Meio Bit entrevista Steve Wozniak

woz_1_jonathan_alcorn

Tive o privilégio de entrevistar Steve Wozniak, o homem que mudou o mundo ao criar um dos primeiros computadores pessoais na garagem do seu amigo Steve Jobs. Apesar de afastado da Apple desde 1981, Woz se tornou um verdadeiro ícone e referência no mundo da tecnologia, e continua a ser um grande entusiasta, daqueles que usam todos os sistemas operacionais.

Alguns anos atrás, eu e o Cardoso tivemos o privilégio de conversar pessoalmente com Woz depois de uma palestra em Belo Horizonte, mas esta entrevista foi feita por email, eu mandei as perguntas e recebi as respostas de Woz no final de julho do ano passado. O texto seria publicado originalmente em uma revista impressa em agosto de 2013, mas a revista infelizmente saiu de circulação, assim pedi a autorização da minha amiga Elis Monteiro para publicar a conversa aqui no MB.

Caso você queira ir direto ao que interessa, é só clicar aqui, mas antes da entrevista, queria fazer uma pequena apresentação do meu herói de infância.

Woz era só um garoto curioso com inteligência acima da média crescendo nos anos 60 quando descobriu os livros de engenharia na casa do seu pai. Seu primeiro gadget foi um rádio amador, que ele usou para entrar em contato com pessoas em outras partes do mundo, algo que o inspirava e dava uma sensação gostosa de poder.

Woz morava no Silicon Valley, que segundo ele era o local com mais chips por metro quadrado do mundo, pelo menos naquela época, quando era possível até mesmo recebê-los por pagamento ao cortar a grama do vizinho. Woz contou que é eternamente grato aos seus professores, especialmente aqueles que sabem identificar a necessidade de cada aluno, ajudando a abrir a cabeça daqueles excepcionalmente brilhantes, que precisam expandir seus horizontes.

Um dia ele leu em uma revista um artigo sobre o Blue Box, um aparelho no qual você digitava tons para fazer chamadas de graça para qualquer lugar. Pensando um pouco a respeito, ele viu que seria capaz de produzir algo assim. Woz então convidou o seu amigo Steve Jobs para ser seu sócio na empreitada, a primeira que fizeram juntos. O detalhe interessante é que a dupla nunca usou o aparelho para fazer ligações. Muito mais do que o lucro, o objetivo dos dois era criar algo único, especial.

Quando descobriu o mundo dos computadores, soube que aquilo faria parte da sua vida para sempre, e passou a se dedicar ao assunto de forma integral. O primeiro computador que Woz criou tinha uma interface simples, feita apenas com luzes e botões, mas já era capaz de realizar operações, desde que você fosse capaz de decifrar os resultados, que eram apresentados em linguagem binária. O sono virou algo secundário na vida de Woz, que passou a dedicar todo o seu tempo livre para uma única tarefa: programar. Seu objetivo não era a tecnologia por ela mesma, e sim a possibilidade de utilizá-la para produzir resultados práticos e úteis para o ser humano.

Quando seu amigo Steve Jobs foi trabalhar na Atari, Wozniak achou aquilo um verdadeiro sonho, por isto aceito de cara o convite do amigo para ajudar a criar uma versão diferente do game Pong, o Breakout. Foram 4 dias e 4 noites sem descanso, mas a satisfação de ver o trabalho rodando em uma TV colorida era inigualável. Ao ver a bola mudando de cor na tela da TV, Woz e Jobs tiveram o grande insight da importância das cores, algo vital para a empresa de computadores que os dois iriam criar juntos. Na garagem, os dois criaram o Apple I, que foi o primeiro produto comercial da Apple, vendido por US$ 666 em 1976. O conceito de computador pessoal estava formado, e só iria evoluir a partir dali.

Em 1976 Steve Wozniak mudou o mundo ao construir o Apple II, que iria revolucionou completamente o cenário de tecnologia existente até então, criando dando início a era dos computadores pessoais. Seu produto foi vendido de forma brilhante por Steve Jobs, no que se tornou o primeiro sucesso da Apple. Depois de passarem conhecerem os projetos secretos da Xerox, Steve Jobs, Steve Wozniak e um jovem chamado Bill Gates ficaram abismados com o sistema operacional gráfico, que tinha janelas e menus e usava o mouse como interface. Em 1981, Woz sai da Apple, e no ano seguinte, seu antigo sócio Steve Jobs deixa a divisão LISA para se dedicar ao Macintosh, que foi lançado em 1984, e o resto é história. Os caminhos de Woz podem tê-lo separado da Apple, mas nunca dos seus produtos, que ele continua usando no dia a dia.

 

woz_2_jonathan_alcorn

Entrevista com Steve Wozniak

MB: Woz, você é um apaixonado por gadgets, e eu sei que você viaja com muitos deles, para onde quer que vá. Qual dos seus aparelhos você ama mais?

Woz: O meu laptop MacBook Pro é o gadget do qual eu mais dependo, mas eu realmente amo o meu iPhone 5 (branco) mais do que todos. É muito pela beleza do seu design, mas ele se tornou uma parte crítica da minha vida cada minuto do dia, é como uma extensão de mim mesmo. Eu amo outros smartphones que são incríveis, mas este é o meu favorito.

MB: E qual seria o seu gadget favorito de todos os tempos?

Woz: Posso responder esta pergunta com diferentes gadgets por diferentes períodos. De vez em quando, um novo gadget se tornava o meu favorito de todos os tempos. É difícil voltar e dizer qual é aquele que transportou a minha cabeça para um lugar mais avançado. Eu poderia dizer que foi meu primeiro gadget pessoal, um rádio transístor. O Apple I que me assegurou uma vida completa em meu próprio mundo. Quando você tem uma máquina que pode programar, você tem infinitas coisas que pode fazer, para sempre. O Apple ][ voi um salto tão gigantesco. Meu Apple ][c era ainda mais pessoal. O meu laptop Macintosh Duo trouxe a internet pra cama comigo. Bem, pra todos os lugares comigo. O Cube, por sua engenhosidade e também pela forma/função. Agora é o iPhone 5. Eu diria que a melhor experiência para mim entre todos estes foi o Apple ][, muito em parte porque eu tinha uma maneira simples, logo que tirava da caixa, para programar qualquer coisa, incluindo jogos animados.

MB: Falando do iOS 7, o que você achou do sistema? É uma evolução estética ou uma revolução completa?

Woz: Eu não saberia te dizer. Eu simplesmente não jogo o jogo dos betas. Eu me queimei vezes o suficiente 25 anos atrás para sair deste tipo de estresse só para estar na frente.*

* Esta entrevista foi feita em agosto de 2013, portanto antes do lançamento oficial do iOS 7. 

woz_3_jonathan_alcorn

MB: E o que você acha do tamanho da tela do iPhone? Ela é perfeita como é, ou você gostaria que ela pudesse ser maior, como a de um smartphone Android?

Woz: Eu gosto do meu iPhone mas eu também uso bastante os celulares Android. Eu já gostei e senti que ganhei mais das telas grandes, até mesmo do Galaxy Note. Eu também sinto que tenho mais facilidade usando as telas maiores. Pode ser uma heresia, mas, afinal de contas, o primeiro iPhone trouxe uma tela maior do que a de um Blackberry, com seu espaço desperdiçado por um teclado.

MB: Você é um guru para milhões de fãs de tecnologia no mundo inteiro, incluindo eu. Quando você era um garoto, quem te inspirava?

Woz: Eu me inspirava nos meus professores. Meu pai era o mais importante, mas meu professor de eletrônica no 2º grau foi diferente de todos os professores que já tive. Ele escrevia suas próprias aulas e era próximo de todos os seus estudantes. Eu também admirava personagens de tecnologia de livros de ficção. Esbarrei nos computadores quando era extremamente jovem, mas não me apaguei a pessoas específicas como ídolos nesta área. Eu amava toda a ciência dos computadores. Além disto, eu admirava os escritores que me inspiravam de forma emotiva, incluindo autores como Thoreau e Emerson.

Eu também admirava músicos que estavam expondo suas visões de contra cultura, e Dylan estava no topo desta lista. Eu tive todos os seus álbuns e li o encarte dúzias de vezes. Com o tempo, eu passei a admirar músicos que comunicavam de maneira forte seus pontos de vista sobre a humanidade e seus direitos em suas músicas, como era feito naquela época, e aí incluo Bruce Springsteen e Neil Young.

MB: Eu queria que você me contasse sobre a sua experiência no Dancing with The Stars. Aquilo foi mais divertido do que criar o primeiro computador pessoal?

Woz: Eu não assisto televisão. Eu não fazia idéia do que se tratava. Eu achei que ia passar, que eles iriam desistir. Mas eles foram tão legais e continuaram trabalhando em me convencer, e aí eu finalmente disse “sim”. Era assustador, mas isto também é verdadeiro para a maioria das celebridades do show. Eu tive que trabalhar muito só para fazer as rotinas simples. Quando você se esforça e atinge um resultado, isto é muito gratificante. Eu gostei muito da experiência, foi talvez a coisa mais divertida da minha vida como experiência única. Eu me sinto muito sortudo por ter sido capaz de fazer isto, e quis que a audiência percebesse isto.

MB: Não vou te perguntar sobre a sua relação com Steve Jobs, mas você poderia me dizer se, na sua opinião, a Apple sente a falta dele?

Woz: É muito difícil especular. Eu só sinto a falta da maneira como ele falaria sobre as direções nas quais a tecnologia deveria estar indo. Eu não posso dizer como seria, pois nós realmente não sabemos.

MB: Existe algo que você sinta falta dos velhos tempos da tecnologia?

Woz: Eu sinto falta da habilidade de ter uma idéia, juntar umas peças e criar suas próprias soluções que eram capazes de realizar tantas coisas. Hoje em dia nossos computadores fazem milhões de coisas a mais, então o fato de você poder construir o seu próprio não é mais tão impressionante, não te torna um Super-homem. O geek que sabe construir computadores não o destaca tanto assim, quando todos os geeks estão usando seus smartphones, mesmo que apenas para digitar de maneira super rápida ou coisas assim. Nós geeks não somos mais aqueles escolhidos especiais.

MB: O que você acha do Google Glass, e a computação wearable em geral? Você tem um?

Woz: Eu não tenho um Google Glass. Eu poderia, é verdade, mas sou tão ocupado que não sou a melhor pessoa para ser um early tester do produto. Eu tentei usar uma vez e gostei muito, e não consigo tirar aquela experiência da cabeça. Acho que o próximo grande passo é a computação wearable, um passo equivalente ao computador pessoal, o computador com interface gráfica de usuário, a internet, a web social e a internet móvel.

Crédito das fotos: Jonathan Alcorn

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Nick Ellis

Nick Ellis é autor do Meio Bit, Digital Drops e Blog de Brinquedo.

Compartilhar
  • Murilo Cardoso

    Sempre me emociono em ler qualquer coisa que o Woz fala. Parece que ele sempre fala como uma criança que não quer ir pra cama pra continuar usando seu primeiro computador. Digo, uma criança dos anos 80/90.

  • AndersonCavalcanti

    Muito bom. Nunca esqueço de uma foto da bagagem dele, em que havia uns 20 gadgets diferentes, iPhones, Androids, Kindles, iPods, iPads, etc, etc. É a definição de um entusiasta, e é o único sujeito que não causa uma saia justa quando declara que a Apple deveria imitar alguns pontos do Android. É um gênio e parece ser o tipo de pessoa que qualquer um gostaria de passar um dia inteiro conversando numa varanda ao redor de uma mesa cheia de celulares, tablets e notebooks diferentes. Ou num buteco, sem nada disso, só ideias. Ótima entrevista.

    • Denis J. Alves

      Acho que a 2ª opção seria melhor. Só uma gelada, uns canapés e o papo.

  • Denis J. Alves

    Zeraram a vida!

  • Daniel Belini

    Muito legal essa entrevista, mostra bem como é a vida do famoso Woz.
    Mas dá uma revisada no texto que tem vários erros de português e palavras faltando.

    • NickEllis

      Tudo corrigido, apenas cometemos o erro de publicar a versão que não tinha sido revisada.

  • Jaison Carvalho

    O detalhe interessante é que a dupla nunca usou o aparelho para fazer ligações

    E aquela historia de que eles ligaram para o papa ?

    • NickEllis

      Lenda urbana, eu acho. Fizeram trotes mas não usaram pra ligar pra ninguém de verdade. 😉

      • Felipe Fritzen

        Pô, que triste isso 🙁

  • Davi Braga da Rocha

    O 8º Parágrafo está cortado:

    …”Na garagem, os dois criaram o Apple I, que foi” ?

    • NickEllis

      Tinha faltado o resto da frase, pode ler que está lá. =)

  • Alexandre Machado

    Excelente entrevista, parabéns, mas tenho algumas críticas. Computação wearable? Custa escrever tudo em português? Se lá nos EUA eles escrevem tudo na própria língua, porque aqui não? Duvido que não haja termo ou expressão em português que possa ser usado no lugar. Além, o texto foi escrito e não foi revisado.

    • NickEllis

      O texto já foi revisado. Sobre a computação wearable, eu desconheço um termo aceitável em português, mas coloquei o termo em itálico.

  • NickEllis

    Verdade, mas não usaram para ligações de verdade.

    • Leooo

      Até porque um trote não é uma ligação, né, se fizeram um trote por telefone é uma ligação, se usaram para ver se a bluebox funcionava também conta como uma ligação.

  • A Máquina Troll

    Desculpem a sinceridade…mas….

    “Inventar”
    não é transformar artigos já existentes em peças caras e
    “exclusivas”…..Na verdade nada mais se endeusa do que apenas a
    capacidade
    dos sujeitos de saberem vender as coisas…Ser bons de marketing…Inclusive a
    ponto
    das pessoas realmente acreditarem que este sujeito e o jobs foram gênios
    inventivos………

    O Steve Jobs foi um grande empresário somente isso…O
    Steve Jobs foi um gênio do marketing e do capitalismo estadunidenses….É
    dele a frase: “O consumidor não sabe do que precisa, assim criamos a
    necessidade para ele”…. Todos os fanáticos por tecnologia são suas
    melhores vítimas, alem de serem maus brasileiros, pois nenhum centavo do
    que gastam fica aqui…90% da Apple é marketing outros dez por cento é a
    legião de alienados que os seguem……Ibobos com seus telefones
    descartáveis chineses , feitos pela foxcom com
    trabalho escravo e pagar 2699 nessa porcaria….Os caras se acham o máximo
    tem até uns bobos aposentando máquina digital e fotografando com essa
    porcaria e achando 10. rs r s rs ….

    As empresas de hoje fazem seus
    produtos pra que sejam descartaveis,
    carros que com qualquer batidinha se se desmontam todo, prdutos que
    antigamente prezavam pela durabilidade e qualidade, hj prezam só pela
    aparência. E as pessoas comprando sem ter condição, se enfiando em
    dividas pra viver de aparência, pois a imprensa e a Tv procuram fazer as
    pessoas se individarem, pra sustetarem as empresas multinacionais que
    só vem aqui fazer o brasileiros deixarem seus salarios minimos
    comprometidos com os prdutos sem qualidade que tentam nos impor…..

    Isso
    é tao forte aqui que posso garantir que se eles decidirem dizer
    que veneno é bom p saude e que morrer aos 30 é a melhor solucao eles
    vao vender isso! Simplesmente porque eles usam essa maxima do Steve Jobs
    “O consumidor não sabe do que precisa, assim criamos a necessidade
    para ele”. Outros chamam isso de “felicidade” ou “sonhos”. E exatamente
    isso que eles vendem: a ideia de que voce precisa disso ou daquilo para
    ser verdadeiramente feliz…..

    • NickEllis

      Cara, se você não sabe reconhecer o valor do que o Steve Wozniak e o Steve Jobs criaram naquela garagem, sugiro que você leia outro site.

      • A Máquina Troll

        Desculpe senhor Nick Ellis…é a minha opinião….Só no Brasil que iPhone é artigo de luxo mesmo, vc tá certo…..De acordo
        com site da apple, um iPhone 5 de 16GB custa no Brasil [R$ 2.299,00]….Já
        nos EUA, o mesmo iPhone 5 de 16GB custa $199 dólares com operadora a
        escolha, ou seja, em reais, aproximadamente R$ 443,13 reais….

      • A Máquina Troll

        Outra coisa senhor Nick Ellis…em meu comentário eu reconheço eles sim…no campo de marketing…..no campo da publicidade…nesse campo sem duvidas nenhuma eles foram revolucionários e até pioneiros…tanto que são copiados até o osso…copiados descaradamente e até o osso mesmo por grandes empresas…para a indústria do marketing e publicidade eles foram revolucionários e pioneiros…são a principal referencia atual no mundo da publicidade e do marketing…prêmios..artigos…matérias…varias coisas a respeito disso já foram feitas…

        • Wallacy

          Se teve o prazer de conhecer o Epcot, deve saber que a atração principal, Spaceship Earth, que é muito mais antiga que o Macintosh, foi atualizado apenas duas vezes uma delas para inserir uma referência ao Woz na garagem do Steve. Isso muito antes do iPhone quando a Apple estava falindo.

          Quem nunca ouviu falar dos garotos na garagem? Filmes, livros etc da década de 80/90 e início de 2000 falavam sobre isso. Mas só recente veio essa mania de questionar um marco mais que aceito. Tenho livros de 1992 quando ninguém tinha computador aqui no Brasil direito onde em uma aula de “informática” contavam a história dos “garotos na garagem”.

          Sinceramente só vejo pessoas novas no mundo na informática (10 anos pra cá) repetindo as coisas que você diz. É de conhecimento geral que antes do Apple I e II a computação pessoal era apenas um sonho. Jornais da época, etc. Tudo!

          De fato não vejo motivo para endeusar tanto assim a empresa pelos seus produtos atuais. Adoro o MacBook mas não gosto do iPhone por exemplo. Mas gostar ou não não muda o fato que historicamente a Apple, Steve e o Woz tiveram seu lugar na história da computação pessoal. Assim como Bill Gates e muitos outros nomes.

          • A Máquina Troll

            o objetivo dessas empresas e seus publicitários são de vender a
            marca/logotipo e não o produto em si.e não a qualidade do produto como antigamente.por
            isso as estampas de marca/logotipo são
            espalhafatosas,escancaradas e enormes.o objetivo hoje é somente fazer vc comprar a
            marca e não o produto em si.por isso hoje apenas se centram em criar/passar uma áurea
            de personalidade e identidade em torno da marca/produto….em cria…associa
            estilo…comportamento…jeito de ser e pensar a um produto/marca…..um exemplo
            notório atualmente são os usuários da Apple….assista ao documentário no you tube “a historia das coisas”…tem no you tube completo legendado ou dublado…

          • Wallacy

            Isso não tem nenhuma relação direta com meu comentário. São coisas distintas ainda que envolvam alguns personagens em comum.

          • A Máquina Troll

            O senhor apenas corroborou/reforçou ainda mais o que levantei aqui…que esta empresa/e seus criadores foi realmente bem sucedida,eficiente,revolucionaria e pioneira no campo do marketing e da publicidade…..nesses campos eles realmente fizeram sucesso….fizeram algo impressionante…nisso os estadunidenses eu reconheço realmente são de longe os melhores/mestres do mundo…ninguém se iguala a esta gente nos campos do marketing..da publicidade e guerras de propagandas…assim como nos psyops…

          • Wallacy

            Foi o que você entendeu. Não o que eu disse.

            Reintero a passagem: “É de conhecimento geral que antes do Apple I e II a computação pessoal era apenas um sonho. ”

            Você está muito equivocado em não dar o merecido crédito a Apple e seus fundadores.
            Voltado ao primeiro paragrafo de meu comentário. Muito antes de você e muitos outros se quer ouvirem falar da Apple ou Woz já haviam reconhecido que eles faziam parte da história da informática. Não tem nada de propaganda nisso, é apenas um fato que você tenta ignorar. Eles não foram os únicos contemporâneos que devemos considerar. Mas são… como diria o Doctor Who, um ponto fixo no tempo. Uma referência, ou como prefiro, um marco na história.

          • A Máquina Troll

            senhor Wallace..a computação pessoal já existia muito antes de Apple I
            e II……quem esta ignorando as coisas aqui é o senhor…o senhor esta
            se baseando apenas em retóricas sem pé e nem cabeça…em retóricas
            vazias e sem sentido….quem esta de negação velada aqui é o
            senhor…..só estão faltando vcs dizerem aqui que esta gente/empresa
            inventou o computador e a internet…..porque já falaram de tudo…que a
            computação pessoal foi invenção deles…que sem eles nada seria como
            hoje…quem sem ele não teríamos nada que temos ou usamos hoje…que
            não teríamos computador…internet…e não sei o que mais..até já
            disseram aqui que a coisa salva ou muda vidas….rs…o único marco que deixaram na historia foi no campo da falcatrua…da malandragem…
            se tornaram marcos da historia sim…como empresários “malandros” bons de lábia, oportunistas e sem
            escrúpulos…que souberam se fazer com muita maestria,lábia,malandragem e esmero…

            é este o modelo de consumidor que as indústrias de
            propaganda/marketing visam modelar hoje…pessoas alienadas e
            manipuláveis…

          • Wallacy

            Primeiro: parede fe falar com “/” existem palavras no nosso português suficientes para usar apenas uma.

            Segundo: Me de um exemplo, apenas um exemplo de computador pessoal de acordo com os conceitos modernos aceito pelo mercado antes do Apple I? Apenas um.

            Lembre-se antes do primeiro avião, outros voaram. É necessário parâmetros para se criar marcos.

            Outra coisa : Se você não for um analfabeto funcional, deve ter lido o primeiro exemplo do EPCOT, que remete 1983,muito antes da Apple ter dinheiro para qualquer coisa.

            Por isso citei os casos dos anos 80/90/00 caso voce tenha mais de 20 anos vai se lemrsr que antes do lançamento do iPhone ninguém dava credito a Apple , lembro-me muito bem de um analista de mercado dizer que seria um fracasso completo, e que a única contribuição ao mundo que ela tinha dado era o Apple II. Ninguém esta repetindo nada, eu vivi isso. Falo com propriedade poia vivi a computação na década de 90 e sei muito bem que todos eram fã de Woz mesmo sabendo que a Apple era uma empresa quase falida e ele não tinha dinheiro nem para viajar direito.

            Essa conversinha de marketing é recente, repetida por pessoas inexperientes como você qw acha que a Apple sempre teve o poder financeiro de hoje.

            Pergunto então: Quem é o patrono da computação pessoal se não Woz? Você deve saber. E não venha me dizer Turing, ele é o patrono da computação como um todo, antes de existir computadores pessoais. E só como nota, ele também só recriou o que já existia na época também.

            Vamos lá, me diga o nome do patrono da computação pessoal que precede Woz e Jobs.

          • A Máquina Troll

            Sabendo o que sei e sabendo o que sabes e o que não sabes e o que não sabemos….Ambos saberemos se somos sábios….Sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores……….

            Em baixo da pia tem um pinto que pia…Quanto mais a pia pinga mais o pinto pia……..

          • Luiz

            Deixa cara, é um troll, não alimente mais.

          • Luiz

            Deixa cara, é um troll, não alimente mais.

        • Sander Manzoli

          Senhor Charles Dal, não tens a menor idéia do que fala. Vai MUITO, mas MUITO além do marketing e inteligência de Jobs. Wozniak é um criador genial, um super dotado, um monstro, um Deus técnico, um cara que sabia 100% de hw e sw.

          Eu tive um Apple II com 11 anos, em 1984. Fiz com 12 anos funcionar um controle de telejogo nele, como paddle, rsrsrs… com 13 anos tinha livros de graforth, assembler do 6502, e de Lisp… tudo graças ao Wosniak que eu idolatrava. Leia alguns livros, assista piratas do Vale do Silício, e se espante com Wozniak.

          • A Máquina Troll

            “Wozniak é um criador genial, um super dotado, um monstro, um Deus técnico, um cara que sabia 100% de hw e sw.”

            hahahaha…..viixxxxiiii…..é por isso que vc troca Jesus é senhor Sander?!..é por isso que vc troca sua religião é?! aaaffffff Maria….Jeeesssuuussss..

          • A Máquina Troll

            acho que vislumbro o nascimento de mais uma nova seita…a apple pentecostal…hahahaha….acho que vislumbro o nascimento de mais uma nova dessas seitas bizarras….rs..

          • Sander Manzoli

            Sou ateu, sorry.
            Volte pra escola. Vejo vc sedento por conhecimento (o que é ótimo), mas pelo jeito não caminhou nada ainda. Não creio que seja burro, apenas desinformado e ingênuo. provavelmente bastante jovem (espero, para sua sorte, rsrsrs).

    • AndersonCavalcanti

      “…produtos que antigamente prezavam pela durabilidade e qualidade…”
      É, concordo. Antigamente, muito antigamente. Se você sabe quem é Edward Bernays, entende que isso não é recente, então qualquer um de nós que não seja aposentado por idade, não vai lembrar dessa época.
      A diferença é que a obsolescência percebida e os custos de manutenção acentuaram isso: se na década de 80 era comum levar a TV para o conserto para resolver um tal de “flaibeque” ou o seletor de canais giratório, como medo de ser o “tubo”, hoje o orçamento de conserto de um eletrônico custa quase como um produto novo. Não adianta.
      Deixa eu dar um exemplo pessoal:
      Tenho um Moto G, custou barato (mesmo para padrões brasileiros), e nele eu tenho duas dúzias de funções que seriam aparelhos que eu opto por não comprar (câmera, player de música, etc.). Assim como um canivete suíço, desempenha muitas funções, mas nenhuma delas tão bem como o aparelho dedicado. Não há como fazer uma monografia no editor de texto, assim como não é bom ter um Victorinox como sua única faca em casa.
      Aí é que está o ponto: se não fosse por esse par de Steve, e o iPhone – que eu não compraria – não haveria smartphones que fazem a diferença na vida de milhares de pessoas, no mundo inteiro. Eles criaram ou melhoraram parâmetros de época. Celulares e smartphones, tais como são hoje, salvam vidas, fazem transações comerciais e bancárias, geram empregos, renda, trabalho, são a verdadeira inclusão digital, uma mudança de paradigma. Aos poucos, smartphones se tornam como canetas Bic, todos usamos e precisamos, mas sempre há quem queira status e prefira canetas de mogno, ouro, tipo tinteiro, etc, etc. Que pague por isso, que ache que é status, mas no fim, escrever é o que importa.
      Quanto as críticas ao tipo de mão de obra que produz iPhones, concordo, mas não podemos esquecer dos tênis, das roupas, todos os eletrônicos, aliás, até da comida. Qual alternativa? E a Cargil, Monsanto, etc.?
      Que as pessoas façam o melhor uso de seu tempo de vida, digo, trabalho, digo, dinheiro, e troquem pelo que quiserem e que isso as faça felizes como no comercial de margarina. Ou não. Ou comam manteiga caseira.
      Seja o exemplo que você quer ver. Mas precisamos reconhecer o mérito (nem que seja dentro das regras erradas dessa época).

      • A Máquina Troll

        “Aí é que está o ponto: se não fosse por esse par de Steve, e o iPhone –
        que eu não compraria – não haveria smartphones que fazem a diferença na
        vida de milhares de pessoas, no mundo inteiro. Eles criaram ou
        melhoraram parâmetros de época. Celulares e smartphones, tais como são
        hoje, salvam vidas, fazem transações comerciais e bancárias, geram
        empregos, renda, trabalho, são a verdadeira inclusão digital, uma
        mudança de paradigma.”

        repito , reitero e ratifico….esta empresa não criou,inventou ou revolucionou NADA…a não ser o marketing e a publicidade…os smartphones não foram criados ou evoluídos/revolucionados por eles……nem o controle por toque essa empresa nunca teve nada a ver….que alias…cai entre nós…essa tecnologia é igual a da chamada por voz….legal,hi tek e interessante mas inútil….não tem funcionalidade alguma…pura modinha….rs..

        • AndersonCavalcanti

          Se eles não criaram, juntaram as peças espalhadas num tabuleiro, o mérito ainda existe, e então aproveitaram pra se promover (e enriquecer) muito.
          Sem eles, teríamos computadores com uma só fonte, celulares com telas resistivas E teclados, aplicativos em Java pré-instalados. PC ainda usariam CDs. Ou disquetes maiores. Os outros correram/correm atrás. E isso muda tudo. Claro, há quem exagere, e vá pra uma fila comprar o próximo iDevice sem nem saber o que é, ou defenda o cagada que foi o ‘antenagate’ ou o Maps do iPhone como se fosse vantagem. Não são infalíveis, mas ditam – sem entrar no mérito capitalista da coisa – tendências e caminhos de toda a tecnologia de uso pessoal atualmente. Assim como o Google. Ou a Amazon. São empresas, buscam lucros, enquanto vendem produtos e serviços, e aproveitam pra tentar convencer a todos que você será mais sexy/descolado/ecológico/inteligente se comprar deles. Mas em algum momento essa tecnologia cai de preço e fica acessível (e útil) a (quase) todos. Quando uso meu PC com Ubuntu, ou meu Android, sou grato aos que contribuíram com o código, com interesses altruístas ou não. O fato é que esses caras já são A história. Ninguém lerá a nota de rodapé explicando que tais tecnologias já existiam, apenas foram reunidas.

          • A Máquina Troll

            “Uma Mentira contada mil vezes, torna-se uma verdade.”

            “Nós não falamos para dizer alguma coisa, mas para obter um certo efeito”

            Joseph Goebbels

          • Luiz

            Alguem bani esse Charles chato pfv, tá incomodando tanta ignorancia. não alimente o troll.

          • Luiz

            Alguem bani esse Charles chato pfv, tá incomodando tanta ignorancia. não alimente o troll.

          • Luiz

            Alguem bani esse Charles chato pfv, tá incomodando tanta ignorancia. não alimente o troll.

      • A Máquina Troll

        “Quanto as críticas ao tipo de mão de obra que produz iPhones, concordo,
        mas não podemos esquecer dos tênis, das roupas, todos os eletrônicos,
        aliás, até da comida. Qual alternativa? E a Cargil, Monsanto, etc.?
        Que
        as pessoas façam o melhor uso de seu tempo de vida, digo, trabalho,
        digo, dinheiro, e troquem pelo que quiserem e que isso as faça felizes
        como no comercial de margarina. Ou não. Ou comam manteiga caseira.”

        ~~

        “Quais são
        as
        diferenças entre Mark Zuckerberg e eu? Eu dou informação confidencial
        sobre as empresas para você de graça e eu sou um vilão.Zuckerberg dá
        sua informação privada para corporações para o dinheiro e ele é o homem
        do ano”

        Assange.

    • Rafael Carvalho

      Beijinho no ombro que o recalque passa longe…

      “Uma Mentira contada mil vezes, torna-se uma verdade.” – Verdade. Você só repete o que a legião de hater diz: bla bla bla “jobs era marketeiro” bla bla bla “legião de alienado”. Devia ao menos usar algum fato pra basear seu argumento. Ad Hominem é coisa de criança.

      Brasileiro tem memória curta e esquece o que o iPod e iTunes representou pro mercado musical mundial (que estava quebrado).

      Esquece que a Google se cagou toda quando viu o iPhone 1 (quem usou o Windows Mobile como eu sabe o sofrimento que era “smart phones” pré-iPhones) e hoje temos maravilhas nas mãos (Uso um MOTO G mas fui usuário do iPhone 4 desde o seu lançamento…)

      Esquece que se n fosse o fato dele “criar necessidades pros consumidores”, provavelmente o computador demoraria mais algumas décadas até ser realidade.

      Profissionais de diversas áreas preferem produtos da Apple não por marketing, mas pela qualidade dos seus programas.

      A simplicidade com que tudo é feito nos seus produtos chega ao ponto da minha filha de 3 anos usar um ipad ou iphone praticamente só. (Lembrando que essa simplicidade esta sendo vista também nos androids e a cada versão, melhora).

      E se você acha que bens de consumo maravilhosos como iPhones, iPads, Androids, PCs, carros, TVs não te dão satisfação, faz feito Thoreau e vai pro meio da mata. Simples 😀

      • A Máquina Troll

        é este o modelo de consumidor que as indústrias de
        propaganda/marketing visam modelar hoje…pessoas alienadas e
        manipuláveis…que cultuem/idolatrem uma marca ou produto…..não uso um smartphone porque é de marca tal…e sim por suas funcionalidades,capacidades ou qualidades…por seu custo beneficio…só alienados mesmos é que viram/são “fãs” de empresa ou marca…o empresario lá esta se lixando pra ti…ele esta faturando e rindo a toa..ele esta rico…faturando em cima de lábias,falácias e guerras de propaganda….enquanto vc esta ai na sarjeta pagando de banana…de bufão…de trouxa…por isso que este pais nunca será desenvolvido,valorizado ou respeitado….por isso que o povo deste pais nunca será nada nessa vida…nunca terá futuro algum…por isso que ninguém respeita ou valoriza o povo deste pais…pois é um povo que em sua maioria não se respeita…não se valoriza…que não se da ao respeito…povo que se valoriza e se respeita é valorizado e respeitado pelos outros….povo que não se valoriza…não se respeita…que não se da o respeito…não é valorizado ou respeitado mesmo…um Ex/prova?!…por varias décadas este pais é um dos maiores consumidores dos produtos desta empresa no mundo…este pais figura entre os 5 maiores consumidores desta empresa no mundo…e só ontem…só ontem inauguraram uma loja neste pais…depois de varias e varias décadas de desden,desvalor, desrespeito e muitos lucros em cima dos otários/trouxas daqui é que inauguraram uma loja…rs..assisti abismado no jornal nacional de ontem…isso sem falar nos lançamentos que são feitos no mundo inteiro menos aqui…nas coisas novas que são lançadas mas só chegam aqui depois de muito e muito tempo…já quase ou mesmo fora de linha….e só aqui mesmo..que reaambrem fabricações de modelos avulsos…que botam pra refabricar modelos antigos e avulsos especialmente para nós..pois sabe bem que brasileiro é trouxa e aceita tudo de forma passiva que é imposto…..não é a toa que sempre existem corruptos e oportunistas nos governos deste pais…faz tempo que os brasileiros são roubados pelo mercado
        internacional/empresas notorias que atuam neste lixo de pais, o papo
        furado é sempre os impostos, mas na realidade a margem praticada aqui é a
        maior do mundo(Lucro brasil). Eles se aproveitam desses problemas dos
        impostos/taxas para fazerem isto….certa vez o presidente de uma certa
        grande montadora instalada aqui foi entrevistado no Brasil por uma
        réporter que perguntou: Porque os carros de sua montadora são tão caros
        aqui no Brasil? Resposta: Simples, os brasileiros aceitam o preço e
        pagam.Temos que tirar essa diferença no Brasil, os europeus, japoneses e
        americanos não aceitam preços altos e não pagam é dificil vender para
        eles, Conclusão ,Paguem preços altos por carros como o Civic e Corolla
        achando que são os playbos enquanto esses carros são veículos de pobres
        nos EUA, paguem [email protected]#$%! Nos EUA, Honda Civic é lixo, aqui é carro de
        luxo. Carros ultrapassados e fora de linha no mundo inteiro são os mais
        vendidos no Brasil!! Parte do lucro das montadoras, dinheiro
        contabilizado, serve para azeitar a máquina governamental, dinheiro não
        contabilizado ou caixa 2, via corrupção. Durante as investigações sobre
        um notorio ex-presidente, foi apurado que certa outra
        grande montadora instalada aqui
        havia-lhe dado 300 mil dólares para a campanha. O mal do Brasil é o
        brasileiro!!!Tudo isso é apenas uma síntese de como o mercado
        internacional nos enxerga.TUDO aqui é mais caro, TUDO custa duas, três,
        quatro vezes mais que no resto do mundo.Isso vale para sabonete, comida,
        roupa, imóvel, eletrônicos e automóveis….a coisa toda não tem nada a ver com o governo…e sim com o próprio brasileiro que
        não valoriza o próprio dinheiro….Os impostos são muito similares à todos
        países do mundo o que diferencia os outros de nós é que se as
        montadoras ou empresas pedem lucros estratosféricos como pedem aqui lá fora não
        vendem nenhum carro enquanto que aqui além de comprar o brasileiro
        muito esperto ainda faz um financiamento para pagar 2 ou 3 carros
        superfaturados….E assim o mercado vai subindo o preço já que quem
        deveria ditar o preço a ser pago não está nem aí se estão pagando muito
        mais….

        • Sander Manzoli

          Depois de tudo que li, vc é o cúmulo do manipulado e alienado, um poço de falta de informação, que acredita em que tudo que lê e que vive de “cultura de facebook”, onde toma por verdade milhares de falácias e bobagens. praticamente TUDO o que vc escreveu está infelizmente errado, reconsidere suas fontes. Suas lendas urbanas estão extremamente exageradas, pare de ouvir Nelson Rubens e ler apenas o Facebook, por favor.

        • Felipe Fritzen

          Apenas repense as coisas que você diz e pare de se achar especial.
          É perceptível que você busca o conhecimento mas infelizmente o busca de forma errada e não filtra a verdade da mentira.

          Por favor amigo, stay hungry, stay foolish.

        • Felipe Fritzen

          Apenas repense as coisas que você diz e pare de se achar especial.
          É perceptível que você busca o conhecimento mas infelizmente o busca de forma errada e não filtra a verdade da mentira.

          Por favor amigo, stay hungry, stay foolish.

    • Philippe Hardardt

      olar
      fali.meu.amigo

  • A Máquina Troll

    mas senhor Nick Ellis…independente dos meu pontos de vista ou criticas…eu o parabenizo pela reportagem/entrevista…foi realmente um feito…foi algo realmente exclusivo e grandioso….e aproveito o momento também para fazer uma suplica…que vc de mais atenção ao digital drops e o blog de brinquedo…..o digital drops é muito abandonado…sou fã de seus blogs….principalmente ao digital drops e o blog de brinquedo…aqui também…apenas acho que vc deveria da uma atenção igual aos seus 3 blogs…vc da muita atenção/exclusividade a aqui…

    • NickEllis

      Não é pra ser nada grandioso, só um papo entre um grande mestre e um de seus admiradores. O Blog de Brinquedo é mantido com honras pelo meu irmão, mas as minhas funções de administrar o site onde eu trabalhava e agora os 3 blogs, infelizmente me tiram o tempo para escrever, mas estou trabalhando para melhorar isto. Agora eu te digo uma coisa, o blog onde eu mais escrevo continua a ser o DD.

  • Caio Barros

    Obrigado pela entrevista!
    Só uma coisa me incomodou: o texto antes da entrevista precisa de uma revisão ortográfica, pois está faltando algumas letras e palavras. Estas faltas não mudaram muito o sentido do texto, mas é uma pena ler algo tão bem elaborado com erros assim.

    • NickEllis

      Sinceramente já corrigi algumas vezes e não descobri mais erros.

      • Felipe Fritzen

        Hey Nick, essas partes do texto ficaram meio estranhas, mas é só corcondância mesmo…

        Em 1976 Steve Wozniak mudou o mundo ao construir o Apple II, “que iria revolucionou” completamente o cenário de tecnologia existente até então, “criando dando início” a era dos computadores pessoais. Seu produto foi vendido de forma brilhante por Steve Jobs, no que se tornou o primeiro sucesso da Apple. Depois “de passarem conhecerem” os projetos secretos da Xerox, Steve Jobs, Steve Wozniak….

  • Brunna Paese

    Muito boa a entrevista, bom saber um pouco mais de quem possibilitou avanços e tecnologias como as de hoje. O cara é mito.

  • Philippe Hardardt

    Uma pena que tenha ficado tão curto! Ontem mesmo eu terminei de ler a autobiografia do Woz (iWoz: computer geek to cult icon) e admiro muito a forma como ele enxerga o mundo e como os valores dele fogem do convencional (nunca acho importante ser um milionário por exemplo).
    Achei fantástico como ele investiu em diversas coisas, desde a máquina de contar piadas até o US Festival, um evento musical xicante nos EUA.
    A história da Apple não é completa se você não conhece a vida do Mestre Woz

  • Davi Braga da Rocha

    Protocolo ZICA?

  • Davi Braga da Rocha

    Protocolo ZICA?

  • Pingback: Sala da Justiça do MB #6: os polêmicos Facebook e G+; hackers no Kickstarter; o lucrativo Clash of Clans; entrevista com Woz, MacGyver e muito mais!()

  • Pingback: Graças ao iPhone 6, Steve Wozniak dá adeus ao Android()

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis