Home » Ciência » Espaço » Uma estrela errante se aproxima da Terra para nos matar horrivelmente (em 1 milhão de anos)

Uma estrela errante se aproxima da Terra para nos matar horrivelmente (em 1 milhão de anos)

Existe boa chance de a Terra ser destruída horrivelmente em um futuro próximo. Astronomicamente falando, claro, o que significa em um milhão de anos. A culpa? A culpa é das estrelas (sério).

3 anos atrás

glise1

65 milhões de anos atrás um único asteroide, talvez um cometa atingiu a Terra. Ele acertou a região de Yucatan, no México, e pós fim à Era dos Dinossauros. Foi um cenário catastrófico, que provocou alterações climáticas maiores que qualquer inverno nuclear. 90% de todas as coisas vivas morreram, em 100 mil anos a Terra era um lugar onde vida era algo raro de se achar.

Esse cenário será fichinha perto do que acontecerá em mais ou menos um milhão de anos, e a culpa é das estrelas, mais precisamente Gliese 710:

gl710_skyview

É uma estrelinha medíocre, com 60% da massa do Sol, a 64 anos-luz de distância, nem sequer é visível a olho nu, mas ela tem uma característica peculiar: está se movendo em nossa direção, mas nem isso era motivo de alarde, as contas mais pessimistas a colocavam passando a 1 ano-luz da Terra.

Só que agora uma pesquisa feita por astrônomos poloneses refinou com observações os cálculos iniciais, e os resultados não são animadores. Gliese 710 passará, no pior cenário a 7.250 Unidades Astronômicas do Sol.

Uma Unidade Astronômica é a distância média entre o Sol e a Terra. Saturno fica a 10 UA’s do Sol. O limite do Sistema Solar, a borda da Heliosfera, onde a Voyager 1 está neste momento fica a 100 UA’s. A Nuvem de Oort, fonte da maioria dos cometas fica entre 1.000 e 100 mil UA’s.

7.250 UA’s é muito, muito perto. Digamos assim: a previsão anterior era de que a estrela passaria a 1 ano-luz do Sol. 7.250 UA’s equivalem a 40 dias-luz. Não que ela vá se chocar com a Terra, divulgar insinuações ou imagens disso é coisa de blogs irresponsáveis.

Infelizmente uma colisão não é necessária. Passando a 7.250 UA Gliese 710 perturbará a área mais densa da nuvem, deslocando de suas órbitas incontáveis cometas adormecidos, e fatalmente eles irão despencar para o Sistema Solar interior. Júpiter vai fazer sua parte mas com a quantidade inimaginável de cometas, seremos atingidos, é uma certeza estatística.

A idéia de centenas, milhares de cometas colidindo com a Terra é assustadora, mas um milhão de anos atrás, quando nós éramos assim (exceto no Estado do Kansas)

fotonoticia_20160309185831_800

… até um simples incêndio seria considerado uma tragédia inevitável. Levamos menos de 60 anos entre o primeiro avião e o pouso na Lua. Um período de um milhão de anos é algo incompreensível mesmo para escritores de ficção científica, não fazemos idéia de onde a Evolução e nós mesmos nos levaremos nesse período.

Pode ser que algum descendente da Humanidade esteja lendo este exato texto e rindo, tentando entender como éramos ingênuos e primitivos. Sem desviar a atenção do texto, outra parte de seu cérebro estará recebendo e decodificando transmissões em tempo real do projeto de Engenharia Estelar que, através de Campos Higgins alterou a massa da estrela, um uso em escala de um processo trivial, a mesma tecnologia que tornou obsoletas pernas em mesas, dezenas de milênios atrás.

Fonte: Astronomy & Astrophysics.

relacionados


Comentários