OMS poderá considerar vício em videogames como distúrbio

videogame-addiction

Você provavelmente já disse que estava viciado num jogo ou já foi acusado por algum parente de não conseguir largar os games. Porém, mesmo muitas vezes isso não passando de uma força de expressão, este é um problema realmente sério, que afeta muitas pessoas ao redor do planeta e percebendo o risco que ele pode causar, a Organização Mundial da Saúde anunciou que deverá incluir o “Transtorno de Jogos” na sua lista de classificação de doenças.

Após monitorar o comportamento de jogadores por uma década, a entidade chegou à conclusão de que é possível alguns jogos causarem problemas mentais em pessoas que os consomem excessivamente. Veja um trecho da descrição feita pela OMS.

Distúrbios devido a comportamentos viciantes são reconhecidos e síndromes clinicamente significativas associadas a angústia ou interferência com funções pessoais que se desenvolvem como resultado de comportamentos repetidamente recompensadores, além do uso de substâncias produtoras de dependência. Distúrbios devido a comportamentos viciantes incluem distúrbios de apostas e distúrbios de jogos, o que pode envolver comportamentos tanto online quanto offline.

Segundo o documento, o problema estaria a partir do momento em que os jogos começam a influenciar a vida das pessoas, fazendo com que abandonem outras atividades e não percebam os efeitos negativos que eles tem causado em suas vidas, prejudicando áreas como educação, trabalho e família. Ele afirma ainda que este comportamento costuma se tornar mais evidente após um período de 12 meses, quando um diagnóstico pode ser feito.

No entanto, por ainda não se tratar de uma versão definitiva da lista, é preciso que as pessoas tenham cautela antes de taxar os games como causadores de distúrbios mentais. Mesmo porque, para alguns profissionais não é correto comparar os jogos eletrônicos ao uso de drogas, com o prazer encontrado nos games sendo mais parecido com aquele que temos ao comer chocolate ou fazer sexo. Além disso, o problema não estaria exatamente nos jogos, mas na tendência de alguns indivíduos em não conseguirem se controlar.

De qualquer forma, o assunto é muito interessante e acredito que os estudos em torno dele devam continuar. Vez ou outra ficamos sabendo de histórias de pessoas que gastaram quantidades absurdas de dinheiro com microtransações em diversos títulos e até algumas que chegaram a perder a vida após longas maratonas de jogatina. Casos assim tornam claro o poder viciante dos games, mas se não fosse por eles, será que tais pessoas não teriam o mesmo destino, só que em outra atividade?

Fonte: Popular Science.

Relacionados: , , , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • Essa verificação para acessar o site é chata demais. Qual o motivo da necessidade de ficar fazendo esse captcha para acessar o site?

  • EmuManíaco

    “Segundo o documento, o problema estaria a partir do momento em que os jogos começam a influenciar a vida das pessoas, fazendo com que abandonem outras atividades e não percebam os efeitos negativos que eles tem causado em suas vidas, prejudicando áreas como educação, trabalho e família. ” Resumo : Pra OMS qualquer pessoa que tenha games como sua diversão principal e não suporte o que a maioria tem como parão de vida comum é doente. Se vc não engravidou a primeira rapariga que pegou, não curte ficar gritando lula2k18/bolsomito e faz qualquer tipo planejamento tu ta ferrado.

    • Bot

      Talvez a intenção do texto tenha a ver com faltar o trabalho ou não estudar pra prova por causa de jogos, algo que realmente causa prejuízo a longo prazo

      • EmuManíaco

        As pessoas faltam trabalho/estudo pelo que lhe dá prazer. coisa mais normal do mundo.

        • Ivan

          Um dia ou outro até que vai, mas abandonar já é outro nivel.

          • EmuManíaco

            se ela consegue viver assim quem sou eu pra criticar.

          • Ivan

            se ele abandona o trabalho e faculdade pra morar na rua e se drogar quem sou eu pra criticar né?

          • EmuManíaco

            Cara a comparação é totalmente descabida.

          • Ivan

            Não vejo a diferença entre uma pessoa abandonar tudo pra ficar jogando ou pra se drogar.

          • Heisenbeck

            Mas seu corpo “vê”…

          • Ivan

            claro que droga vai ser bem mais prejudicial ao corpo, mas não deixa de ser vicio, e alguns até morrem de tanto jogar.

          • Heisenbeck

            Sim, assim como morrem praticando esportes.

    • Ivan

      Deixar de ir pra faculdade, deixar de sair com amigos, deixar de trabalhar pra jogar é sim um vicio.

      • EmuManíaco

        Com os jogos online hoje você passa mais tempo com seus amigos que passaria sem eles. Deixar de trabalhar pra qualquer coisa é vício.

        • Ivan

          Não quando seus amigos não jogam e querem sair pra conversar pessoalmente, fazer um churrasco e por ai vai.

          • EmuManíaco

            E se a pessoa não gosta desse tipo de eventos?

          • Ivan

            E se a pessoa fazia isso antes de começar a jogar e parou depois?

          • EmuManíaco

            As pessoas mudam de gostos durante sua fase da vida. Quando tinha 14 anos curtia claudinho e buchecha, quando tinha 18 sepultura e hoje tenho repulsa a ambos.

          • Ivan

            estranho uma pessoa mudar de gosto em poucos meses assim, mas se vc acha que pode blz.

        • Bnk

          tem os viciados em comentários tbm…

    • Existem casos de pessoas que morreram “por causa” de jogo, então não é nada absurdo imaginar que sim, jogos podem ser viciantes para algumas pessoas.

      • EmuManíaco

        mmo na china. nao e algo frequente

        • Até Halo já “matou”. Além disso, não é porque morre pouco que não pode causar vício.

  • Douglas

    Eu jogava muito Ultima Online, mas precisava estar na faculdade e trabalhar, por isso ensinei o jogo para meu irmão adolescente ainda, ele jogava de de um jeito que quando eu ligava pra casa e perguntava o que ele tava fazendo, ele não dizia que estava jogando Ultima Online, ele falava a atividade dentro do jogo, tipo “TO MINERANDO” “TO SAINDO DE TRINSIC” e etc. Mas… reitero que jogos não viciam, apenas são bons passatempos para pessoas obstinadas

    • Heisenbeck

      Caramba, tive um deja vu hahahaha fiz o mesmo com meu irmão mais novo e o moleque começou a viver dentro do UO…

  • Christian Oliveira

    Acredito mais na predisposição que todos temos para ter vícios. O que determina se a pessoa irá ou não continuar viciada são fatores como “Socialmente aceito”, “Perda do controle sobre as próprias ações” e alguns outros fatores como “Rotina diária”. Pelo meu exemplo: tenho predisposição a vícios, sei muito bem que tenho que controlar o ímpeto, geralmente direciono isso para assuntos diversos e geralmente curiosidades, a última é fotografia.
    Acredito também que essa predisposição afeta a grande maioria das pessoas, não sabemos ou por ele não ser socialmente aceito e a pessoa esconde, ou ele fazer parte da rotina da pessoa como por exemplo trabalhar excessivamente.
    Se alguém quer focar essa predisposição eu até sugeriria jogos eletrônicos pois eles podem sim serem controlados e podem ainda ser um fonte de aprendizado.

  • Inquisidor

    eu jogo 1h de wow por dia tem 9 anos, acho deboa, mas tem nego que joga tipo 16h por dia, ai não é normal

    • Ivan

      Amigo meu era assim raid era sagrado, até deixava de sair com mulher pra jogar.

  • OverlordBR

    Qualquer coisa que te dá prazer é objeto de possível vício. pombo

    • Meganegão

      Qualquer coisa que as pessoas têm costume de fazer com frequência que eu não goste, classifico como vício.

  • Veduque

    É lógico que jogos viciam, só não enxerga quem quer defender o hobby ou não quer admitir o próprio vício. A proximidade com as drogas realmente é muito grande por causa do sistema de recompensas e fuga da realidade. Não sendo um vício químico – e ai se difere do vício em drogas-, é evidente que outros fatores contribuem para manter o vício, como dificuldade de relacionamento, não aceitação da realidade, frustração e etc. Se não houver lobby ou influência de ideologias de esquerda, é questão de tempo para entrar como doença.

  • Bnk

    Bom, indo nesse caminho poderiam fazer o mesmo para TV, Novelas (5h por dia é muito, além de nociso), Séries (maratonas toda a noite e findi).

    Pq se não colocar outras coisas idênticas teremos problemas do povo citado acima começar a incomodar quem curte video game. Vcs sabem as pessoas não leem as matérias, apenas seus memes e manchetes.

    Tem os viciados em comentários tbm… esses são muito nocivos

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples