A.W. x D.W: O Mundo depois do WikiLeaks

censor_l.jpg
  • Barulho.
  • Wikileaks.
  • Autoridades.
  • Ansiedade.
  • Vergonha.
  • Efervescência.
  • Estrondo.
  • Mudança.

Você Continua Não Enxergando

É uma época intrigante para se estar vivo.

Vivemos em uma época onde praticamente 85% das populações ocidentais ainda não sabem sequer que o povo Iraniano não tem literalmente nada de árabe, onde a política do “atirar primeiro, esconder depois” dita as regras do jogo,  onde ainda se finge que o Islã não é disparada a religião com mais adeptos no mundo e onde o big-brother na forma do indivíduo conectado volta-se contra o próprio big-father: …você pode ter umas histórias e tanto para contar para os seus filhos e netos nas próximas décadas.

A propósito, os Iranianos são um povo que desde a sua primeira fundação, que data de registros neandertais da região de Zagros no período Paleolítico, até a Era do Bronze e integrações e novas separações de povos como os Medos, Persas, Sumérios, Citas, Báctrios, Sarmacianos e Alanos. Como descendentes diretos do antigo povo Persa conseguiram lá atrás se estabelecer na região da Eurásia Central, fundando seu país e preservando sua cultura em meio ao que se tornavam os povos árabes. Mas não são árabes, descendem de bem antes. Antes que você pergunte…

Mesmo que sempre romanceados em filmes de guerra fria das últimas décadas, a espionagem e o “homem” na figura dos grandes governos nunca chegava realmente a passar disso: de especulação, conspiracionismos e romance. Até muito recentemente.

O mundo todo está diante de mudanças e variações inéditas em um novo tipo de guerra. Uma guerra tão viciosa e violenta quanto quaisquer outras no seio dos tempos. Mas nem por isso tão menos importante ou substancial para o mundo que vivemos. Finalmente, o adágio “poder é informação” se faz valer ao ápice de sua máxima, e pouca coisa ficará igual antes mesmo de você terminar de ler este texto.

Wikileaks

Como o assunto está sendo exaustivamente explorado pela mídia (e não é para menos) nem sempre da maneira mais profícua ou construtiva, vamos procurar resumir a atualidade da questão em uma reportagem mais cronológica e pouco opinativa. O que fica amplamente ao seu critério, leitor, via comentários abertos.

Após consultar centenas de fontes durante a semana e organizar a linha do tempo para esta matéria, cheguei a uma conclusão inescapável: nem tudo é jornalismo. Nem mesmo a mais sensível das informações pode mover o mundo sem que o seu processamento seja adequado e a sua apuração seja sistematicamente organizada. Nem mesmo a mais aterrorizante das delações ou revelações (whistle-blowing) fará com que os poderes se reorganizem. E também que… nenhuma dessas coisas são o real própósito do WikiLeaks.

Esperar que o escarnecer das feridas podres de quem controla e espiona vá mudar alguma coisa é no mínimo lúdico. A primeira e mais humana das reações é o remédio, a eliminação da origem das feridas e um prolongado recolhimento. Julian Assange entendeu isso e posicionou seu ato em esferas bem distintas. É necessário que o “mensageiro” pense como muitos outros além daquele que entregará a mensagem e protegerá sua origem.

É preciso pensar como a grande corporação com o rabo preso, como o ditador corrupto, como o diplomata trapalhão, como a senadora preocupada, como o sheik excêntrico, como o louco nuclear, como todos. É preciso pensar… como um hacker. E quem não espera a hora de receber a chave com o uncoding para o arquivo “insurance.aes256e saber qual é o conteúdo da apólice de seguro de vida do próprio Julian Assange? (um torrent de 1,4 GB que já foi baixado por milhares de pessoas e aguarda uma chave de decriptação para ser revelado, caso alguma coisa aconteça a Assange)

É difícil enquadrá-lo em algum crime. Será difícil processá-lo por algo e as tentativas desesperadas de colocá-lo numa sala sozinho sob denúncias estranhas de violência sexual não colaram. Mesmo sob as constantes remarcas dele próprio de que “é seguido constantemente” por agentes e espiões, ninguém consegue nem mesmo matá-lo tamanho é o alarde e o momentum que atingiu seu projeto. Provavelmente, nem mesmo ele esperava que as coisas escalassem a esse ponto, que tantas discussões seriam levantadas.

Ou ele é um gênio, ou um sádico — como diz a mídia. O WikiLeaks não é um remédio para nada e no que depender de sua arriscada, porém bem arquitetada métrica, não será possível esconder nenhuma ferida.

wikileaks.jpg

O Mensageiro e o Delator

O que você faria se tivesse acesso ao real status do mundo em que você vive? Se soubesse o que se passa nos grandes acordos farmacêuticos entre países do 1º e do 5º mundo? Se pudesse compreender sem qualquer acessório midiático qual serão os próximos movimentos dos grandes governos, das grandes corporações, das guerras e da paz?

Historicamente, ninguém nunca gostou do alcoviteiro. Em tempos medievais, o homem sussurrava os seus pecados nos ouvidos de bodes e cabras, que ficavam imóveis como se ouvissem empática e caridosamente as suas mais vergonhosas confissões. Tamanha era a sua necessidade de purgar de si próprio todos os segredos; tamanho era o medo de ter a cabeça cortada por conta deles. Não, não vai dar bode. Confie no bode!

Começou em 2006, talvez na infância de Assange. Mas em 2010, deu bode!

O delator, justificado ou maldoso, sempre foi e sempre será perseguido. Você não pode discordar do sistema. Que o diga Bradley Manning, o jovem oficial de inteligência que foi dedurado pelo sub-hacker Adrian Lemo e está preso por cometer o crime de exposição de informações secretas.

PS: só é crime se você for pego. Nesse caso, você é o bandido (mesmo que tenha revelado a coisa mais pútrida do mundo, como inocentes e crianças metralhadas as gargalhadas). Do contrário, se você “não exisitir”, você é herói. É “fonte”.

Mas, novamente, nem aqui ele se encaixa. Assange e o WikiLeaks não são os delatores, mas sim os seus mensageiros e até o momento, ninguém foi publicamente traído — algo notável nos dias de hoje.

Sistema

Incrivelmente, Assange e mais os seus 40 colaboradores fixos e mais de 800 colaboradores esporádicos têm feito um trabalho incrível em proteger “todas” as suas fontes, sem excessão. Há quem pense que o jovem oficial de inteligência Bradley Manning está aprisionado por conta do WikiLeaks, quando na verdade foi Adrian Lorpa Lemo que “‘fez um acordo” para levar um tapa na mão, pagar 65 mil de indenização e encarar uma prisão domiciliar na casa dos pais. Hoje, ele anda na rua e recebe ao mesmo tempo carinho dos fanáticos e ódio dos hackers.

Que ele foi “bem passado” pelos federais, não tenha a menor dúvida. É uma posição difícil para um imbecil. Uma hora você é um hacker pseudo gray-hat dando entrevistas com sua rápida articulação para programas de TV (assista), logo em seguida você aparece na CNN completa e assustadoramente medicado e com uma aparência incrivelmente “diferente” (assista).

Como alguns podem saber, sou psicoterapeuta/pesquisador há quase dez anos. Se tem uma coisa que não é tão difícil para qualquer colega reconhecer é a diferência entre quando uma pessoa está drogada e quando está dopada. Acredite, existem oceanos de diferença entre quando você se droga e quando alguém faz isso por você. As coisas ficam ainda mais fáceis se adicionarmos privação de sono por umas 48 horas ou mais, escassez/excessos de líquidos, etc. Para mim, Adrian foi muuuuito bem passado neste último vídeo acima — e não me surpreenderia nada se estivesse todo abarrunfado de docinhos intravenosos. E que não venham me falar da sua Síndrome de Asperger nem de seu ulterior problema com drogas. Enfim, dá um certo cagaço “ver” isso na vida real, fora da tela de cinema. Mas enfim, tergiverso…

Pois é… o mundo não é como nos video games. As coisas acontecem. São reais. Estão aí, para quem quer e pode enxergar.

Como?

O que é o WikiLeaks? Esse breve vídeo da CNN ou essa entrevista de Julian Assange para a Forbes explicam com bastante profusão do que realmente se trata o website. Sem os reparos formais da mídia, provavelmente, talvez a melhor maneira de entender o que realmente é o Wikileaks seja observar Chris Anderson e Julian Assange conversando rapidamente nesse encontro do TED Talks (cortesia colaborada pela Fabiane Lima. Cheers, Fabi!).

Se quiser, você pode ouvir das próprias palavras de Assange via um texto que escreveu chamado “A Verdade Ganhará Sempre“, publicado originalmente no The Australian e traduzido para o português brasileiro no Observatório da Impresa. É uma SENHORA carta, como tenho certeza que há um bom tempo o amigo leitor não tem lido. Leia-a.

As explicações podem ser muitas e dificilmente estariam incorretas. Na imensa falta de precedentes, o WikiLeaks pode ser o que você quiser que ele seja. E isso é o que menos importa. A questão é: o que um site, uma idéia, um “esquema” como o Wikileaks pode provocar? Aí é que são outras…

O jovem jornalista australiano, filho de pais que trabalhavam na indústria do teatro/cinema e que viajou e estudou em mais de 37 escolas, já foi processado por atividades jornalísticas, subversão e até hacker-ativismo também. Tudo ainda bem jovem. Quem diria? E o quê realmente quer este homem?

Whistle-Blowers

Existem muitos websites como o WikiLeaks, há anos. Por que ele, então? Como é possível que em apenas em menos de dois anos mais informações sensíveis (muito mais) e segredos podres vazem mundialmente, mais do que todos os jornais e telecomunicadores do mundo juntos em toda a história? Faz-nos no mínimo pensar o quão péssimo tem sido nosso trabalho em verdadeiramente monitorar aqueles que nos representam, não acha?

Certamente que o profundo conhecimento de como “funcionam as coisas” do ponto de vista tecnológico e informacional garantem a Assange uma vantagem sobre qualquer outro “mensageiro”. O mundo também não exige que documentos sejam fotocopiados e enviados por fax, a regra da delação mudou e ser um ex-hacker experiente pode (e fez) toda a diferença.

  • Estamos preparados para uma vida totalmente às claras?
  • É mesmo o assunto tão mais sério do que a declaração do nosso ilustre presidente Lula? (assista e passe Viki-Licks-Vaporub no nariz, o cheiro não é dos melhores…).
  • Podemos exigir o direito à confidencialidade de eventos e situações necessárias à manutenção de nossas rotinas (de qualquer sorte ou ordem)? Existem segredos necessários?
  • O que divide a linha entre transparência e privacidade? (seus exames médicos, por exemplo, têm o mesmo peso que suas conversas com o médido e devem/não devem estar disponíveis para consulta de outrem?)
  • Nascem novos primos bastardos como o OpenLeaks (a ser lançado nos próximos dias por ex-WikiLeakers) para seguir, apoiar ou para explorar?
  • Abriu-se um novo mercado-branco (ex-mercado-negro) de leaking?
  • Enquanto você pensa nessa e em outras questões, procurei agrupar uma linha do tempo com as informações sobre os eventos e destaques mais importantes, de maneira resumida, para sua referência e elaborações

    Linha do Tempo (recente):

  • Wikileaks nasce em 2006, fundada por Julian Assange
  • (…)
  • WikiLeaks, primeira grande aparição “censura e a nova watchdog web”; Fev 18, 2008
  • Wikileaks pede ajuda para melhorar o site; Nov 28, 2008.
  • Wikileaks e publicadores unem-se para avaliar histórias; Out 9, 2009
  • Wikileaks publica +500 milhões de mensagens sobre o 11/SET; Nov 25, 2009
  • Wikileaks conecta o ‘Leak While It Waits’ para receber doações e fundos; Jan 29, 2010
  • Apple bane o cartoon ‘Ulysses’ (co-escrito por Julian Assange), “This Week in Online Tyranny”, Jun 17, 2010.
  • Wikileaks publica 91.000 documentos sobre a guerra do Afeganistão; Jul 25, 2010
  • Centenas de técnicos colaboram no debate sobre como usar os dados (data development); Ago 9, 2010
  • Começa a visualização pública de dados no WikiLeaks, Ago 19, 2010
  • WikiLeaks: mídia questiona “ataques gratuitos ou luta pela transparência da mídia?”; Ago 30, 2010
  • Oficiais começam a deixar cargos após a liberação dos documentos sobre Guerra do Iraque; Set 28, 2010
  • O Blogger Bahraini Blogger é torturado: no “Online Tyranny”; Out 15, 2010
  • Assange: mídia diz que documentos sobre o Iraque são baseados em blog-tablóide, Out 18, 2010
  • Polícia de 14 países ativa uma rede de busca de host dos arquivos e começa a mirar WikiLeaks, Set 7, 2010
  • WikiLeaks perde seus fundos e entra em lista negra, Out 15, 2010
  • Os arquivos do Wikileaks ‘Iraq War Diaries’ são disponibilizados para download/visualização, Out 25, 2010
  • Redação revisada de novos documentos é liberada minuto-a-minuto, possivelmente automatizada, Out 27, 2010
  • Especula-se a criação de uma organização rival ao WikiLeaks por dissidentes internos, Nov 7, 2010
  • Mais de 250 mil documentos diplomáticos (cabos) são publicados no site, Nov 28, 2010
  • WikiLeaks migra para servidores Amazon, Nov 29, 2010
  • Amazon.com derruba Wikileaks de seus servidores, Dez 1, 2010
  • Começa o debate sobre a censura/ruptura da Amazon “Está certo?”, Dez 1, 2010
  • Amazon.com explica porque derrubou o WikiLeaks, Dez 2, 2010
  • Nova baixa: Tableau Software derruba visualização de dados no WikiLeaks, Dez 2, 2010
  • Wikileaks perde seu serviço de DNS, Dez, 2, 2010
  • O site, fundador, história e repercussão entra para a lista dos 10 mais lidos no mundo, Dez, 3, 2010
  • Os ‘cabos’ diplomáticos são amplamente vistos e acessados mundialmente, Dez, 3, 2010
  • Site PayPal anuncia que não mais irá processar as doações para o Wikileaks, Dez, 4, 2010
  • Julian Assange é cogitado para receber o prêmio de personalidade do ano pela TIME, Dez 6, 2010
  • Facebook declara “Não vamos chutar o Wikileaks para fora de nossos websites”, Dez, 6, 2010
  • Julian Assange é preso em Londres por medida cautelar sueca e acusações de abuso sexual, Dez, 7, 2010
  • PayPal reforça sua posição sobre a questão das doações, Dez, 8, 2010
  • Ataques DDoS são iniciados contra Mastercard e Visa (Operation Payback), Dez, 8, 2010
  • ‘Anonymous’ retorna ao Twitter depois de expulsos do twitter e do facebook, Dez, 8, 2010
  • Acusações de associação à hacker-activistas populam a mídia (Wikileaks, Anonymous, PirateBay), Dez, 8, 2010
  • Bill Clinton se posiciona outra vez contrariamente ao site diante da mídia, Dez, 8, 2010
  • Russia e China manifestam apoio à candidatura de Julian Assange para o Nobel da Paz, Dez, 8, 2010
  • Operação Payback (Troco) com alvos em massa na Amazon, Dez, 9, 2010
  • “Cabos diplomáticos” do Wikileaks são encontrados na Kindle Book Store, irritando hacker-ativistas, Dez, 9, 2010
  • Livres editores do Wikipedia deletam arquivo na enciclopédia que dá lista de mirrors do site atacado, Dez, 9, 2010
  • Uma guerra cibernética é declarada envolvendo a causa Wikileaks, Anonymous, Empresas e Governos, Dez, 9, 2010
  • Anonymous ameaça a Fundação Electronic Frontier com ataque DDoS, Dez, 9, 2010
  • Chegam a +1000 mirrors os sites que apóiam o Wikileaks, mesmo sem url e dns service, Dez, 10, 2010
  • O objetivo dos ataques ao PayPal e Amazon não são atingidos, anonymous inicia Operação LeakSpin, Dez, 10, 2010
  • Suécia retira acusações de estupro e abuso, ainda investigando Assange por ‘molestação’ Dez, 10, 2010
  • Assange está separado de outros presos em Victoria, Londres/RU, com acesso controlado à internet, Dez, 10, 2010
  • A internet e a mídia mantêm-se em alerta, a especular via milhões de artigos e reportagens, Dez, 11, 2010
  • Este jornalista para de escrever, para voltar a pesquisar… 🙂
  • _____________________________________

    Algumas das principais fontes consultadas:

    Relacionados: , ,

    Autor: San Picciarelli

    Compartilhar

    Aproveite nossos cupons de desconto:

    Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples