Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Site diz ter ouvido da Valve que Steam está chegando ao Linux

Por em 25 de abril de 2012
emAndroid e Linux Computadores Linux Rumores relacionados   
Mais textos de:

Site | Twitter
  • Vinícius Figueiredo

    O Steam sem jogos não vale de muita coisa. Os desenvolvedores TEM que desenvolver pra Linux, se a Valve ‘portar’ os jogos dela já é um bom começo.

  • http://thiagocantero.com.br Thiago Cantero Mari Monteiro

    Talvez seja o começa da popularização do Linux para os usuários domésticos!
    Todos nós sabemos que o Pinguim não é popular no meio, pois não há uma grande gama de jogos à altura que tem no Windows.
    Sou usuário de Linux há mais de 10 anos, vi muito progresso com que a comunidade se empenhando conseguiram fazer.Mas ainda há uma certa carência em específico nesta área de entretenimento, não que os jogos nativos são ruins, mas falta por vezes opção.
    Fico feliz por esta notícia!!!

  • http://about.me/viniciuslira Vinicius Lira

    A menos que a Valve crie um método fabuloso de emulação dos jogos no Windows, é como o chará de cima falou: Tem que rolar dos estúdios desenvolverem pra Linux. Mas se o negócio realmente andar já será um incentivo imenso. É só lembrar todos os jogos das produtoras independentes que são ofertados no Humble Bundle são multiplataforma. Se isso realmente rolar, eu abandono o Windows de vez.

  • Darkus

    Vinicius Lira, se você considerar que o WINE não é revolucionário…

    Creio que a valve vai investir pesado no wine e licensiar sua tecnologia no Linux para o Steam já configurando tudo para o user e deixando tudo transparente, para o user vai ser a mesma coisa no windows quanto no linux.

    Isso enquanto o mercado não lança os jogos para a plataforma, ainda mais que tem aquele outro boato do “console” da Valve rondando por aí e windows é que ele não deve rodar.

  • http://about.me/viniciuslira Vinicius Lira

    Talvez seja financeiramente inviável lançar esse console com windows. E quanto a questão do WINE faz sentido mesmo rolar uma versão embutida no Steam, bem lembrado.

  • 1berto

    Portar os jogos OpenGl para o Linux não é tão difícil.
    Se eu não me engano quase todos engines importantes podem funcionar com OpenGL.
    Isso para não mencionar que exceto pelos SOs dos consoles o Linux é O SO do cell (CPUs dos consoles). Em suma… Fazer os jogos pensando na plataforma pode valer a pena se houver um modelo de negócios rentável.

  • Edney

    Continuarei batendo na mesma tecla. Enquanto o Linux continuar lançando distros e mais distros nunca via se tornar um SO popular. O que eu vejo é uma pequena parcela realmente tentando instalar e usar esses sabores de Linux que tem por aí, normalmente o pessoal mais ligado a informática. Enquanto o usuário comum só usa quando é obrigado, em universidades, faculdades, algumas lojas etc. Não acredito que um Linux capaz de rodar totalmente os games atuais irá atrair um grande público.

  • pedrojr

    Eu acho que é mais fácil isso aí ter uma ligação com aquela história da Valve estar criando seu próprio console. Seria mais lógico pegarem o Linux pra embarcar nesse equipamento como a Microsoft faz com o Windows Embedded no Xbox. É obvio que eles não iriam criar um sistema do zero, usar o Linux seria o mais sensato.

  • 1berto

    O linux é um kernel, ele não ‘lança distribuições’… Pessoas e entidades lançam distribuições, em termos de desktop há dois grandes ‘mundos’ nas distribuições Debian e Red Hat, dentro dessas famílias as diferenças são poucas… Debian, Ubuntu e Mint tem diferença… Com frequência debs de um funcionam em outro. Uma instalação bem feita funcionaria em praticamente todas as grandes distribuições.
    Muito pouca gente instala o Windows… Os PCs já vem com Windows instalado ou algum ‘técnico’ com um cd ‘genérico’ instala por que o cliente pede e não por que instalar o windows seja mais fácil.
    Instalar o linux hoje em dia é tão fácil quanto instalar o windows e o reconhecimento de hardware ‘in natura’ é até melhor (não é preciso CDs com drivers) na maioria dos casos. As pessoas preferem o Windows (e tem todo direito de fazê-lo) por que ‘todo mundo tem’ e por que roda ‘tudo’ (Coreldraw, Photoshop, Maia, Autocad, Ms Office, jogos, etc,etc) e não por que o windows seja ‘mais fácil de instalar’ já que a maioria nem instala mesmo. É verdade que a maioria classifica o windows como mais fácil de usar e eu mesmo acho q interface do windows melhor (O Unity foi um GRANDE retrocesso) mas acho q se fosse o contrário (Linux com todos os programas importantes e windows ‘nu’) todo mundo migraria.
    Lembrando que um PC só com uma distribuição Linux instalada é uma máquina bem mais capaz que um PC ‘só com windows’… Uma distribuição ‘média’ tem centenas de programas e com uma conexão de internet milhares de outros estão a disposição nos repositórios da distribuição. Os únicos programas realmente (no mínimo) competitivos que vem com o windows são o IE e o Windows Media Player (apesar de vir com poucos codecs instalados mas a instalação de adicionais é fácil).
    O linux em si ou qualquer outro SO é ‘capaz’ de rodar os jogos, o grosso do processamento é feito pelo engine se os engines forem portados (O que não é tão difícil se for OpenGL) tudo passa a ser apenas uma questão de hardware e adaptações pontuais.
    De qualquer maneira é como eu disse o que interessa é a Valve ter um plano de negócios. Eu particularmente não veria grande vantagem em termos ‘filosóficos’ já que os jogos sendo proprietários não há grandes avanços no modelo open source. Talvez o usuário do windows economize na licença mas a licença OEM não é tão cara. Por outro lado eu ainda ‘sinto’ o Linux mais seguro então uma redução do windows poderia ‘melhorar o clima’ da internet mas isso é opinião pessoal.

  • http://www.contraditorium.com Carlos Cardoso

    “Talvez seja o começa da popularização do Linux para os usuários domésticos!” é isso aí, 2013 tem tudo pra ser o Ano do Linux no Desktop!

  • Leo_Koester

    O Steam depende de jogos para ser alguma coisa e eles não existem para Linux porque, simplesmente, ninguém usa Linux (desculpem usuários, vocês são um erro estatístico).

    Não há porque investir tanto em uma plataforma tão irrelevante no desktop.

    A propósito: o que aconteceu com o Disqus? Era um sistema tão bom de comentários…

  • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves

    Esse é o tipo de coisa que é preciso aguardar para ver. Sem suporte das developers em portar seus jogos para Linux, ainda que só as novidades daqui em diante, não vai ter muito futuro, não. E algumas podem até achar que nem vale a pena o esforço: já são tantas que sequer portam jogos para PC, ficando só nos dois maiores consoles, que ver uma Ubi da vida portando um Assassin’s Creed para Mac é coisa rara que só.

  • Darkus

    Edney, Linux para usuário doméstico comum tem nome, UBUNTU.

    O Ubuntu já está em pé de igualdade de facilidade e usabilidade além de programas alternativos para quase tudo, baixe o ubuntu via WUBI e dá uma experimentada.

    Se você instalar o ubuntu via o WUBI para um leigo, configurar a internet e dizer o basicão e falar que não tem virus praquilo ali vai se surpreender, eu fiz isso com a minha mãe, e agora ela só usa o Ubuntu.

  • Dr. Edney

    Darkus. Eu tenho instalado o Ubuntu em um dos meus computadores. Acabei fazedo isso porque um dos labs. na UTFPR que eu dava aula migrou para essa distro. Então precisei ter em casa para fazer testes com Matlab. Eu gostei muito do Ubuntu e sem dúvidas ele é um dos mais fáceis e cheios de recursos. Testei o Wine que vem nele, mas ainda não é perfeito para rodar alguns programas para windows. Já usei várias versões do RedHat, Kurumin, Mandrake, Conectiva e atualmente em outra máquina o Scientific Linux para rodar um programa de simulação em física nuclear. Não sou nenhum expert em Linux, sou usuário comum, e apesar de anos envolvido com informatica sinto muita dificuldade em fazer determinadas coisas no Linux (seja qual distro for) que no windows ainda é muito mais simples. Eu ainda duvido que o Linux vá se tornar tão popular quanto o windows. Desde a primeira vez que instalei o Conectiva Linux em 1999 já falavam que o windows estava com os dias contados, mas de lá para cá avançou pouco nesse sentido.

    1Berto, obrigado por corrigir!

  • http://www.saps.com.br Stormbringer

    Bom, considerar que muitos jogos Windows foram portados pra rodar no Mac, e o Mac é basicamente um linux maquiado… :troll:

  • http://magno-naval.blogspot.com Magno

    Acho que o “baque” no Windows será, como o Cardoso fala, da ordem de grandeza de uma margem de erro.

    Não sou novato na plataforma, conheci o meu primeiro sistema baseado em Linux com uma versão de Knoppix que instalei no meu Pentium 100 Mhz 8 MB de RAM, lá pelos idos de 2004. Conheci e instalei Kurumin, Slackware, Ubuntu e várias outras. Abandonei de vez na época que já tinha Windows Vista.

    Até hoje não é um sistema fácil de usar. Claro, você pega um CD de Ubuntu, roda e acessa a internet. Mas vocês lembram o parto que era configurar softmodem, mouse que não instalava (ah, os tempos do IRQ no DOS), recompilar kernel pra atualizar o navegador. Hoje ainda temos isso? Sim!

    Outro dia fui ajudar um amigo (o mesmo que me apresentou o Knoppix lá no passado) a compilar o Firefox no Ubuntu, me plena década de 10. Baixar um programa não-DEB é mais ou menos baixar um arquivo .tar.gz, começar a compilar e descobrir que ainda existe DLL-hell, ler arquivos TXT de help, ver que falta um pacote de desenvolvimento e no final ter que reescrever alguma parte do código porque o programa não foi feito pra versão x -y -v 1440 stable do seu kernel.

    É uma questão de filosofia também. Agora vamos poder ter jogos 100% compatíveis e auto-instaláveis no Linux, mas o Windows e o Mac também tem. Navegar na internet os outros dois também navegam. Mas enquanto programas de Linux vierem somente com o código fonte e um bilhetinho de “se vira”, pedirem pizza e fazerem qualquer outra coisa somente via linha de comando (ótimo para programas que chamam outros programas, mas péssimo para o usuário médio ter fazer arquivos batch para zipar), não vai arranhar o Windows não.

    O Android, que não é Linux, tem mais chance.

  • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves

    Que falta faz o DISQUS. A gente perde o followup por email e acaba perdendo os comentários dos tópicos mais antigos :(

  • antoniogu

    A questão de adaptações e portes de jogos para outras plataforma é facil de se resolver e já esta acontecendo, devido ao desenvolvimento de Games para dispositivos mobile, vemos jogos para iPhone e Android serem lançados simultaneamente sem diferenças e com desempenho equivalente e hardware equivalente.

    O segredo á a linguagem de desenvolvimento em comum normalmente o C, o api Open GL e no mobile a variante o OpenGL ES 2, a utilização do engine multiplataforma como Unreal Engine 3.

    Como usuário de Mac estou observando que até os jogos do mobile estão sendo recompilados e adaptados facilmente para Mac já que por utilizar linguagens, apis e compiladores em comum o único trabalho que vemos e adaptar é forma de input do jogo.

    Não quero abrir discussão sobre Direct vs OpenGL no quesito desempenho, e talvez não seja o desempenho que vença essa guerra de qual é a melhor api para se desenvolver jogos e sim qual é melhor para se trabalhar em desenvolvimento multiplataformas.

  • http://thiagocantero.com.br Thiago Cantero Mari Monteiro

    Carlos Cardoso, tive um erro de digitação no verbo começar, mudei de gênero, não concordou com o artigo:
    Talvez seja o “começa” da popularização do Linux para os usuários domésticos!
    De certo peço desculpas aos demais pelo erro de concordância.
    Sem mais,

    Abraços

  • http://www.facebook.com/thiago.cantero Thiago Cantero Mari Monteiro

    Se tudo correr certo, acredito que seja uma ótima inclusão do Linux nos desktops de todo o mundo!
    O grande problema em que os usuários se queixam do Linux são a falta de jogos, facilidade de configurar o sistema para tal, entre outros atrativos que no Windows é muito mais fácil de se realizar!
    Se esta ferramenta estiver disponível em breve, acredito que as Softhouses terão à sua escolha um nicho de mercado que será crescente.
    Talvez eu seja alvo de críticas de alguns dizendo isto, mas vemos nas plataformas de Smartphones, Tablets e afins… …que utilizam até mesmo Unix Like como o Android (Claro que para frontend tem a máquina virtual Dalvik), mas o ponto em questão é que pode ser uma forma facilitar a instalação de um jogo e seus pacotes (bibliotecas) que poderão ser instalados com um simples clique, tornando desnecessária a utilização de compilação de bibliotecas na unha em um terminal!
    Gosto do Linux?Sim, adoro ele!Mas sei que não é um sistema muito amigável de muitos, mas mesmo assim acredito que ele tem sua importância no mercado, assim como o Software Proprietário também tem!
    Viva o Linux!Boa noite!Abraços.

  • Pingback: Newell explica a ausência de gerentes na Valve – - Meio BitMeio Bit()

  • Pingback: Gabe Newell avisa: Windows 8 será uma catástrofe! – Meio Bit()

  • Pingback: Blizzard também pode estar de olho no Linux « Meio Bit()