O terror em estado bruto

Imagine-se de madrugada, perdido no meio do mato em um país onde você não fala a língua local e após presenciar um brutal assassinato. Se este cenário já não fosse o suficiente para entrar em estado de choque, o lugar ainda emite horríveis sons e você precisa ficar longe de mortos que teimam em descansar.

Essa situação improvável pode ser vivida em um videogame e após dedicar algumas horas ao Siren: New Translation, tive a nítida sensação de estar correndo pelas florestas de Blair, de ser o protagonista de uma história de Hiroshi Takahashi ou de fazer parte de uma inusitada fusão entre a obra de George A. Romero e Takashi Shimizu.

dori_sir_17.11.09

Pisar em Hanuda é ser exposto a diversas lendas e mitos orientais, é ter o batimento cardíaco quase sempre acelerado e temer por cada passo dado. Ao contrário dos outros jogos do estilo survival-horror, este jogo não deixa muito espaço para falhas, e na maioria do tempo você não estará procurando mais munição para um lança-míssil e sim um lugar para se esconder.

Nele não adianta bancar o herói e em boa parte das situações propostas, será mais inteligente fugir do que partir para cima dos Shibitos, uma espécie de zumbi que continua as tarefas de quando era vivo, como trabalhar numa mina ou semear sua plantação, mas que possui sede de sangue e que mesmo após derrubados voltarão para lhe perseguir após um certo tempo.

dori_sir_17.11.09-2 Siren conta sua história através de sete personagens distintos e bastante carismáticos, cada um deles possuindo um motivo para estar naquele horrendo lugar, mas que dariam tudo para sumir dali. O jogo é dividido em 12 episódios, mostrados como se fosse uma minissérie, inclusive com os tradicionais “No próximo capítulo” e “Anteriormente…”, algo muito legal e que torna a experiência mais fluída.

Todo o jogo foi planejado para levar o maior realismo possível, contando com muitos arquivos que complementam o enredo, como vídeos feitos através da câmera de um dos personagens e até mesmo um blog contando o dia-a-dia de um dos protagonistas.

Eu poderia ficar aqui por horas descrevendo a boa qualidade gráfica do jogo, como os sons ajudam a criar o absurdo clima de tensão ou o quanto a jogabilidade não está a altura do resto do game, contudo, prefiro lhe dizer que embora eu tenha adorado o terror psicológico da série Silent Hill e os sustos rasteiros do Fatal Frame, foi com Siren: New Translation que eu realmente temi pela vida dos personagens que controlava e apenas nele eu percebi o quanto seria assustador estar na situação proposta por alguns filmes/games. Espere até controlar uma garotinha de 10 anos perdida em um hospital pra lá de macabro e você entenderá o que estou dizendo.

dori_sir_17.11.09-3 Se você tiver a oportunidade de jogá-lo, talvez não se sinta tão incomodado quanto eu, mas como, desde o início, eu me deixei levar pela proposta do jogo e tentei me sentir o mais imerso possível, sou obrigado a admitir que está sendo bastante perturbador passar por algumas partes.

Repleto de situações grotescas e que fariam até o maior machão borrar as calças, Siren: New Translation é daqueles jogos para apreciarmos cada momento, mesmo que eles sirvam apenas para aumentar nossa adrenalina através do simples ato de nos meter medo e nesse aspecto o jogo cumpre perfeitamente seu papel.

 

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • Caraca dori. Você vai é deixar muito jogador com medo de jogar essa bagaça, isso sim! hahaha

  • guto pesset

    Eu tenho esse jogo, é simplesmente aterrorizante. Se acham que Silent Hill da medo, joguem esse jogo. Ele é pior.

    Dica: jogue as 2 da manha com som alto e com as luzes apagadas. É uma otima combinação!

  • Krash Destrutor

    Qual plataforma?

    • guto pesset

      Jogo no PS3. Não sei se tem para outras plataformas.

      • É exclusivo do PS3.

        • guto pesset

          Valeu! Tenho a bagaça e nem sabia disso..hehe

  • zio

    Eu, definitivamente, preciso de um PS3. Ja adorava jogar fatal frame 2 nas madrugadas, esse daí ia cair como uma luva!!!

  • zedopovo

    Foda essa porquera de ps3, podia sair pra PC esses trem! Se teve um jogo que me deu medo foi Clock Tower pra SNES, num tem Silent Hill nem derivados pra mim que batem essa velha obra. Joguinho tenso viu, nunca pensei que um jogo 2D pudesse me deixar tenso. 

  • Bem que podia sair pra Xbox, também. Fiquei impressionado com o que li aqui, e também com uns vídeos que assisti no Youtube.

  • Werlang

    sei nao. vi um gameplay video no youtube, e achei graficos e som muito bons. mas me pareceu mais “matar zumbis” do que sobreviver a eles.

    • Sua impressão não poderia estar mais errada.

  • Alexandre h

    Esse parece bem assustador. Diferente de Resident Evil, onde ao aparecer um zumbi basta dar um tiro na cabeça dele.

    _____________________________________________

    Max Payne terminado. Pena ser meio… curto.

  • Dori, este foi um review digno de uma grande revista de games.

    • Poxa, valeu pelo elogio, me sinto honrado.

  • Existe um filme (Japonês) The Siren, alguém sabe se é sobre esse jogo ou se sobre o primeiro ?

    Sabem dizer se é bom ou ao menos razoável ? Sou fã de filmes te terror orientais, mas as adaptações deles para os games de horror costumam a ser tão sofríveis quanto as americanas.

  • hyperfreak

    Eu tenho o primeiro Siren, pra PS2, e é um dos jogos mais difíceis que já ví. Não cheguei a jogar o segundo e nem esse, mas se forem como o primeiro, é tensão garantida do início ao fim.

    Jogo excelente, mas para poucos. Do tipo ame ou odeie.

  • Chunli

    Engraçado, Dori, eu joguei esse jogo recentemente, e ele não me empolgou nada. Os zumbis que agem como pessoas com problemas mentais e emitem sons agudos, pra lá de irritantes, não conseguem me assustar, só conseguem irritar…

    Eles não dão aquele gelo na espinha por encontrá-los, você não tem a tensão, a surpresa de vê-los… Você SABE que eles estão lá, e que depois que derrubá-los, eles levantam. Boring.

    Pra mim, o terror psicológico de Silent Hill, onde você tem medo de dobrar a próxima esquina, continua imbatível.

    Sem contar que, no fim, o jogo fica ridiculamente psicodélico, perde todo o sentido e a razão… Nossa, se o terror do jogo já não me empolgou, o final terminou de esculhambar tudo…

    Ao AlbertoMyra: Então, não sei em qual jogo o filme Siren foi baseado, pois só joguei esse do PS3, mas com certeza o filme é um milhão de vezes melhor que o jogo…Tipo, ele sim te deixa com medo, eu tomei vários sustos, e o final é excelente… Aqueles que fazem você ter que pensar em tudo o que viu no filme…

    Não é aquele “noooooooossa, que filme foda”, mas valeu a pena assistir.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Walmart, Cupom de desconto Ricardo Eletro, Cupom de desconto Extra, Cupom de desconto Martins Fontes Paulista, Cupom de desconto Empório da Cerveja