A.W. x D.W: O Mundo depois do WikiLeaks

censor_l.jpg
  • Barulho.
  • Wikileaks.
  • Autoridades.
  • Ansiedade.
  • Vergonha.
  • Efervescência.
  • Estrondo.
  • Mudança.

Você Continua Não Enxergando

É uma época intrigante para se estar vivo.

Vivemos em uma época onde praticamente 85% das populações ocidentais ainda não sabem sequer que o povo Iraniano não tem literalmente nada de árabe, onde a política do “atirar primeiro, esconder depois” dita as regras do jogo,  onde ainda se finge que o Islã não é disparada a religião com mais adeptos no mundo e onde o big-brother na forma do indivíduo conectado volta-se contra o próprio big-father: …você pode ter umas histórias e tanto para contar para os seus filhos e netos nas próximas décadas.

A propósito, os Iranianos são um povo que desde a sua primeira fundação, que data de registros neandertais da região de Zagros no período Paleolítico, até a Era do Bronze e integrações e novas separações de povos como os Medos, Persas, Sumérios, Citas, Báctrios, Sarmacianos e Alanos. Como descendentes diretos do antigo povo Persa conseguiram lá atrás se estabelecer na região da Eurásia Central, fundando seu país e preservando sua cultura em meio ao que se tornavam os povos árabes. Mas não são árabes, descendem de bem antes. Antes que você pergunte…

Mesmo que sempre romanceados em filmes de guerra fria das últimas décadas, a espionagem e o “homem” na figura dos grandes governos nunca chegava realmente a passar disso: de especulação, conspiracionismos e romance. Até muito recentemente.

O mundo todo está diante de mudanças e variações inéditas em um novo tipo de guerra. Uma guerra tão viciosa e violenta quanto quaisquer outras no seio dos tempos. Mas nem por isso tão menos importante ou substancial para o mundo que vivemos. Finalmente, o adágio “poder é informação” se faz valer ao ápice de sua máxima, e pouca coisa ficará igual antes mesmo de você terminar de ler este texto.

Wikileaks

Como o assunto está sendo exaustivamente explorado pela mídia (e não é para menos) nem sempre da maneira mais profícua ou construtiva, vamos procurar resumir a atualidade da questão em uma reportagem mais cronológica e pouco opinativa. O que fica amplamente ao seu critério, leitor, via comentários abertos.

Após consultar centenas de fontes durante a semana e organizar a linha do tempo para esta matéria, cheguei a uma conclusão inescapável: nem tudo é jornalismo. Nem mesmo a mais sensível das informações pode mover o mundo sem que o seu processamento seja adequado e a sua apuração seja sistematicamente organizada. Nem mesmo a mais aterrorizante das delações ou revelações (whistle-blowing) fará com que os poderes se reorganizem. E também que… nenhuma dessas coisas são o real própósito do WikiLeaks.

Esperar que o escarnecer das feridas podres de quem controla e espiona vá mudar alguma coisa é no mínimo lúdico. A primeira e mais humana das reações é o remédio, a eliminação da origem das feridas e um prolongado recolhimento. Julian Assange entendeu isso e posicionou seu ato em esferas bem distintas. É necessário que o “mensageiro” pense como muitos outros além daquele que entregará a mensagem e protegerá sua origem.

É preciso pensar como a grande corporação com o rabo preso, como o ditador corrupto, como o diplomata trapalhão, como a senadora preocupada, como o sheik excêntrico, como o louco nuclear, como todos. É preciso pensar… como um hacker. E quem não espera a hora de receber a chave com o uncoding para o arquivo “insurance.aes256e saber qual é o conteúdo da apólice de seguro de vida do próprio Julian Assange? (um torrent de 1,4 GB que já foi baixado por milhares de pessoas e aguarda uma chave de decriptação para ser revelado, caso alguma coisa aconteça a Assange)

É difícil enquadrá-lo em algum crime. Será difícil processá-lo por algo e as tentativas desesperadas de colocá-lo numa sala sozinho sob denúncias estranhas de violência sexual não colaram. Mesmo sob as constantes remarcas dele próprio de que “é seguido constantemente” por agentes e espiões, ninguém consegue nem mesmo matá-lo tamanho é o alarde e o momentum que atingiu seu projeto. Provavelmente, nem mesmo ele esperava que as coisas escalassem a esse ponto, que tantas discussões seriam levantadas.

Ou ele é um gênio, ou um sádico — como diz a mídia. O WikiLeaks não é um remédio para nada e no que depender de sua arriscada, porém bem arquitetada métrica, não será possível esconder nenhuma ferida.

wikileaks.jpg

O Mensageiro e o Delator

O que você faria se tivesse acesso ao real status do mundo em que você vive? Se soubesse o que se passa nos grandes acordos farmacêuticos entre países do 1º e do 5º mundo? Se pudesse compreender sem qualquer acessório midiático qual serão os próximos movimentos dos grandes governos, das grandes corporações, das guerras e da paz?

Historicamente, ninguém nunca gostou do alcoviteiro. Em tempos medievais, o homem sussurrava os seus pecados nos ouvidos de bodes e cabras, que ficavam imóveis como se ouvissem empática e caridosamente as suas mais vergonhosas confissões. Tamanha era a sua necessidade de purgar de si próprio todos os segredos; tamanho era o medo de ter a cabeça cortada por conta deles. Não, não vai dar bode. Confie no bode!

Começou em 2006, talvez na infância de Assange. Mas em 2010, deu bode!

O delator, justificado ou maldoso, sempre foi e sempre será perseguido. Você não pode discordar do sistema. Que o diga Bradley Manning, o jovem oficial de inteligência que foi dedurado pelo sub-hacker Adrian Lemo e está preso por cometer o crime de exposição de informações secretas.

PS: só é crime se você for pego. Nesse caso, você é o bandido (mesmo que tenha revelado a coisa mais pútrida do mundo, como inocentes e crianças metralhadas as gargalhadas). Do contrário, se você “não exisitir”, você é herói. É “fonte”.

Mas, novamente, nem aqui ele se encaixa. Assange e o WikiLeaks não são os delatores, mas sim os seus mensageiros e até o momento, ninguém foi publicamente traído — algo notável nos dias de hoje.

Sistema

Incrivelmente, Assange e mais os seus 40 colaboradores fixos e mais de 800 colaboradores esporádicos têm feito um trabalho incrível em proteger “todas” as suas fontes, sem excessão. Há quem pense que o jovem oficial de inteligência Bradley Manning está aprisionado por conta do WikiLeaks, quando na verdade foi Adrian Lorpa Lemo que “‘fez um acordo” para levar um tapa na mão, pagar 65 mil de indenização e encarar uma prisão domiciliar na casa dos pais. Hoje, ele anda na rua e recebe ao mesmo tempo carinho dos fanáticos e ódio dos hackers.

Que ele foi “bem passado” pelos federais, não tenha a menor dúvida. É uma posição difícil para um imbecil. Uma hora você é um hacker pseudo gray-hat dando entrevistas com sua rápida articulação para programas de TV (assista), logo em seguida você aparece na CNN completa e assustadoramente medicado e com uma aparência incrivelmente “diferente” (assista).

Como alguns podem saber, sou psicoterapeuta/pesquisador há quase dez anos. Se tem uma coisa que não é tão difícil para qualquer colega reconhecer é a diferência entre quando uma pessoa está drogada e quando está dopada. Acredite, existem oceanos de diferença entre quando você se droga e quando alguém faz isso por você. As coisas ficam ainda mais fáceis se adicionarmos privação de sono por umas 48 horas ou mais, escassez/excessos de líquidos, etc. Para mim, Adrian foi muuuuito bem passado neste último vídeo acima — e não me surpreenderia nada se estivesse todo abarrunfado de docinhos intravenosos. E que não venham me falar da sua Síndrome de Asperger nem de seu ulterior problema com drogas. Enfim, dá um certo cagaço “ver” isso na vida real, fora da tela de cinema. Mas enfim, tergiverso…

Pois é… o mundo não é como nos video games. As coisas acontecem. São reais. Estão aí, para quem quer e pode enxergar.

Como?

O que é o WikiLeaks? Esse breve vídeo da CNN ou essa entrevista de Julian Assange para a Forbes explicam com bastante profusão do que realmente se trata o website. Sem os reparos formais da mídia, provavelmente, talvez a melhor maneira de entender o que realmente é o Wikileaks seja observar Chris Anderson e Julian Assange conversando rapidamente nesse encontro do TED Talks (cortesia colaborada pela Fabiane Lima. Cheers, Fabi!).

Se quiser, você pode ouvir das próprias palavras de Assange via um texto que escreveu chamado “A Verdade Ganhará Sempre“, publicado originalmente no The Australian e traduzido para o português brasileiro no Observatório da Impresa. É uma SENHORA carta, como tenho certeza que há um bom tempo o amigo leitor não tem lido. Leia-a.

As explicações podem ser muitas e dificilmente estariam incorretas. Na imensa falta de precedentes, o WikiLeaks pode ser o que você quiser que ele seja. E isso é o que menos importa. A questão é: o que um site, uma idéia, um “esquema” como o Wikileaks pode provocar? Aí é que são outras…

O jovem jornalista australiano, filho de pais que trabalhavam na indústria do teatro/cinema e que viajou e estudou em mais de 37 escolas, já foi processado por atividades jornalísticas, subversão e até hacker-ativismo também. Tudo ainda bem jovem. Quem diria? E o quê realmente quer este homem?

Whistle-Blowers

Existem muitos websites como o WikiLeaks, há anos. Por que ele, então? Como é possível que em apenas em menos de dois anos mais informações sensíveis (muito mais) e segredos podres vazem mundialmente, mais do que todos os jornais e telecomunicadores do mundo juntos em toda a história? Faz-nos no mínimo pensar o quão péssimo tem sido nosso trabalho em verdadeiramente monitorar aqueles que nos representam, não acha?

Certamente que o profundo conhecimento de como “funcionam as coisas” do ponto de vista tecnológico e informacional garantem a Assange uma vantagem sobre qualquer outro “mensageiro”. O mundo também não exige que documentos sejam fotocopiados e enviados por fax, a regra da delação mudou e ser um ex-hacker experiente pode (e fez) toda a diferença.

  • Estamos preparados para uma vida totalmente às claras?
  • É mesmo o assunto tão mais sério do que a declaração do nosso ilustre presidente Lula? (assista e passe Viki-Licks-Vaporub no nariz, o cheiro não é dos melhores…).
  • Podemos exigir o direito à confidencialidade de eventos e situações necessárias à manutenção de nossas rotinas (de qualquer sorte ou ordem)? Existem segredos necessários?
  • O que divide a linha entre transparência e privacidade? (seus exames médicos, por exemplo, têm o mesmo peso que suas conversas com o médido e devem/não devem estar disponíveis para consulta de outrem?)
  • Nascem novos primos bastardos como o OpenLeaks (a ser lançado nos próximos dias por ex-WikiLeakers) para seguir, apoiar ou para explorar?
  • Abriu-se um novo mercado-branco (ex-mercado-negro) de leaking?
  • Enquanto você pensa nessa e em outras questões, procurei agrupar uma linha do tempo com as informações sobre os eventos e destaques mais importantes, de maneira resumida, para sua referência e elaborações

    Linha do Tempo (recente):

  • Wikileaks nasce em 2006, fundada por Julian Assange
  • (…)
  • WikiLeaks, primeira grande aparição “censura e a nova watchdog web”; Fev 18, 2008
  • Wikileaks pede ajuda para melhorar o site; Nov 28, 2008.
  • Wikileaks e publicadores unem-se para avaliar histórias; Out 9, 2009
  • Wikileaks publica +500 milhões de mensagens sobre o 11/SET; Nov 25, 2009
  • Wikileaks conecta o ‘Leak While It Waits’ para receber doações e fundos; Jan 29, 2010
  • Apple bane o cartoon ‘Ulysses’ (co-escrito por Julian Assange), “This Week in Online Tyranny”, Jun 17, 2010.
  • Wikileaks publica 91.000 documentos sobre a guerra do Afeganistão; Jul 25, 2010
  • Centenas de técnicos colaboram no debate sobre como usar os dados (data development); Ago 9, 2010
  • Começa a visualização pública de dados no WikiLeaks, Ago 19, 2010
  • WikiLeaks: mídia questiona “ataques gratuitos ou luta pela transparência da mídia?”; Ago 30, 2010
  • Oficiais começam a deixar cargos após a liberação dos documentos sobre Guerra do Iraque; Set 28, 2010
  • O Blogger Bahraini Blogger é torturado: no “Online Tyranny”; Out 15, 2010
  • Assange: mídia diz que documentos sobre o Iraque são baseados em blog-tablóide, Out 18, 2010
  • Polícia de 14 países ativa uma rede de busca de host dos arquivos e começa a mirar WikiLeaks, Set 7, 2010
  • WikiLeaks perde seus fundos e entra em lista negra, Out 15, 2010
  • Os arquivos do Wikileaks ‘Iraq War Diaries’ são disponibilizados para download/visualização, Out 25, 2010
  • Redação revisada de novos documentos é liberada minuto-a-minuto, possivelmente automatizada, Out 27, 2010
  • Especula-se a criação de uma organização rival ao WikiLeaks por dissidentes internos, Nov 7, 2010
  • Mais de 250 mil documentos diplomáticos (cabos) são publicados no site, Nov 28, 2010
  • WikiLeaks migra para servidores Amazon, Nov 29, 2010
  • Amazon.com derruba Wikileaks de seus servidores, Dez 1, 2010
  • Começa o debate sobre a censura/ruptura da Amazon “Está certo?”, Dez 1, 2010
  • Amazon.com explica porque derrubou o WikiLeaks, Dez 2, 2010
  • Nova baixa: Tableau Software derruba visualização de dados no WikiLeaks, Dez 2, 2010
  • Wikileaks perde seu serviço de DNS, Dez, 2, 2010
  • O site, fundador, história e repercussão entra para a lista dos 10 mais lidos no mundo, Dez, 3, 2010
  • Os ‘cabos’ diplomáticos são amplamente vistos e acessados mundialmente, Dez, 3, 2010
  • Site PayPal anuncia que não mais irá processar as doações para o Wikileaks, Dez, 4, 2010
  • Julian Assange é cogitado para receber o prêmio de personalidade do ano pela TIME, Dez 6, 2010
  • Facebook declara “Não vamos chutar o Wikileaks para fora de nossos websites”, Dez, 6, 2010
  • Julian Assange é preso em Londres por medida cautelar sueca e acusações de abuso sexual, Dez, 7, 2010
  • PayPal reforça sua posição sobre a questão das doações, Dez, 8, 2010
  • Ataques DDoS são iniciados contra Mastercard e Visa (Operation Payback), Dez, 8, 2010
  • ‘Anonymous’ retorna ao Twitter depois de expulsos do twitter e do facebook, Dez, 8, 2010
  • Acusações de associação à hacker-activistas populam a mídia (Wikileaks, Anonymous, PirateBay), Dez, 8, 2010
  • Bill Clinton se posiciona outra vez contrariamente ao site diante da mídia, Dez, 8, 2010
  • Russia e China manifestam apoio à candidatura de Julian Assange para o Nobel da Paz, Dez, 8, 2010
  • Operação Payback (Troco) com alvos em massa na Amazon, Dez, 9, 2010
  • “Cabos diplomáticos” do Wikileaks são encontrados na Kindle Book Store, irritando hacker-ativistas, Dez, 9, 2010
  • Livres editores do Wikipedia deletam arquivo na enciclopédia que dá lista de mirrors do site atacado, Dez, 9, 2010
  • Uma guerra cibernética é declarada envolvendo a causa Wikileaks, Anonymous, Empresas e Governos, Dez, 9, 2010
  • Anonymous ameaça a Fundação Electronic Frontier com ataque DDoS, Dez, 9, 2010
  • Chegam a +1000 mirrors os sites que apóiam o Wikileaks, mesmo sem url e dns service, Dez, 10, 2010
  • O objetivo dos ataques ao PayPal e Amazon não são atingidos, anonymous inicia Operação LeakSpin, Dez, 10, 2010
  • Suécia retira acusações de estupro e abuso, ainda investigando Assange por ‘molestação’ Dez, 10, 2010
  • Assange está separado de outros presos em Victoria, Londres/RU, com acesso controlado à internet, Dez, 10, 2010
  • A internet e a mídia mantêm-se em alerta, a especular via milhões de artigos e reportagens, Dez, 11, 2010
  • Este jornalista para de escrever, para voltar a pesquisar… 🙂
  • _____________________________________

    Algumas das principais fontes consultadas:

    Relacionados: , ,

    Autor: San Picciarelli

    Compartilhar
    • Obrigado por me deixar a par. Continue pesquisando! hehe

      • ICEFUSION

        @Felipe Almeida,

        • ICEFUSION

          o gato pulou em cima do teclado na hora que eu ia começar a comentar, desculpem saiu só o nome.
          Felipe Almeida você viu as notícias, a diplomacia dos EUA afirmou em telegrama confidencial de 2005 que Dilma Rousseff “organizou três assaltos a bancos” e “planejou o legendário assalto popularmente conhecido como “roubo ao cofre do Adhemar” na ditadura. Estamos muito bem de presidente obrigado.
          Gostaria de saber qual a lei que libertou Dilma da sentença militar,sabendo que uma pessoa sentenciada por assalto,roubo,sequestro seguido de morte,teve sua liberdade com asilado político,ja que outro permaneceram encarcerados(presos) mesmo julgados pelos tribunal militar?

      • @Felipe Almeida, Opa!

      • matheuskxt

        [2]

    • renatokistner

      você pode ter umas histórias e tanto para contar para os seus filhos e netos nas próximas décadas

      Se chegarmos nas próximas décadas…

    • SandroCeara

      Parabéns pela pesquisa e pelo belo texto, San.

      Off: Porque o termo “cabo” ao invés de telegrama?

      • @SandroCeara,

        Valeu cumpadre. Agradeço.

        Interessante a pergunta Sandro. Durante a pesquisa, descobri que nem todos os registros são telegramas. Em muitos dos documentos, a proveniência é de faxes, mensagens curtas, pequenas gravações transcritas em atas de reuniões diplomáticas, etc. O termo ‘cabo’ (cable) é um termo técnico no meio diplomático (já antigo inclusive) para qualificar essas transmissões e conversas. Achei bacana sintetizar-se o nome em um para que fosse evitado inflar tudo em vários nomes. Confesso que não conhecia o termo antes com este fim (nem em inglês, primeira língua).

        Recebe um abraço.

        • SandroCeara

          @San Picciarelli, Obrigado pelos esclarecimentos. Imaginei que deveria haver uma razão para tal.

          Meio Bit é cultura!

    • omine

      Compreendo o lado dos Estados Unidos, pois ele tem razão. Tais documentos expostos podem comprometer a paz mundial, conflitos desnecessários entre países. Tudo o que foi exposto são assuntos particulares entre consulados e embaixadas americanas. O mesmo ocorre nos órgãos de outros países. O problema é que alguém que exerce alto cargo dentro do governo americano está afim de “causar” e jogou os docmentos nas mãos do Assenger. Provavelmente vão forçar o Assenger a confessar quem entregou os documentos, por isso prenderam-no.

      • omine, Duvido que já não tenham forçado ele a falar. No mais, não acho que afetaria a paz mundial em si, mas afeta a confiança de outros paises sobre os estados unidos. Isso por sí, já é suficiente para uma caça-as-xleaks

      • Ismael

        @omine, os EUA tem razão? Acho interessante que leia a carta do Assange. Pessoas foram lançadas à morte pelos motivos errados. Os documentos expostos não são apenas intriguinhas de diplomatas, tem outras coisas bem mais sérias também.

        • omine

          @Ismael, entendo muito bem o conteúdo dos documentos, obviamnete.. mas fato é exatamente o que a Hilary Clinton explicou. Há muitas coisas expostas que de fato parecem ser inofensivas mas não são. Algum estúpido como o Kim Jong Ill pode querer arranjar confusão por algo seja exposto, por exemplo. Por isso tem que ter responsabilidade e consciência mesmo na hora de expressar uma opinião pública. A maioria não entende isso e acha que está certo espalhar documentos particulares dessa forma. Mas são documentos apenas para registros internos, e não representam necessariamente o que está escrito ou se algum dia teve alguma significância, pode ser que hoje já não tenha mais importância alguma, então alguém pegou e expôs pra colocar pessoas de alto escalão em saias justas ou causar algo maior.

      • Magalz

        @omine, Eua tem razao? Leia a carta msm, como disse ismael, q vc vai perceber pq eh de suma importancia q isso seja liberado pra geral. Com novas guerras ou não, tem q se abrir os olhos das pessoas. Guerras sempre vão ter, mas se for pra ter, q seja pelos motivos certos.

        • Magalz

          @Magalz, So explicando oq eu disse, q soou mal, q seja por motivos sustentados, explicados, e de interesse de quem está la, levando bala nos peitos, e nao algo q nunca vai nem chegar a eles. E de mesmo modo, q isso garanta q a guerra seja justa e sem ‘pessoas matando crianças à gargalhadas’. Procure o video do ataque aereo do iraque, onde o helicoptero dos EUA fizilam uma vam com crianças dentro, rindo, e vc vai entender.

          • anedox

            @Magalz, às claras amigo, às claras sem receio.

      • bilich

        @omine, Quando a questão envolve apenas o seu país, o seu povo, realmente acredito que não se deve interferir. Agora, quando um governo toma atitudes com vistas impor sua “visão do correto” sobre outros povos acho uma tremenda canalhice.
        Vide o video do wikileaks que mostra como o governo america conduziu a “guerra” do Iraque.
        http://www.youtube.com/watch?v=5rXPrfnU3G0&feature=player_embedded#!

    • lucas.scharf

      Wikileaks perde seu serviço de DNA, Dez, 2, 2010

      Mano que serviço punk é esse? É do tipo que gera filhos? ou foi uma falha de um jornalista digitando a uma velociodade de 60 caracteres por segundo?

      No mais, gostei do texto, eu não tinha nenhuma informação sobre o que aconteceu nos dias 10 e 11, é sempre bom se atualizar. Acho que poder ser acrescentado “dados da guerra” como os dois garotos holandeses que foram presos (um deles já liberado) e o fato de ser descoberto que o canhão de íons (ou seja lá Deus o nome daquilo) foi considerado não seguro, pois permitia rastrear o atacante =x

      • @lucas.scharf,

        Valeu pela errata, peço para o editor corrigir.
        O correto é “Serviço de DNS”.

        Mesmo revisando trocentas vezes, pode acontecer d’uma letra escapar.

      • @lucas.scharf,

        Corrigido!

    • San Picciarelli,
      Queria informar que fazem alguns anos que espero alguém que realmente mereça credito jornalístico em um espasmo de verdade publicada. Achei! Parabéns! Trabalho de mestre.

      Chamei meu filho de 18 anos, e disse:
      Veja o que esse cara escreveu, leia sobre o Wikileaks, você está vendo algo que vemos raramente na vida. É a mesma sensação de ver o muro de Berlin ir ao chão.

      Usando o comparativo com o muro de Berlin, é bom lembrar para a geração atual (com raras exceções) esses atos históricos chamam menos atenção do que videos da Lady Gaga.
      Pior ainda, existe uma horda de pessoas gritando delirantemente em defesa do Assange.
      Como um herói que veio ao mundo para promover a “liberdade”.

      A única coisa que ele fez de bom na verdade, foi acelerar o debate de uma legislação internacional sobre a Internet. Teremos que ter a primeira grande tragédia para isso ocorrer, o Assange provou que a Internet tem poder para isso.

      Quando você mencionou o Irã e a religião muçulmana, vi um brilho de realidade do qual poucos compartilham, mesmo que a verdade seja clara.
      A mídia tem um papel fantástico de criar burros. A dita liberdade vem privando pessoas na França de usarem seus trajes típicos. Crenças e dogmas devem ser entendidas e debatidas, repressão vem de dois motivos: Ou alguém tá ganhando para eliminar a concorrência, ou é burro o suficiente para querer destruir algo que se elimina unicamente com o tempo (ou não, e espero que não).

      Quando vi a notícia que o Wikileaks apontou onde estavam armas nucleares na Turquia e Europa, fiquei pensando se o mundo sabia o quanto isso é perigoso. Tentei esclarecer alguns… Mas uma frase que escutei e deve me marcar para sempre… Como é o conceitual da galera hoje:

      -Não adianta você me falar, eu nunca irei entender.

      Era só mais uma pessoa que curte os videos da Lady Gaga.

      • @chantinon,

        Pois é meu velho. Ao me envolver um pouco mais a fundo com o tema, é impossível não dizer que o assunto é sério mesmo. Do conforto das nossas opiniões e interpretações (nem sempre as melhores), o mais fácil é pensar “Ah, isso é por lá”.

        Estatisticamente (e curiosamente) o mundo hoje é um lugar bem mais seguro que em outros tempos. O que nos faz pensar a puwrra que deveriam as coisas lá atrás. Em compensação, as implicações e complexidades, mais ainda, os impactos e resultados dos eventos atuais são muito mais severos do que em qualquer outra época da história.

        Simplesmente porque um único fator posiciona a nossa época como uma das mais incríveis e perigosas ao mesmo tempo: conexão. Tudo é global, tudo está ligado, e o conhecimento e a informação circulam tão rápido quanto nunca antes.

        Quanto ao papel do Assange na história, acho prudente que um tom médio de cautela seja mantido. No final do dia, é carne e é osso. De qualquer forma, penso que ele já escreveu seu lugar na história e deixou um legado importante. De novo, surpreende-me ainda como não foi morto (será mesmo que algo mudou na maneira de ‘dar o troco’ no poder? será que ele foi tão articulado a ponto de colocar todos em suspensão?). Só aguardando mais, para ver mais.

        Acho que esse é um dos ápices da nossa geração. Essa peleja. E é mesmo importante. Na real.

        A pele do Assange e de qualquer um dos 840 e poucos envolvidos, também os familiares e advogados, deve ser uma roupa bem apertada e desconfortável para ser vestida por qualquer um de nós.

        Nesse ponto eu louvo qualquer um deles. Não deve ser fácil estar daquele lado.

        Pessoalmente, achei MUITO interessante a carta que ele escreveu ao The Australian (que não pude deixar de citar na lista de fontes) sobre as suas primeiras motivações.

        É tudo muito obtuso ainda e o real ocorre por detrás das retinas de ambos situação e oposição. Ainda escreverei mais pessoalmente sobre o tema, avaliando alguns dos docs e pitacando mais pessoalmente.

        Claro, provavelmente não aqui no Meio Bit (não fecharia bem, eu penso).

        Mas enfim, boa história.

        Já valeu de ter escrito por comentários como os teus.

        Abraço pro filhão!
        (eu e a costelinha ainda tamos praticando para que o nosso chegue) 🙂

      • kakaroto_BR

        @chantinon, os trajes típicos a que se refere é por acaso a burca ou os véus islâmicos? Se for, concordo com a proibição deles, nada que subjulgue a posição da mulher deva ser permitido.

        • @kakaroto_BR, se não me engano, a burca é algo mais extremo: os veús serviriam para que as mulheres fossem atraentes pelo o que são, não apenas pela beleza exterior, a qual só o marido teria total acesso. Isso em teoria. De qualquer forma, sou um pouco contra a tal proibição do suposto Estado Laico francês, exceto no caso da burca. 😉

          • anedox

            @Emanuel Laguna, eu já tive oportunidade de ver essas vestes longas, inclusivve as burkas e são de fato um perigo. Basta colocar umas bombas na cintura e cobrir tudo com o “vestido”.
            Além disso tem aquele negócio: tua cara não pode estar escondida por questões de segurança. Ninguém faz isso, só eles.

        • @kakaroto_BR, @kakaroto_BR, @emanuel_laguna

          Essa é uma questão recorrente… Burca, véus, shadores, etc.
          É muito difícil dizermos um ‘concordo’ ou ‘não concordo’ quando não fazemos parte daquela cultura.

          Já estive diante de mulheres que acham um privilégio usarem o shador, e de outras que são contra. O facto é que apenas aquele povo pode dizer o que acha ou não.

          É quando nós imbeotizados dizíamos nos anos 80 que a mulher era subjugada por andar atrás do marido em público, a cuidar dos filhos, enquanto o marido caminha sozinho na frente.

          Poucos se dão ao trabalho de perguntar ‘por quê’.
          Os jovens não fazem mais isso, parte deles ainda mantem este hábito.

          O que conta é que se perguntar a uma mulher o que ela acha a respeito ela lhe dirá que se ‘sente a melhor e mais protegida mulher do mundo’ (como eu já ouvi de uma senhora).

          Este hábito em particular (falo dele para não entrar na questão dos véus islâmicos que é BEM maior) começou de uma simples pragmática. Uma família japonesa, ao sair de casa para vistar parentes ou qualquer coisa que o valha, estava sujeita a assaltos durante os trajetos – todos feitos a pé.

          O homem caminhando à precisos 3 passos à frente da “família” (na falta dos filhos, apenas da mulher) era simplesmente porque teria o tempo e o espaço para sacar sua espada e defender sua família, nem que isso lhe custasse a própria vida. Aliás, um dos votos em seu casamento.

          Portanto, mais uma vez, mexer nessas cumbucas é sempre um risco de engolir o próprio pé.

          É preciso que percebamos que temos o direito a qualquer coisa, mas também que quando dizemos “não concordo” podemos estar sendo extremamente ignorantes, truculentos, invasidos e, o pior, desrespeitosos.

          Em um mundo tão cheio de ‘direitos’, não me admira que tantas guerras sejam centelhadas por tão pouco…

          Tolerância, respeito.
          Raras artes do ato.
          Banalidades da fala.

          • @San Picciarelli,

            A princípio, o gesto acima (caminhar à frente da mulher/família em público) mencionado é no Japão.

            • SandroCeara

              @San Picciarelli, No Brasil também. Viajando entre terras dos Guaranis (RS), ví muito disso: Homem caminhado á frente, logo depois a mulher e, em seguida, os filhos.

              *Nota: Quem carregava os fardos, era a mulher.

            • @SandroCeara, O único gesto que já ví é o homem e a mulher caminhar lado a lado, com o homem ficando no lado da rua.

            • GatoDescabelado

              @SandroCeara, aonde mais especificamente Sandro?
              Li em outro post que você é gaúcho e foi viver no Ceara, é isso?

            • @SandroCeara,

              Não concordo que a mulher “deva” carregar os fardos.

              Mas a apreciação do gesto “antigo” (lá atrás) deve ser feita do ponto de vista histórico. Comparar uma época com outra não leva a lugar algum senão à distorção de uma fabricação preconceituosa mesmo, não tem como discordar.

              Hoje, a mulher não precisa carregar os fardos e o homem pode (e deve) ajudá-la. Antes ela carregava por uma questão prática:

              — o homem estava mais apto para ‘sacar a espada’ e lutar para defender (para morrer) pela família.

              A única razão para o tal ‘formato’. Novamente, HOJE, não mais necessário.

          • kakaroto_BR

            @San Picciarelli, não vejo assim. Vc mesmo falou de tolerância, mas quem consegue praticar tolerância com quem é intolerante? É fato que a cultura islâmica não respeita as demais, está no seu cerne expandir, a Europa só está se defendendo.

            • @kakaroto_BR,
              Existe alguma cultura/religião que não pregue essa expansão?
              Na verdade, é o um erro/dogma que tá no DNA humano, que se diz racional.
              Boa parte das pessoas que se convertem ao Islã por exemplo, ficam tocadas com a beleza poética da religião. Uma das coisas pregadas é a conservação de bens patrimoniais por gerações (fácil encontrar uma geladeira com 30 anos na casa de um islâmico). Outro erro grave e babaca é acreditar que as mulheres são subjugadas, elas são o centro da família, e para eles, família é algo muito importante.
              Ainda não vi um comparativo, mas eu queria saber o numero de mulheres mortas por cada 100.000 homens no mundo árabe, para comparar com o Brasil, por exemplo.
              Existem erros lá no mundo árabe, mas temos maiores dessa banda de cá do mundo.

            • @chantinon,

              Totalmente.

            • @chantinon,

              Aqui precisamos da Lei Maria da Penha, capengando e quase nunca cumprida.
              Lá, o vagabundo perde o braço no machado em praça pública.
              Isso se não ganhar “o saco” e comerem ele na pedrada.

              Francamente, para quem bate ou abusa de mulher, acho pouco.

              É sério!

            • @kakaroto_BR,

              Aquele que você chama de intolerante, chama você de intrometido.

              Quando você chama o cara de intolerante, está usando a sua régua para medir o outro.
              O seu conceito de intolerância, algo que obviamente difere daquele que você qualifica.

              Esse processo gera o mesmo efeito reverso (você ser chamado de alguma outra coisa por ele).

              E aí começa o que você gostaria que nem começasse, mas ajuda a perpetuar.

              Sei que não é fácil, mas precisamos aprender a deixar a cultura dos outros em paz.

              Falar menos, fazer mais.

          • @San Picciarelli, cavalheirismo é um conceito que está a desaparecer do ocidente, pelo visto! 😮

        • @kakaroto_BR,
          Você não entendeu… Se ELAS quiserem usar, não podem! Vai pra cadeia!
          Hoje vivo de citar a Turquia. Lá tem punks, gays, lésbicas, burcas, véus, militares, tudo caminhando pelas vias públicas. Um país muçulmano. E nos aqui ocidentais que nos achamos o máximo e eles loucos. Um dos problemas de se acreditar em tudo que se lê.

          • @chantinon, Hmmmm…

            A Turquia. Eles não são ‘muçulmanos’ apenas há décadas. Desde o Tratado de Lausana que minorias integradas foram reconhecidas (arménios, gregos e judeus) na trama étnica do país. A Turquia faz um grande esforço em romper com os laços mais radicais e fundamentalistas do Islâ e ainda assim ser muçulmano e também integrar outros credos e povos. Uma missão difícil para alguém que mora na lateral da panela de pressão mais quente do globo.

            Mas tem seus louvores também… e muitos. A história do país é maluca e bacana. Império Otomano, milhares de miscigenações, trades, tomadas, retomadas, Atatürk… é phoda!

            O país faz fronteira com a Bulgária, a oeste com a Grécia, a nordeste com a Geórgia, a Arménia e o enclave de Nakichevan do Azerbaijão, com o Irã a leste e Iraque e a Síria a sudeste.

            Mano, esses merecem uma colherzinha de chá… a peleja é forte!

          • kakaroto_BR

            @chantinon, então essa história de casar com várias mulheres é balela, ufa, estou aliviado. Mas apedrejamento por adultério eu acho q é verdade né, tá todo mundo falando nisso.

            • @kakaroto_BR,
              Se vc for Islâmico pode casar com até 4 mulheres, com o pequeno detalhe, tem que conseguir manter elas… E a melhor parte, as 4 tem que concordar. (Sabia disso?)

              Sobre o apedrejamento, é algo raro, e praticamente não existe mais.
              Aposto que existem mais linchamentos no Brasil do que apedrejamentos juntando todos os casos no mundo do Islã.

              Os caras lá são machistas sim. Seguem padrões deles. Quem sou eu para dizer se estão certos ou errados. Acho muito errado uma pessoa ter 2 carros na garagem para livrar o dia de rodízio… mas fazer o que… vou jogar pedra? 🙂

            • @chantinon,

              Nada cumpadre,

              Aqui basta torcer para o time rival e você apanha de trocentos até morrer.
              Basta torcer para o time rival ou se gostar de bandas coloridas)

              É bem menos ‘bárbaro’ do que lé, né?

              Somos muuuuuuuuuito mais evoluídos. #not!

              😀

            • kakaroto_BR

              @chantinon, Há uma diferença enorme, se o apedrejamento está na lei não há o q discutir, sinto muito.

            • @kakaroto_BR,

              os abusos cometidos pelos nazistas contra os judeus também estavam legitimados pela constituição do reich.

            • kakaroto_BR

              @Antenor Aguiar, eu não quis defender o apedrejamento, mto pelo contrário. O q quiz mostrar foi q há uma diferença entre se praticar uma violência e uma violência descrita na lei. Ora, se a própria lei prescreve apedrejamento contra adultério há de se concordar que uma cultura onde existe essa lei é mais bárbara do que numa sem essa lei, daí pq sou contra a islamização da Europa. Se o sujeito quer viver na França que seja como um francês, respeitando as leis francesas, e não as baseadas num livro escrito há centenas de anos numa época totalmente diferente.

    • “Russia e China manifestam apoio à candidatura de Julian Assange para o Nobel da Paz, Dez, 8, 2010”
      What??

      • @chantinon,

        Tá entendendo pra onde vai esta puwrra toda!?

    • stangeman

      Parabéns San Picciarelli, excelente post!

    • GatoDescabelado

      A realidade do mundo, de pessoas medianas assusta. O @chantinon citou acima algo que já escutei bastante; extremamente desanimador: “Não adianta você me falar, eu nunca irei entender”.

      Povo, no seu mais abrangente conceito, enxerga realidade mastigada, mastigada pelo informante. O vídeo de nosso presidente de certa forma demonstra isso de forma indigesta. Mostra como alguns (perigosamente até) são incapazes de enxergar além do quintal de casa.

      Notícia chata pra maioria, interessante pra alguns e assustadora pra poucos. Obrigado San por nos prestigiar com o melhor compêndio que li sobre o assunto. Se possível, expresse o valor agregado em suas novas pesquisas aqui também.

      • @GatoDescabelado,

        Agradeço. Mesmo.
        Histórias assim não tem efeito-colateral, mesmo que ruins.
        Foi bacana escrever. Fico contente que tenha saído bacana.

        • GatoDescabelado

          @San Picciarelli, entendo o que quer dizer com efeito-colateral, mas… encare esses casos como pesquisa. É possível entender muito sobre sociedade assim. Eu mesmo, recentemente, lancei uma questão no MB apenas para analisar o resultado.

      • kakaroto_BR

        @GatoDescabelado, fato, a classe média já se satisfaz em curtir o shopping no fim de semana, pra muitos deles é o q basta na vida.

        • GatoDescabelado

          @kakaroto_BR, ficaria feliz se esse comportamento fosse algo restrito a uma classe social, entretanto, o desejo de alienação esta presente em todo local. O meu comentário acima mostra que isso acontece até em quem não (jamais/de maneira alguma) deveria acontecer.

          Nada contra shoppings ou Lady Gaga; detesto generalizações. Mas o foco é esse; as pessoas estão tão acostumadas com sua vida pacata que não querem perder tempo com o que “aparentemente” não os afeta.

          • kakaroto_BR

            @GatoDescabelado, nem eu quis generalizar, mas é o q observo mesmo entre os meus colegas de trabalho, eles não se interessam por nada a não ser o q tiver mais próximo deles. É uma maneira de encarar a vida que eu não entendo, não q eu não seja um pouco assim tbm, mas dentre eles eu me sinto um pouco deslocado (até pelo fato de eu só comentar sobre wikileaks e essas coisas online, impossível fazer isso offline).

            • GatoDescabelado

              @kakaroto_BR, você não generalizou; eu estava apenas afirmando minha colocação.

              Quanto ao seu convívio offline; um dos conselhos mais importantes que qualquer indivíduo possa seguir é conhecer novas pessoas, toneladas de novas pessoas.
              Restringir seu circulo social aos colegas de trabalho ou de faculdade gera isso que você descreveu: pessoas diferentes; gostos, conhecimentos, perspectivas…
              Existe vida inteligente lá fora, e poder conversar com alguém que simplesmente compreenda (ou mesmo enriqueça) seu ponto de vista não tem preço. Isso alimenta seu ego, porém também te põem no chão, faz você se sentir normal.

            • @kakaroto_BR, Fui comentar sobre a wikileaks com um colega de trabalho e ele ainda reclamou, dizendo que não tá nem aí pra essas coisas.
              Atualmente a única pessoa que tenho contato e que posso conversar sobre esse tipo de coisa é um guri de 15 anos, que tá no meu MSN sei lá desde quando.

              Aqui na minha cidade eu poderia citar apenas 2 ou 3 pessoas que já conheci que se interessariam por isso.

    • DomainAdmin

      Excelente post San, sou um dos teus fãs, no começo não gostei mas fui pegando as “manhas” dos teus textos, são desafiadores! Um abraço.

    • Leonis

      Parabéns, muito bom o texto.
      Taí, um site que Realmente merecia um filme…

    • marcoscs

      Excelente texto, San.
      Quanto ao Assange, ainda continuo aguardando o conteúdo verdadeiramente explosivo que ele diz ter, inclusive o que, referindo-se ao Brasil, ele disse que, caso fosse publicado antes das eleições poderia ter mudado os rumos do pleito.
      Até agora a maioria do que foi divulgado são ‘segredos de polichinelo’, impressões dos diplomatas americanos sobre os mais variados assuntos em sua maioria, como a visão de que nós brasileiros somos paranóicos pelo medo de invasão da Amazônia e o Pre sal ou até coisas pueris como a suposta atenção do molusco pelas pernas da mulher do Sarkozy.
      O material ‘du bão’ ainda está por vir.
      Ou não…

      • @marcoscs,

        Tem coisa MUITO grande já.
        Mas aguardar, elaborar e responder é o melhor ato mesmo.

        Valeu pela nota.
        Agradeço muito.

    • ICEFUSION

      Ex-integrantes do WikiLeaks que se desligaram do site , planejam abrir um canal alternativo para publicação de vazamentos: o Openleaks.

    • Net

      Tipo… o que será que tem nesse torrent de 1.4Gb em? Interessante.
      Ótimo trabalho San! Dá gosto de ver gente que se dedica ao que gosta de fazer

      • @Net,

        É um arquivo encriptado com o que há de mais avançado chamado insurance.aes256 e segundo Assange, caso qualquer coisa ocorra com ele, com seus colaboradores, advogados e familiares… ele libera o coding para decriptar o arquivo (que já foi baixado por milhares de pessoas e está amplamente distribuído no mundo todo, irrastreável, incontrollávemente. genial!)

        • Net

          @San Picciarelli, mas ele já deu uma prévia do que contém esse arquivo? Só para aguçar? E outra, espere alguns dias para o monte de “pcs zumbis” entrarem no esforço coletivo para arrombar esse arquivo. hehehe

          • @Net,
            Not possible.

            • @San Picciarelli porque? Rjindael tem o q, 15 anos de labuta?

              É mais economicamente viável pipocar um parente do assange, somente.

        • @San Picciarelli,
          Certo… Ai “supunhetemos” que um comparsa do Assange tenha essa chave nas mãos… Um arquivo desse teor foi espalhado pelo mundo por míseros GBits de torrent. A turma do Bin Laden já pegou o seu. Ai precisa da chave…
          É uma escolha difícil… ser torturado pela CIA/FBI ou pelos Xiitas radicais?
          Mas o cara vai abrir o bico, mesmo ele sendo o Rambo. E ai?
          Esse Assange é um moleque, deixa a chapa esquentar que esses nerds que se acham Crackers irão começar a aparecer mortos envenenados por sucrilhos, escreve ai…

          • @chantinon,

            “em mãos” ninguém tem. Segundo o próprio Assange, existe uma pequena cadeia de eventos associados a um grupo de pessoas que, juntos, acionam a distribuição da chave (que não está com ninguém, inclusive o Assange.

            Dizem algumas matérias que é nisso e em aterrorizar os familiares e advogados da turma que tem se concentrado o esforço dos governos e agências de serviço secreto (principalmente dos EUA).

            Usando a lógica, só o facto do Assange estar vivo é uma prova de que ninguém quer por a mão nele e correr esse risco.

            Acho que o Wikileaks (todos os envolvidos, não apenas o Assange) já deu provas suficientes de que deve ser levado a sério.

            O mais intrigante (e interessante) é conceber que isso tenha sido pensando – e bem pensando – “ANTES” das publicações. Agora, que está tudo bem amarradinho, o dilema não é tanto com ele, mas sim com os governos.

            “Cago fora da tábua, ou aperto esse caboclo?” Eles que estão no conundrum.

            Mas assim é um bruta risco. Qq inimigo dos EUA ou qq outro governo poderia apertar o Assange pessoalmente e pescar algumas coisas.

            Pessoalmente, eu acho que quem entra nessa e vive como ele está vivendo, já tem antecipado alguns passos (ser um bom hacker, ajuda muito) e também está disposto a morrer por isso. Do contrário, não entraria.

            Se pego, ele primeiro contaria muitas mentiras e depois atrairia a atenção de lá para cá. Em última instância, acho que ele só abre o bico se for para o público.

            Mas aí sou apenas eu, dando meu voto de confiança contra o oculto e os serviços secretos.

            Enfim…

      • @Net,
        E puwrra, obrigado pela nota.
        Humbled and Speechless.

    • A arte da ilustração que encabeça a matéria é de Kellie Strom (http://balsko.com/)

      Perguntaram-me.

    • Para quem curte um cartoozinho…

      The OLeB :: “Yes, Mr. Wikileaks, I got it!”
      http://bit.ly/eLfgG1

    • Wallacy

      Realmente um excelente texto.

      Se possível tente manter atualizada a tal linha de tempo, incluindo, se possível, um resumos das informações coletadas.

      Realmente essa é a primeira de muitas cyberwars…. Vamos ver o que o futuro nos reserva.

      • @Wallacy,

        Agradeço mesmo.

        Algumas das fontes citadas podem dar conta das últimas, mas a linha do tempo é bastante pessoal e interpretativa (da minha parte).

        É uma peleja filtrar o lixo da informação/notícia que realmente interessa.

        Abraço.

        • Wallacy

          @San Picciarelli,

          Por isso do pedido abusado, sei que é complicado.

          Mesmo com uma linha de tempo “pessoal e interpretativa” realmente ficou melhor que a maioria das que se encontram na internet.

          Claro, você pode fazer isso quando, onde e como quiser, em um lugar dedicado ou não para isso.

    • É estranho, mas ao quebrar a vidraça da ilusão midiática em que vivemos temos que desconfiar de todos, inclusive do Wikileaks. Concordo com a importância do que está ocorrendo. Meu receio é que esta seja mais uma estratégia para legitimar uma próxima guerra e um controle sobre a internet. Para cada guerra injusta em que os EUA se meteram foi necessário uma “desculpa”, um Pearl Harbor, um 11/9 para ratificar que deveriam entrar em guerra. Aí você diz que a Rússia e a China querem dar um Nobel da Paz para o Assange… Os EUA está a beira de uma falência financeira onde o maior credor é a China. Nada melhor que uma guerra com a China para desconsiderar essa dívida. A Rússia bem que tentou mas é cada vez mais claro que sua vocação não é para a Democracia, pelo menos não essa do modelo americano. Que aliás, é uma piada mesmo. Se a Rússia e a China se alinham, os EUA ficam de orelha em pé.
      Mas não acho que nada disso que está vazando já não era de conhecimento de outros países. Putin tem seus meios de se manter informado, assim como a China, cujo governo coordena ataques de hackers já a algum tempo, o Google que o diga. Quem não sabia de nada era o Lula, o Chaves e os outros governantes de países pé-rapados mundo afora.
      Enfim, a sensação é que o jogo de xadrez está aí e as peças estão se movendo. Se os EUA precisam de uma desculpa para começar uma nova guerra e por tabela justificar que a internet não deve mais ser um território livre, essa história toda pode ser a desculpa que eles precisam. E nesse ponto, começo a desconfiar que eles mesmos deixaram vazar esses dados para que o circo pegasse fogo. Se Assange é o novo Bin Laden, não se preocupem, ele não será morto.

      • @lmzan,
        Ponto de vista interessante.

      • GatoDescabelado

        @lmzan, poucos conseguem sequer imaginar qualquer coisa diferente da informação que vem mastigada através da mídia; mesmo a própria mídia, que no caso da brasileira, resume-se a re-divulgar o que já havia sido divulgado la fora.

        Você citou exemplos que realmente confirmam que isso pode sim ser uma situação manipulada, não seria a primeira vez; aliás, não seria a centésima.

        Olhando nossa situação fico apreensivo, enquanto aqui no Brasil achamos tudo lindo, o resto mundo não esta brincando.

        • @GatoDescabelado, como disse o próprio autor do texto nos comentários acima, é difícil separar do lixo a informação que realmente interessa. Quando uma história dessas chega até os jornais noturnos da TV aberta, meu amigo, é porque eles querem muito que o povão tire uma conclusão errada da história toda. Basta ver o tom que dão a história, virou motivo de fofocas sobre o Kaddafi, comentários inúteis sobre o Sarkozy e coisas dignas de revista Caras. É triste.
          Enquanto isso a Coréia do Sul admite que atirou primeiro contra a Coréia do Norte, mas mesmo assim os EUA já mandaram porta-aviões pra lá e a China já avisou que se sacanearem com o mar territorial deles vai ter troco. No FED somem trilhões de dólares e ninguém sabe onde foi parar, o preço do ouro dispara, os bancos estão fazendo o que querem na Europa, aí vem um prezado sujeito e joga a M no ventilador. Ok, ficou complicado para quem? Para os EUA? Todo mundo sabe que eles são o tubarão branco da cadeia alimentar do planeta e que são capazes de qualquer coisa para garantir o seu pedaço. Que eles são inescrupulosos, cruéis e movidos a lucro, todo mundo sabe, não precisa de bilhetinho de diplomata pra isso. Tem um monte de países que ficaram irritados com as informações vazadas, mas e daí, vão chamar os EUA pra briga? Duvido!
          Enquanto isso o zé povinho está ouvindo isso tudo e querendo ou não, está formando uma opinião na sua cabecinha oca. Algo bem incipiente mas com o DNA daqueles que já estão acostumados a manipular as cabecinhas ocas. Resta saber o que vai surgir de dentro da cortina de fumaça do WikiLeaks.

          • @lmzan,

            Pois é, Imzan… o buraco é mais embaixo.

            A maioria do Zé Povinho que você menciona só tem acesso ao que está mais facilmente disponível mesmo.

            Veja isso, por exemplo, que acabo de publicar no meu ‘jornal’, o Via Lata:

            http://vialata.com.br/via/2010/12/14/kla-sem-k-y-macabro/

            • @San Picciarelli, bacana o Via Lata, vou acompanhar!

          • @lmzan,

            Apesar que nos dias de hoje, acesso é muito mais uma questão de vontade que de veículos…

            • @San Picciarelli, já viu esse aqui? – http://21stcenturywire.com/

            • @lmzan,

              Tinha aparecido na minha pesquisa. Gostei do foco do blog/site, mas como tem um caráter de integração e repetição de notícias, acabei não mencionando porque a pesquisa inicial exigia informações o mais originais possível.

              Mas é um dos que acompanho com certa regularidade sobre o assunto.

              Boa nota. Cheers.

            • @lmzan,

              O mais bonitinho do mundo foi o Brasil nesta semana oferecer livremente um plano a ONU para regulação da internet.

            • GatoDescabelado

              @San Picciarelli, O mais bonitinho do mundo foi o Brasil nesta semana oferecer livremente um plano a ONU para regulação da internet.

              Isso me lembra aquele funcionário idiota que adora puxar o saco do chefe…

              Fico realmente encucado. Como já comentado; posso até acreditar que nosso “principal representante” seja ingênuo, mas o partido não é. E como no Brasil quem manda é o partido, fico realmente intrigado com estas atitudes.

          • @lmzan, por mim a Coréia do Sul deveria logo destituir o Kim Jong-il e anexar a Coréia do Norte ao território, unificando a nação coreana, para acabar de vez com mais esse ponto de tensão política no mundo. Mas digo isso como um mero espectador: a impressão que toda a situação passa é a de que a Coréia do Norte parece um quintal da China, outra ditadura. 😕

            • GatoDescabelado

              @Emanuel Laguna, ainda bem que você é apenas um espectador. Unificar as coréias hoje é algo tão absurdo quanto o Brasil absorver o Uruguai, antiga provincia Cisplatina. As separações causam profundas mudanças culturais que nunca mais saram.

              Pra você ter uma idéia, poucos anos depois da desanexação da Cisplatina, o Brasil perdeu o território do Rio Grande do Sul e na sequencia, Santa Catarina. A separação não ocorreu em vão, boa parte da identidade cultural destes estados vem do povo uruguaio, argentino e chileno. É que o Brasil conhece por gaúcho, que antes de ser o gentílico de quem nasce no Rio Grande do Sul, é uma cultura compartilhada por todos esses países.

              Poucos anos após a separação, as duas ultimas repúblicas, República Rio Grandense e República Juliana, foram re-anexadas ao território brasileiro ao custo de muitas vidas.

              A maioria dos brasileiros não estuda muito a história do próprio país e ignora completamente que isso tenha acontecido.

              A carga cultural deixadas pelas antigas repúblicas, mesmo efêmeras, é muito forte nos atuais estados; o que muitas vezes é motivo de piada e hostilidade por habitantes do resto do país que se sentem incomodados com a idéia do separatismo.

              O movimento separatista existe até hoje, porém muito mais forte que o movimento, é a idéia. Pense nisso.

            • @Emanuel Laguna, acredito que isso pouco tem a ver com a vontade de qualquer uma das duas Coréias. Se não me engano nem eles mesmos pensam muito nessa hipótese. De qualquer forma, a tensão não é entre as duas Coréias, mas entre quem respalda ambos os lados.
              E Nação é um conceito que não coincide muito com fronteiras, aqui mesmo na América Latina temos povos indígenas originais que se espalham por mais de um ou de dois países diferentes. A Bolívia, a seu ver, é uma Nação? A Iugoslávia era uma Nação? O Iraque é uma Nação? O que configura uma nação?
              Nem vou perguntar o que é então ditadura.
              Já faz tempo que a visão de mundo dividido entre bons e maus é totalmente irrelevante.

            • 1bertorc

              @Emanuel Laguna, Não sou a favor de incursões armadas estrangeiras, mas tenho uma certeza… o povo da Coréia do Norte é quem mais sofre nessa brincadeira… Uma ação militar da Coréia do Sul esbarraria no patrocínio da China sanguinária ao também sanguinário regime da Coréia do Norte.

            • kakaroto_BR

              @Emanuel Laguna, acho que a Coreia do Sul não estaria interassada nisso. É um país diferente do Norte, eles teriam que arcar com uma população miserável gigantesca do vizinho. A própria China não quer ver o fim da Coreia do Norte por causa disso, teme a invasão de milhares de imigrantes.

          • GatoDescabelado

            @lmzan, é difícil prever o que acontecerá com o mundo. Mas aqui todos nó sabemos.

            Haverá uma cobertura do que acontece no mundo da mesma forma que sempre houve, repetindo o que já disseram lá fora. O povão nem vai tomar conhecimento, este está mais interessado em Larissa Riquelme e Restart.

            Como diz a frase já batida: A ignorancia é uma benção. E provavelmente é mesmo. Temos um povo feliz com o que tem; e que não se dá ao trabalho de tentar descobrir se existe alguma perspectiva melhor.

            E no fim tudo acaba em pizza, ou seria em samba?

            • @GatoDescabelado, bilhões vivem abaixo da linha da pobreza, talvez eu, você e o pessoal que está aqui não. Mas infelizmente, mais gente ainda vive abaixo da linha da informação só que aí nós todos aqui nos incluímos, quase certeza que sem exceção. Apesar de estarmos tateando às cegas em busca da bola, o jogo está sendo jogado longe de nós, por gente que está a anos luz de distância da nossa realidade. E não adianta dizer que a Internet encurtou o caminho para a informação porque o que realmente importa não está na Internet. Nos resta saber que algo de podre sempre haverá e partir para cuidar da nossa vida, como der.
              Mudar algo é mesmo improvável, nem mesmo com o “poder” da internet. Lembre-se, tem sempre um americano com a mão no fio da tomada que liga a internet na energia elétrica. Se for para acabar com a festa, é simples pra eles. Mas a Internet vai continuar funcionando, afinal de contas já virou outra forma de manipulação. É aí que eu discordo um pouco de quem acha que movimentos de hackers podem mudar o mundo. Podem causar uma bagunça, tudo bem, mas o mundo já existia há muito sem internet. E sem hackers, e as relações de poder eram as mesmas de hoje. Talvez porque a internet seja o mundo deles, eles achem que podem controlar o mundo. Agora, e se acabar a energia elétrica, a Internet vira o que?
              As pessoas realmente não se importam de serem exploradas, desde que tenham uma vida com o mínimo de conforto. E não vão se preocupar com o que acontece nas altas torres do castelo. A natureza humana é muito persistente em seus maus hábitos.
              A única certeza que temos é que quando começar a chover, nós vamos nos molhar. Chovendo hoje ou amanhã, nossa discussão aqui é só pra saber de que lado vai bater o vento.

            • anedox

              @GatoDescabelado, a sua é uma visão retrógrada. Se fosse assim
              o mundo ainda estaria vivendo nas cavernas e não teria havido
              nenhum tipo de avanço. Não concordo mesmo.

            • GatoDescabelado

              @anedox, não faço idéia de como sua cabecinha de minhoca conseguiu relacionar a realidade social de um país contemporâneo com toda a inclassificável e incatalogável evolução humana em milênios.

              Minha visão não é retrógrada, é realistica. Ou você vive em um país onde as pessoas conhecem a história do mundo e tem opinião formada sobre seus acontecimentos.

            • @GatoDescabelado, don’ feed the rosano444. 😉

    • Meu nome, na verdade, é Coldblood e eu apóio o Wikileaks!

    • Não posso deixar este post passar sem te parabenizar, San.
      Ficou excelente.

    • Tejo

      Embora eu não seja um adepto ferrenho de teorias de conspiração, fico com os dois pés atrás, com as declarações do nosso presidente em apoio à esse assunto. No mínimo são para parecer “antenado” e “moderno”.

      Aliás, o presidente tem uma péssima assessoria de imprensa. Cadê o ponto eletrônico para corrigi-lo?

      “Puta falta de sacanagem!”.

      • bfsbarros

        @Tejo,

        Tem que ser muito ingênuo para pensar que o nosso presidente é ingênuo.

        • GatoDescabelado

          @bfsbarros, o presidente eu não sei, mas o partido decididamente não é.

    • anedox

      Conhecimento é poder, alguém duvida? Até recentemente os EUdaA tinha o maior volume de conhecimento e assim detinha o poder. Várias nações mais antigas eram donas do conhecimento. Nos dias de hoje o complexo Wikipedia, Wikileaks, Google e similares distribuem à mancheias o conhecimento, mas não o saber. Não há nada na internet que divulgue sabedoria: só a convivência, ali cara-a-cara, o consegue. Os Assanges (Wikileakses), possuem muitos méritos, mas não vão durar muito. O material com o qual eles lidam é muito pobre e portanto fácil de terçar armas. Se usam a internet e seus mistérios, serão combatidos no mesmo campo; se usam de espionagem, serão espionados e por aí vai. Nada disso conduz à vitória. Sòmente o dia em que alguém ganhar em sabedoria (o que não exclúi o conhecimento) haverá luz no fim do túnel.

      • SandroCeara

        @anedox, Algum problema em usar parágrafo?

    • Thiago Pacheco

      Texto incrível. Parabéns, San Picciarelli.

    • Minha opinião sobre o episódio é o seguinte, vivemos num mundo dividido onde nem o poder de ferro da nação mais poderosa do planeta consegue esmagar sua principal criação : instituições democráticas(incluso liberdade de imprensa). O poder de ferro não consegue criar liga ou misturar-se com o poder argiloso e flexível das instituições democráticas, ambas estão a todo instante confrontando-se.

      É impossível prever o que virá a seguir.

    • vagneralexandreabreu

      Vendo mais ou menos na ótica de um “povão”, creio que o WikiLeaks seria como alguém querendo fofocar o pior segredo do mundo, e os donos estão tentando mata-lo por causa disto.

      Na minha ótica mesmo, creio que toda informação de um governo deve ser totalmente pública, afinal, eles representam a nós mesmos, cidadãos desta nação. Um site que informe com total transparência TUDO o que ocorre é uma boa. Inclusive conteúdo de reuniões sobre negócios, segurança e afins. Lógico que há certas coisas que devem ser mantidas em privado. Mas o porém é: o que deve ser ou não privado? Que palavra não pode ser dita que ocasionaria uma guerra? Eis um ponto.

      Sou a favor da liberdade da informação, mas também do respeito. Sou a favor que se abra as informações que se devam abrir, mas lógico, contanto que se respeite a privacidade de cada um.

      Mas há um porém: num mundo onde muitos abrem suas vidas em rede social, onde está a privacidade?

    • 1bertorc

      Artigo interessante, mas gosto sempre de frisar duas coisas:
      1) As democracias ocidentais tem muitos defeitos e possuem sim sangue em suas mãos, mas só o fato de poder discuti-los é um bem que vale muito e que deveriamos aprender a valorizar, a maioria das pessoas do mundo não tem esta liberdade.
      2) A linha entre privacidade e transparência é simples: privacidade é com o que é meu, que pago com meu dinheiro, transparência é obrigação de quem toma o fruto de meu trabalho a força (leia-se governo), isto não prova que a transparência absoluta seja necessária ou boa, mas diferencia as coisas, esta noção é muito clara nos EUA (felizmente para eles), mas ainda engatinha no Brasil (infelizmente para nós).
      3) Lula é um fanfarrão… Esta aproveitando a oportunidade para posar de bom moço quanto a imprensa depois de várias e várias tentativas de censurá-la e a única coisa que pode-se dizer em sua defesa é que essa hipocrisia não é exclusiva em terras tupiniquins…

      • kakaroto_BR

        @1bertorc, como diz num dos telegramas Lula cacareja muito huaauhauha.

    • 1bertorc

      Detalhe… Não sei contar…
      O principal lamento é que nos países que precisam ainda mais de liberdade de imprensa (como as ditaduras chinesa, norte coreana e cuba bem como na áfrica e na maioria dos países do oriente médio, Israel incluso este tipo de vazamento é artigo raro 🙁 ).

    • ICEFUSION

      Fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, ele é o “Cara” do Ano.
      http://f.i.uol.com.br/folha/homepage/images/10348343.jpeg

    • Johann

      Olha, não li todos os comentários pq já ta na hora de ir embora 😛 Amanhã termino de ler.
      Mas o que queria mencionar apenas é a lei de Godwin (Google it!) pq alguém ali em cima mencionou nazismo.
      .
      Enfim, San, seu texto está excelente! Parabéns pela qualidade e pela competência!
      Keep up with the good work 😉

      • @Johann,

        Cheers Johann.
        Felizmente, o funil de argumentos vazios está praticamente inexistente.
        Obrigado pela nota.

    • Max Power

      Esse é de longe o texto mais confuso do tio Picci.

      • @Max Power,

        Gostei do Tio Picci.
        🙂

        • tiagodami

          @San Picciarelli,
          ALTAMENTE …. bem, deixa pra lá.

          gostei bastante do texto,
          aos poucos começo assimilar o teu estilo de escrita,
          mais sóbrio e ainda assim pessoal.

          o Sr. deve ser uma pessoa fantástica pra conhecer IRL.

          • @tiagodami,

            Ahahahahah…
            Foi muita fixe, pá.

            Tirando o Sr.
            SFU

    • quanto mais eu pesquiso, mais eu precebo que realmente tem uma guerra acontecendo]

      e que quando mais complexo tudo isso fica, menos é transmitido na TV brasileira

      será que está “perdendo a graça” ?

      a melhor notícia é que nesta guerra não haverá corpos

    • O Assange teve sempre cara de att whore e mártir pra mim. Se bem que as leis de estupro pra suécia são meio escrotas.

      Seria interessante se o cara morresse, e no insurance.aes256 estivesse também a carta de suicídio dele. Hey, chamar a atenção não é fácil hoje em dia.

      • @ovtbqr,

        Seria interessante que ele morresse para se conhecer o conteúdo do arquivo?

        Com todo respeito, este é o comentário mais imbecil que já li sobre o tema.

        Mas, viva a (?) democracia…

        • carituS

          @San Picciarelli,

          Acho que você não conhece o bigode, ele andava sumido desde que você começou a escrever para o MB. Recomendo colocar seu detector de sarcasmo no máximo.

          De mais a mais, concordo com a parte do att whore. Eu ainda tenho essa impressão de que o Assange não passa de um Nelson Rubens especializado em assuntos diplomáticos.

          • @carituS,

            Noted.
            Cheers.

          • @carituS, desculpa ae, tou falando sério. Pensa bem, o que o cara tá fazendo não é mto diferente de um suicídio no fim das contas, que diferença faz se ele usa o aparato dos inimigos pra se matar ou se mata diretamente?

      • kakaroto_BR

        @ovtbqr, eu acho q esse o conteúdo desse arquivo é uma grande pegadinha do Malandro.

      • ICEFUSION

        @ovtbqr, vou guardar o arquivo, daqui alguns anos ( 5 ou dez heheh) os primeiros computadores quânticos, já estaram em atividade,vai ser moleza quebrar essa kriptografia ai.
        Ai eu quero ver se o wikileaks ceo e bom mesmo.

    Aproveite nossos cupons de desconto:

    Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis