Facebook elimina 10 grupos que inflavam visualizações no Instagram

E o Instagram é o queridinho do momento para quem quer ganhar dinheiro com postagens patrocinadas. A rede social passou, nos últimos anos, de uma coletânea de fotos de pratos de comida para uma vitrine de exposição de grandes fotógrafos e grandes marcas de qualquer tipo de produto. Junto com isso temos as celebridades de Instagram, pessoas que não fazem nada de útil, mas possuem um estilo de vida bacana e acabam angariando milhares de seguidores. Mas, isso não quer dizer nada, pois alguns animais de estimação, como o gato Yoremahm (438 mil seguidores), fazem tanto sucesso quanto eles. Isso nos diz alguma coisa sobre a qualidade dos seguidores de uma conta do Instagram,

Mas, as empresas não querem saber disso. Elas querem colocar sua marca no Instagram. Tanto essas celebridades do Instagram (chamados de influenciadores digitais) quanto os animais de estimação, recebem uma grana alta para aparecer em suas postagens utilizando ou demonstrando algum produto. E é esse ponto que mostra ser importante você ter milhares de seguidores e milhares de curtidas nas fotos. Mas, ninguém questiona a qualidade destes seguidores, ou o engajamento que você possa conseguir com essas milhares de curtidas. E isso abre espaço para algumas maracutaias. E foi uma dessas maracutaias que o Facebook começou a detonar essa semana.

Segundo o Buzz Feed essa marmotagem começou quando o Instagram mudou a visualização das fotos. A empresa descartou a visualização cronológica das fotos e passou a aplicar a visualização por um algoritmo. A desculpa é que o usuário veria o que é mais relevante para o seu perfil. O problema é que posts com muitas curtidas são mais indicados pelo sistema e tendem a ter uma visualização privilegiada. É ai que entram os grupos organizados no Facebook.

O Buzz Feed descobriu centenas de grupos organizados no Facebook com o intuito de driblar o algoritmo do Instagram. As pessoas entram nos grupos e indicavam um post que gostariam de turbinar. Através de conversas via Telegram os organizadores liberavam os posts que deviam ser curtidos por todos os membros. A cada momento um post novo aparecia e todo mundo tinha que curtir. Assim era criada uma rede de troca de curtidas.

O site criou contas e usuários e entrou no esquema. Os grupos chegavam a ter 40 mil membros, e havia o incentivo para que os membros criassem outros grupos para diversificar o trabalho. Depois de ver como tudo funcionava o Buzz Feed levou tudo ao Facebook para saber a opinião deles. O resultado é que os 10 maiores grupos do “Jogo do Instagram” dentro do Facebook foram excluídos essa semana por violarem os termos de uso do site. O problema deste tipo de prática é que estamos falando de contas verdadeiras que se organizam para trocar as curtidas. Não são softwares trabalhando com contas fantasmas. Por esse motivo é muito mais complicado reprimir a prática.

Mesmo com os 10 grupos apagados, uma rápida pesquisa pelo Facebook mostram muitos outros. Sem falar que o pessoal pode começar a se organizar por outros meios ou fóruns. Isso só mostra que o mundo maravilhoso das celebridades do Instagram pode ser uma grande cortina de fumaça.

Fonte: BuzzFeed

Relacionados: , ,

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams "Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio".

Compartilhar