[Review] – Kerbal Space Program

2013-07-28_00002

Em 1994, passeando pelas lojas do Centro do Rio, vi algo incrível: Um jogo chamado Microsoft Space Simulator. Mesmo sem nenhuma informação além da caixa, comprei na hora. Usando o engine do Flight Simulator, o Space permitia que você escolhesse entre 14 naves, de modelos ficcionais a shuttles e módulos Apollo, e as colocassem em cenários variados.

Era muito complicado colocar um shuttle em órbita na unha, mas quando a gente conseguia, pulava igual sala de controle em filme de Hollywood. Pegar uma das naves ficcionais, acelerar o tempo e ver o Sistema Solar, as estrelas próximas e depois até o grupo local de galáxias se afastando era lindo, e 3 anos depois, quando vimos a abertura de Contato, os jogadores do Space Simulator murmuraram baixinho “já fiz isso!”

Passam-se os anos, brinco com Orbiter e vários outros simuladores, e finalmente encontro um jogo que passa a mesma sensação de deslumbramento, a mesma atitude positiva, a mesma alma do Space: É o Kerbal Space Program.

Os Kerbals são uma espécie alienígena que vivem em um sistema solar descaradamente parecido com o nosso, com direito a um satélite chamado Mun.

82678PCN_Munn

Não essa.

Você comanda o Programa Espacial Kerbal, tem verba ilimitada para ir aonde nenhum kerbal jamais esteve, de preferência chegando em um pedaço só, mas para isso você precisa aprender a usar as Leis da Física a seu favor.

Seu cenário inicial é o que imagino se chame KSC – Kerbal Space Centre:

2013-07-29_00007

Você tem um Centro de Astronautas, onde gerencia seus Kerbals, um Prédio de Montagem de Veículos, onde constrói foguetes, uma Estação de Monitoramento, onde controla onde suas tralhas estão, espalhadas pelo sistema solar, uma Plataforma de Lançamento, onde as coisas explodem, e um hangar com pista, onde aviões, helicópteros e aviões espaciais podem ser construídos.

2013-07-28_00005

Existem toneladas de peças, de motores a jato até motores nucleares e iônicos. Você pode adicionar aletas de controle, antenas de comunicação, instrumentação científica, cápsulas para astronautas (que são capazes de sair das naves!), tudo.

Cada equipamento tem suas características próprias, uma missão até Marte (Ou Duna, como chamam no jogo) demanda motores capazes de menos propulsão mas maior autonomia. Um módulo Munar não precisa de motores a jato nem foguetes poderosos, mas motores leves e de resposta rápida.

Decolar é relativamente simples, se você não tentar criar nada (muito) ridículo subir o bicho sobe, mas daí a entrar em órbita…

2013-07-28_00012

Todo lançamento, depois que a propulsão é cancelada, entra em uma trajetória balística, percorrendo uma clássica parábola, igual àquelas que você aprendeu a fazer no colégio, com Equações de Segundo Grau, que todo mundo achava que não serviam pra nada.

Agora é hora de manobras de correção. Utilizando os controles do Kerbal, você determina a órbita que quer. Ele mostrará, no instrumento no inferior da tela, o tempo de queima necessário, quando iniciar a propulsão e a posição da nave. Depois que você pega o jeito, é tranquilo, e se tudo der certo… ÓRBITA!

2013-07-28_00014

Claro, no exemplo acima eu calculei uma órbita com um perigeu muito baixo, abaixo de uns 50 km a atmosfera de Kerbal é densa demais, começa a diminuir a velocidade da nave, e se você for bucha mesmo, se descobre em reentrada com uma nave cheia de combustível. Foi uma morte horrível.

2013-07-28_00028

As peças disponíveis são tão versáteis que dá para montar até um robô como a Curiosity. E nada ali é estético, os motores demandam eletricidade, que retiram das baterias recarregáveis que por sua vez dependem dos painéis solares, que fornecem uma quantidade variável de energia, baseado na intensidade e ângulo do Sol. Deu pra sentir a complexidade do negócio, né?

2013-07-28_00020

Você (você, não eu, ainda estou engatinhando) pode construir estações espaciais para reabastecer suas naves e alcançar os outros planetas através de trajetórias mais rápidas, o que é essencial se você quiser explorar as luas de Jool.

Tirando os planetas, tudo no KSP é modelado através de dinâmica newtoniana. Estruturas instáveis se desintegram sob pressão, abrir o pára-quedas em alta velocidade é péssimo pra saúde dos astronautas (quase tão ruim pra eles quanto a vez em que esqueci de incluir um pára-quedas na cápsula de pouso) e a gravidade, como diz o ditado, é uma bitch.

2013-07-29_00009

Essa gambiarra aí de cima por exemplo, até voa, mas os foguetes auxiliares da base se soltaram, eram pesados demais pro suporte onde estavam presos.

2013-07-29_00014

Experimentar com vários modelos e criar foguetes de vários estágios é essencial, bem como saber a hora certa de ejetar cada um. Na imagem acima desperdicei dos foguetes auxiliares, mas consegui cumprir minha missão de transformar um satélite de comunicação em sonda subterrânea.

2013-07-28_00019

Em sua primeira viagem para a Lua Mun, você dá de cara com o clássico Problema dos 3 Corpos: Um corpo A tem que sair da esfera gravitacional do Corpo B, encontrando e entrando na influência de C, sendo que os três estão em movimento. Parece complicado, e é. Foi preciso um tal de Newton para resolver essa bagaça.

Uma parte MUITO legal do Kerbal Space Program é que ele atraiu uma comunidade imensa, não só de gamers aleatórios como a gente, mas cientistas da NASA, entre outros. Gente que REALMENTE coloca naves no espaço curte o brinquedo.

No Reddit são quase 40 mil inscritos na /r Kerbal Space Program. O Fórum Oficial tem 74 mil membros. O Kerbal Space Port é uma comunidade de mods que disponibiliza AddOns que vão de pilotos automáticos e cenários de missões clássicas, a naves, muitas naves. Entre elas…

2013-07-28_00049

SIM, macacada! A Fucking USS Enterprise, e a original, NCC-1701, sem nenhum maldito A B C, D ou E! Ela tem combustível quase infinito e uma aceleração imensa, em alguns minutos atingi velocidade de escape do sistema solar, sem-querer. Só que como ela não tem (ainda) capacidade de dobra, está restrita à física newtoniana, o que torna tudo mais interessante.

Também tentei fazer uma manobra de estilingue no Sol, mas ao invés de acabar no Século XX atrás de nuclear wessels, me desintegrei na superfície solar. Gravidade É uma bitch.

O mais impressionante é que o Kerbal Space Program está em ALFA. Ainda há muito o que fazer, os desenvolvedores querem modelar atmosferas em detalhes, efeitos de raios cósmicos, manchas solares, asteróides, mineração espacial, cidades, sistemas climáticos e muitas outras coisas que você não percebe que estão faltando.

Desenvolvido pela mexicana Squad, o Kerbal Space Program é um dos melhores exemplos de que jogos indie podem ser ambiciosos e entregar a qualidade prometida. Ele tem versões para PC, Mac e Linux, roda na engine UNITY, e custa R$ 44,99 no STEAM, valendo cada centavo disso.

Aqui um trailer antigo mas que já dá uma boa idéia do brinquedo:

Links Úteis:

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Felipe Fritzen

    Parabéns pelo post Cardoso!
    Me deu uma vontade imensa de jogar!
    Compra garantida já!

  • dankasmoraes

    puta merda! só vou ter dinheiro no fim do próximo mês…

  • Eros

    Realmente dá uma vontade absurda de jogar, pela qualidade do post!

  • Marcelo Eiras

    Comprei o jogo. Mas não consigo fazer uma orbita decente, quiçá chegar a outro lugar.
    =( Onde acho tutorial, de preferência em portugues.
    Não entendi muito para que serve os aviões.

    • Vinícius Cordeiro

      Os aviões servem para missões com espaçonaves reutilizáveis. Ônibus espacial, alguém?

      Já tutoriais em português são difíceis de achar. :-/ Achei vários em inglês, entretanto.

      • Marcelo Eiras

        Mas como fazer uma espaçonave reutilizável com o avião ? Eu até pensei em fazer o avião que levasse um foguete. Quando chegasse a máxima altitude possível fosse lançado o foguete.

      • Marcelo Eiras

        Os tutoriais em pt fazem falta. Dá até saudade de orkut que tinha comunidade ativa de tudo quanto é jogo, enquanto o moderno e cool facebook só serve para ver fotos do 9gag e de gatos. =/

        • Bruno Rocha

          OLHA CARA, NÃO É ASSIM, PRIMEIRO QUE

          sim, é verdade.

    • JORGE_TC

      Creio que os aviões sirvam para exploração submarina. #FikaDika 😛

    • Carlos Magno GA

      As instruções, pelo menos pra mim, não ajudaram muito, e a Wiki deles ainda está incompleta.

      Estou jogando o demo na Steam. Quando construir o seu foguete, você pode construir estágios colocando um tanque de combustível embaixo do foguete que ele já constrói o estágio automaticamente.

      Para testar, pega um módulo de comando, coloca um tanque embaixo e na seqüência um foguete. Em cima do módulo de comando, inclua um pára-quedas e clique em lançar.

      Na plataforma de lançamento, aperte LShift para aumentar a potência dos foguetes e LCtrl para diminuir. Não coloque em 100% de cara para não danificar o módulo de comando ou matar o seu piloto com a aceleração. Aperte espaço para ligar os motores e aumente gradualmente a potência até 100%. Quando o combustível acabar, separe o módulo de comando do tanque de combustível (barra de espaço) e espere até uns 1000 metros de altura para abrir o pára-quedas (barra de espaço).

    • Rodrigo Oliveira

      Aviões são bem mais difíceis de construir e de dominar. Como você ainda tá no início, fica nos foguetes que é melhor.

      • Marcelo Eiras

        Mas qual o objetivo dos aviões na exploração espacial ?

        • Rodrigo Oliveira

          Aviões espaciais? 😀 http://en.wikipedia.org/wiki/X-33

        • Jean Souza

          Você pode construir um avião que lança foguetes em multi-estágios, ou “spaceplanes” aviões que também sirvam pra ser usados no espaço, ou até foguetes que quando chega em outros planetas voem na atmosfera desse novo planeta já que alguns planetas tem atmosfera parecida com a de Kerbin(planeta que você começa). Sua imaginação manda aqui.

    • Jean Souza

      Infelizmente em inglês, mas aprendi muito com os tutoriais do Scott Manley no youtube. É melhor lugar que posso citar aqui se você quer aprender a jogar KSP.

    • Gustavo Vasconcelos

      Achieving Orbit in KSP 101.
      – Módulo de tripulação MK1
      – Tanque de combustível líquido
      – Propeller de combustível líquido
      – Detacher vertical na lateral, simetria x4 ou maior
      – Tanques de combustível sólido na mesma simetria de acima
      (Pára-quedas opcional, dependendo da sua intenção de trazer os kerbins de volta ou não)

      Vôo:
      – Liga a bagaça
      – Sobe até uns 30km
      – Inclina a nave uns 45º
      – Quando acabar os tanques sólidos, ejeta o estágio
      – Quando atingir o apogeu, faz uma queima na horizontal (crie uma manobra pra isso)
      – Órbita. Ou não. Afinal isso é ciência de foguete.

  • Di

    Já tinha visto na Steam, mas ainda não tinha me interessado até agora =] Belo post!

  • Wagner Felix

    Fantástico é que isso prepara e abre a possibilidade da garotada se interessar por essas coisas mais cedo.

    • OverlordBR

      Pensei nas criancinhas… (opa, esta frase ficou estranha).

      Ia até perguntar para o Cardoso se o “jogo” possui algum módulo mais básico, que juntasse a parte “divertida” com algumas noções básicas de Física.

      Seria sensacional a criançada aprender assim!

    • Bruno Rocha

      Essa geração 20-30 anos assistia muito filme de ficção científica espacial

      Contato,
      Impacto Profundo, Argmageddon, que de verta forma influenciaram
      bastante a curiosidade sobre o espaço, coisa que a geração pirralha
      atual nem sabe o que é.

  • Já faz um tempo que esse treco faz horas do dia parecerem minutos. Tenho que me cuidar pra não exagerar na dose.

  • MPChock

    Cardoso, já tentou fazer RAMA?

  • JORGE_TC

    Se eu me cansei só de ler, imagine jogar… Infelizmente não disponho de tanto tempo pra tal.

  • Rodrigo Oliveira

    Bacana, Cardoso. Agora já tenho um guia prático de apresentação pra eu mostrar pras pessoas onde enterro uma boa parcela de minhas horas vagas 🙂

  • OverlordBR

    Sinceramente, acho que foi o melhor post que já li no MeioBit. Parabéns, Cardoso!

  • Putz…
    Se eu soubesse que a parada era tão interessante assim tinha aproveitado a promoção na semana passada…

  • Pingback: [Review] – Kerbal Space Program - grupoalves.net()

  • NandoCanedo

    Em todo simulador de vôo que joguei, uma coisa que eu sempre tentava era levar o avião pro espaço. hahaha. Nunca funcionava. Na maioria dos casos eu dava de cara com uma barreira invisível que me aprisionava dentro da altitude permitida. Era frustrante.
    Quando testei o demo do Kerbal e vi que ele me deixava fazer exatamente isso, sair da atmosfera do planeta, eu tive que comprar hehe. Me lembrou o Space Simulator da Microsoft também. Apesar de que no da microsoft você não lidava com a aerodinâmica da atmosfera, só com a ausência dela, se me lembro bem.

    Ele ainda está sendo desenvolvido e ainda falta implementarem muitas coisas bacanas. Por enquanto é só um brinquedo beta divertido e com um tutorial meia boca. Mas as atualizações são frequentes e o potencial é imenso.

    • Bruno Rocha

      No FSX, você pode ir pro espaço se apertar F12, vai subir feito louco, e F9, pra descer rápido, ai aperta Enter pra cancelar. O problema é que quando para, você deixa de se mover, então cai de volta na atmosfera. Você precisa de velocidade pra se manter em órbita.

  • Bruno Rocha

    Muito legal, gostei. Estou jogando a demo agora.

    Eu me lembro de quando adicionei o Space Shutle no FSX e acelerava até ir pro espaço e entrar em órbita baixa.

  • Gustavo Vasconcelos

    Das coisas que aprendi em Kerbal Space Program: nunca, mas NUNCA MESMO, faça uma EVA durante a reentrada.
    http://steamcommunity.com/sharedfiles/filedetails/?id=156633655

  • Pingback: Capturando gameplay com o MSI Afterburner « Meio Bit()

  • Pingback: Capturando gameplay com o MSI Afterburner « Compubox Import()

  • Pingback: O vídeo espacial mais melancólico do dia « Meio Bit()

  • Pingback: Hoje tem lançamento pra Marte? Tem sim senhor!()

  • Pingback: Kit Kano: um projeto para estimular crianças a aprenderem programação()

  • Pingback: #Scicast: podcast une ciência, cultura e diversão de maneira inusitada()

  • Pingback: Quer que seu filho se interesse por programação? Dê um kit Kano pra ele | Rec Brasil()

  • Pingback: Marte com rios e oceanos? Sim, mas 4 bilhões de anos atrás()

  • Pingback: Kerbal Space Program será utilizado em salas de aula()

  • Pingback: John Frusciante transmite música de satélite do espaço? NÃO!()

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Walmart, Cupom de desconto Ricardo Eletro, Cupom de desconto Extra, Cupom de desconto Adidas, Cupom de desconto Submarino, Cupom de desconto Americanas, Cupom de desconto Casas Bahia