Goo.gl, o encurtador de links do Google será desativado em março de 2019

O cemitério do Google está ficando sem espaço: a empresa anunciou na última sexta-feira (30) que o Goo.gl, seu encurtador proprietário de link será descontinuado no dia 30 de março de 2019, e apenas os links criados até a mencionada data continuarão funcionando.

De acordo com o Google, o Goo.gl foi criado em 2009 para atender a demanda dos usuários em compartilhar conteúdo de uma maneira simples e prática, evitando ter que decorar grandes links e economizar espaço em seus textos nas redes sociais, especialmente o Twitter (que levou muito tempo para remover os links da contagem de caracteres). Claro que ele não é o único produto do tipo, tivemos uma série deles ao longo dos anos e alguns ainda permanecem ativos, por uma razão ou outra.

Só que a companhia defende que o modo que as pessoas compartilham links mudou, principalmente por hoje carregarmos nossos smartphones para todo lado o tempo todo. Hoje há o conceito dos deeplinks, compartilhamentos automáticos oferecidos por serviços, sites e apps que suprem a necessidade de manter um encurtador ativo, sem mencionar que o Google possui uma ferramenta consideravelmente melhor: os links dinâmicos da plataforma Firebase.

A gigante oferece a solução como uma alternativa mais completa e inteligente que os deeplinks, que podem ser configurados da forma que o usuário desejar para se comportarem de formas diferentes dependendo da plataforma em que for aberto, ou se o usuário com quem você compartilhou o link tem o app instalado ou não.


Firebase — Introducing Firebase Dynamic Links

Assim sendo, segundo o Google o Goo.gl não tem mais razão de existir. A partir de 13 de abril, apenas usuários com contas ativas no terminal do encurtador poderão acessa-lo e criar novos endereços de redirecionamento, cortando de vez o acesso a visitantes e contas anônimas. Estes poderão continuar utilizando o serviço até o dia 30 de março de 2019, quando o serviço será encerrado e não será mais possível criar novos links ou gerenciar os existentes.

O Google garante que os links legados, criados até a data limite continuarão funcionando normalmente dali em diante mas o usuário não poderá extrair dados estatísticos após o fim do Goo.gl; os usuários que não desejarem migrar para os links dinâmicos do Firebase poderão utilizar outras soluções de terceiros como Ow.ly e Bit.ly, além dos integrados em apps e/ou sites.

Fonte: Google Developers Blog.

Relacionados: , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar