sierra Pacific Innovations Corp, uma câmera que funciona basicamente por magia negra para produzir um ganho de 85000x na amplificação de luz, ela combina infravermelho de amplo espectro e ampliação de luz visível.

É uma macumbaria tecnológica assustadora, a câmera consegue produzir imagens coloridas em escuridão total, veja este teste. Acredite, está de noite.

Na página dos caras há vários outros vídeos igualmente impressionantes, mas o que assusta mesmo é essa tecnologia ser de conhecimento público. Se isso aparece assim, no YouTube, imagine o que os militares estão usando. Talvez os boatos meio que confirmados das forças especiais que mataram Bin Laden terem usado sistemas de visão multiespectral de US$65 mil cada unidade, proporcionando visão semelhante à do Predador seja realmente verdade.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários