Home » Meio Bit » Internet » YouTube vai avisar se seu vídeo foi roubado e a ideia é maquiavélica

YouTube vai avisar se seu vídeo foi roubado e a ideia é maquiavélica

O YouTube aparentemente fez uma coisa boa: está disponibilizando para criadores uma ferramenta onde eles serão avisados quando seus vídeos forem copiados, e poderão tomar providências, mas há uma pegadinha nisso…

28 semanas atrás

kibe-site

Muitos anos atrás o filósofo Abelardo Barbosa disse que “na TV nada se perde nada se cria tudo se copia”. É verdade, vide a profusão de programas de casas de penhor que surgiram nas várias redes. Na internet a situação é pior ainda. As pessoas não tem o menor pudor em copiar o trabalho alheio na cara-dura. Depois que o Pablo Peixoto fez o canal 4 Coisas, não deu dois meses surgiu um esperto com o… 5 Coisas.

Pior, pior mesmo nem é o roubo de conceito, é o roubo de conteúdo. Há casos extremos, como um infeliz que pegou um vídeo do Nerdologia, copiou o texto, fez screenshots de algumas imagens e transformou em um post de blog. Fora isso há muito roubo de vídeos onde os kibadores removem a cabeça e o rabo, colocam suas aberturas e sobem pros seus canais.

Outros apenas baixam o vídeo de um canal e sobem para outro. Até eu já fui vítima disso, mesmo subindo um ou dois vídeos por ano. Pegaram uma legendados do clássico Hitler em A Queda, subiram pra outro canal e adivinhem qual dos dois os jornaleiros que divulgaram o vídeo escolheram usar.

Até agora somente empresas grandes podiam usar ferramentas do YouTube para procurar cópias de seu conteúdo, e ah, como usavam. Sobrou até pra NASA, que teve seu conteúdo removido por violação de direitos autorais. Em essência, uma emissora pequena usou um dos vídeos da NASA, que são todos de domínio público, depois meteu o strike alegando que o vídeo da NASA era parte da reportagem deles.

screenshot-13_07_2018-11_38_53

Como o kibe está se tornando irritante pros criadores, o YouTube vai disponibilizar uma ferramenta semelhante ao ContentID, onde criadores com mais de 100 mil assinantes (sorry, gentalha) serão avisados sempre que algum vídeo for enviado para a plataforma e seja muito semelhante a um vídeo do criador.

Feito isso há várias possibilidades, você pode falar com o kibador diretamente (é perda de tempo), solicitar a remoção do vídeo, que será bem mais ágil do que via métodos tradicionais, ou então monetizar o vídeo do canal do kibador, que é pra mim a solução mais divertida.

Mas calma, há um pulo do gato aí, uma letrinha miúda quase imperceptível que mostra a real intenção do YouTube. Primeiro, lembre-se, eles não são seus amigos, o YouTube está numa caça a tudo que puder desmonetizar, principalmente conteúdo LGBT, que tiram o AdSense só por causa do título. Ontem mesmo O Linus Tech Tips, um dos canais de tecnologia mais populares do YouTube tomou um strike pelo crime de promover seu canal no Twich.

Qual a marmotagem? O YouTube considera criador do conteúdo aquele que subiu primeiro o vídeo para a plataforma. O pessoal do Verge percebeu isso e alertou. Se você usa Daily Motion, Vimeo ou outros sites como seu canal principal, se alguém subir seu vídeo primeiro pro YouTube VOCÊ será a parte errada da história, e terá muito mais trabalho para resolver o caso.

Em resumo: o YouTube fez uma oferta que você não pode recusar: defende os direitos autorais do seu vídeo mas só se você priorizar a plataforma, capisci?

mb

Fonte: YouTube.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários