Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

[Rumor] O jogo de 1 segundo de Peter Molyneux

Por em 16 de março de 2011

Eu entendo que certas pessoas não gostem do Peter Molyneux por ele dificilmente conseguir colocar nos seus jogos aquilo que promete durante o desenvolvimento, mas eu não conseguiria deixar de admirar um sujeito que idealizou títulos como o Fable, Black & White, Theme Park e Populous, por mais que eles estejam longe da perfeição. É natural portanto que eu tenha interesse sempre que ele anuncia seus próximos projetos, mas a forma como ele teria feito isso dessa vez fez com que minha expectativa fosse muito maior.

Um suposto vídeo criado por sua empresa teria surgido hoje no Youtube onde podemos ler as seguintes frases:

Em 1984 um lendário desenvolvedor britânico [David Braben] fez uma pergunta.‘Porque não podemos fazer um jogo que dure dias e não horas?’ Em 2011 outro lendário designer britânico irá fazer outra pergunta que mudará os games. ‘Podemos criar um jogo que dure para sempre, mas que só seja jogado por 1 segundo?’

Logo depois podemos ver uma imagem que parece ser a de um robô, que é seguida pela frase “Como você jogará o seu 1 segundo?” e o teaser é concluído com aquilo que deverá ser o nome do game, 1 Second Perfection e a informação de que um beta aberto acontecerá durante a primavera do hemisfério sul.

Tentar imaginar como funcionaria um jogo que duraria apenas um segundo é algo muito difícil de se fazer, ainda mais em se tratando de algo surgido de uma mente tão criativa quanto a de Molyneux, mas será que ele estaria trabalhando em um coleção de minigames como o Wario Ware e que usaria o kinect? Bom, teremos que esperar até a E3, quando supostamente mais informações serão divulgadas para saber melhor, mas é importante dizer que durante a edição deste ano da GDC ele disse que estava trabalhando numa espécie de sucessor espiritual do Populous, embora seu estilo nada tenha a ver com o de um jogo rápido.

continue lendo

emMiscelâneas Rumores

[Rumor] Nintendo poderá desabilitar remotamente 3DS modificados

Por em 11 de março de 2011

3ds-hackA Sony manteve um longo período de tranquilidade até que o seu PS3 fosse hackeado. A empresa agora trava uma guerra contra hackers e comunidades de “modders” para conter a propagação de firmwares que possibilitem rodar jogos piratas no console. Uma vez iniciado, esse tipo de confronto tende a se estender e se tornar desgastante para os dois lados, como qualquer guerra. Talvez por isso a Nintendo esteja disposta a usar uma poderosíssima arma para intimidar qualquer iniciativa dessa natureza direcionada ao 3DS. Não é pra menos. Poucas horas após o lançamento do portátil, um vídeo no Youtube já demonstrava gambiarras capazes de executar códigos não autorizados no aparelho.

Nas sábias palavras de Tony Stark, a melhor arma é aquela que precisa ser usada apenas uma vez. É justamente uma  arma dessa natureza que a Nintendo pode ter guardada para disparar contra quem quer que se meta a modificar o 3DS: um mecanismo ativado remotamente e capaz de impedir a iniciação do sistema diante da detecção de qualquer tipo de hack no portátil. Essa medida está explicitada em uma nota divulgada por um revendedor autorizado do 3DS no Japão. Segundo o comunicado, uma atualização de firmware comandada remotamente poderá tornar impossível fazer boot em um sistema modificado para rodar códigos não autorizados.

Procurada para uma declaração oficial sobre o assunto, a Nintendo disse que não entra em detalhes sobre tais sistemas de segurança (por motivos óbvios), mas que o  3DS é um produto equipado com o que há de mais novo em tecnologia e que a empresa está disposta a tomar as medidas necessárias para proteger o trabalho dos criadores de software, bem como a integridade do hardware do aparelho.

Caso se confirme, tal mecanismo seria sem dúvida um passo além, pois medidas dessa natureza vinham, até agora, apenas banindo consoles modificados dos sistemas de jogos online, como ocorre na Xbox Live. Ativar remotamente algo que provoque um brick no portátil seria uma ação inédita e que poderia render, até mesmo, algumas controvérsias judiciais, mas a Big N talvez esteja comprando a briga. Vai encarar?

Fonte: TechRadar

emNintendo Portáteis Rumores

Saem as bandas, entram as danças

Por em 9 de março de 2011

dori_pul_09.03.11

Ao contrário do que muitos pensam, os jogos musicais não começaram com o Guitar Hero e muito antes do jogo que nos colocava no papel de uma guitarrista fazer sucesso no Playstation 2, já podíamos nos divertir com títulos como PaRappa the Rapper e Dance Dance Revolution, mas não há como negar que a grande explosão do gênero aconteceu após o lançamento do título criado pela Harmonix. O problema é que logo a Activision viu que existia ali um enorme potencial para ganhar muito dinheiro, o que levou a franquia receber o lançamento de inúmeras versões que praticamente não trouxeram inovações e a junto com a forte concorrência do Rock Band, as pessoas perderam o interesse  e a editora resolveu encerrar a série por achar que haviam esgotado todas as possibilidades.

Seria natural imaginarmos que a companhia teria desistido dos jogos musicais, mas eis que uma luz parece ter começado a brilhar no fim do túnel e depois do Dance Central ter feito muito sucesso entre os donos de um Kinect e a Ubisoft afirmar que o Just Dance 2 já vendeu mais de cinco milhões de cópias para o Wii, um rumor garante que a Activision deverá aproveitar a marca Dance Hero registrada em 2008 para lançar um jogo que colocará todo mundo para balançar o esqueleto.

Entre os artistas que apareceriam no título, foram citados os ingleses do Prodigy e o rapper Timbaland, além do DJ Afrojack e de Jay Sean. Por enquanto não se sabe para quais plataformas o jogo seria lançado, mas é muito provável que eles não deixariam de aproveitar as funções do Wiimote, Move e Kinect.

Caso o rumor seja mesmo confirmado, será dado início a próxima guerra dos jogos musicais, mas alguém por aí arriscaria um palpite sobre quanto tempo demorará até que o gênero esteja saturado? Porque convenhamos, não é possível que haja mercado por muito tempo para tantos jogos de dança.

[via Kotaku]

emRumores

Rumor aponta Resident Evil focado na cooperação

Por em 25 de fevereiro de 2011

dori_out_25.02.11

Nós sempre soubemos que, mais cedo ou mais tarde, um novo Resident Evil aparecerá, mas eu acabei deixando passar e informação de que desde o ano passado circula um rumor de que o próximo lançamento da série (desconsiderando o Revelations para o 3DS) estaria sendo desenvolvido pela Slant Six Games, mesma produtora do criticado SOCOM: Confrontation para o PS3. Chamado Resident Evil: Raccoon City, o curioso é que o jogo seria focado no multiplayer e na cooperação entre os jogadores e ao saber da descrição, a primeira coisa que veio à cabeça foram os games da série Outbreak.

Talvez a tentativa da Capcom de colocar os jogadores para trabalharem em equipe nos jogos para o Playstation 2 não traga boas recordações para muitos e o estúdio envolvido no projeto não traga muita credibilidade, mas a boa notícia é que se o rumor se confirmar, seríamos levados novamente à cidade que marcou o início da franquia e o jogo deverá se passar antes do que já foi mostrado nos outros títulos já lançados, não contando com nenhum dos personagens conhecidos.

Até o momento muito mistério cerca o suposto jogo e mesmo nunca tendo jogado os Outbreaks, sempre gostei muito do seu conceito e acho que desde que bem executado, esse novo jogo poderia dar muito certo, mas depois de conhecer o estupendo trabalho feito pela Valve na série Left 4 Dead, principalmente no segundo jogo, acho que eles terão muita dificuldade para fazer algo que consiga se destacar.

[via VG247]

emRumores

Rumor: O retorno de Command & Conquer

Por em 22 de fevereiro de 2011

Quem trabalha com web, sabe que é comum fazer testes em produção e vez ou outra, vazam informações sobre novos projetos justamente enquanto esse teste está no ar. Desta vez, o projeto descoberto é um novo Command & Conquer.

O estúdio responsável pelos últimos jogos da franquia e pelo Battle for Middle Earth era EA Los Angeles. O estúdio mudou de nome para Danger Close e seu primeiro projeto foi Medal Of Honor, um FPS, assim como outros que o estúdio havia feito no passado (Medal Of Honor: Airbone e GoldenEye: Rogue Agent por exemplo). Com essa mudança, que foi além do nome, havia um espaço pois não havia mais estúdio para os jogos de estratégia.

A solução para esse problema se chama Victory Games. O estúdio foi criado justamente com o foco nos jogos de estratégia da EA. Segundo seu Gerente Geral, Jon Van Caneghem, o foco atual é fazer um Command  & Conquer AAA. Ele disse não poder falar muito sobre e deixou no ar. Após isso, surgiu um site que ficou pouco tempo no ar e falava que “a franquia agora olharia para o futuro, com planos de combinar jogabilidade dos RTS clássicos com novas tecnologias, conceitos inovadores e, como sempre, dúzias de tanques”.

Não duvido que a volta ao cenário da franquia StarCraft, sirva de mola propulsora para novos projetos na área dos jogos de estratégia, o fato é que teremos de esperar pelas prometidas inovações. Gostaria de lembrar que as últimas versões do Command & Conquer não foram as melhores. Houveram críticas e as vendas foram baixas. Poucos jogos tentaram inovar neste segmento e a grande maioria não obteve sucesso. A fórmula tem sido praticamente a mesma desde Warcraft 2 e Command & Conquer Red Alert.

[via Voodoo Extreme]

emRumores

Youtube deverá chegar aos consoles

Por em 21 de fevereiro de 2011

dori_you_21.02.10

Desde a geração passada os videogames deixaram de ser apenas uma máquina para rodar jogos e ganharam outras utilidades, como reproduzir música e vídeos e nesta geração todos os consoles permitem que os usuários comprem ou aluguem filmes através de serviços como o Netflix. Exatamente por isso, você não acha estranho que o Youtube ainda não tenha um aplicativo nativo no Wii, Playstation 3 ou Xbox 360, assim como o Facebook e Twitter já fizeram? Pois saiba que essa falha deverá ser corrigida em breve.

Embora o site de vídeos mais conhecido do mundo possa ser acessado pelo navegador do PS3 ou do Wii, a subsidiária do Google publicou uma vaga de emprego onde procuram um engenheiro de software que tenha experiência com os aparelhos dessa geração, onde eles dizem que levarão aos consoles o conteúdo do Youtube para oferecer neles uma experiência de TV.

Eu acredito que essa investida está sendo feito um pouco tarde, porém, basta olhar os números alcançados pelo Netflix, que garante que só no Wii eles já contam com mais de 3 milhões de assinantes, para ver que os consumidores gostam de usar seus videogames para assistir filmes e na pior das hipóteses o Youtube se juntará aos serviços que bastam ser ignorados por aqueles que já se dão por satisfeitos em jogar seus games pura e simplesmente.

[via Gamasutra]

emMicrosoft Nintendo Rumores Sony

Activision poderia comprar a Take-Two

Por em 14 de fevereiro de 2011

dori_gta_14.02.11

Os rumores sobre aquisições e fusões entre grandes empresas de games costumam aparecer com certa frequência, mas boa parte dos jogadores preferem não dar muita importância para eles, até porque, na maioria das vezes eles acabam não se concretizando. Porém, este aqui se não desagradará muita gente, ao menos tem potencial para deixar muitos de nós preocupados.

Depois de cancelar o lançamento de 2011 da série Guitar Hero, colocando seu futuro em dúvida, todos estão de olho nos próximos passos que serão tomados pela Activision e um grande executivo da indústria teria dito que a maior companhia de games do mundo estaria voltando sua pesada bateria para a Take-Two. Segundo o sujeito, o boato tem corrido entre os figurões de várias outras empresas, mas por enquanto não passa disso, boatos.

Esta não seria a primeira vez que a Take-Two entra na mira de uma megacorporação, já que em 2008 a Electronic Arts tentou sua aquisição e algo que deixa a compra um pouco mais próxima dessa vez é o fato do contrato de alguns dos principais nomes da editora do Grand Theft Auto, como os irmãos Sam  e Dan Houser, expirar em 2012, o que garantiria à Act o direito sobre os títulos, mas não sobre as mentes criativas e eles poderiam muito bem fundar seu próprio estúdio.

Vale lembrar que quem conseguir adquirir a Take-Two, se é que isso acontecerá, levará alguns dos principais estúdios da planeta, como a Rockstar, a 2K Games, a Fireaxis Games e a Irrational Games, adicionando consecutivamente ao seu portfólio títulos como o já citado GTA, Red Dead Redemption, Borderlands, a série Civilization, Bioshocks, Max Payne, os jogos de esporte da 2K e só para ficarmos em alguns.

O grande temor, é claro, está numa queda de qualidade dessas conceituadas marcas com o lançamento anual de jogos medianos, mas não podemos desconsiderar que isso não aconteceu com as franquias da Blizzard quando está passou a fazer parte da Activision e talvez o maior problema aqui, em relação aos jogos da Rockstar pelo menos, seria a possível saída dos Houser, que por outro lado, poderia significar a produção de jogos inéditos por parte deles.

[via 1UP]

emIndústria Rumores