Home » Meio Bit » Android e Linux » MWC 2015: Samsung apresenta Galaxy S6 e S6 Edge

MWC 2015: Samsung apresenta Galaxy S6 e S6 Edge

Samsung apresenta no já tradicional evento Unpacked da MWC 2015 seus novos tops de linha: Galaxy S6 e S6 Edge contam com diversas novidades

4 anos atrás

galaxy-s6

Galaxy S6

Como é de praxe, a Samsung reservou seu já tradicional evento Unpacked na MWC 2015 para revelar seus novos smartphones de ponta: o Galaxy S6 e o S6 Note representam uma mudança radical em tudo que a companhia sul-coreana vinha fazendo até então, numa tentativa de recuperar o fôlego perdido e fazer frente a seus adversários de igual para igual.

Uma coisa que a empresa teve que aprender a duras penas: não dá para descuidar do design. Desde o Galaxy S3 a Samsung preferiu utilizar materiais mais baratos, de plástico mesmo e sem muito capricho, em prol do que chamou de “eficiência sobre design”. Basicamente a companhia priorizou a bateria removível, mas poderia tê-lo feito com muito mais capricho. O resultado foi a piada pronta da traseira cheia de furinhos do S5, que combinada com sua cor dourada lhe rendeu o merecido apelido de “Band-Aid”.

No fim das contas os responsáveis pelo design rodaram todos, e a Samsung resolveu promover uma repaginação total. Pela primeira vez seu smartphone top se parece com um dispositivo caro (o que ele sempre foi), embutindo a bateria e fornecendo alguns gimmicks a mais para compensar.

galaxy-s6-edge

Galaxy S6 Edge

O S6 e o S6 Edge são bem semelhantes, sendo que o último traz a tela curva assim como o Galaxy Note Edge. Entretanto a curvatura está bem mais sutil, o que lhe deixou com um aspecto bem mais elegante se comparado com seu irmão de maior estatura. Essa é uma das duas únicas diferenças entre os dispositivos, pois como as funções de tela dupla do Edge exigem mais energia ele é equipado com uma bateria de 2.600 mAh, contra a de 2.550 mAh do S6 (não que seja uma diferença muito grande, mas…). O S6 Edge também é levemente menor e mais leve, são 14,2 × 7,01 × 0,7 cm e 132 g contra 14,3 × 7,05 × 0,68 cm e 138 g.

O que eles trazem em comum? SoC Exynos 7420, octa-core 64 bits (com processo de litogravura de 14 nanômetros) com quatro núcleos Cortex-A53 de 1,5 GHz e quatro A-57 de 2,1 GHz, GPU Mali-T760, 3 GB de RAM, display Super AMOLED de 5,1 polegadas e resolução de 2560 × 1440 pixels (sim, mais dois Quad HD, totalizando densidade de pixels de 577 ppi) protegido por vidro Corning Gorilla Glass 4, conexões 4G/LTE, Wi-Fi, Bluetooth 4.0 e NFC, versões com 32, 64 ou 128 GB espaço interno (sem Micro-SD), Android 5.0.2 Lollipop e um TouchWiz realmente repaginado, com a Samsung procurando que ele seja o mais leve e funcional possível.

Componentes de ponta

Sobre as principais características por baixo do capô: a Samsung está utilizando ambos aparelhos como vitrines de seus mais recentes avanços na área de componentes: o conjunto formado pelo SoC Exynos 7420, a memória RAM LPDDR4 e os chips de armazenamento UFS 2.0 prometem uma performance jamais vista em nenhum outro dispositivo móvel. Em termos de produção de peças temos que dar o braço a torcer, os coreanos sabem o que fazer e de outra forma, a Apple não seria um de seus principais clientes.

As câmeras também merecem destaque. A principal possui 16 megapixels e a frontal 5 MP, ambas com abertura f/1,9. Isso significa que ambas entregam melhores resultados em ambientes com pouca luz e mais controle da profundidade. Some-se a isso a estabilização óptica de imagens e o HDR em tempo real, esse já presente no S5. A câmera frontal possui um ângulo maior, permitindo autorretratos em grupo com maior qualidade e sem a necessidade de apelar para o famigerado pau de selfie.

A bateria é outro fator importante: a Samsung correu atrás e apresenta um componente tão eficiente quanto o presente no Moto Maxx, embora não dure tanto quanto: uma carga de 10 minutos garante o funcionamento dos dispositivos por até 4 horas, e graças às baterias serem embutidas o S6 e o S6 Edge contam com carregamento wireless, compatível com os padrões WPC e PMA. Resumindo, qualquer carregador por indução do mercado funciona com os smartphones.

Samsung Pay

A Samsung não deixaria uma das mais recentes novidades da Apple passar sem que ela também tentasse tirar uma casquinha, e para isso anunciou o Samsung Pay, seu próprio sistema de pagamentos móvel. A diferença é que ele funciona tanto com NFC como com aparelhos mais antigos, graças à aquisição da LoopPay, uma startup de pagamentos que desenvolveu cases que permitiam que o usuário utilizasse seus cartões de crédito junto com o smartphone.

O método é o seguinte: para realizar um pagamento em um aparelho que não possui NFC, o usuário deve selecionar seu cartão e aproximar o smartphone da lateral do terminal, e o sistema emula a tarja magnética do mesmo. O grande problema disso: lá fora o uso de cartões da forma tradicional ainda é comum, mas em muitos países (Brasil incluso) o chip EMV já está pra lá de difundido, e ao menos aqui temos muitos terminais que já aceitam pagamentos de smartphones. Ainda assim é uma alternativa a mais, e resta ver como isso vai evoluir daqui para frente. Ao menos o Samsung Pay já nasce com diversos bancos e instituições como parceiras, e o sistema entrará no ar no verão do hemisfério norte nos Estados Unidos e Coreia do Sul.

Para encerrar: os novos Galaxies chegarão às lojas de 20 países no dia 10 de abril. Ainda não há informação de preços, mas não espere que sejam baratos.

Sobre o MWC 2015, leia também:

relacionados


Comentários