Para Phil Fish, vídeos de gameplays são pirataria

phil-fish

Phil Fish é uma pessoa problemática. O controverso desenvolvedor de games já teve sua dose de polêmicas em que se envolveu para uma vida toda, criticando desde a Microsoft e todo o cenário gamer japonês, como toda a mídia especializada. Após ter esboçado uma pequena dose de normalidade ao anunciar o projeto Polytron Partners, ele mais uma vez não soube se conter e novamente soltou o verbo, desta vez mirando nos YouTubers que fazem vídeos de gameplays.

O fuzuê todo aconteceu no Twitter, aquele sadio ambiente familiar. Tudo começou quando foi recententemente divulgado que Felix Kjellberg, mais conhecido como o YouTuber PewDiePie está fazendo mais dinheiro com seus vídeos do que se imaginava: ao todo a personalidade internética está embolsando impressionantes US$ 4 milhões/ano com seus vídeos. Isso despertou a ira de Fish, que teceu uma série de comentários na rede social. Para ele, os YouTubers estão fazendo dinheiro com material que não lhes pertence (em termos de propriedade intelectual) e que os que eles fazem não é diferente de pirataria. Mais: ele disse com todas as letras: “se você faz um vídeo com meu game, você me deve dinheiro”.

phil-fish-twitter

Para Fish, o cenário ideal seria dividir o dinheiro dos anúncios entre o desenvolvedor/publisher e o autor do vídeo, mostrando que ele ao menos reconhece que o vídeo é uma experiência de jogo única e particular de cada jogador, além de produção, efeitos e outras coisas que o YouTuber tem direito de receber por eles. Só que ele não concorda que os uploader devam ser os únicos a fazer dinheiro no YouTube, o que para ele é pirataria pura e simples: você estaria tirando dinheiro de quem é dono da IP e detém direitos de lucrar com seus produtos.

Claro, como tudo que envolve Phil Fish a repercussão na internet foi intensa, com YouTubers xingando o desenvolvedor de tudo quanto é nome. Vídeos satirizando as declarações dele pipocaram no YouTube quase que instantaneamente. Ryan Letourneal, um YouTuber que possui um canal bem grande compartilhou o que pensa sobre o caso (aqui e aqui), lamentando o fato de ter defendido Phil Fish no passado e se sentir meio que traído.

No fim das contas, Fish comprovou mais uma vez que o ditado “se não sabe brincar, não desça pro play” lhe cai como uma luva: após ver o tremendo backlash de suas declarações ele novamente trancou sua conta no Twitter, e por fim a deletou completamente.

Meus dois centavos: apesar da forma com que Fish abordou seu assunto, eu devo dizer que de certa forma ele tem razão. Ainda que os vídeos sejam uma obra produzida pelos YouTubers, com adições de vídeos, voz e efeitos de edição que caracterizem uma obra própria, a verdade é que os motivos dos programas, os games são IPs pertencentes a desenvolvedores, estúdios e publishers, e eles são os detentores dos direitos. A Nintendo usa o mesmo argumento para retirar os ads dos YouTubers e os reverter para si: “são nossas IPs, o dinheiro é nosso e não de vocês”. E lembrando a confusão que o YouTube causou quando implantou o algoritmo do Content ID, que distribuiu um sem número de notificações para produtores de vídeos e aniquilou diversos canais. O Nick que o diga.

Eu considero a abordagem tanto da Nintendo errada, pois o YouTuber também tem custos para produzir um vídeo. Fish foi mais conciliador oferecendo a opção de parceria, em que o dinheiro é dividido. Foi o modo como ele expôs sua opinião, chamando todo mundo que não paga direitos aos donos das IPs de piratas que causou toda a confusão. O ideal seria um meio-termo em que todo mundo saísse ganhando, levando seus trocados para casa. Como o YouTube atualmente anda de mãos dadas com a indústria da música e cinema, dar o próximo passo em direção às publishers de videogames é algo simples, visto que é a indústria mais lucrativa do planeta.

No mais, é curioso ver que apesar de ter causado uma polêmica desnecessária, Phil Fish foi o relógio quebrado da vez.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Pergunta: por que os estúdios não filmam tabém seus desenvolvedores jogando os próprios jogos? Seria uma forma adicional de conseguir grana e acabaria com a polêmica com os gamers.

    Pessoalmente prefiro assistir um gamer jogando com perfeição um jogo do que jogá-lo. Como sou um completo descoordenado, acabei desistindo de jogar qualquer coisa que exija mais coordenação do que o 2048 ou paciência e passo horas vendo os canais dos gamers no YouTube.

    Pelo visto existem mais pessoas que são como eu. Então, sairia baratíssimo para os estúdios de jogos ganhar dinheiro com esse público…

    • True Story

      A questao nao é fazer o gameplay e sim ganhar dinheiro com ele. A internet ate inicio de 200X era totalmente feita por boa vontade. Hj em dia o cara posta link redirecionador com adsense, escreve materias apelativas e levianas pra receber um troco e faz video de game com voz estridente pra tirar um troco.

  • Guest

    Também acho que o desenvolver tem direito a uma parte do dinheiro sim, é justo. Só que muitos exageram nas críticas. A atração nos vídeos do Pew é ele mesmo, o jogo é secundário, e serve como uma forma de divulgação fenomenal. O caso Flappy Bird (é esse o nome?) aconteceu por causa dele. Fez um vídeo, a audiência foi atrás e começou a divulgação, resultado que o “china” começou a ganhar 50 mil obamas por dia.

  • Esse Phil Fish, não me engana, ele é o PC Siqueira disfarçado (ou nem tanto).

  • Gato Descabelado

    Videos de gameplay não são pirataria simplesmente porque ninguém os assiste com o intuito de “roubar” propriedade intelectual de ninguém. Eles são assistidos por quem busca uma visão do jogo melhor do que os trailers (muitas vezes fajutos) oferecidos pelas produtoras.
    No fim esses videos servem como propaganda gratuita do próprio jogo. E o lucro deles pertence ao youtuber, afinal foi ele quem gravou, editou e postou o mesmo.

    • Eu

      O conceito da pirataria, no caso, é você usar conteúdo criado por terceiros para obter lucro para si próprio.

      Lembrando que assim como um filme ou uma música, quando você compra um jogo, você está comprando apenas o direito de utilizar aquela cópia para uso próprio.

      Não estou julgando se certo ou errado, ou se concordo ou não com o que o Fish falou; Estou dizendo apenas que é o que diz a lei (e os inúmeros EULA que você acaba concordando sem ler). O buraco é MUITO mais embaixo.

      De qualquer forma, que comecem os mimimis….

      • Gato Descabelado

        Nesse sentido até grupos de discussão sobre livros podem ser considerados pirataria caso haja qualquer cascalho rolando. Lembrando que o YouTube é basicamente uma empresa lucrando encima do conteúdo produzido pelos outros que também usam uma porrada de conteúdo produzido pelos outros.

        Nessa linha, me lembro que Apple é “cool” portanto seus produtos acabam aparecendo gratuitamente em séries e filmes, onde marcas como Dell e Samsung precisam pagar pra aparecer. Seguindo essa teoria, a Apple devia processar essas séries e filmes por uso indevido de imagem, em vez de simplesmente aproveitar a publicidade grátis.

        • Eu

          Ok, então tá.

          Quando vc souber a diferença entre product placement e abuso de IP (quebra de EULA, principalmente), a gente volta a conversar.

        • True Story

          Fiquei impressionado com seu conhecimento. Parabéns cara.

    • brunolinuxf1

      O problema é receber por isso. Está usando a IP de outros para fazer dinheiro para si, sem dividir o mesmo com quem é o dono da IP.
      Concordo com o Phill, apesar de achar o termo pirataria meio pesado.

  • STX

    Esse cara quando fica calado é um poeta!

  • Bruno Rocha

    De novo isso, cara. Parece aquele outro produtor idiota que dizia que lançar demos de jogos matam a venda do produto (se o jogo for uma merda mesmo).
    É a revolta dos cocôs.

    • Eu

      Na MINHA opinião, deveria ser lei: se ao comprar um jogo e o mesmo não tiver uma demo pra testar antes, você poderia devolver e receber reembolso integral (como acontecem com os APP do Android, por exemplo) caso não tenha gostado do mesmo.
      Valendo tanto para lojas físicas como para virtuais (Steam, Nuuvem, etc). Claro, antes de sei lá, x horas.. senão o cara compra, joga, termina e depois devolve “Não curti”. rs

      • Bruno Rocha

        Não acho que tenha que virar lei. Mas hoje em dia uma Demo já é muito bom pra vender seu jogo. Que o diga as pequenas produtoras. E demos já são uma coisa velha há muito tempo. Desde o Super Nintendo já vendiam cartuchos com demos de maia dúzia de jogos. Até hoje eu tenho um CD todo preto pra PSone com as demo do Tom Raider 2, Gran Turismo2, Ace Combat, Need For Speed Rally e etc.
        Essa coisa de que gamers do youtube estão roubando dinheiro deles é a maior mentira. Se não fosse vários gameplays que vi não teria comprado 90% dos jogos que tenho no Steam.
        Quando já se é grande é fácil falar grosso.

    • True Story

      Desenvolvimento de demos são feitas em paralelo ao jogo e por isso podem ter sim diferenças enormes inclusive na jogabilidade. Eu acho que a epoca de demos acabou o correto é ser mais ou menos como os jogos de live arcade e trial da psn. Vc baixa o jogo inteiro e tem a limitacao ate aonde pode ir.

      • Bruno Rocha

        “Vc baixa o jogo inteiro e tem a limitacao ate aonde pode ir”

        Isso não faz o menor sentido. E também consumiria banda dos servidores à toa. Demos curtas ainda são a alternativa mais racional. E olha que cada vez mais as pessoas preferem ver um gameplay do jogo em si para tomar sua decisão de compra-lo ou não.

        • True Story

          O que não faz sentido é uma produtora ter que desenvolver demos cara. Ate texturas mudam da demo pro jogo completo. Nao é apenas pegar um jogo e colocar parte dele online… quem dera fosse assim.

          • Bruno Rocha

            Então o jeito seria a pessoa poder baixar só as primeiras fases do game, uma espécie de “degustação”, não ele todo.

  • Lucas

    Ah claro, e a publicidade em cima dos videos? É basicamente tu colocar uma camiseta recomendado o jogo e sair por ai e eles ainda reclamam sobre isso?

    Eu gosto bastante da Nintendo, mas acho essa palhaçada dela uma bosta… “Ah, mas eu desenvolvi o jogo e também tenho que ganhar parte do dinheiro!” oi? como assim? Se eu comprei o console e a copia original do jogo (que são super caros…) eu acho que tenho o direito de fazer gameplays e postar no Youtube.
    Tenho que admitir que algumas desenvolvedores precisam evoluir nessa questão.

    No meu caso eu só comprei um 3DS por causa dos gameplays que eu ficava assistindo de Pokemon XY, eu não tinha interesse algum no console, mas depois que comecei a assistir videos do jogo no Youtube fiquei super interessado.

  • Dhyan Shanasa

    Respeito o Fish, pois ele não mede as palavras. Pessoas que não medem palavras não.tem rabo preso.

  • Ursinhomalvado

    Concordo com o Ronaldo Gogoni, autor do texto. Os desenvolvedores deveriam ganhar sua parte da renda destes vídeos. A briga toda seria decidir quanto cada um deveria ganhar.

    • True Story

      70% pro desenvolvedor e 30% pro “colaborador”. Ou seja o mesmo preço que as lojas como steam,live e psn ganham.

    • Bruno Rocha

      Mas chega a ser ridículo essas empresas que faturam milhões querendo repartir as migalhas que os youtubers ganham, sendo que esses fazem é um favor aos produtores.

      É fácil falar isso hoje para empresas que já faturaram bilhões com jogos por décadas.

      • Cara, peralá.
        Tem gente que nem vídeo não monta. Só manda gravar a tela do pc enquanto joga, e depois upa pro youtube.

        • Bruno Rocha

          Ele é um produtor de conteúdo. Se um programa de TV fala sobre cinema e dá dicas de filmes, em que esse programa deve aos criadores desses filmes?
          Sem falar que os youtubers ganham sobre a propaganda em seus vídeos, não com o produto (jogo) em si. Então não há uma violação de direitos autorais.
          As pessoas tem esse senso, e por mais que os pseudo-advogados daqui concorde com esse imbecil e ache isso um roubo, vai ser engraçado os youtubers boicotando todas as empresas que derem uma de Nintendo. Felizmente no mundo civilizado as empresas atendendo ao mercado (nós) e não fazem o que elas querem.
          Nós criamos esse mercado. Criamos o maior mercado de entretenimento do mundo. Nós enchemos o cu dessas empresas de dinheiro, e se encherem nosso saco nós acabamos com elas também.

          • Arthur Fonseca

            Se um canal de tv resolve passar um filme na sua grade de programação, ele tem que comprar do estúdio o direito de passar o filme. Quando o canal resolve “dar dicas sobre filmes” ele passa apenas as imagens de trailers, que são cedidas pelo estúdio pra imprensa à titulo de DIVULGAÇÃO.
            E os youtubers ganham dinheiro com o jogo SIM, pois as pessoas só vão no canal dele e aceitam ver as propagandas pois querem ver as imagens do jogo. Se ao invés do gameplay o youtuber tivesse passando um vídeo dele fazendo um bolo, as pessoas não assistiriam…

          • Bruno Rocha

            Não há nenhuma lei que considere crime ou uso indevido exibir um produto e falar do mesmo, o criticando e o elogiando. O modelo do Youtube é novo no mercado e mesmo assim não está violando nada.

            A única coisa especifica isso é um contrato unilateral quando você compra um jogo, ou melhor, a permissão para jogá-lo. Ou seja, isso varia conforme o termo de uso da produtora da qual você compra o jogo. Resumido: não é ilegal coisa alguma.

            No futuro vai ser assim: produtoras chatas não vão vender nada e produtoras realistas que abracem os gamers é que venderão. Querendo ou não, essa situação se mostrou muito oportuna para dar uma limpa no mercado e falir as más produtoras que insistirem nessa visão arcaica. Elas que vão à falência, igual a Campcom.

          • Arthur Fonseca

            Sim, é ilegal. Produto é diferente de obra intelectual. Artigo 7º da lei 9.610/98(Lei do Direito Autoral): São obras intelectuais protegidas as criações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro, tais como:
            VI – as obras audiovisuais, sonorizadas ou não, inclusive as cinematográficas;
            XII – os programas de computador;

            Adiante, temos os artigo 28 e 29:

            Art. 28. Cabe ao autor o direito exclusivo de utilizar, fruir e dispor da obra literária, artística ou científica.

            Art. 29. Depende de autorização prévia e expressa do autor a utilização da obra, por quaisquer modalidades, tais como:
            I – a reprodução parcial ou integral;
            II – a edição;

            Logo, se eu faço um joguinho no RPG Maker e vendo ele à 1 real no meu site, e você compra, grava um gameplay e sobre pro Youtube, você está cometendo um ato ilegal sim.

      • True Story

        essas empresas safadas… né THQ?

  • True Story

    Tenho que concordar com ele.
    Gameplay sem monetização? OK
    Gameplay com Monetização e sem autoriação previa = Pirataria

  • Vinicius Zucareli

    Mas os desenvolvedores recebem por isso. Eles venderam a p*rra do jogo que o cara usou pra jogar.

    A Mercedes e a Petrobrás vão começar a cobrar participação do lucro dos caminhoneiros também, viu.

    Assim como a Olla, a Jontex e outros vão cobrar das prostitutas.

    Ah, e a HP/Dell/Apple quer a parte do seu dinheiro, Ronaldo, você está usando um computador pra fazer esse texto! Assim como a Velox/GVT/NET/etc, pois você usa a internet deles pra postar! Ah, o Disqus também quer a parte dele, viu? E não esquece da parte dos fabricantes do material de escritório, da sua cadeira e da imobiliária da casa/escritório, ok?

    • Vem cá, por acaso eu faço vídeos onde eu falo de todas essas marcas para ganhar dinheiro e não pagar a ninguém? Seu argumento não procede.

      • Rafael Vasconcelos

        Sarcasmo…

        • Haha sorry, hoje o sensor estava desligado! 🙂

          • Maycon Cruz

            Sensores de Sarcasmo desligam no feriado? Puxa!

      • Matheus Sanchez

        meu deus cara, ta dificil de voce entender sarcasmo

      • Vinicius Zucareli

        Óbvio que usei exemplos extremados, mas a ideia que eu quero passar é que o jogo é uma ferramenta de trabalho. Ele não é o trabalho em si.

        Existem casos onde o Youtuber apenas coloca o mesmo conteúdo do jogo no Youtube? Sim, existem, mas esses são (geralmente) casos onde os views são muito baixos.

        Os casos onde o Youtuber realmente faz dinheiro são onde eles produzem conteúdo em cima da ferramenta, o jogo.

        Sério, seria o mesmo que o Fraps ou Sony Vegas querer cobrar pelo mesmo vídeo. Ambos são FERRAMENTAS na produção do conteúdo. E você já pagou para adquirir a ferramenta.

        • Archer

          O detalhe é que isso é considerado uma obra derivada, e se há copyright em cima da obra original, quem faz material derivado precisa respeitar a vontade do autor. A não ser nos casos que a lei permite (paródia, etc).

          E petróleo e tinta de impressora não são propriedades intelectuais, embora haja possobilidade de restringir o uso de determinadas tecnologias ( como no caso do h264).

      • raphs

        Concordo com o Ronaldo, uma coisa é você usar o produto para consumo próprio sem fins lucrativos, outra coisa é você usar um produto para fins lucrativos.Quando eu compro algum jogo ao comprar eu adquiro o direito de possuir uma copia do jogo, eu não adquiro os DIREITOS AUTORAIS dele, ou seja, o que o Vinicius falou não procede mesmo, não gosto do Phil Fish, acho ele muito arrogante, porem nessa eu concordo com ele, acredito que tenha que ter uma divisão, afinal,comprar um produto não te dá o direito de lucrar com ele, isso em partes, é pirataria sim.

    • True Story

      E o jogo tem uma eula gigante que vc concorda.

      • Vinicius Zucareli

        Que normalmente tem boa parte com valor legal zero.

        E que, se não me engano, não proíbe fazer streaming dos jogos. Ainda mais agora que os consoles modernos (e alguns jogos de PC) EMBUTEM a porcaria da função.

    • Guilherme Sena C C

      Ambos os argumentos estão certos, o seu e o do Phil Fish, mas valem para tipos de jogos diferentes.

      Eu concordo com o Phil no que se diz respeito as jogos que se foquem em narrativa ou puzzles, videos de gameplay acabam permitindo às pessoas que consumam o conteúdo do jogo de graça, é a situação onde cabe a comparação com filmes. (como ele disse, não é porque você compra um filme que você pode botar ele no youtube pro mundo inteiro assistir de graça. Eu acho que é justo um jogo como um The Last of Us, por exemplo, ter o mesmo direito.)

      Mas fora isso é como você falou, os jogos acabam sendo muito mais uma ferramenta pras pessoas produzirem e publicarem o próprio conteúdo, principalmente jogos de multiplayer, então já não caberia mais ao desenvolvedor querer uma compensação.

      Não existe uma resposta definitiva pra tudo. Cada caso é um caso.

    • Darkus

      Mais ou menos, pelas leis norte americanas ele tem razão, pelo seguinte:
      Digamos que você é músico e fez uma canção de sucesso, eu pego sua música, mudo a letra e um pouco dos arranjos e faço uma derivação.

      Pelas leis americanas eu te devo parte da grana em royalites por trabalho derivado de cada centavo que eu ganhar com o trabalho derivado.

  • Douglas

    Quando os sites fazem reviews de eletronicos e ficam ganhando dinheiro com propaganda com o conteúdo, como fica? review é diferente de jornalismo. jogar os jogos e filmar é a mesma coisa que um review, assim como se fosse tutorial de como usar. Meio bit, favor tirar copia dos cheques que voces emitirem para as empresas de tecnologia

    • Eu

      Reviews ≠ Gameplay videos. Sem mais.

      • RodrigoJusti

        É a mesma coisa. A única diferença é o tipo de mídia veiculado. Se um vídeo pudesse ter suas falas impressas, sairia uma espécie de review. E se for assim, os vídeo tutoriais que vemos aos montes devem dinheiro a Microsoft, Apple e outras, as análises de carros dos programas de domingo devem dinheiro a VW, Ford e outras, e assim sucessivamente.

        • Eu

          Não, não é.

          • RodrigoJusti

            Então tá. Opniões são opniões 😀

          • Eu

            Exato. E opiniões são opiniões.

          • RodrigoJusti

            Disse tudo Prof Pasquale. Ih, agora tenho que enviar os royalities rs

          • Eu

            Não precisa, nosso idioma é de domínio público.

          • Douglas

            Argumento do camarada, Não, não é, Lol,

          • Eu

            Me processe.

        • Não é a mesma coisa: enquanto que no review você joga e emite uma opinião sobre o que jogou. Dá notas para gráficos, jogabilidade e todo o resto. Você não revela o produto (o jogo), você fala SOBRE ele. (e normalmente grandes portais/revistas até ganham cópias dos jogos dos desenvolvedores para isso tudo).

          Vídeo de gameplay você MOSTRA o produto ao público, é como um spoiler. E, geralmente, jogos tem EULA que são aceitas por todo mundo (que, obviamente, não lê).

          Eu concordo com o modelo de distribuição da grana para criador do vídeo/desenvolvedora. É o mais justo a se fazer, afinal um criou o produto e o outro está divulgando.

  • Edmilson_Junior

    Acho que oque falta é uma ferramenta simples de compartilhamento de valores. Se os detentores das IP recebessem o mesmo que o autor de uma música, acho que são 10% e o YT facilitasse este recebimento todos ficariam felizes. Criaria um campo perguntando algo como “Este vídeo possui IP de terceiros?” Se sim haveria uma lista de detentores de IP onde o uploader marcaria as empresas as quais ele acha que as IP pertencem e o YT faria o trabalho de divisão dos valores e posterior encaminhamento às empresas.

    Quanto ao Fish eu recomendaria aos uploaders que ignorem completamente o jogo dele, não o mencionem e nem façam vídeos, vamos ver o quanto ele consegue vender sem isso.

  • Daniel

    A Disney compartilhava dessa mesma opinião, e saía distribuindo cartinha de “retire do ar o vídeo que contém imagens do Mickey Mouse ou se entenda com nossos advogados” a torto e a direito. Aí eles se tocaram que os youtubers estão fazendo um favor pra eles e gerando publicidade gratuita para os filmes da empresa. Agora eles mesmos divulgam os melhores youtubers que trabalham com material Disney.
    Porque ir contra pessoas que estão te fazeno um favor? Quanto Phil Fish gastaria para fazer um vídeo de seu jogo chegar ao mesmo número de pessoas que viram esses vídeos nos canais desses youtubers? Os youtubers é quem deveriam cobrar dele pela veiculação! Vários desenvolvedores já aprenderam a pedir para esses mesmos youtubers fazerem análises de seus jogos como maneira de promovê-los.
    Esse modelo de IP e querer exclusividade absoluta é ultrapassado e não funciona mais. A internet é uma coisa sobre a qual não se pode ter controle. Aproveitem a onda e embarquem nela, ao invés de tentar pará-la.

    • Saulo Benigno

      Esse é o certo 🙂

      Digo, eles fizeram o certo, viram o que perderam e voltaram atrás… é muita propaganda gratuita.

    • Lui Spin

      Exatamente. Eu mesmo já comprei e comecei a jogar muitos jogos, por causa do gameplay.

      Os produtores já ganham rios de dinheiro vendendo o jogo. Talvez um royaltie simbólico de 2% do ADS para eles calarem a boca.

  • Geese Howard

    Perdi a vontade de jogar The Last of Us depois que assisti ao “filme” no YouTube. Pode não ser pirataria, mas o efeito foi o mesmo.

    • Marcelo

      Eu também “zerei” o jogo pelo YT, mas eu comprarei o jogo assim que puder.
      Acredito que isso vai de cada um.

    • aa2br

      Mas, vc não foi forçado a assistir, o fez porque quis, eu assisto gameplays e muitos, mas BEM depois de ter jogado, para relembrar é bem legal, ou então apenas assisto o começo do jogo para ver como é, mas nada de comentários babacas que nem uns player do youtube adoram fazer…

  • Leonardo

    Tem meio que razão mesmo em parte, eu por exemplo assistir gameplayer de ryse son of rome até ultimo capitulo. Com isso caso queira ter xbox one, eu não comprarei mais esse jogo.

  • Os Youtubers já prestam um serviço imenso para esses produtores cegos: Divulgação gratuita para milhões de pessoas. Produtores ainda não enxergam o potencial publicitário da coisa. Já estão mais que pagos. Até porcarias como o Flap Bird só alavancaram depois de passar nas mãos do PewDiePie.

    • True Story

      Divulgação gratuita recebendo dinheiro nao é divulgação gratuita. Se esses caras pararem de receber por video postado vai continuar tendo gente subindo gameplay sem ganhar nada.

      • Eu disse que é gratuito no sentido para os produtores. Eles não precisam dispendiar uma receita muito além em marketing e publicidade em mídias tradicionais para divulgar um game. É uma vantagem sem igual para produtores menores como o imbecil do Phil bater ou chegar próximo de produtoras maiores que tem milhões para gastar em publicidade.

        • True Story

          Pew die pie cresceu por merito dele e dos jogos. Sem os jogos ele nao teria crescido (nao dessa forma pelo menos).

          Nao é gratuito pois a propria empresa pode colocar gameplay de seu jogo e se ela nao coloca é pq nao acha relevante e correto esse tipo de coisa. Aí vem um cuzao que nao tem nada melhor do q fazer na vida que falar merda e jogar seu game…

          • Cara, tem um negócio chamado “valor subjetivo” que o PewDiePie alcançou e que é super almejado na publicidade. Se eu fosse um produtor de games iria desejar loucamente que ele falasse nem que fosse ironicamente mal (Flap Bird) do meu game, pois milhões iriam correr pra baixar e testar também. https://www.youtube.com/watch?v=MyXcr6sDRtw

  • Sander Manzoli

    Logo o PS4 permitirá subir gameplay direto pro youtube, conforme anunciado na E3.

    Esse cara é um imbecil, lógica completamente deteriorada.

  • Samuel Madeira

    Discordo e aparentemente quase todas as desenvolvedoras discordem também, tanto que o Twitch faz um imenso sucesso com basicamente videos de game-play streamando e/ou gravar uma jogatina com seu audio por cima.

  • aa2br

    Quem faz bons jogos não reclama, pq ve seu bom jogo ganhar repercussão e recomendação e o pessoal compra do mesmo jeito, agora tem empresa fazendo porcarias e com medo de ter revelado os problemas ficam com medinho de videos dos seus jogos. Esse Zé Ruela fez um jogo, bom admito, mas o que xingou durante todo o desenvolvimento não está nos livros… Vive dando pitih, pensei que ele fosse sumir de vez, e era bom que tivesse feito, é um mala.

  • Douglas Aguiar

    Vídeo mt bom sobre o ódio exagerado sobre o fish (e sobre matérias como essa que, apesar da opinião do autor, só falam no nome dele pra dizer que agiu criando polemica):
    http://t.co/bUUcM7u6kj

    E o fato de ter vendido o jogo não é suficiente, o jogo foi comprado para entretenimento sem fins lucrativos, não para lucrar em cima. Comparar com petróleo (Vinicius) chega a ser uma vergonha de tão exagerado.

  • vander51

    Não li o texto todo porque é imenso mas pelo título posso dar minha opinião. Quem faz jogos para vendas espera o que? Dinheiro, né?! Rockstar está nadando em dinheiro por ter todos os recordes de venda com GTA V e não tá nem aí pra gameplay no youtube…hum, deixe me ver! Este ser vivo a cima criou que jogo? Jogo independente? A tá explicado! Deixa de criar porcaria que até quando um cara postar um vídeo da mulher dele com outro ele nem vai ligar porque vai estar nadando em dinheiro e arruma outra. Como tá cheio de chorão no mundo dos games! YouTube veio para nos salvar da mediocridade do setor.

  • Julio Verner

    Continuo alugando com o Paulo e me divertindo sem ver qualquer zé roela comentando com voz de virgem sobre trama/enredo/graficose etc… Bem melhor assim!

  • Rodrigo da Motta

    Eu Prefiro a abordagem e explicações dp TotalBiscuit sobre o tema em :
    https://www.youtube.com/watch?v=FzeULO59hG0

    “Fishing for Royalties”
    IP é uma coisa… Conteúdo é outra.

    Jogos não podem ser comparados com filmes ou outros produtos pois são experiências interativas.
    O conteúdo é feito pelo gamer.

    Se for assim , qquer cadeira , objeto, carro que aparecer em um video deve ser pago para os fabricantes do mesmo.
    Alem disso, é um tiro no pé em qualquer um que quiser usufruir desses royalties.
    Os “Youtubers” ajudam a vender os jogos e manter o Hype dos mesmos esquentando as vendas.
    Eu mesmo já comprei centenas de jogos baseados nesses videos.

  • epassos

    O problema é que as pessoas confundem a venda de produtos físicos como carros, televisores e etc, com venda de produtos como softwares, jogos e música.

    Quando um produtor de um game vende o seu jogo, ele na verdade só está vendendo o direito de uso do jogo. E esse direito de uso geralmente é restrito somente a você, não permitindo aluguel ou qualquer tipo de monetização em cima do jogo. O jogo em si sempre continuará sendo do produtor. A mesma coisa acontece com softwares e música.

    Outro exemplo. Quando você compra um CD, as músicas que vem no CD tem seu licenciamento limitado para audição residencial. Não pode ser usada em público, por exemplo. Se eu não me engano, recentemente o ECAD estava com uma operação fiscalizando festas privadas que não tinham recolhido os direitos das músicas que iriam tocar.

    Isso é uma questão de lei e não cabe discussão. Por mais injusto que pareça, legalmente as produtoras de jogos tem sim o direito de considerarem inapropriado o uso de seus jogos em vídeos publicados por youtubers.

    Agora, concordo com o que alguns escreveram aqui. Acho um tiro no pé se algumas produtoras começarem a bloquear conteúdo de alguns youtubers, perdendo um grande canal gratuito de marketing.

  • Marcelo Veras

    Claro, porque todo crítico de cinema deveria pagar ao escrever uma resenha de um filme. Me desculpa quem pensa o contrário, mas para mim isso é quase marketing gratuito.

  • Leandro

    A verdade é que ele está passando por maus bocados financeiramente e ficou abismado com o dinheiro do youtuber ai citado. Ele deve pensar, passei anos da minha vida fazendo aquela merda de jogo (FEZ) e o maluco sem ‘fazer nada’ ta rico.

  • Rafael Peixoto

    O jogo do cara só existe para o público devido a vídeos como esses, se não tivesse gente comentando, jogando e gravando o game ele não venderia, simples assim.

    Acho que motivar as pessoas a comprarem teu jogo passando uma experiência em vídeo já é recompensa mais que suficiente, publicidade de graça.

    Fala mal de pirataria, mas não enxerga os benefícios dela porque não tem perspectiva nenhuma. Eu como desenvolvedor não defendo nenhum tipo de compartilhamento de lucro com quem faz esse tipo de vídeo, se o jogo cativar quem está vendo e for bom o suficiente será comprado e isso já produz uma renda aceitável através do trabalho de um terceiro que publica e edita vídeos do teu game.

    Não adianta, esse cara não aprende, fica com esse estrelismo todo criando polêmica que ele não consegue sequer se posicionar decentemente sobre. Ficou ardidinho porque tem gente por ai que faz um conteúdo que ele pessoalmente não aprecia(eu também não), mas que cria uma atmosfera de divulgação genial e totalmente eficaz, sem imposição nenhuma.

    Eu no lugar dele fechava com o Pew a qualquer custo, algum dia ainda quero conseguir um vídeo de um jogo meu no canal dele, nem que seja falando mal kkkkk.

  • Cristovao Andrade

    Um questão interessante: as antigas revistas de games pagavam direitos autorais sobre a analises dos jogos das publicadoras?

    Ou
    melhor será que os bloggers uma vez que estão publicando detonados ou
    analises de jogos deveriam passar também a ser cobrados?

    Levando em consideração a lei de copyright pode sim exigir seus direitos (uma vez que representa todos os direitos reservados), só basta apenas exercer, contudo o problema virá quando ele passar a exigir seus direitos e o mesmo grupo de pessoas que ajudou a promover seu jogo passar ignorar todo e qualquer material que seja referente a seus produtos.

    No caso do Phil o mesmo faz um estardalhaço, mas nem se quer vai exigir seus direitos, pode até ser maluco, mas não é idiota (quem lembra de Tropa de Elite?).

  • Yugo Ogami

    Eu sou imbecil, mas esse cara ganha!

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis