Home » Games » Com medo do Facebook, Notch cancela suporte do Oculus Rift ao Minecraft

Com medo do Facebook, Notch cancela suporte do Oculus Rift ao Minecraft

Temendo o que acontecerá com o Oculus Rift após sua fabricante ter sido vendida para o Facebook, Markus “Notch” Persson revela ter cancelado a parceria que faria com que o aparelho funcionasse com o Minecraft e critica duramente o negócio.

6 anos atrás

minecraft

Como era de se imaginar, a aquisição da Oculus VR por parte do Facebook continua rendendo e no meio de toda a preocupação com o futuro dos criadores do tão promissor Oculus Rift, o game designer Markus “Notch” Persson já emitiu sua opinião sobre o negócio e ela provavelmente inflamará ainda mais os ânimos daqueles que estão apostando que o pessoal do Zuckerberg estragará a brincadeira.

Sem pestanejar, logo que o anúncio da venda foi revelado, o criador do Minecraft tratou de correr para o Twitter para dizer que, devido ao Facebook lhe apavorar, ele estava cancelando a parceria que permitiria que o HMD funcionasse nativamente com seu jogo. Porém, em um texto mais elaborado, Notch explicou o porque de estar tão preocupado:

O Facebook não é uma empresa com entusiastas de tecnologia de raiz. O Facebook não é uma companhia de games. O Facebook tem uma história de se preocupar em aumentar o número de usuários e nada mais do que isso. As pessoas fizeram jogos para a plataforma Facebook anteriormente e embora tenham funcionado bem por um tempo, eles ficaram presos em uma posição muito infeliz quando o Facebook eventualmente mudou a plataforma para melhor se adequar a experiência social que estavam tentando construir.

O pior de tudo é o sueco revelou que após fazer uma visita à sede da Oculus VR, ele pôde ver como a empresa havia corrigido muitos dos defeitos que o Rift possuía, sendo mais uma pessoa a afirmar que os caras realmente estão (ou seria estavam?) no caminho para mudar toda a indústria.

Para ele, o Oculus Rift realmente poderá fazer coisas fantásticas para a redes social, mas esta não é uma área com a qual deseje trabalhar e que por isso ele pretende conversar com outras empresas que entregarão dispositivos de realidade virtual, como por exemplo a Sony e a Valve.

Por fim, Markus Persson foi bastante duro ao dizer que mesmo entendendo se tratar de negócio e de ter um profundo respeito por aqueles que estão trabalhando no projeto, ele não investiu pesado no desenvolvimento de algo para logo depois ver que tudo não passou de uma maneira de agregar valor para uma futura aquisição do Facebook e tenho certeza que boa parte dos que contribuíram com o Kickstarter do Oculus Rift compartilham da mesma opinião.

relacionados


Comentários