Home » Ciência » A vida imita a Pixar: cientistas acham tubarão quase vegetariano

A vida imita a Pixar: cientistas acham tubarão quase vegetariano

Cientistas descobriram uma espécie de tubarão que come… plantas. E mais ainda, demonstraram que ele consegue extrair nutrientes delas.

07/11/2018 às 13:17

Uma das coisas que mais confunde o pessoal mais leigo é que Ciência não é baseada em certezas, mas em probabilidades. É perfeitamente aceitável dentro da Física Quântica que nos próximos 15 s se materialize do meu lado uma réplica exata da Luciana Vendramini, idêntica até o último átomo. (espera 15s) nah, não rolou, apenas porque a probabilidade disso acontecer é infinitesimal, só duas vezes menor que as chances de ela aceitar meu convite para jantar, mas em teoria, poderia acontecer.

A diferença das Ciências Exatas é que nelas as probabilidades são maiores. Sempre aprendemos que gases nobres não formam compostos com outros elementos, o que não é verdade, Em 1962 Neil Bartlett criou o hexafluoroplatinato de xenônio (XePtF6) . Como não existe naturalmente esse composto a regra continua válida.

O problema de áreas como Biologia é que TUDO tem exceção. Plantas? Algumas são carnívoras. Em fossas submarinas há caranguejos que metabolizam enxofre. Até as certezas mais básicas do pessoal que ataca transsexuais dizendo que “Se tem XY é homem” ou “Homem é XY, Mulher é XX e pronto” vão pro ralo diante da Realidade. Na Síndrome de Klinefelter homens nascem com um cromossoma X extra, ficando com um cariótipo XXY. Um em cada mil homens nascem com mais de um cromossomo Y, vivendo não como XY mas como XYY.

Há mulheres que nascem com XXX. XXYY? Também tem. XXXX tá valendo.

Nessa brincadeira até coisas óbvias como tubarões são carnívoros deixam de ser regras absolutas, se bem que eu tive um gato que adorava tomate então não deveria ser surpresa, mas foi o que Samantha C. Leigh, Yannis P. Papastamatiou e Donovan P. German descobriram e publicaram no paper Seagrass digestion by a notorious ‘carnivore’.

Eles desconfiavam que o Sphyrna tiburo, popularmente conhecido como Tubarão-de-pala comia Erva marinha, uma espécie de planta sub-aquática que por algum motivo não é uma alga. A dúvida era: Comiam só de zoeira, como tubarões comem placas de carro, tanques de ar comprimido e a Tara Reid, ou eles aproveitavam alguma coisa?

Cientistas sendo Cientistas, ao invés de perguntar ao tubarão foram pelo caminho mais difícil: Recolheram as algas plantas que o tubarão supostamente gostava, e as replantaram em um aquário, saturando a água com Bicarbonato de Sódio ( NaHCO3) mas com uma pegadinha: O Carbono em questão era… 13C, um isótopo estável que compõe 1,1% do Carbono encontrado na natureza. O Bicarbonato se decompõe naturalmente em CO2, que é absorvido pelas plantas, e se o tubarão as comer E metabolizar, esse carbono irá parar em seus tecidos.

Depois de algum tempo vários tubarões foram colocados em um aquário com as plantas, e alimentados com uma dieta de 90% Ervas marinhas e 10% Lula.

Resultado:

Depois de mortos dissecados e preparados (provavelmente com azeite e limão) os tubarões apresentaram o marcador de carbono em todos os tecidos, efetivamente o Tubarão-de-pala não só consome plantas como as metaboliza, e até as enzimas responsáveis em seu suco gástrico foram identificadas!

É o primeiro caso de um tubarão onívoro, se bem que com 90% de vegetais na dieta está mais pra sardinha.

A descoberta traz esperança para várias espécies ameaçadas, já que agora sabemos que é possível uma adaptação evolucionária tão radical em uma espécie tão estabelecida. Se bem que escolher entre vegetarianismo ou extinção é uma bela Escolha de Sofia.

Fonte: Seagrass digestion by a notorious ‘carnivore’ (cuidado, PDF)


Leia mais sobre: , .


relacionados


Comentários