Laserscan–é alarme falso, mas uma marmotagem que pode até funcionar.

laserscan

Muitos (muitos!) anos atrás eu ia em encontros do Serra BBS no Shopping Vilarejo em Itaipava, RJ. Jororô, o Sysop, tinha uma lojinha, mas sofria com cheques sem fundo. Um dia resolveu pegar uma fonte de alimentação externa, um drive velho de Apple II, uma câmera fotográfica descartável, e tempo. Colou a lente da câmera descartável na frente do drive, um tijolão brando com a frente preta. Ligou o LED do drive direto na fonte, pendurou o conjunto na parede e colou um cartaz “sorria, você está sendo filmado”.  Os cheques sem fundo pararam como mágica.

Como Bruce gosta de dizer, criminosos são covardes, é preciso instigar medo, terror. É verdade, e o LaserScan se baseia nisso.

 

Alarmes são legais, mas muitas vezes os ladrões entram, fazem a limpa e se mandam, enquanto a empresa de segurança ainda está ligando pro dono da loja, ou decidindo se chama a polícia ou é alerta falso.

O que o LaserScan faz é AVISAR que tem alarme na loja, aproveitando décadas de “conhecimento” ganho assistindo filmes de Hollywood. Ao invés de ser mais um sistema de alarme, ele SIMULA um alarme sofisticado, daqueles que para desativar a gente precisa do Tom Cruise descendo do teto (que lugar estranho pra colocar um armário) ou da bunda da Catherine Zeta-Jones.

O negócio é ridículo, pra quem tem um mínimo de noção: Lasers visíveis varrendo o ambiente, bips e leds piscando e um painel para que o ladrão, durante o dia veja que o negócio tem localizador, sensor de queda de energia e até link de satélite!

Puerra nenhuma, é só uma caixa com LEDs e Lasers de US$1,00 no DealExtreme. Veja o vídeo:

Em lojas de segurança vendem câmeras falsas, como a que o Jororô improvisou tantos anos atrás, mas nunca vi nada tão “sofisticado”. Por um tempo esse brinquedo com certeza funcionaria para desestimular ladrões oportunistas.

Infelizmente os ladrões no caso são outros. Ao pedir US$295,00 pelo produto, os fabricantes mostram que também estão atrás de dinheiro fácil.

Fonte: TF

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Well Dias

    Eu achei ducarai! Tem como fazer um clone disso e vender por 1/3 deste valor.

    • Laser, servos, leds, arduino, plastico e programação.

  • Henrique B

    Vai ser inútil quando se popularizar… 😉

    • Sim, mas até acontecer isso, há muito tempo ainda. Sem contar que você vai ter outras coisas além disso, ou seja, sempre vai fazer o ladrão pensar um pouco mais.

  • Alex Almeida Jr.

    Belo post Cardoso! Mais uma inutilidade que eu terei vontade de comprar (mas não por esse preço). Quando sair algum genérico mais barato, quem sabe…

  • só não entendi como uma câmera pode diminuir o recebimento de cheque sem fundo, cheques roubados vá la mas cheques sem fundo não tem nexo.

    • Em tempos de BBS, ou seja, ele está localizando o evento a praticamente 15 anos atrás. Naquela época câmeras de vigilância não eram um artigo barato ou fácil de encontrar. O desconhecimento sobre os potenciais da tecnologia também assustavam. Pra você ter idéia, pouco antes disso quando começou a ter serviço de TV a cabo aqui no Brasil corria um boato que o serviço era em duas mãos. Ou seja, se você assistia o Jornal Nacional via cabo, pessoas no estúdio do JN podiam assistir você de volta. Era uma combinação de mito com desinformação. Com a presença de uma suposta câmera as pessoas achavam que isso estivesse sendo gravado o tempo todo, e que de posse destas imagens a polícia conseguiria te encontrar até mesmo numa palafita no camboja em menos de 20 minutos.

      E era uma época diferente. As punições e restrições de comércio que existiam para quem tinha o nome sujo na praça eram bem diferentes, demorados e burocráticos. Isso quando existiam. Enfim, a ilusão de ter um olho eletronico te monitorando era sim, praticamente tão intimidador quanto ter um policial checando os dados do seu cheque logo ali no balcão enquanto você assinava.

    • O simples fato de existir um espelho em uma loja diminui em uma certa porcentagem o número de roubos. Outro fator psicológico que diminui o número de roubos é ter imagens de pessoas em algum lugar, principalmente de olhos, que dão uma sensação de estar sendo observado. Tem estudos que mostram este efeito. Claro que não funciona em caso de ladrões abusados e experientes.

  • achsanos

    Poderia ser um sensor de íris a laser pra queimar a retina do meliante. “Posicione seu olho corretamente e aguarde o escaneamento… tzzzzittt”

  • Poxa 295 doletas está caro mas que ajuda ajuda.
    O bandido vai roubar a loja ao invés da loja que tem isso…

  • Fico pensando… Como nos EUA se patenteia tudo não seria engraçado uma patente de um treco desses? A patende de uma fraude?

  • Foda é se algum empregado avisar aos bandidos que o alarme é de brinquedo…

  • o melhor disso tudo é que agora todos sabem que é falso!!!!

  • OnoSendai

    Esse brinquedo + [Raspberry PI + câmera vagabunda VGA + ADISL] = uma solução que realmente poderia funcionar. É só botar o PI num ângulo perpendicular ao feixe, filtrar usando uma máscara HxFF0000 e analisar os pontos de refração.

    Molinho. =)

  • Quanto tempo até a Deal Extreme vender isto por $25 ? Eu quero!

  • Perry Werneck

    O Jororô publicou a foto da câmera falsa no facebook. (((-:

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis