Home » Áudio e vídeo » Meus pitacos sobre o Beats Solo Pro [hands-on]

Meus pitacos sobre o Beats Solo Pro [hands-on]

Ele é o primeiro da linha Solo com isolamento de ruído ativo, que mudou o visual do fone e até sua composição

21/01/2020 às 18:29

O Beats Solo Pro é o mais recente fone de ouvido da marca de áudio da Apple, que gosta de aparecer no pescoço de jogadores de futebol e que neste modelo recebeu isolamento ativo de ruído, mesmo com uma espuma que não é tão fechada como do Studio 3. Ele chegou ao Brasil na semana passada e foi anunciado para imprensa hoje (21), com a oportunidade de um breve hands-on que compartilho aqui com vocês.

beats solo pro hero

Ele é o modelo Solo mais caro e completo que existe, mas será que ele tem bom áudio e isolamento, ou tudo isso é apenas status que a marca sempre teve? Vem comigo que eu dou meus pitacos nos próximos parágrafos.

Mudanças no isolamento, que agora existe

Como primeira versão de um Beats Solo com isolamento ativo de ruído, ele me surpreendeu positivamente - é o que eu esperava de um fone que custa R$ 2,5 mil. O chip interno, o H1, fez bem o trabalho de entender o mundo ao redor e esconder o que precisa, deixando vozes cristalinas e com uma sensação de que estão em um patamar diferente do que o barulho do metrô, por exemplo.

beats solo pro de lado

A concorrência (leia: Sony) oferece um aplicativo que te dá controle de equalização e do próprio isolamento, o que não acontece por aqui - ao menos no iPhone, que foi onde testei por alguns minutos. O Beats Solo Pro faz tudo isso sozinho e qualquer função automática tende a não ser tão perfeita assim, mas notei que aqui ele fez bem o trabalho. Enquanto nos fones da Sony o isolamento é instantâneo, no Solo Pro ele vai acontecendo em uma escala que dura uns dois segundos. Deixa claro que o fone tá tentando entender o barulho, criando ondas contrárias do lado de dentro.

Esse trabalho é feito por dois microfones que ficam do lado de fora, ideia que é a mesma de outros modelos. Um recurso extra que é interessante, mas que não pude testar nestes minutos, é que o fone tem um acelerômetro que entende como está o movimento do maxilar e isso ajusta um dos microfones, pra que a captação de áudio seja melhor. Deve funcionar.

Visual animado

Novo visual também ajuda

Pra ter isolamento acústico ativo em um fone que não cobre toda a orelha (que pode ser chamado de on-ear), qualquer fabricante precisa fazer magia com o bloqueio passivo de som. O Solo Pro tem uma espuma que é maior e mais densa, além de ter efeito de memória mais eficaz do que na geração anterior. Tudo isso fez com que a espuma sele melhor minha orelha, mesmo não sendo um over-ear.

Modelo azul, de lado

Outro ponto que ficou diferente no Solo Pro é a haste que segura os drivers na tiara, que agora é de alumínio. Ficou mais bonito e a Beats diz que a mudança faz com que cabeças maiores não alterem a orientação da espuma, ficando perpendicular ao canal auditivo em maior parte do tempo - eu sou cabeçudo e senti a diferença.

O plástico que cobre todo o restante do fone pode passar uma sensação de fragilidade, mas o representante da marca torceu o conjunto e ele sobreviveu, sem quebrar e sem ficar marcado. Claro que você não vai fazer isso num fone tão caro, mas se uma criança fizer pode ter certeza da sobrevivência - dele, do fone...claro.

Bateria sofreu

A autonomia de bateria jamais poderá ser testada em um rápido hands-on, mas ela sofreu em números oficiais. Das 40 horas sem isolamento de ruído ligado, você vai ficar 22 horas com música no ouvido quando quiser fugir do mundo. É uma queda generosa, maior do que concorrentes da Sony, mas a Beats diz que o trabalho deles é maior (parece ser, já que faz tudo no automático) e isso faz a bateria sumir. É, ficou ruim.

Fim do micro USB!

O Beats Solo 3 Wireless, geração anterior, utiliza uma conexão micro USB e isso é bastante complicado com um mercado que já vai de USB-C faz (bastante) tempo. Desta vez o cabo Lightning foi escolhido, que é melhor do que o micro USB, só que não é tão prático e seguro como o USB-C. É um avanço, claro, mas bem que poderia ser USB-C hein!?

A conexão Bluetooth utiliza o padrão 5.0 e, assim como outros fones da Beats ou Apple, eles funcionam perfeitamente com Android. Uma novidade bacana é que a conexão com informações de bateria e outros dados também aparece nos smartphones Android, desde que o aplicativo da Beats esteja presente no aparelho. Boa!

Review em breve

Ok, dei meus pitacos e alguns comentários sobre o Beats Solo Pro no que pude usar por alguns minutos com a própria Beats. O review deste fone sairá nas próximas semanas, então o que vocês querem saber? Coloca aqui nos comentários que eu tento responder.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários