KODACHROME — nova produção da Netflix

kodachrome_netflix

Existem ótimos filmes sobre fotografia e sobre fotógrafos. Alguns bons documentários também (indico a todos a série Caçadores da Alma que está disponível no YouTube). Mas, quase sempre são produções mais modestas, com um olhar mais artístico sobre o assunto. O mais raro é uma produção comercial que tenha a fotografia ou a profissão como pano de fundo. E é justamente isso o que acontece no filme kodachrome que vai estrear na Netflix nos Estados Unidos e alguns outros locais.

No ano passado a empresa anunciou que havia comprado o drama estrelado por Ed Harris, Jason Sudeikis e Elizabeth Olsen por US$ 4 milhões. O filme teve sua estréia no Festival Internacional de Cinema de Toronto e é basicamente um drama mostrando a última viagem de um pai com câncer terminal e seu filho. Claro que o relacionamento entre os dois não é dos melhores e a viagem vai ser uma oportunidade dos dois acertarem suas diferenças. Porém, o que é interessante para nós, é o motivo principal da viagem.

Ed Harris interpreta um famoso fotojornalista que está com câncer terminal. Ele convence seu filho Matt (Jason Sudeikis) a ir com ele em uma viagem de Nova Iorque ao Kansas para encontrar o último laboratório fotográfico nos Estados Unidos que ainda consegue revelar os filmes Kodachrome antes que o estabelecimento feche as portas. Junto a eles nessa viagem também temos a personagem de Elizabeth Olsen que é a enfermeira particular do personagem de Ed Harris. Mais clichê do que isso impossível, mas as vezes o clichê é muito bacana. O filme estreia no dia 20 de abril nos EUA, Canadá, Reino Unido, Itália, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Japão, Índia, Noruega, Dinamarca, Finlândia, Suécia e Islândia. Infelizmente Brasil está de fora até o momento.


Kodachrome | Official Trailer [HD] | Netflix

O Kodachrome foi um filme positivo considerado o melhor do mundo por conta da sua fidelidade de reprodução de cores. Foi produzido pela Kodak em diversos formatos (8mm, 16mm, 35mm) e foi utilizado em fotografia e cinema. A Kodak descontinuou o filme em 2009 por conta da queda das vendas. O processo de revelação do filme é o K-14 que era muito complexo e, por esse motivo, apenas 25 laboratórios em todo o mundo revelavam o Kodachrome. O último laboratório a manter o processo de revelação do filme foi o Dwayne’s Photo no Kansas que ofereceu o serviço até o final de 2010.

Relacionados: , , ,

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams "Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio".

Compartilhar