Home » Meio Bit » Microsoft » Microsoft BUILD 2016 — Edge receberá bloqueador de ads nativo

Microsoft BUILD 2016 — Edge receberá bloqueador de ads nativo

Microsoft contra a propaganda: navegador Edge pode receber um bloqueador de ads nativo já na próxima atualização

3 anos atrás

no-ads

A Microsoft perdeu bastante espaço no quesito navegadores, graças a anos de negligência com o Internet Explorer e a evolução patente de seus concorrentes. Com o Microsoft Edge a companhia espera recuperar o prestígio e mais importante uma posição mais confortável no market share, embora ela ainda seja como uma playmate em início de carreira: magrinha e pelada.

Só que isso está para mudar. Enquanto o suporte a extensões já está para ser liberado a Microsoft anuncia um recurso que pode agradar muita gente e se tornar uma fonte de dores de cabeça para produtores de conteúdo: um bloqueador de ads nativo.

A novidade foi revelada durante o painel da conferência BUILD 2016, enquanto a empresa discutia os rumos que serão tomados para que o Edge se torne um navegador mais competitivo e amigável para os usuários. No estado em que ele está hoje ele é extremamente rápido, sem vícios mas igualmente carente de recursos especializados, muitos dos quais os browsers concorrentes como o Chrome e o Firefox contam graças ao suporte a extensões.

Redmond vem sendo cautelosa nesse quesito, não quer que o Edge se torne uma penteadeira de dama que troca favores por dinheiro e mais, não deseja que as extensões comprometam a performance como um todo. Tomadas as precauções, ontem foi anunciado que o navegador receberá o suporte já na próxima grande atualização.

Só que o calendário de implementações também revelou algo interessante para o próximo update. Veja o item 4, cortesia do ZDNet:

ms-edge-slide-2

A mesma atualização, que segundo a Microsoft está prometida para o meio do ano trará também um bloqueador de publicidade nativo, o que pode incomodar muitos sites que dependem do modelo de negócios de ads para fazer dinheiro. Antes tais extensões eram populares só entre os mais interados, mas as coisas estão mudando.

Para variar tudo começou com a Apple. Seu plano para incluir suporte a ad blockers nativos no Safari para desktops e dispositivos móveis (irritando por tabela a AdBlock, que não deseja concorrência) foi pelo visto considerado uma boa ideia pela Microsoft, mas ao invés de abrir as portas para soluções de terceiros acabaram por desenvolver a sua própria, sendo esta uma característica nativa. Claro que isso não é um movimento isolado: o Opera, sem muita novidade foi o primeiro a embutir o feature. O Brave, navegador lançado pelo co-fundador da Mozilla Brendan Eich vai na mesma direção.

O que isso significa? Em breve poderemos ver um cenário onde os principais navegadores passarão a oferecer um recurso para bloqueio de propagandas nativo e ativado por padrão, o que se considerarmos o comportamento padrão dos usuários de Windows que não utilizam outro browser sem ser o "ezinho da Internet" resultará em cada vez menos pessoas vendo ads, o que pode ser catastrófico para muitos sites que dependem deles (MeioBit incluso). Ver propagandas deixará de ser norma, virando exceção: só quem deseja contribuir com seus canais favoritos irá se dar ao trabalho de desligar o filtro e convenhamos, muito pouca gente faz isso.

Agora, quem deve estar mesmo arrancando os cabelos é a AdBlock...

---

Leia também:

relacionados


Comentários