Ministro inglês quer identidade digital única contra bullying

Em entrevista concedida ao The Times, o ministro da Segurança do Reino Unido, Ben Wallace, disse que quer criar uma identidade digital única para aumentar a segurança da população, citando investigações policiais frustradas por tecnologias de encriptação.

Wallace, que é ex-soldado do exército inglês, declarou: “Uma grande parte do bullying e aliciamento nas redes sociais acontece pois estas pessoas sabem que você não pode identificá-las. É a lei da selva na internet. Você não deveria poder se esconder atrás da anonimidade como você pode hoje em dia. Os bancos autenticam seus clientes, então as empresas de internet também deveriam poder fazer isto.”

Para ele, o sistema de verificação digital poderia acabar com a anonimidade online poderia funcionar de duas formas, a primeira com a identidade digital sendo fornecida mediante a apresentação de um documento de identificação com foto, como a carteira de identidade ou de motorista ou o passaporte para a organização responsável, que criaria a conta no seu nome, e a outra com os próprios sites criando mecanismos para verificar a identidade dos usuários.

O problema dessa proposta é bem simples, quem realmente quer ficar anônimo para fazer algo errado, certamente vai encontrar uma outra maneira de fazer isto, enquanto a maioria das outras pessoas que não estão fazendo nada de errado, estarão sendo automaticamente vigiadas o tempo inteiro em todas as suas atividades online. Sim, o sistema vai custar uma fortuna e na prática, não vai resolver nada, muito pelo contrário, vai criar mais confusão ainda, mas quero ver alguém conseguir explicar ao ministro Wallace.

Falando em custos, o ministro também acredita que serviços como o Whatsapp deveriam reembolsar a sociedade pelo “impacto negativo da sua tecnologia” (palavras dele), e aproveita para dar uma cutucada nos bilionários do Silicon Valley, que segundo ele são os verdadeiros vilões: “Eles acusam o estado de vigilância ao mesmo tempo em que vendem os meus detalhes para ganhar dinheiro.” 

Este desejo de unificação de identidades é parecido com a proposta do do “ministro digital” da Austrália, Michael Keenan, que quer criar uma “identidade digital” para todos os australianos até 2025. A identidade ficará sob responsabilidade do Australian Tax Office e supostamente vai proteger a privacidade dos cidadãos.

Pelo menos lá na terra dos cangurus, o sistema não seria obrigatório e a motivação parece ser a desburocratização do sistema, mas apesar das boas intenções, eu ainda fico com o pé atrás, pois acho que existe o potencial para que algo assim se transforme em algum tipo de abuso por parte do governo, ou ainda pior, em um estado de vigilância.

Se a novidade se tornar mesmo lei e entrar em vigor no Reino Unido, George Orwell e Alan Moore que me perdoem, mas teremos a confirmação de que o Big Brother está de olho, e só o V pode nos salvar!

Relacionados: , , ,

Autor: Nick Ellis

Nick Ellis é autor do Meio Bit, Digital Drops e Blog de Brinquedo.

Compartilhar