Home » Hardware e periféricos » CEO explica por que o Razer Phone não possui entrada para fone de ouvido

CEO explica por que o Razer Phone não possui entrada para fone de ouvido

Razer Phone não possui entrada P2 para fone de ouvido de modo a contar com uma bateria maior; essa foi a desculpa dada pelo CEO da Razer para explicar a ausência do conector no smartphone gamer.

2 anos atrás

O Razer Phone, o “smartphone gamer” da fabricante de dispositivos e acessórios voltados para Glorious PC Gamer Master Race é um aparelho de ponta com especificações poderosas, decisões de design curiosas para agradar seu público cativo e um preço agressivo, considerando o cenário atual com iPhones e Androids chegando a mil dólares ou quase isso.

Só que nem tudo é festa, e os potenciais consumidores estão criticando duramente a decisão de remover o conector P2 para fone de ouvido.

Se considerarmos a razão de ser do Razer Phone, que é um smartphone voltado para o cliente cativo da Razer que não abre mão de qualidade extrema na hora de jogar soa como um contra-senso não oferecer a entrada legada para seus poderosos fones que já fabrica, e qualquer gamer sabe muito bem que a fidelidade de som e delay presente em fones Bluetooth os tornam a pior solução possível para quem jogar com o máximo de imersão sonora. Isso posto porque diabos a companhia, que utilizou a tecnologia do Nextbit Robin (que possuía a entrada) faria tal qual Apple e Google? Seria um movimento para seguir a tendência dos rivais ou de grandes fabricantes como a Intel, que aposta no USB-C como a conexão do futuro para todas as situações?

Não necessariamente, segundo o CEO da Razer Min-Liang Tan.

I see a lot of feedback on the removal of the headphone jack on the Razer Phone - and I wanted to share some of the...

Posted by Min-Liang Tan on Sunday, November 26, 2017

Em uma postagem no Facebook o executivo esclareceu que a decisão de matar o conector P2 se deu única e exclusivamente por questões técnicas, em especial para liberar espaço interno de modo a acrescentar mais 500 mAh à bateria; esta acabou com consideráveis 4.000 mAh e se observarmos concorrente que prezam por um design mais fino, a declaração faz sentido. Tan acrescentou que a remoção da conexão também serviu para melhorar a dissipação de calor dentro do Razer Phone, mas não explicou como isso funciona.

Isso posto, de modo a garantir ainda uma qualidade de som à altura da performance dos fones de ouvido que a Razer fabrica o CEO lembrou da decisão de incluir um adaptador P2/USB-C como a maioria dos fabricantes que adotam tal estratégia fazem, porém com detalhe: cada dongle é equipado com um DAC de 24 bits certificado pela THX, assim qualquer saída de som conectada fisicamente fará uso do conversor.

De qualquer forma a desculpa não colou: muitas respostas na postagem original acusam Tan de estar mentindo, simplesmente para mascarar o pouco comprometimento com o design de modo a acomodar uma bateria maior e o plugue, ainda que isso o deixasse mais gordo e pesado. Sobre isso o executivo jogou (com certa razão) a carta do "nunca satisfeitos" ao dizer que a reclamação passaria a ser "o Razer Phone é pesado".

Claro que não dá para agradar todo mundo, e há a preocupação acerca da durabilidade do dongle por ser mais uma peça móvel, contrariando as Leis de Clarke ao adicionar mais um elemento para dar defeito mas apesar disso, o Razer Phone ainda é um senhor smartphone mesmo para quem não é gamer. Se vai emplacar são outros quinhentos.

relacionados


Comentários