Home » Software » Mozilla está trabalhando em serviço de assinatura de notícias sem anúncios

Mozilla está trabalhando em serviço de assinatura de notícias sem anúncios

Novo serviço da Mozilla daria acesso a notícias sem anúncios ou paywall por US$ 5/mês; versão paga do Firefox, com VPN pode sair em outubro

08/07/2019 às 9:30

A Mozilla vem estudando novas formas de ganhar dinheiro: além do rumor de uma versão paga do Firefox com e armazenamento na nuvem, a companhia colocou no ar uma página onde anuncia um serviço de assinatura que oferece conteúdo jornalístico sem anúncios, por apenas US$ 5 por mês; ele no entanto ainda não está no ar.

Mozilla / serviço de assinatura / notícias sem anúncios

O serviço Ad-free Internet by Firefox seria uma parceria da Mozilla com veículos de imprensa não revelados, onde o assinante investiria sua grana para apoiar os sites que consone. O slogan do produto é "apoie os sites que você ama, evite os anúncios que você odeia", onde a Mozilla repassaria o dinheiro arrecadado (e manteria uma pequena parcela para si) para os sites, portais e jornais participantes.

O movimento da Mozilla seria uma forma de se alinhar com a estratégia cada vez mais em prática entre sites de notícias e conteúdo original, de proteger tudo atrás de paywalls e se o usuário quiser ler o que seja, terá que abrir a carteira para isso. Ao mesmo tempo, nem todo mundo possui paciência para instalar extensões que eliminam anúncios e vencem trancas (estes nem sempre funcionam) e como produtores de conteúdo odeiam bloqueadores e similares, une-se o útil ao agradável.

Vale lembrar que tanto a Apple quanto o Google flexibilizaram suas plataformas de exibição de notícias, permitindo que veículos com paywall exijam que o usuário pague para acessar seus artigos mesmo através do Apple News ou Google Notícias.

Mozilla / serviço de assinatura / notícias sem anúncios

Voltando ao serviço em si, os assinantes teriam acesso a versões em áudio dos artigos (uma boa opção para quem está em movimento) e seu progresso seria sincronizado entre dispositivos, obviamente através da conta Mozilla. O serviço também contaria com uma espécie de curadoria, recomendando a leitura de assuntos populares e artigos relevantes.

A Mozilla informa que está trabalhando em parceria com a Scroll, uma plataforma similar em período de beta fechado e ainda em desenvolvimento; entre os parceiros desta estão os grupos Univision (Gizmodo, Jezebel, Deadspin), Vox Media (The Verge, Vox, SBNation, Eater) e BuzzFeed, Inc. (BuzzFeed, BuzzFeed News), além dos sites USA Today, The Atlantic e Slate. Segundo a startup, mais veículos serão introduzidos no futuro.

Por enquanto o serviço de assinatura da Mozilla não funciona; ao clicar no botão de assinatura o usuário é redirecionado para uma página agradecendo o interesse, mas oferece um questionário e permite que o visitante entre com sewu endereço de e-mail, por onde a companhia diz que entrará em contato quando uma versão de testes estiver disponível.

Mozilla prepara serviço de VPN pago

Mozilla / Firefox Private Network

O Ad-free Internet by Firefox não é o único produto premium que a Mozilla está desenvolvendo: o Firefox Private Network seria um serviço de VPN paga que protegeria os dados do usuário, principalmente quando este se encontra em trânsito e usando redes de hotéis ou mesmo as públicas, que são altamente vulneráveis. Há três links diferentes para o mesmo serviço, cada um com um valor de assinatura diferente (US$ 5, US$ 10 e US$ 13/mês).

É possível que a VPN da Mozilla entre no ar antes do serviço de navegação sem anúncios, por estar aparentemente em um estágio de desenvolvimento mais avançado. En junh, o CEO Chris Beard afirmou que o Firefox teria acesso a um serviço do tipo já em outubro, embora datas oficiais ainda não tenham sido reveladas. Ele citou inclusive "armazenamento" em nuvem, que poderia vir a ser um terceiro serviço ligado a outra assinatura.

De qualquer forma, a Mozilla está ao menos mexendo os pauzinhos para diminuir sua dependência do Google (o Google Search é seu buscador padrão desde 2017, depois de finda a parceria com o Yahoo!) e busca novas formas de se manter lucrativa; resta saber se essas iniciativas darão certo quando entrarem no ar.

Com informações: Mozilla (aqui e aqui), Digital Trends, The Next Web.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários