Home » Miscelâneas » Shiru Cafe não vende produtos, mas os troca pelos dados pessoais dos clientes

Shiru Cafe não vende produtos, mas os troca pelos dados pessoais dos clientes

O pequeno Shiru Cafe não aceita dinheiro como pagamento pelos seus produtos, e sim a identidade dos clientes, além é claro dos seus dados pessoais.

51 semanas atrás

O pequeno Shiru Cafe é um estabelecimento diferente dos demais, pois não vende seus cafés por dinheiro, ao invés disso, os clientes (em sua maioria, estudantes) pagam com seus dados pessoais. Para receber os produtos, é preciso mostrar sua carteira de identidade e informar seu número de telefone e seu email, além de qual matéria estão estudando na Universidade Brown de Providence, Rhode Island nos Estados Unidos.

No Shiru Cafe os clientes não pagam com dinheiro, e sim com seus dados pessoais.

Tudo bem, a gente já conhece lojas como as Amazon Go nas quais o cliente não precisa tirar a carteira do bolso, mas eles efetivamente estão pagando pelos produtos com seu crédito da Amazon, e eu pelo menos não conhecia nenhuma loja que não aceitasse dinheiro e sim os dados pessoais dos clientes em troca dos produtos.

A história do Shiru Cafe começou em Kyoto, Japão, e a primeira loja foi aberta em 2013. Atualmente a rede conta com 16 filiais nas principais universidades do Japão, e mais três cafés em institutos de tecnologia na Índia, segundo informações do Daily Coffee News. Pelo visto, oferecer café grátis em troca de dados pode ser um ótimo negócio para os envolvidos.

Como literalmente não existe nenhum almoço grátis, ou neste caso, nenhum café grátis, ao entregarem seus dados pessoais, os estudantes passam a receber informações sobre os patrocinadores da Shiru Cafe, e serem expostos a propagandas dos seus produtos.

Parece até uma cena saída da série Maniac de Cary Joji Fukunaga para a Netflix, na qual existe um sistema em que os usuários não precisam pagar por serviços, podem fazer isto com créditos obtidos ao serem impactados por propagandas escolhidas de forma personalizada por profissionais do ramo.

A iniciativa parece estar dando muito certo, tanto que foi exportada para a Índia e para os Estados Unidos. Eu não sei se essa moda vai pegar, mas recompensar o usuário por seus dados pessoais não me parece tão problemático, desde que eles sejam entregues de comum acordo, é claro.

Não é nada muito diferente do que todo mundo já fez ao entregar pro Mark Zuckerberg todos os seus dados pessoais de forma voluntária, sem ganhar nem sequer um cafezinho como cortesia.

No Shiru Cafe os clientes não pagam com dinheiro, e sim com seus dados pessoais.

Pra quem for estudante e estiver interessado em tomar um café ou um belo cappuccino em troca de alguns dados e informações pessoais, é só passar por lá. Além da filial de Providence, a Shiru Cafe também tem lojas em Harvard e Yale, todas com cafés grátis (ou quase).

relacionados


Comentários