Com o Marketplace, Zuck aponta canhões do Facebook contra o eBay [UPDATE]

facebook-marketplace

UPDATE: o Facebook interrompeu o rollout do Marketplace por um motivo bem simples: malandros. Inúmeras ofertas questionáveis e/ou ilegais como drogas, animais e até mesmo serviços de acompanhantes pipocaram na ferramenta. Alegando “problemas técnicos” (obviamente falta de um funcionário Espírito de Porco na equipe, o que olhe e malde para evitar gafes do tipo), a liberação paulatina foi colocada em standby e a rede social agora irá filtrar oferta por oferta, para evitar que usuários espertões ofereçam itens inadequados.

Segue abaixo a notícia original.


Quando eu disse que Mark Zuckerberg tem uma louca obsessão por manter os usuários do Facebook permanentemente dentro de seu Jardim Murado (mais do que a Apple), eu não estava exagerando. Cada vez mais seus produtos ganham recursos para agregar funcionalidades de concorrentes diretos e indiretos, e Zuck não se cansa de atirar até contra quem não tem nada a ver com seus negócios, mas ele quer entrar e dominar mesmo assim.

Basicamente ele quer fazer do Facebook uma internet à parte: a rede social e o WhatsApp defenestram links do Tsu e do Telegram; ele força a permanência dos usuários dentro da rede social ou do Messenger na hora de consumir notícias com o Instant Articles; declara guerra ao YouTube Live e Periscope com o Live (inclusive jogando sujo) e agora está batendo de frente com o Twitch, ao promover sua própria solução de streaming de games.

Claro que ele não ficaria quieto muito tempo sem arranjar outro inimigo, e de uns tempos para cá Zuck introduziu no Facebook a possibilidade de páginas passarem a vender produtos e serviços. Só que isso era um teste a fim de transformar o Facebook em outra coisa mais uma vez: um concorrente direto de sites de vendas C2C como eBay e Craigslist.

pdp_us

Essa é a proposta do Marketplace, uma nova ferramenta introduzida ontem que permite a usuários comprarem e venderem qualquer coisa que desejarem. Utilizando o app mobile para iOS ou Android (o Facebook promete uma versão desktop para breve), você fotografa o item que deseja vender adiciona o preço e confirma a sua localização. Os potenciais compradores acessam o Marketplace através do ícone de uma banca na parte inferior, podendo realizar buscas por categorias e o app do Facebook exibirá tudo o que estiver à venda na região em que ele se encontra.

A negociação é direta, curiosamente o Facebook não mete o bedelho e não cobra taxas (a negociação é feita entre vendedor e comprador via mensagens, como acharem melhor); ele já fará grana suficiente indexando os dados e os vendendo a parceiros.

Josh Constine — Facebook Marketplace Launch Video

Por enquanto a ferramenta só está disponível nos EUA, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia. Segundo o Facebook, assim que a plataforma web estiver habilitada o Marketplace será liberado para mais países, e uma vez estabelecido no Brasil baterá cabeça com Mercado Livre e OLX, as duas soluções mais utilizadas por aqui.

Fonte: Facebook Newsroom.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Walmart, Cupom de desconto Ricardo Eletro, Cupom de desconto Extra, Cupom de desconto Adidas, Cupom de desconto Submarino, Cupom de desconto Americanas, Cupom de desconto Casas Bahia