Empresas prometem o “Youtube dos games”

Se a ideia por trás do OnLive lhe pareceu praticamente impossível de ser executada na prática, prepare-se pois o que a Gaikai e a InstantAction estão planejando é ainda mais audacioso.

Para entender o funcionamento do produto que a parceria pretende entregar, imagine a função do Youtube que permite que vídeos sejam embarcados em sites, agora pegue jogos sendo executados em servidores da empresa, assim como o OnLive e sendo transmitidos ao jogador. Conseguiu perceber onde quero chegar? Isso mesmo, eles estão dizendo que em breve seremos capazes de inserir jogos completos em nossos blogs, páginas do Facebook ou qualquer outro site.

dori_gai_12.03.10

Pense por exemplo numa loja virtual, onde após a ficha dos jogos há uma opção que permite que os jogadores testem o game durante um período de tempo estipulado pela produtora e no término permitindo que escolhamos comprar ou não a versão completa. Tudo isso sem a necessidade de instalação no PC e sem tempo de carregamento, ou no máximo alguns segundos para isso.

Na verdade, a tecnologia criada pela InstantAction exige um download de poucos minutos (em torno de 4 minutos para jogar o Assassin’s Creed, por exemplo) e que o game seja executado na máquina do jogador, portanto, sua qualidade ainda dependeria da configuração deste computador. Porém, se a pessoa não quiser esperar ou tem dúvidas se o título rodará bem em seu PC, basta ela acionar o serviço oferecido pela Gaikai (que terá 300 servidores, contra os 5 do concorrente), essa sim com um serviço parecido com a OnLive, e o jogo será executado via streaming, quando uma parte considerável estiver carregada, ele automaticamente muda para a versão do jogo oferecida pela empresa parceira. De acordo com Lou Castle, CEO da InstantAction, isso fará com que o processo de download seja mascarado e caso a Gaikai não esteja disponível, basta esperar alguns minutos para que o arquivo seja baixado.

Os envolvidos disseram que muitas produtoras estão apoiando o projeto e que ele salvará um ramo “quebrado” devido aos jogos caros e a dificuldade em obtê-los. Só não consegui entender muito bem como será feita a cobrança desses jogos, pois se eu disponibilizar o Monkey Island para o meu visitante, ele poderá jogar de graça? Neste acaso acho que os criadores não ficariam muito satisfeitos.

Em todo caso, só nos resta esperar para ver como essa história se desenrolará, mas será que eles causarão o mesmo impacto que alcançado pelo Youtube?

dori_gai_12.03.10-2 dori_gai_12.03.10-3

[via IndustryGamers]

Relacionados:

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • Acho que só será permitido disponibilizar tipo um “demo” do jogo. E não ele por completo..

  • com internet de 600K aqui em terra brasilis…. magina

    • Luanna

      Se for uma 3G Claro com upload de 20k… so imagino choro 🙁

      • rafael.lehmkuhl

        Se for com nossa GVT 10 mega, ainda nãoi acredito…

        • Porque não? A minha está funcionando perfeitamente aqui desde que foi instalada.

  • garoa

    mais prático por ser em resolução menor.  Mas jogos em sua página já são uma realidade hoje, claro, com flash e parchment. 🙂

  • Rodrigo8

    imagina a tosqueira q vai ser estes jogos , mas é isso q o pessoal gosta

    • Acho que você não entendeu, ele não vão criar jogos para serem executados vvia browser, eles vão disponibilizar jogos já existentes, como o Assassin´s Creed, Crysis, Half Life… Enfim, qualquer jogo.

    • A idéia é justamente não serem jogos toscos. É rodar GTA IV em qualquer lugar. Se vai cumprir são outros 500.     

      • garoa

        em qualquer lugar, em uma telinha minúscula… 😉

        • Luanna

          Se o Flash é o maior responsavel por falha de segurança hoje, ele vai ter que disputar com essa ideia, um monte de plugin para emular um jogo em um navegador… la vem briga ai.

          • rafael.lehmkuhl

            Amigo, de boa, esse é o MENOR, MAIS MINÚSCULO dos problemas

  • LoonySilva

    Se a coisa vender, as empresas de banda larga vão investir mais em tecnologia e sua difusão devido a demanda de mercado. O problema não estará mais na velocidade e sim no consumo. Nerds jogando via streaming irão chegar a seu limite de download em 15 dias ou menos.

    Isso pode vir a ocasionar vários lags em servidores grandes e em horários de pico de internet com certeza o serviço será meia boca.

    • garoa

      Exato.  Esse lance de no futuro todos terem máquinas foderosas capazes de rodar avatar em tempo real mas games e tudo mais estarem rodando “na nuvem” é complicado…

    • Embora eu tenha bastante ceticismo em relação a esses serviços, discordo de previsões apocalípticas (sei que não foi bem o que você fez, mas de qualquer forma adiciono isso). Afinal no passado quando a Internet era só pequenos ícones e textos, diziam que sites de vídeos como Youtube fariam a Internet entrar em colapso. Naquela época o limite era muito maior. As conexões eram discadas e ninguem ficava muito tempo para não gastar muitos minutos no telefone. 

      Como tudo na informática as conexões também evoluem, e com a computação em nuvem elas tendem a se tornarem os novos “processadores”, as novas “placas de video”. Se antes os nerds se gabavam por suas cada vez mais poderosas placas de vídeo, agora o que contará vantagem é ter uma conexão cada vez mais rápida e menos limitada.   

  • Rodrigo8

    Dori acho q vc q nao entendeu, a tosqueira q me referi foi , como jogar sem lag e um bom processamento em uma telinha do navegador = jogos simples = desperdicio de banda . Se vc nao tiver um otimo link vc nao ve nem youtube.

    imagina jogando CS q é velho, no desktop ja fica ruim. imagina um jogo q exija dos seus reflexos …. só se for aqueles jogos rpg super hiper divertidos q vc passas meses jogando para ganhar uma varinha magica kkkk

    • Cabe uma ressalva: pelo menos SE você conseguir rodar BEM o CS antigo em nuvem, então conseguirá rodar BEM também o Crysis com tudo em full. É essa a proposta destes serviços.

      O CS, embora antigo, tem a mesma resolução em pontos que o Crysis (se ambos estiverem numa boa média de RESOLUÇÃO). O que muda é o detalhamento das texturas, o número de polígonos, coisas assim. Mas como tudo é processado no servidor da Gaikai ou Onlive, o que você vê é apenas um “filme” na sua tela, e tanto faz para a máquina cliente se tem 1000 ou um milhão de polígonos. Basta ter a capacidade de ver filmes. E se pode rodar numa telinha, pode rodar também em fullscreen.   

      • Wallacy

        A diferença é que um vídeo você não envia comandos “de volta” para o servidor.

        Lag não é só questão de boa conexão. Você não pode vencer a relatividade geral, vai sempre existir o problema do “espaço-tempo”.

    • Darkus

      [quote=Rodrigo8]

      só se for aqueles jogos rpg super hiper divertidos q vc passas meses jogando para ganhar uma varinha magica kkkk

      [/quote]

      na verdade percebo que esse modelo é excelente pra esse gênero de jogo, porque o jogo rodando em nuvem não tem game client pro hacker futucar e tentar fazer um emulador de servidor!

      assim só me resta torcer para que as empresas se direcionem mais na venda de itens/raças que de mensalidade… pq será o fim dos private servers.

      a parte boa é que os jogadores nunca mais vão se chatear com o download atualizações!

  • hEaD_cRaB

    Parece a mesma coisa que o OnLive mas com um plugin do navegador no lugar do cliente que vc baixa … não muda muita coisa só a apresentação.

    • Realmente, porém, se os arquivos do InstantAction forem mesmo pequenos, acho a ideia até melhor que a do OnLive, pois assim as partidas sem lag estariam garantidas.

  • Serra

    Parece ser quase a mesma proposta do OnLive, sendo que ele usa um plugin, como já falado. Não parece nada mais audacioso.

    O desenvolvimento de qualquer um está de bom tamanho, mas seria melhor que os dois se destacassem; mais concorrência.

  • Marcelo13

    É basicamente  a mesma ideia fantasiosa da OnLive. E o que mais me espanta é que nem estamos no dia 31 para ter esse tipo de noticia =P

  • Engraçado que tudo isso vai na contramão das telecoms que dizem que p2p destroe sua infraestrutura, imagina isso então, ainda mais quando for por streaming, um negócio assim vai precisar de uma conexão estável até certa velocidade para que a jogabilidade não fique prejudica. E estabilidade no brasil já é algo bem dificil.

  • tcelestino

    Ou seja: eu só vou acreditar vendo mesmo.

  • Acredito que será como tem hoje a HLTV da steam para cs, mas com interatividade de entrada, acredito que estamos longe de poder ter algo sem delay e sem bugs rodando com firmeza, mas espero que de certo essas iniciativas são boas porque de idéias simples surgem aplicações pesadas para todos os ramos. Abraçoa

     

  • Liquidus

    O que impediria jogar Metal Gear Solid 4 nesse sistema?

  • Muda pouco do onlive, a diferença basicamente é que roda no navegador e a compressão do arquivo diz ser melhor. Eu sinceramente não acredito nisso a curto prazo como o onlive. Se acontecer, realmente essas empresas estão um passo a frente.

  • Shokewave

    Pessoal, pelo que eu entendi a empresa principal ai do negocio eh a InstantAction, no qual vc ainda precisara baixar o começo do jogo para so depois começar a jogar (isso me parece ser o mesmo sistema usado pelo youtube pra quem tem conexao lenta, vc deixa o video pausado e espera a barrinha encher um pouco para depois dar play e assistir).

    A empresa parceira, Gaikai, so vai servir pra mascarar esse tempo inicial de download atraves de um sistema similar ao da Onlive, ou seja, via stream. Depois do termino do download inicial, o jogo passa a ser executado pelo sistema da InstantAction.

    Ou seja, esse modelo de negocio eh disponibilizado essencialmente pela InstanAction e eh similar ao mesmo usado pelo youtube, nao confundam as coisas, NAO eh similar ao Onlive.

    • Exatamente. Disse no texto, respondi para outro leitor explicando isso, mas mesmo assim o pessoal continua achando que a mesma coisa que o OnLive. Até pode ser que no final se mostrem identicos, mas não foi isso que as empresas disseram.

      • Verdade. Por essa explicação entendi melhor agora. O fim é o mesmo que é jogar mas esse sistema é mais similar ao youtube, até por ser no navegador como havia dito. Ainda assim não acredito em nenhum deles a curto prazo…

  • Paulo Fernandes

    E viva a tecnologia.

  • lag? spike? cara, muito pior… com nossa internet (internet no brasil, em geral) vai ser uma éspecie de jogo em slides… XD

  • predador00

    Acredito que este tipo de serviço vai desencadear o mesmo efeito de anos atrás (na época do SNES, Mega..).
    Quem não se lembra dos tempos em que víamos jogos em revistas que nunca chegavam ao Brasil?
    Com o naipe das conexões que temos aqui no Brasil, é muito provável que fiquemos como cachorros olhando para o “TV de cachorro” da padaria..

    ;-;

  • leocavadas

    Putz, quando preciso explorar alguma parte desconhecida de um mmo sempre procuro no youtube por um evento em específico do jogo. Alguém sabe se já existe um youtube para postar só vídeos de jogos? Não seria o mesmo caso de transmissão de um jogo online, mas o caso de postar apenas eventos de jogos, execução de um objetivo do jogo, da execução de um boss, de uma fase semi-impossível. Como se fossem “parte de detonados” em vídeo.

  • Pingback: Jogue o Monkey Island pelo navegador « Meio Bit()

  • Pingback: Activision: 60% assinam a Live por causa do CoD « Meio Bit()

  • Pingback: Use qualquer música em “Guitar Hero” do Facebook « Meio Bit()

  • Pingback: Estaria o Steam matando a venda de jogos? « Meio Bit()

  • Pingback: InstantAction fecha as portas e engine Torque espera comprador « Meio Bit()