Escritor diz que em 20 anos Twitter tornará as crianças analfabetas

20170822crowdbabble_trump-top-tweets_iq_332308211321425920

Nos primórdios da internet houve uma esperança de que teríamos uma Segunda Renascença da Palavra Escrita, algo digno de Gutemberg, onde todo mundo se comunicaria por texto, escreveria mais, leria mais. Talvez por ser esse poço de otimismo e fé na pessoa humana, eu acreditei nisso.

Hoje vemos gemidão do zapzap, memes, pessoas escrevendo barbaridades, miguchês e neutralização de gênero em idiomas que já têm gênero neutro, como “latinxs”.

Os otimistas dizem que a internet apenas expõe a burrice reinante, e se você acha que eu estou sendo preconceituoso e injusto, passe cinco minutos no Yahoo Respostas. Vai, eu espero.

Voltou? Ok, agora que concordamos que o QI médio na internet é menor do que a temperatura em Plutão, continuemos.

Howard Jacobson, escritor inglês da velha guarda, daqueles bem cabeça, super-premiados apontou para um problema sério: as redes sociais tipo Twitter estão mudando a forma como escrevemos E como consumimos a palavra escrita.

Antigamente era normal você devorar um livro de 500 páginas, hoje isso é quase um feito.

Teremos crianças que não vão saber ler, crianças que não vão querer ler. Eu não consigo mais ler como costumava. Minha concentração foi destruída por essa maldita tela. Eu não consigo mais. Eu quero espaço, quero páginas brancas, luz atrás da página.”

Ele está certo. Mesmo gente da antiga mudou seus hábitos, lemos menos textos longos. Artigos como os do MeioBit são exceção, a Grande Mídia às vezes publica artigos com um único parágrafo. Abrimos mão do estilo em nome da concisão, tudo tem que caber em 140 caracteres.

Com o consumo literário nos EUA caindo ao mesmo nível de 1982, onde só 43% da população leu pelo menos um livro no último ano, e a venda de ebooks basicamente estagnada, é um mau sinal pros trouxas que ganham a vida escrevendo, e um péssimo sinal para todo mundo, a médio prazo.

Detesto ser portador de más-notícias mas não dá pra se aprender tudo em tutorial do YouTube tocado em velocidade 1,25×. Enquanto não desenvolvermos equipamentos como os de Matrix, a única forma de assimilar de verdade conhecimento detalhado será através da leitura.

Claro, a geração criada no Snapchat e YouTube vai ter imensa dificuldade em entender isso, então se quer dar a seus filhos uma vantagem desleal em relação aos futuros concorrentes, leve-os a uma livraria regularmente.

Fonte: Independent.

Relacionados: , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Calvin Coisa Ruim

    Meus filhos leem bastante, talvez pelo meu exemplo. Vamos ver se funciona…

  • Edmilson Figueiredo

    Mentira! eu vi um video no youtube que rechaça essa crença…e owwnn ahwnnn uhnnnn (é assim o gemidão do zap zap?)

    • Rapaz, há 3 semanas eu tive que pesquisar no google para saber que raios de gemidão era esse.

      Isso que dá só ter 3 pessoas no seu whatsapp e não participar de grupos (não tenho paciência para isso… já tentei e não deu certo – estou esperando dar ano novo para eu sumir do último grupo que eu faço parte e que fico sempre arquivando)

      • Cocainum

        Somos dois. Também precisei pesquisar para saber do que diabos esse pessoal estava falando.

      • adriano marcos

        eu sempre tive uma total aversão a “redes sociais” e afins, relutei ao máximo a entrar em grupos do whats, (nunca gostei de passar o numero do meu celular para ninguém ) mas digo que é tudo uma questão de qual tipo de grupo voce entra.
        Um dos que participo com mais frequência tem regras rígidas com relação a postagens, coisas foras do tema etc, normalmente a informação e discussão fluem bem e com bastante conteúdo. Enfim, o problema não é a ferramenta, e sim quem e como a utilizam.

      • Edmilson Figueiredo

        mesma coisa eu! Eu nunca recebi esse treco, embora tenha ouvido uma vez pelo zapzap de um colega de trabalho. Eu sei q existem várias onomatopéias dele..rs

      • SignaPoenae

        Depois que passei por uma crise e tive que vender meu smarthophone há um ano atrás, vi que não precisava daquilo.

        Hoje estou liberto com um celular de 80 reais, sem saber o que é esse gemidão, grupos de família e toda a podridão dos grupos de amigos no zapzap

  • O maU elementaU

    Eu acho que sao ferramentas diferentes. O que muda é que criamos um deficit de atencao por ter tudo a mao, nos tornou mais imediatistas.

  • Kujou

    Confesso que tive que ir na Wiki para saber qual era a temperatura média de Plutão. Mas fica o questionamento, o Cardoso se referiu à temperatura em Kelvin ou Celsius?

    • Antonio

      Fahrenheit

  • Nosso futuro será igual o do filme Wall-E, livro será tão exótico que ao ver um, será a mesma surpresa dos milenials descobrindo o rádio e a TV aberta: “Que legal!”

    • millennials

      Rádio e TV aberta? For free? Mas que po*** é essa? É tipo um Spotify/Netflix fora da internet? Cara, explica melhor isso ai.

      • É isso aí jovem! Você não precisa mais pagar para ver TV ou ouvir música, é só ter um fio, uma esponja de aço, o aparelho e ir sintonizando como se fosse o rádio amador do vovô!

        • Petrus Augusto

          rádio amador do vovô!?
          O que é um ‘rádio amador’? Meu avô não tem nada disso, só umas velharias como um pedaço de plástico circular com um furo no meio. O velho pensa que dava para salvar dados ali.

          Velho idiota… Mal sabe usar o Snapchat e quer falar de tecnologia.

  • gfg

    O meio bit é exceção só nos artigos, porque nos comentários está(ou sempre foi, não sei) no mesmo nível.
    Em pelo menos 70% dos posts os comentários com mais upvotes são de imagens ou frases curtas e os de debate longos e calorosos tendem a ir ficando pro final.

    • Daniel

      Correndo risco de ser injusto, digo que pelo menos por aqui, na maioria das vezes os memes deixam uma mensagem bem clara, expressando algo como um ponto final ou risada e não a conversa inteira ser através de memes. Claro há exceções, mas no geral gasto mais tempo lendo os comentários que o artigo em si e arrisco dizer que várias vezes se complementam e acrescentam algo ao mesmo. E por pior que possa estar, ainda há vários debates sobre o tema, há alguns blog que sigo que ninguém nem comenta mais…

      • gfg

        Sim, plenamente de acordo.
        O que me mantém aqui é a moderação dos comentaristas(embora estejam deixando MUITO “flexível” nos últimos tempos). Há outros sites de tecnologia com muitos comentários, exemplo do adrenaline(que tinha comentários fantásticos também), mas depois que implementaram o disqus e toda a trupe antes banida voltou desceram pro nível de G1, Hoje raramente o acesso.

        • SignaPoenae

          Hoje entrei no adrenaline e te digo, aquilo está uma bosta. Alguém precisa dar a descarga lá.

          • gfg

            Então o correto é; Ainda tá uma bosta.

      • SignaPoenae

        Digo mais, quando os memes são usados aqui, você precisa ter algum conhecimento prévio para entender o que está se passando e o que o cara quis dizer com aquilo.

        Muita coisa que o pessoal posta qui eu fico boiando, vou pesquisar e vejo que tem um baita contexto atrás do meme, e não apenas uma foto do chapolin falando asneiras.

    • SomeReader

      true.

    • ochateador

      Fala isso para o sujeito aqui que perde umas 2h por dia de serviço lendo os comentários do meiobit pois eles são sempre complementares ou até melhores que a matéria.
      O truque é ler o artigo e comentar assim que ele for lançado e no dia seguinte voltar para conferir a conversa e participar dela.

  • cesar m

    E olha que se está falando em ler coisas prazeirosas que nem deveriam ser um “problema”, e o pior é que se está assim com a leitura recreativa imagine com a leitura didática, aquela que é pedreira. Por essa e por outras que aqui na banania com 1 ano de esforço e estudo de não mais que umas 2 h por dia o camarada deixa de entregar pizza e passa num concurso público mamão-com-açúcar, o problema é que ninguém quer ler nada com mais de 2 linhas preferindo entregar pizza e por a culpa na vida e nos outros.

  • Daniel

    De alguns anos para cá, tenho dificuldades em encontrar tutoriais escritos na rede… Antigamente era uma “sofrência” millennials entenderão encontrar vídeo tutoriais, até porque mesmo que encontrasse não havia meio de ver em menos de algumas horas a 56kbps, hoje em dia é a norma, e enquanto tem gente bacana que entende do riscado e sabem o que estão dizendo, tem umas barbaridades que até arrepia, principalmente tratando-se de ferramentas… Não é querendo ser preconceituoso (já sendo) nem dizendo que fazem por desleixo (já dizendo) mas quando você começa ver aquela serra mármore com disco de madeira e o sujeito segurando a madeira com os pés em chinelo havaianas, ou gente com uma bateria 240ah, utilizando para derreter eletrodos, cortando chapa de ferro com esmerilhadeira sem apoio embaixo, tentando utilizar livros como colete balístico… ok parei… eu também faço umas coisas feias de vez em quando que põem a paciência e benevolência de Darwin a prova… Mas as vezes chego até a desconfiar que ele é uma reencarnação de Jó.

    • Não se esqueça o maior mal de todos esses tipos de vídeo que você citou: a cola quente.

      Nunca vi essa mania de enfiar cola quente em lugares que PRECISAM ter pregos ou parafusos…

      • Daniel

        A cola quente eu acho bem tranquilo, geralmente é perdoável, pois a grande maioria do uso que vi dela foi em artesanato, e então não é algo que põe a própria vida ou a de pessoas próximas em risco. Mas concordo com você que não é uma solução elegante para quase nada. As pessoas deveriam descobrir a cola epoxi em quantidade industrial, não aquele roubo que a brascola cobra por algumas gramas, mas como muito artesanato é descartável, então usa-se o mais barato. Já eu, nem de prego gosto, em algumas aplicações parafusos, em madeira apenas madeira e cola, em metais solda branda ou forte, seja o que for sempre tem um jeito melhor de se fazer, não gosto da tríade araminho, prego e cola quente.

        • “[…] pois a grande maioria do uso que vi dela foi em artesanato, e então não é
          algo que põe a própria vida ou a de pessoas próximas em risco […]”

          Amigo, tu precisa andar mais pelo gueto do DIY…

          https://www.youtube.com/watch?v=7eyOCflzPdY

          • Só um adendo: eu tenho um kit com mini discos de serra. Para aquilo cortar precisa estar em uma RPM tão alta que se voar é capaz de deixar um cego… (por isso sempre estou com os meus óculos de proteção! 😀 )

          • Daniel

            Óculos de proteção já se tornou algo tão natural pra mim, que acho estranho estar sem para fazer qualquer coisa na oficina, afinal azar não tem hora… por ironia do destino, a alguns dias atrás eu questionava o tempo de uso dele sem nenhuma ocorrência, uns 20 minutos depois utilizando uma serra de bancada voou um pedaço de madeira de uns 5 cm acertando em cheio a lente…. se estivesse sem ele estaria usando um tapa-olho agora… =P

          • Cassio Eskelsen

            Mano do céu, doeu ver essa cola quente ali.

            Até nem precisaria de parafusos, mas deveria ser no mínimo cola de madeira + pressão por algumas horas.

          • Daniel

            Esse ai levou a cola quente a outro nível…. Tirando o disco feito a mão e a cola, para miniaturas o projeto é interessante…

    • Cocainum

      “De alguns anos para cá, tenho dificuldades em encontrar tutoriais escritos na rede…”

      A mais pura verdade. As vezes você não quer saber todo o processo. Você já sabe como fazer. Tem apenas um detalhe, no meio do processo, do qual você precisa de mais detalhes ou simplesmente não lembra mais e é obrigado a assistir o vídeo em vez de ir direto na resposta, se fosse um texto.

      Tem vídeos onde o cara ESCREVE no bloco de notas o processo!!

      • Doomed

        Isso irrita muito. Já cheguei ao nível de não encontrar a porra de UM ÚNICO TEXTO para coisas simples! É tudo na base de vídeos.

        Eu, sendo alguém sensato (espero), estou com um projeto de alguns vídeo-tutoriais mas sempre colocando um texto “anexo” ao vídeo descrevendo o mesmo processo de forma escrita, e isso por dois motivos correlatos:

        1 – SEO

        2 – Facilitar processo para quem quer informação específica

        • Inquisidor

          em ingles vc acham algumas coisas, mas no geral é tudo video, e é raro achar alguem que grave videos bons de assistir ou que não ficam de enrolação

      • Paulo Bernardi

        Eu simplesmente detesto ver vídeos. Não assisto. Se não tem um tutorial escrito, eu não acho na internet.

        Acho que é um reflexo de ser educado sem TV.

      • Don Scopel

        Também estou começando a perceber isso ultimamente, comecei a desenvolver em Xamarin e ao tentar buscar algumas respostas observei varios links para o YT, se pesquisar para tecnologia mais “antigas” não verá quase nenhum

    • ochateador

      Isso se o tutorial em vídeo se prestar a ensinar o que ele propõe.

    • SignaPoenae

      Amigo, quando tinha 15 anos, fui trabalhar em uma tapeçaria por incríveis 50 reais por SEMANA!
      Aprendi muita coisa que, posso ter perdido a mão para fazer, mas ainda sei como fazer. Uma delas é não cortar madeira com a serra tico-tico com a madeira apoiada na perna.

    • Dreadful

      Ficamos com uma geração que não aprendeu a se expressar por meio de palavras, muito menos de consumir palavras. Eles não conseguiriam escrever textos inteligíveis, mas fazem vídeos, mesmo que de conteúdo pobre, compreensíveis em sua maneira.

      O recurso que elas dominam é audiovisual, então é nisso que se arriscam.
      Eles tem o domínio, alcance, abrangência e recompensa utilizando esse formato, por que não?

      • Daniel

        Várias vezes me pego pensando se algo que “eu” considero melhor, realmente o é. E acho isso bem difícil, tive de envelhecer para conseguir ter esse ponto de vista sobre as coisas. E nesse caso realmente se aplica. Do ponto de vista deles, talvez não faça sentido ficar quieto lendo uma bíblia inteira, sendo que pode ver tudo em 10 minutos de vídeo… No máximo que poderíamos dizer é: cada ferramenta seu uso…

    • Luiz

      Aprende Ingles que resolve teu problema de achar materia escrito.

      • Daniel

        1- já existe bons tradutores on-line…
        2- Inglês é legal mas escrever e falar a língua nativa também é interessante se você for brasileiro.
        3- O G1 é logo ali…

  • Jean

    Não está fácil ter filho hoje em dia. Criança só quer saber de ficar em notebook/tablet. Você estipula horário e sempre é aquela disputa de quem manda mais, você ou ela. Eu não sou desses pai bunda mole, mas confesso que cansa ficar brigando. Quando eu era criança o pai mandava calar a boca e ir brincar, mas hoje não pode mandar calar a boca e a criança não pode brincar na rua. A gente leva em um parque, mas isso não é suficiente.
    Minha filha tem 5 anos, eu ensinei ela a ler, já que na escola não querem ensinar ainda. Ela já lê “mais ou menos”, entende o que lê, mas tem uma preguiça que não dá para explicar. Lê umas palavras e já está enjoada. Comprei gibi da Turma da Mônica, e ela me fala que o “videozinho” é melhor.
    Como ela ainda é muito nova eu não cobro muito, mas vai chegar uma hora que ela vai aprender a gostar de ler, nem que seja na marra.
    *desabafo*

    • Matheus

      Olha com todo respeito, sem querer falar como você deveria criar sua filha. Se força-la de uma forma persistente e até agressiva, não necessariamente violenta, pode surtir um efeito negativo na criança. Daí, vai associar de forma indevida a leitura, distanciando desse hábito prazeroso.
      Recomendo, como filho que foi cobrado pelos pais mas mesmo assim não lia, que encontre um tema em comum com a sua filha, e, leia com ela, mesmo que seja penoso e cansativo ficar insistindo e tentando, não faz com raiva ou má vontade.
      Eu só fui começar a ler livros quando encontrei um gênero que gostasse, nesse caso foi fantasia e ficção científica, mostre a sua filha outros tipos de videozinhos e fala pra ela olha aquele videozinho tava falando sobre isso que está nesse livro, vamos ler juntos?
      Sinceramente, não posso entender a dificuldade de criar um filho porque não sou pai ainda, mas nossa função como pais e incentivar o potencial dos nossos filhos, mesmo que não seja o que nos agrade, encontre o potencial da sua filha e os gostos delas, e tente encaminha-la para os livros.
      Como filho que teve pais mais liberais, que me deram a oportunidade de errar e sempre estiveram ao meu lado pra me orientar e apontar meus erros, desejo a você boa sorte e paciência na criação da sua filha.

      • Jean

        Sim sim, por isso até disse que não cobro muito ainda, mas vou cobrar futuramente porque acho que querer conhecimento “por fora” é extremamente importante, já que escola hoje não ensina, na minha opinião. Então se não gostar de ler, de ser curiosos e querer aprender, se ficar só no conteúdo da escola, tá na merda, vai ficar igual esses guris mocorongos de hj em dia, ama lacrar mas não sabe resolver um problema simples de matemática.

        • Hugo Vinícius

          Eu sou professor de Ciência da Computação e posso relatar dois casos que eu presenciei: um aluno teve a cara de pau de falar que não estudava pelo livro, só por apostilas, slides etc. O outro aluno disse para outro professor que “não sabia que precisava estudar para passar”. Resultado: em uma turma de 28 alunos, na média sete passaram nas disciplinas. Na outra turma (de 10 alunos), só quatro passaram.

          E o foda é que existem alunos que têm algum interesse, mas não estudam para a prova. É complicado.

    • Cocainum

      Meu filho tem 16 e eu já passei do ponto de perder tempo com briga por horário. Eu simplesmente automatizei tudo. O PC dele tem senha no setup e tem tarefas agendadas para desligar à noite nos horários estabelecidos. Na sala eu tenho um timer que desliga os aparelhos (incluindo o roteador) nos horários que eu determinei. No Xbox One eu uso o recurso de tempo de tela que a Microsoft disponibiliza.

      Gostaria de deixar uma mensagem otimista, mas não vou enganá-lo: na adolescência, só piora.

      • Luiz Claudio Eudes Corrêa

        Bloqueia acesso a Internet no roteador de acordo com o horário

        • Cocainum

          É o que eu faço com o timer da sala. Ele desliga tudo (TV, HTPC, Console, VivoTV, etc), incluindo o roteador. Assim não preciso bloquear no roteador e ainda economizo um pouco na energia. Todos esses aparelhos, mesmo em stand by consomem 70W e não precisam ficar ligados de madrugada.

      • EmuManíaco

        Se eu fosse seu filho tirava o bloqueio e te bloqueava. Hahaha bons tempos.

      • Monstro Medieval

        Alguns países aí gostariam de sua assessoria para o ministério das (não) comunicações.

        • Cocainum

          Se esses países tivessem um filho que precisa ir para a aula de manhã cedo, provavelmente me dariam razão.

          • Monstro Medieval

            Nem falo em dar razão ou não, falo da sua expertise em controlar os acessos rsrsrs.

          • Cocainum

            Eu controlo só os horários. Não existe bloqueio de sites. O que eu não deixo é o usuário dele ou da minha esposa como administradores. O único administrador aqui de casa sou eu. O inconveniente de precisar colocar a minha senha de vez em quando não é nada perto do transtorno que seria ter a minha rede cheia de vírus. Alias, nem lembro da última vez que tive algum tipo de problema desses por aqui.

          • Sophos Nsm

            se me permite a interferencia coloque o computador em local publico da casa e não dentro do quarto dele.

          • Cocainum

            Eu não bloqueio, o que é diferente de dizer que eu não monitore… 😉

      • Jean

        Perfeito. Por enquanto ela me obedece, só fica retrucando, o que me faz o sangue ferver hehe
        Mas o pc já está cheio de restrições, e quando eu mando sair ela sai ( discuindo, mas sai ) a sua ideia do timer é execelente. Eu tenho um desses jogado por aqui, vou fazer algo parecido.
        Fico puto que só tem 5 anos, projeto de gente querendo argumentar com pai. Fico pensando na adolescência.

      • Marcelo Santos

        É triste mesmo. O meu tem 7 anos e não é só a leitura e escrita o problema. A bola e a bicicleta no quintal estão sem uso, as vezes peço ajuda para alguma atividade de conserto e ele não fica nem 30 segundos olhando.

      • E quanto ao 3/4G do smartphone/tablet dele?

        • Cocainum

          Pré-pago. Só coloco o mínimo de créditos. Dura pouco tempo.

          • Sophos Nsm

            e o wi-fi da casa?esse é o grande problema pra mim.

          • Cocainum

            Quando o timer da sala desliga o roteador, o wifi morre.

      • ochateador

        Meu pai comigo era e é pior.
        “Desliga essa bo**a agora e vai fazer tal coisa”. Se for na hora beleza, se não for toma porrada. E se não fizer ele só apresenta a conta de energia elétrica e água e manda pagar elas (e dá uns 500 reais por mês, e já teve vez que paguei 2x a conta do mês (minha irmã sei que pagou mais vezes) ) ou é expulso de casa.

        Nem preciso dizer que apesar de algumas brigas eu não sou retardado de abusar da boa vontade.

        • Cocainum

          Cara! Eu não me vejo assim tão “ditatorial”. Eu faço os horários serem cumpridos senão ele vara a madrugada jogando e dorme na sala de aula. Ele tem tarefas a serem cumpridas e eu enfatizo que as obrigações devem vir antes da diversão. Mas depois de fazer o que precisa ser feito e ficando dentro do horário de dormir (23:00h nos dias úteis), ele tem toda a liberdade para jogar, ver TV, acessar a internet e tudo o mais.

          • Sophos Nsm

            a verdade é que vc está certo

          • ochateador

            Meu pai é ignorante em tecnologia. Ele comprou um moto g5 esse mês e conseguiu a proeza de instalar 10 guias de uso do whatsapp e não instalou o próprio whatsapp… aí veio pedir ajuda.
            Então esse é o jeito dele de resolver as coisas (na parte de tecnologia, porque de resto ele consegue resolver).

      • OverlordBR

        Este é um pai que usa a tecnologia a seu favor… parabéns!

      • Sophos Nsm

        no meiobit só tem veio hauahuaua

        • Julio da Gaita ✔

          opa mais respeito ae meu jovem, no máximo “jovens senhores”…rs

      • Don Scopel

        Eu nunca pensei q alguém com o nick “Cocainum” seria um pai tão responsável
        E a reação do seu filho? ele aceita de boa? E sua esposa? Também aceita de boa?

        • Cocainum

          Minha esposa apoia. Meu filho não morre de amores pela ideia, o que é perfeitamente compreensível, hehehe.

          Meu nick é uma referência a uma cena do filme “Inferno Vermelho”:

          https://www.youtube.com/watch?v=z89Uv1Gl6Z0

    • Nilton Pedrett Neto

      Se vc está brigando com seus filhos por isto, fizestes alguma coisa errada no passado. Tenho um filho de 5 anos e ele tem acesso a telas desde que nasceu. É a coisa mais rara eu precisar brigar com ele para desligar algum dispositivo. E troca QQ pokémon por uma atividade externa ou a leitura a dois de um livro de história (ama Egito antigo [que conheceu achando sozinho documentários no Youtube]) . Sei que minha situação é privilegiada pois escolhi trabalhar menos para poder efetivamente com ele, mas é uma questão de escolha: não tenha um iPhone 8 e não precise trabalhar o tanto que vc precisaria pra ter um iPhone 8, invista esse tempo na familia. Repita para cada micro gasto inútil que a classe média acha que precisa ter.

    • Vinícius Santos

      segue firme aí colega, não abre mão. Se no futuro ela seguir pelo caminho preguiçoso, não vai ser por falta de estímulo do pai, e sim por escolha própria, que ela vai ter que arcar. Claro que você enquanto pai vai querer sempre ver o melhor pra ela, mas filho a gente cria pra que vivam suas vidas…

    • Xultz

      Legal teu testemunho. Tenho uma filha de 1 ano e meio, e por enquanto, ela ama ler os livrinhos dela. Quando bolei o quarto dela, numa das paredes eu fiz uns nichos especificamente prá colocar livros, que já tem bastante coisa. Ela adora retirar um por um e espalhar no chão, folhear, pedir prá eu e minha esposa ler com ela, faz uma bagunça, mas tá valendo. O que mais desejo é que ela mantenha esse gosto por bastante tempo.
      A parte mais difícil é que antes dela nascer eu pensava “Galinha Pintadinha, nem pensar!” e hoje volta e meia a gente põe esse maldito desenho no Youtube do celular prá ter 5 minutos de sossego e poder jantar. E isso que ela ainda não chegou nos “temíveis” 2 anos, que todo mundo diz que é um pesadelo.
      É bem fácil ser um pai e educador na teoria. Na prática… só passando pela experiência mesmo.

    • gfg

      É só usar a psicologia infantil.
      https://www.youtube.com/watch?v=Yyht9oCI6Bs

    • Jack Silsan

      Eu tenho uma filha de 5 anos também, e pela mesma razão que você apontou, estou ensinando o que posso pra ela, inclusive inglês. Não sei se é pra ficar tão alarmado assim, igual o @cardoso:disqus apontou. Escrevi sobre tema semelhante recentemente, inclusive https://twitter.com/Jacksilsan/status/855826500997828610.
      Procuro ensinar meio que na brincadeira, mas pego pesado sempre que necessário. Não é uma regra 100% vigente, mas os filhos tendem a imitar os pais. Eu leio muito, e minha filha me fazendo isso. Aparentemente ela tende a replicar o comportamento, já que ela é a única criança que eu conheço que brinca de ler (literalmente, ela pega papeis e finge que está lendo algo).
      Pela minha curta experiência, o importante é não terceirizar o que for possível, e responder tudo o que a criança perguntar sempre de forma a ensinar algo novo. O cérebro precisa ser cutucado pra trabalhar, feito brasa pra gerar a chama.

    • Unfear

      Eu acho isso tudo um exagero, eu aos 5 anos estava no Jardim, ensinavam jardinagem, misturar tintas, fazer colagens, aprendia sobre os planetas, plantas e animais, os sons que cada material fazia e montava algumas coisa com lego, professora tinha um livro sobre a enciclopédia do mar era muito legal e ajudou muito a estimular minha criatividade.

      Meu filho está no primeiro ano agora e no pré quando tinha 4~5 anos, aulas muito focadas no alfabeto e números, para que? para o resto de sua vida cair num sistema de ensino de merda? o que vai estimular seu filho ler é a curiosidade, vai ser o desejo de obter respostas e não a opressão, sempre odiamos o que nossos pais nós obrigava a fazer na marra, semana passada lemos volta ao mundo em 80 dias por que ele ficou curioso na biblioteca sobre o balão, então aproveitei a oportunidade, você tem que buscar as brechas, jogo Minecraft com ele e volte e meio tento plantar a curiosidade nele para depois pegar um livro, algumas vezes da certo.

      • Jean

        Eu também as vezes acho que exagero, mas eu não quero ter filho burro.
        Ler com ela eu tento, eu leio bastante e ela vê, mas ainda não surgiu a vontade nela de ler. É mais atrativo para ela ficar vendo vídeos infantis no YT.
        Vamos ver futuramente. Pegar umas dicas que postaram aqui e bola pra frente.
        Há, sobre escola, quando ela estava na escola pública, fui uma vez em uma reunião e vi a professora do 1 ano ensinando os alunos as cores. Isso, cores, no primeiro ano. Minha filha aprendeu a falar e eu já ensinava isso para ela, e na escola ensinavam isso para a turma com 6 ou 7 anos. Aí não dá.

      • Dreadful

        Júlio Verne apaixona qualquer um!

    • ochateador

      Só desligar o wifi ou trancar o carregador no armário.

    • Pai De Santo

      Véio, cumbaiá pra vc.

      Tô na mesma. Filhota de 4 anos q só quer Discovery Kids.

      Tirei o tablet já, pq senão era só a pequena assistindo a vida de outras crianças.

      Aí mando ela brincar e ela fala que não tá afim.

      Carai, minha mãe mandava eu ensaiar meu violino com 4 anos. Kkkk. Família de Suíços, barra é pesada. Nada de moleza. Com 13 anos fazia 5 dias de aula de inglês por semana.

      Essa geração nova tá foda.

    • Sophos Nsm

      de um kindle de presente, melhor presente de todos.

      • Inquisidor

        ainn, essi tableti num funciona, num tem iutubi,kkkkk

        • Sophos Nsm

          ahhahahah pra mim isso é uma vantagem. na verdade eu tenho um tablet gigante, só que ele começou a me dar dor de cabeça e nos olhos enquanto eu lia ai resolvi voltar ao e-paper

    • Dreadful

      Crianças aprendem o que tem em convívio.
      Se não tem ninguém que fique sentado lendo por horas e a exponha a esse prazer o gosto pela leitura dificilmente vai se desenvolver.
      O que ajuda muito é alguém ler para ela ouvir.
      É um treino mental ficar parado prestando atenção e imaginando coisas que vão sendo ditas/lidas, isso não brota, simplesmente.
      Se você obrigar a criança, pode ter certeza, ela vai correr para qualquer outro lado.

    • Inquisidor

      eu medito 1 vez por semana, e durante a meditação , vem varais vezes esse pensamento de que “está na hora de formar família, está na hora de por um catarrento com minha genética lixo no mundo”, mas é só começar a rodar umas simulações no meu cerebro limitado que a vontade já passa rapidão, congratulo vocês que tiveram fillhos, mas para mim é inviável , não tem um cenário em que ” de boa”, isso levando em conta que o casamento vai durar e não virar um inferno ou uma pensão violenta.
      se eu morasse num canada ou outro pais de primeiro mundo minha cabeça seria diferente, mas aqui no bananal, vish.

      • Hugo Vinícius

        Justamente o que eu penso. Nem eu nem minha noiva temos coragem de criar um filho aqui. Dependendo da idade e eu ainda aqui no Brasil, vou cair na faca mesmo.

  • Cocainum

    Eu vou um pouco mais longe: telas pequenas estimulam a leitura resumida.

    Usar um tablet e principalmente um smartphone faz com que a pessoa se acostume a ler as manchetes e, talvez, os lides das matérias. O corpo do artigo? Pfff! Uma minoria lê. Já nas telas maiores, em desktops e notebooks, o fato de poder ler tudo sem precisar dar zoom, sem precisar dar muito scroll vertical (e nenhum horizontal), o fato de ser mais fácil ter inúmeras abas abertas e alternar entre elas, facilita uma leitura mais profunda das páginas.

    Pelo menos é o que eu acho, baseado em minha experiência pessoal: eu leio mais quando estou no notebook do que quando no celular. Eu adoraria se houvesse uma pesquisa que pudesse confirmar (ou refutar) essa teoria.

    • Arthur Resende

      olha, bom argumento.

    • Carlos Marin

      Realmente, agora que você falou realmente faz sentido. Salvo muitas páginas no favorito do chrome no celular para depois ler no PC.

    • Manoel Jorge Ribeiro Neto

      A melhor mídia para leitura profunda ainda é o bom e velho papel. Mas, como estamos falando de mídias digitais, a minha opinião é a seguinte:

      1) e-reader: opção mais semelhante ao papel
      2) tablet: favorece a leitura de textos de forma contínua, sem dispersão em várias abas
      3) desktop e notebook: para mim, não é tão bom para leitura profunda como em um tablet, justamente por causa das várias abas
      4) celular: péssimo para leitura, serve só para textos curtos mesmo

      A minha opinião diferiu da sua entre desktop e tablet, mas eu mesmo prefiro ler textos longos no tablet, pois fico mais confortável e as várias abas abertas no desktop favorece a dispersão. Isso é minha opinião, claro.

      • Ariadna Grande

        Legal, pra mim o celular não é um problema, e o meu é bem pequeno. Mas tenho muitos problemas lendo no computador mesmo.

      • Luiz

        3 tu resolve apertando F11 no desktop.

      • Daniel

        Eu já pensei em pegar um bom tablet para experimentar isso, para livros eu utilizo um e-reader, agora para outras coisas ainda prefiro o desktop, notebook no meu caso não é ergonômico como desktop na mesa, e nem prático como um tablet para usar no sofá por exemplo… Celular, para leitura concordo com o @Cocainum só se não estiver em casa. O duro dos tablets é que é um valor alto, para algo muito específico, neste caso até o e-reader (no segmento dele) tem um custo benefício maior. Você utiliza o tablet para alguma outra coisa? Porque no meu caso, se for vídeos e não for no pc, eu assisto na tv pelo youtube. Admiro quem consegue assistir no celular… as poucas experiências que fiz com filmes nele foi quando estava sem energia aqui…

  • Tejobr

    Então a crítica ao textão é uma ironia?

    • gfg

      Não é SÓ ler, o QUE ler eu diria que é muito mais importante.

  • Gustavo Luizon

    Quando eu tinha 14 ‘perdia’ meu tempo nas revistas de eletrônica e enciclopédias, hoje toda vez que esbarro em alguém com 14 e ele abre a boca morre um panda dentro de mim.

    • Paulo Bernardi

      Eu lembro de ter pedido um livro de DELPHI no meu aniversário de 14 anos.

      Nunca usei realmente, mas isso não vem ao caso.

      • Cocainum

        Meu filho pediu “A Origem das Espécies”, de Darwin. Nem tudo está perdido.

        • SignaPoenae

          Já eu comprei a edição de luxo do Pequeno Príncipe para minha sobrinha, e o livro deve estar servindo de encosto de porta ou algo parecido.

          • Daniel

            Me fez lembrar do primeiro e-reader que tive, um kindle 2 ou 3 geração que comprei usado, depois de usar por um tempo doei pra minha irmã, pois ela dizia que baixaria os livros da faculdade pra ler nele… até hoje vejo ele aqui e acolá na casa da minha mãe, o dia que ver ligado na mão de alguém vou até filmar, evento assim não acontece todo ano.

  • Hemeterio

    Sou meio que uma Polyanna da vida, entao vi esse texto como uma boa noticia. Decuma hora pra outra, eu, um arqueo coroa (que em Fortaleza tinha lá minha biblioteca de uns 900 livros), fiquei superqualificado pro futuro. Chupa jovens teentards.

    • SomeReader

      Eu pensei isto tb. Mas não tive coragem de confessar este pensamento a mim mesmo.

  • José Carvalho

    Sem tecer longos comentários. Palmas, Cardoso! Obrigado pelo MeioBit e Contraditorium.

  • Arthur Resende

    Muito bom, Cardoso, ainda que eu concorde em partes.
    Acho que a geração de hoje lê menos sim, mas acho que isso pode vir mais dos pais.
    Minha mãe é professora e me criou sozinha. Como não tínhamos ninguém para as tarefas dométicas, minha mãe me colocava para assistir tv enquanto limpava a casa, então sempre fui ligado à tv. Mas ao mesmo tempo, eu sempre tive muitos livros, e enquanto minha mãe tomava banho, ela me levava para o banheiro e pedia para eu ler os livros pra ela (ela mesma não gosta muito de ler). Já mais velho eu pecebi que gostava de ler, então esse estímulo externo à leitura não era mais necessário.
    Acho que os pais devem mostrar as opções aos filhos, mesmo que não gostem das mesmas (filmes versus livro, por exemplo), e deixe que eles escolham, e não vejo isso acontecendo, vejo apenas pais que não oferecem livros para os filhos pq eles mesmos não têm.
    [EXEMPLO PESSOAL, SEI MUITO BEM QUE NÃO VALE PRA TODO MUNDO, OBRIGADO]

    • ElGloriosoRangerRojo™

      É a questão do exemplo. Não é regra geral, mas em grande parte dos casos as crianças tomam gosto por coisas que os pais gostam de fazer também.

      Se os pais tem paciência de sentar e ler com a criança, invariavelmente ela vai atribuir esse “ritual” a coisas boas. Afinal, qual é a criança que não gosta de fazer alguma atividade junto com os pais?

      É mesma coisa com comida saudável. Que criança vai se esforçar pra comer brócolis, se os próprios pais fazem cara feia pra comer um prato de salada? Como que uma criança vai gostar de exercícios, se tem os pais balofos que mal aguentam subir a escada pra entrar em casa?

  • Monstro Medieval

    Acho que quem disse isso foi Ray Bradbury em “Fahrenheit 451”. Na verdade foi isso que me chamou atenção na história, não o fato dos bombeiros serem responsáveis por queimarem livros mas porque estes foram proibidos porque as pessoas liam cada vez menos e estavam incomodadas com os que liam. Eu vi exatamente isso quando li, gerações que mal conseguem encadear dois tweets, que só se interessam e se comunicam por uma foto do Chapolin com uma frase dividida por cima. Quando tinha blog eu nem me animava em escrever textos longos por isso, sabia que ninguém lia mesmo (ok, eles não eram grande coisa), de certa forma o pessoal que escreve textão no Facebook ainda tem coragem.

    Odeio conteúdo em vídeo, prefiro o texto que leio no meu tempo e não preciso aturar o apresentador enchendo linguiça e implorando likes. Só consigo assistir a alguns canais com vídeos curtos.

    • Petrus Augusto

      “Fahrenheit 451”

      Exatamente o que eu vejo! O que eu já falei inúmeras vezes.
      Estamos misturando ‘Fahrenheit’ (as pessoas não lêem, são meias antipáticas com quem lê, e odeiam quem aparente ser mais inteligente/desenvolto que elas próprias) com ‘Admirável Mundo Novo’ e uma pitada de ‘1984’.

      PS: A sim, eu também ODEIO “vídeo tutoriais”. Prefiro texto. Sempre texto. Vídeo só se eu não achar de modo algum e eu estiver de fato precisando de tal info. Caso contrário, não vejo. Não tenho saco.

      • gfg

        Esqueceu do mais importante, Idiocracy.

    • Daniel

      Nossa, tinha esquecido dessa parte, quando preciso ver algo no youtube, geralmente acabo pulando 40seg 1 min quando o cara começa a mendigar likes…. ultimamente além dos vídeos durarem 4~6 minutos 2~3 deles é pedindo inscrição e likes…

  • SomeReader

    20 anos? Que visão otimista! Achei que já estávamos assim atualmente.

    • Felipe Braz

      No meu primeiro emprego formal, o gerente do setor dizia que gostava de mim como profissional pois eu sabia me expressar por escrito. Ele falava isso e eu achava exagero, pois, sei lá, me parece algo tão natural.
      Detalhe que nunca tive o habito de ler livros, mas me criei lendo gibis (turma da monica, tínhamos assinatura inclusive) e HQs sempre que possível.

      • Reinaldo Matos

        Rapaz… Arrisco a dizer que esse tipo de profissional que sabe se expressar por escrito, tem se valorizado bastante.
        Também já recebi algumas vezes esse retorno de meus superiores quando passei para equipe de analistas de sistemas, onde passei a ter que escrever atas, documentações técnicas, diagramas, conversar diretamente via , etc. Assim como você, também achei exagero em um primeiro momento, porém, quando peguei uns projetos que estavam pela metade, e comecei a ler o que já estava “feito”, era um show de horrores, o esforço para entender era grande.
        Eu meio que fiquei com isso na cabeça, pois tratavam-se de profissionais que já tinham bem mais vivência na parte de análise do que eu. Então, dei uma parada e comecei a olhar para o passado, e eu creditaria esse diferencial a dois fatores:

        1. Leitura, comecei com gibis da Disney, passando para os gibis Marvel/DC, para então passar para os livros de verdade. Minha emoção ao concluir meu primeiro livro (Drácula de Bram Stoker) era indescritível.

        2. Conversar e Ouvir, afinal, antes de eu ir para a análise propriamente dita, eu fazia atendimento de chamados N1, N2 e N3. Tive muito que telefonar, perguntar, ouvir, entender como o usuário pensava para poder reproduzir os passos, com isso, eu sabia de que forma que deveria escrever determinado assunto para que a compreensão deles seja a melhor e menos penosa possível.

      • gfg

        Já morei com um amigo que o patrão teve que dar a ele um caderno de caligrafia, 2 pra ser mais exato.

        • Felipe Braz

          Eu também preciso de um, minha letra é horrível! Ainda bem que trabalho com TI e posso usar o teclado 😛

      • SignaPoenae

        Aqui onde trabalho, sempre me chamam de inteligente, mas pra mim, não sou inteligente coisa nenhuma, apenas tento não ser burro.

        E o pessoal acha que o burro sou eu, que ao invés de dormir no horário de almoço, fico lendo um livro.

      • Tesento Avara

        Somos dois, então. Nunca tive hábito de ler livros. Não conheço os “clássicos da literatura”. Mas quando criança devorava vários e vários gibis, além de pequenos livros infantis. Atualmente leio bastante material da internet (artigos, matérias, etc.), bastante material que necessito para meu trabalho (area de tecnologia), além, claro, de ter lido bastante coisa na época do curso técnico, depois na faculdade e mais recentemente na pós. Aprendi muita coisa no trabalho, no dia a dia, convivendo com pessoas mais experientes ou com formação em outras areas. Enfim, eu discordo que o único meio de aprendizado sejam os livros. Para mim, a tecnologia é uma baita aliada, mas concordo que pode induzir um preguiçoso a atingir níveis quase de hibernação mental. Por exemplo, meu hobby é carro antigo, e gosto de fazer manutenções básicas em veículos. Para isso já encontrei vários vídeos muito bons no YouTube ensinando várias coisas.
        Acredito que o indivíduo que tem tendência a gostar de vídeos de gente se embebendo em nuttela numa banheira, se não tivesse acesso a esse tipo de conteúdo iria procurar por porcarias aleatórias em qualquer tipo de meio de comunicação e (des)informação.

      • Luiz

        E quanto o problema de escrever é teu chefe e tu precisa escrever o que ele fala.

    • Pensador Louco

      Basta ler a redação dos comentários na play store do Google para confirmar…

      A maioria chama aplicativos que são utilitários de “jogos”, não se trata de uma gíria, mas de um erro de semântica.

      E esses apedeutas passam a vida assim, “jogando” com aplicativos de celular, sem a mínima ideia de como eles são feitos. Querem tudo pronto e ainda reclamam, nunca leram um bom livro na vida, é uma situação triste.

      Essa falta de cultura já extrapolou todas as piores expectativas, não é alarmismo. Algo precisa ser feito urgentemente e os pais e educadores precisam fazer algo a respeito. A minoria que consegue ser diferente tem a responsabilidade de não somente detectar o problema, mas fazer algo para corrigir um pouco o rumo das coisas.

    • Cocainum

      Não entendi… 😀

      • Reinaldo Matos

        Ele está falando de pipoca…

        • SignaPoenae

          Como assim piroca?

    • SignaPoenae

      Ganhei uma aposta há alguns meses porque a pessoa tentou aplicar a vela charada do troco do garçom. Os idiotas tentavam resolver o problema e nem se quer se davam o trabalho de ler ele, e quando apresentei a equação que resolvia o problema, o cara pestanejou e ainda teve a audácia de dizer que eu que estava errado. Só depois de ler letrinha por letrinha do problema que o desgraçado admitiu que a minha resposta estava certa.

  • Vinícius Santos

    Bem vindos à nova Idade Média…

  • Felipe Braz

    Pois é, Cardodo, começo a concordar com vc quando diz que Idiocracy é um documentário… =(

    • Tá difícil DISCORDAR isso sim!

    • Cocainum

      A única parte que denuncia ser ficção é que tem um final feliz.

      • Felipe Braz

        um final mais ou menos feliz né…

        • Cocainum

          Pelo menos, as plantinhas viveram…

  • Pensador Louco

    É real. Está acontecendo isso mesmo.

    O único jeito é limitar o uso da internet à força, com alguma disciplina que reforce os antigos hábitos de leitura.

  • Eu faço essa pergunta com regularidade: quem assistiu Idiocracy?
    Adicionou outra: quem assistiu Idiocracy e não sentiu nenhuma familiaridade com alguma cena?

    • Tô esperando irrigar plantações com Gatorade (que também é ruim pros humanos)…

    • Humberto Jorge

      Vai sair o Terry Crews como Presidente.

  • Maom

    A única coisa que me preocuparia é o whatsapp. Snapchat e twitter deixaram de crescer faz tempo. Vive dos mesmos zumbis de sempre. Não vejo mais um moleque de 10 anos tendo interesse nessas mídias. Agora whatsapp é sonho de consumo de 11 em cada 10 crianças. E whatsapp é pior em termos de linguagem. No Twitter a pessoa se esforça minimamente em produzir uma frase concisa e minimamente inteligível. No whatsapp é um emaranhado de gírias, emoticons e mensagens de áudio. Além é claro dos gemidões e do negão.

    • Klaus Von Burgo

      Bem assim mesmo. Sinal de que sempre pode piorar, né?

  • A questão básica é o imediatismo grosseiro. Ninguém tem tempo. Querem tudo pra agora, pra já. Um parágrafo é muito. Daí as “notícias” da coluna do Ancelmo Góis, que a notícia toda já está no título. uma única frase. Não, a tela não afeta isso. É que pessoal acabou preferindo ficar falando merda no Twitter do que ler. Se não se foca mais, a culpa não é da Internet, mas da própria pessoa, que se rendeu à preguiça. Sim, as pessoas estão mais burras, mas por puro imediatismo. Me veem num vídeo de 10 minutos. Acham longo e tedioso, colocam em velocidade 2x. A média de visualização do YouTube é 3 minutos por vídeo. Assim, o Pirula falando por mais de meia hora é perda de tempo, pois só estão vendo 3 minutos e já correm pros comentários para xingá-lo, ou xingar quem xingou ele, ou xingar de volta quem xingou quem xingou ele. E muitos videos, eu vejo pessoal criticando o respectivo video, expondo um ponto e vista que está no vídeo, mas a criatura não viu. Podcast? Vão dirigir, ligam no automático e acham que estão ouvindo. Não estão.

    Ah,m mas eu ouço trocentos podcasts, vejo muito vídeo blábláblá, presto muita atenção, muitos dirão aqui. É mentira e sabem disso. Além de preguiçosos, mentem.

    Quanto à mim? Só tenho a agradecer. Minha filha não terá concorrentes no mercado. mas eu a ensinei ter educação e respeito pelos outros. Quando ela for engenheira e estiver num canteiro de obras, tenho certeza que tratará com educação e gentileza os filhos de vocês que estiverem virando massa lá.

    • Maom

      Já imaginou o tanto de tia que iria curtir esse textão de facebook?

      • seja a primeira

        • Maom

          Boooooommm Diiiiaaaa querido! Que Deus abençoe cada passo seu. Um beijo no seu coração.

          • Daniel

            kkk

    • Francisco Lunardi

      O pior é perceber que esse “imediatismo” está se estendendo pra tudo, TUDO ter que ser feito “pra ontem”, pois “não pode ficar sem”, está complicado trabalhar com essa gente.

      • ochateador

        Onde trabalho as coisas são sempre para ontem.
        Desde o 1º dia mandei para puta que pariu essa forma de funcionar e sempre fiz as coisas com calma e bem feito. No começo era só crítica, mas depois viram que a quantidade de problema diminuía cada vez mais e ninguém teve coragem de se desculpar ou elogiar.

        • SignaPoenae

          Também trabalhava assim, e sempre deixava uma ponta solta, e nunca sobrava tempo pra nada.
          Hoje faço na calma, e por incrível que pareça sempre estou com prazos adiantados mesmo o fluxo de serviços tendo aumentado.

        • Francisco Lunardi

          Acostume-se, como dizem, é mais fácil apontar os erros que os acertos. Apenas siga em frente.

    • Oli

      Gosto do seu site, mas não tenho paciência para vídeos. Prefiro esperar virar texto.

      • POr isso eu pego alguns textos e transformo em vídeo. Atende a dois públicos distintos

    • Monkey

      Por esse último parágrafo, nem quero imaginar o tipo de educação que foi postulado.

    • SignaPoenae

      TL;DR…

    • Isso é muito comum em grupos de whatsapp. Participo de vários grupos de clubes de carros. A maioria desses clubes surgiu em fóruns, e acabou migrando (ou expandindo) pro Facebook, e posteriormente Whatsapp. Fóruns HOJE são ferramentas ultrapassadas na visão de muitos, justamente pela falta de imediatismo. “Pô, vou digitar uma pergunta aqui e ESPERAR ATÉ AMANHÃ pra alguém responder? Não dá…” Só que a vantagem deles reside justamente no fato de serem enormes arquivos com trocentas dúvidas já respondidas sobre aquele assunto.

      Ou seja, o sujeito participa de um clube de carros, tem algum lelê com o carro, em vez de ir no fórum do clube e PESQUISAR o problema (que muito provavelmente já foi discutido antes e teve a solução apresentada), prefere entrar no grupo do whatsapp e torrar o saco de quem tá lá, perguntando a mesma coisa pela enésima vez, porque sabe que inevitavelmente alguém vai responder. E ele ainda vai entender errado, porque não sabe ler.

  • Eu tenho lido bem menos livros que eu realmente quero ler ultimamente, mas os culpados são mais o curso de direito que me obriga a ler coisas que eu não quero realmente ler, a netfix e a amazon prime do que o twitter. Eu sempre disse e repito que uso o twitter mais como um feed de notícias do meu interesse do que uma rede social para manter diálogos ou discussões e, por isso, é uma das ferramentas que mais gosto na internet.

    Também sou contra essa história de que a culpa dessa geração que não lê at all seja da internet, acho que a culpa é dos pais desses infelizes que não dão o exemplo. O brasileiro pelo menos nunca foi um ávido leitor e eu escapei de ser mais um avesso a livros graças a meu pais que compravam pra mim os gibis da turma da mônica, a Enciclopédia Barsa (a internet antes da internet) e os fascículos “Mini Monstros” e “Aviões de Guerra” que me fizeram tomar gosto pela leitura.

    Hoje apesar de ler menos que gostaria, não saio de casa sem o meu Kindle e só tenho a agradecer ao meus velhos pais que me deram esse enorme presente que foi o gosto pela leitura.

    • cesar m

      Faça força para estudar Direito enquanto cursa a faculdade, porque se não conseguir agora é pouco provável que conseguirá depois. Eu tinha um amigo que sempre dizia que esse ano estava corrido, cansado, mas ano que vem começaria estudar, resultado: faz 15 anos que o cansaço não passou, só perdeu dinheiro com o curso. Se você perceber que não consegue estudar no 1º ano, no 2º, desista guarde o dinheiro do curso e tente abrir um negócio ou investir em algo diferente. Não quero desestimular e sim ajudar eu passei para Delegado quando cursava o 4º ano de Direito, um ano antes de me formar, nem estudava muito, apenas estudava e nunca colei.

      • Concordo com tudo o que você disse, eu já sou servidor público (MPF), mas pretendo tentar a diplomacia, por isso tenho estudado bastante ultimamente.

  • Jorge Dondeo

    FATO!

  • 13582196

    Mas o SMS já não fez isso?

  • Christian Oliveira

    Fiquei na dúvida se o print era do Trump ou de um bolsominion.🔥🔥🔥

  • Gabriel

    O Direito tradicionalmente era uma área de pessoas cultas e com hábito de leitura. Hoje em dia – em parte pela difusão das faculdades particulares, mas principalmente pelo combo televisão+internet – a regra se tornou uma ignorância assombrosa. Já li cada barbaridade, já ouvi cada pergunta imbecil… As pessoas não sabem mais quem é Popper, ou qual foi a época de um Agostinho e de um Tomás de Aquino… Sem cultura histórica, sem cultura filosófica, sem cultura nenhuma. O ápice do conhecimento se tornou o conhecimento dos últimos memes da internet.

  • Raphael Reis

    Sei que o post não se resume somente à isso. Mas confesso nunca gostei do Twitter, não possuo conta e evito ao máximo acessá-lo mesmo como visitante. Minha aversão existe em parte pela criticismo estúpido do ambiente e em outra porque se quero emburrecer leio comentários de portal. Colunas do UOL esportes mais precisamente. Bem ou mal, além de me divertir, o pessoal lá é menos pretensioso.

  • Uriel Dos Santos Souza

    Com o crescimento zero da rede social de poucos carácteres. Sim foi crescimento zero de novos usuários.

    Não vai acontecer

  • Essa semana tive uma raiva nesse sentido.
    Esqueci um procedimento e fui procurar na internet, a porcaria do procedimento devia ocupar no máximo cinco linhas em tópicos mas só achava as instruções em vídeos de 10 fuquing minutos!!!!

    Eu tive que perder 10 preciosos minutos para (re)aprender uma coisa que uma lida instantânea teria resolvido.

    Sim, fiquei muito puto.

    • Eu esqueci como fazia screenshot no meu celular. Não tinha um maldito post de blog, tudo tutorial de CINCO MINUTOS ensinando a apertar power+volume pra cima ou algo assim.

      • “E aí galera… aqui iremos explicar sobre como [insira tutorial aleatório aqui]. Não esqueça de deixar seu joinha no vídeo e curtir o canal pois isso me ajuda muito…. babalbablalalabalba”
        Tudo isso poderia ter virado 5 linhas de instruções em formato texto.

      • Reinaldo Matos

        Se você gostou do vídeo, se inscreva no canal, e deixe seu like amiguinho…

      • Cristiano Moraes

        Porbrema, que cinco linhas de texto não “monetiza”… Já os dez minutos de vídeo….

      • Dreadful

        Power+Volume Down
        Vai dizer que já não ficou profissional na arte de adiantar vídeos até o conteúdo? Porque o 1.25 eu já sei que você domina.

        O cara começa a falar meio mole já ganha uma acelerada boa.

      • ochateador

        Eu aprendi a tirar print da tela do meu celular numa conversa aleatória onde perguntei para a dona de um iPhone como ela tirava print da tela no iOS…

  • O lado bom disso (população stupid): mais dinheiro para os inteligentes.

    Exceto se por um acaso você der acesso a mísseis nucleares para uma dessaa stupid people…

    • Andre

      Desculpe mas tenho que discordar. Em um mundo de estúpidos, os líderes serão em sua maioria estúpidos, ou seja, grandes chances de um desses ser nosso chefe.
      Eu ia falar de um país que elegeu um analfabeto e logo em seguida uma mulher completamente louca, mas não vem ao caso.

  • Christiano Nascimento Amorim

    TL;DR.

  • Jean Franco

    O D E I O tutorial no YouTube, prefiro muito mais escrito.
    Agradeço pela dica do 1,25x.

    • Daniel Belini

      Alguns eu prefiro vídeo, mas outros um texto com imagens é mais simples.

    • Ivan

      Gosto dos vídeos de diy, mas quando é pra resolver algum problema no pc por exemplo prefiro ler um tutorial

  • Gabriel Negrisiolo Righi

    todo mundo fala isso com qualquer coia a décadas, sempre nunca ta facil dter filho, sempre a nova geração é sem noção, analfabeta etc, etc.. Mas ninguém se toca que é sempre a mesma merda e que é só vc ficando velho.

    • cesar m

      Falou tudo fio.. depois que o “perigo” passou, o cara (com exceções) fica falando que o filho não estuda, não lê, etc e tal, mas, na sua época de jovem também não estudava e hoje CONTINUA não estudando, com a desculpa de que hoje não tem tempo. A verdade é que estudar não é gostoso, assim como não é gostoso economizar, se exercitar, sair da cama, comer pouca fritura, obedecer regras. Agora cada um faz suas escolhas, já para encaminhar os filhos precisa de um pouco mais de esforço alem de simplesmente cobrar, precisa regrar, aconselhar, insistir, premiar, e principalmente dar exemplo.

  • Monkey

    Leia muito para seu filho todos os dias. Enquanto cresce, ele desenvolverá (acredito) o gosto e a curiosidade pela leitura.

  • Como alguém que virou pai recentemente, não tenho nada do que discordar. Espero me esforçar para ensinar meu filho direito e impondo os devidos limites.
    Se bem que minha maior preocupação é tentar evitar a criança puxar o anti-socialialidade e a deprê dos pais…

  • OverlordBR

    Pior… além de deixar as pessoas analfabetas, está todo mundo ficando mais mal educado.

    É impressionante a quantidade de gente imbecil que esbarra em você na rua porque está “twittando”, mandando baboseiras no Facebook…

    Um dia deste, tive que simplesmente patrolar uma guria na saída de um ônibus porque a infeliz estava bloqueando a porta para usar o Facebook… e a porta com um puta cartaz escrito: “NÃO PARE NA PORTA!”.

  • rjesus993

    Isso é engraçado porque a internet (ruim) me obrigou a ler e hoje eu leio não só vários textos de vários temas como também leio os todos os comentários em busca de complemento ao texto, isso é hábito de quem acessava muito os fóruns. Minha família nunca estimulou a ler, então não tenho concentração para os livros hoje, mas acho que ler bons textos, as vezes, tem melhor efeito que a leitura de um livro.

  • Sophos Nsm

    a cura tem nome: kindle.
    depois de adquirir um kindle (e um montão de livros entre pagos e piratas) até meu uso da internet caiu sensivelmente (acho que acesso a rede menos de 1/3 do tempo que acessava antes do dispositivo.

    • o kindle é uma boa ferramenta, mas a solução mesmo é uma boa educação. mas parece que nem isso tá resolvendo.

      • Sophos Nsm

        fim do mundo. concordo contigo, em muitos casos nem a educação esta resolvendo. concordo com o escritor tb: a minha capacidade de concentração foi fodida pela internet. eu tenho enorme problema em me concentrar por causa de anos na internet obtendo informação rapida

    • SuzukaDriver90

      Dúvida: o Kindle aceita e-books comprados apenas na amazon ou em qualquer lugar?

      • Sophos Nsm

        depende de como vc comprar. se tiver drm ele não aceita pq não da pra converter, se não tiver drm eu uso o calibre pra converter epub pra mobi e ele aceita de boa. é algo bem simples e rapido e da pra fazer em batch.

  • Mad Butcher

    Também né… 140 caracteres fode com tudo, por isso prefiro os 300 do Gab

  • Sinal de QI, definitivamente, não mede inteligência mesmo.

    E não acho que o Twitter vai fazer isso em 20 anos. Até lá o facebosta já fez o seu trabalho.

  • Hoje tudo é tão acessível e prático. Seria mais fácil imaginar que a tecnologia iria atualmente e no futuro facilitar a aprendizagem e estaríamos melhor e com praticidade rapidamente alfabetizado.

    É mais fácil culpar a tecnologia ao invés dos pais, adultos, responsáveis e culpados por entregar desde cedo a seus filhos, uma criança, deixando só assistir Pepa, ficar no smartphone só jogando e fazendo besteira.

    As tecnologias perderam o sentido quando só servem pra dar atenção a criança ser boba e deixar os pais em paz assistindo a novela ou o futebol com cerveja. 🤔👏🎓🍄🍻

  • Luiz

    “então se quer dar a seus filhos uma vantagem desleal em relação aos futuros concorrentes”

    Isso deu medo quando lembrei dos movimentos sociais policiamente e socialmente corretos que estão ganhando força.

  • Paulo de Tarso

    Em contrapartida, os níveis de educação formal estão melhorando com o passar dos anos. Quem não se lembra das campanhas de alfabetização de adultos que se tornaram comuns a partir da década de 90?
    Enfim, para a geração atual, a geração futura estará sempre perdida. É um clichê, até!

  • Eu lia cerca de 30 livros por ano até ano passado, quando peguei um bom pacote de internet e decaí muito. Agora estou tentando voltar a ler tanto, mas de forma equilibrada com o meu acesso à internet, logo mesmo que eu engrene novamente na leitura, sempre vou colocar um tempinho para checar a minha vida online… é a involução

  • Leonardo Suruagy

    Excelente texto. Só queria dizer isso mesmo.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis