Depois de 22 anos no mercado, GamePro deixará de existir

dori_game_01.12.11

Lá pela metade da década de 90, uma das coisas que mais me fazia guardar dinheiro, inclusive me fazendo deixar de alugar jogos, era para comprar a próxima edição da GamePro, uma das principais revistas do mundo e que por ser importada me custava alguns dias sem lanche na escola.

Embora na época houvesse algumas publicações brasileiras de muita qualidade, ler sobre alguns jogos antes mesmo deles serem citados em periódicos nacionais e folhear aquela revista imensa com uma diagramação acima da média e matérias bastante detalhadas era o ápice para um moleque que nem imaginava que um dia haveria a facilidade internet.

Posso dizer seguramente que a GamePro (ao lado da EGM, em menor escala) foi a principal responsável por me fazer querer prestar atenção nas até então chatas aulas de inglês, me fazendo gostar do idioma só para entender melhor o que aqueles gringos estavam falando, mas para a minha total tristeza, a revista que teve sua primeira edição publicada em maio de 1989, terá a de novembro deste ano como a última.

Há tempos a situação por lá estava bem ruim, com a revista deixando de ser publicada mensalmente para adotar lançamentos trimestrais, mas isso não foi o suficiente e além do término da publicação, um representante do IDG, grupo que controla a marca, afirmou que o site também encerrará suas atividades, sendo absorvido pelo PCWorld.

Acho que eu nunca conseguiria expressar o quão chateado fiquei ao saber disso, pois posso dizer que a leitura dessa revista está muito ligada a minha adolescência por trazer boas recordações da época e para ficar ainda pior, fico sabendo também que um dos blogs que mais gostava de ler por trazer coisas diferentes da maioria, o GameSetWatch, também chegou ao fim.

[via IndustryGamers]

Relacionados: , , , , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • robsonvieira1982

    Triste. Muito triste mesmo. O tipo de notícia que ninguém que passou pelos gloriosos anos 90 e trabalha de alguma forma com documentação dessa indústria, como o querido Dori, gostaria de dar. O fim de uma era, com certeza. Até mais pessoal.

  • Anônimo

    Não tinha costume de comprar revistas americanas naquela época, mas lembro de ter comprado uma EGM, e lembro que era com ela que eu treinava o meu nível de inglês. De tempos em tempos eu a lia para ver como eu tinha avançado. Boas épocas aquelas que eu recorria a material impresso para me informar sobre o mundo dos games. Sinto uma saudade imensurável da Gamers, que ao meu ver era a melhor publicação nacional. Ao contrário das outras, era a menos impessoal, os editores dela tinham espaço para fazerem os textos deles mesmos, e daí vem o meu sonho em trabalhar com isso. Excelente post, amigo Dori, apesar de ser uma notícia pra lá de triste. :(

  • Anônimo

    Eu já comprei algumas revistas da Gamepro, porem eu era mais voltado ao mercado nacional e comprava praticamente todas que saia aqui no Brasil (Ação games, Supergamepower e a maravilhasa Videogame) os anos 80 e 90 foram uma boa época para as revistas de games, porem para essa geração atual. É cada vez mais dificil essas revistas se manterem no mercado. Com a internet e principalmente os blogs de games, as pessoas tem acesso as principais noticias deste mundo dos games praticamente na hora que a noticia é divulgada. E quando você compra a revista, quase 90% do que se lê já foi visto em algum blog ou site.

    É uma pena mas é a pura realidade, as pessoas mais novas não tem o mesmo prazer que nós (acima dos 30 e pouquinho.kk) temos ao ler uma revista, um bom exemplo disso é a revista retro OldGamer que acredito que se mantenha no mercado (não mensalmente), o publico principal dela seja pessoas acima dos 25 anos, ja que busca trazer a sensação de nostalgia não só pelos jogos mas aos leitores de relembrar os bons tempos que vivemos anos atrás e foliavamos com muito gosto uma boa revista.

  • http://edulacerda.tumblr.com/ edulacerda

    Que triste, mas eu acho que poderiam manter o site e revitalizarem a marca. Meus contatos com a GamePro foram quase que exclusivamente naquele selinho “gamepro direto dos USA” das Super Game Power, mas mesmo assim deixa saudades.

  • Antonio Augusto Grisi Pizolato

    Eu sou dessa época também e gastei muito dinheiro com revista como: Ação Games, SuperGame, Game Power e clara a sua fusão para SuperGame Power.

    Também já gastei dinheiro com a GamePower, quando tinha curiosidade e saber algo sobre os videos games menos difundido no Brasil com o NeoGeo da SNK , o TurboGrafix 16 Atari Lynx