Home » Filmes e séries » Jurídico da Lucasfilm não curte flash mobs de espertinhos

Jurídico da Lucasfilm não curte flash mobs de espertinhos

Advogados da Lucasfilm puxam tomada de flashmob tradicional por uso indevido de suas IPs, a saber venda de sabres de luz em batalhas campais.

3 anos e meio atrás

star-war-tor-flahsmob

Flashmob na Times Square em 2011, quando do lançamento do game Star Wars: The Old Republic

Os Flash mobs são uma prática relativamente recente (o primeiro data de 2003), mas eles ganharam bastante força de uns anos para cá principalmente por conta da internet cada vez mais popular. Um grupo se organiza, marca um evento aleatório em um local público e o que se segue é geralmente uma algazarra generalizada ou ações muito interessantes. Já tivemos guerras de travesseiros, grupos de dança massivos e claro, encontros de jedis em batalhas campais épicas, principalmente em lançamentos de produtos relacionados à franquia Star Wars.

Só que há os espertinhos nesse meio, os que tentam lucrar com marcas que não lhes pertencem. Assim sendo a Disney, através da Lucasfilm decidiu que assim não pode, assim não dá e sabiamente puxou a tomada de um dos eventos mais tradicionais dos EUA e Canadá, que tentava ganhar uma graninha em cima dos fãs.

Eis o que aconteceu: a Newmindspace é uma produtora de eventos que costuma organizar flash mobs em comemoração à franquia Star Wars, tradicionalmente do dia 4 de maio em cidades como Seattle e Toronto. A participação do público é livre, vai quem quer e você pode levar seus apetrechos e vestimentas ao local e brincar de jedi com todo mundo, até aí nada de mais.

Só que há um porém: a produtora posa de boazinha e organiza “arrecadação” de fundos para instituições de caridade, neste caso a Make-a-Wish Foundation, que cuida de crianças com câncer e realiza seus desejos em ações que encantam todo mundo. Voltando à Newmindspace, ela coleta o dinheiro do público oferecendo “kits de fã”, no caso sabres de luz de brinquedo.

Aí você pensa “ok, vai toda a grana para a fundação”. Ledo engano: apenas um dólar em cada cinco do kit comprado antecipadamente é destinado à ONG, o resto é embolsado. Comprado na hora do evento o preço dobra para US$ 10, mas o valor da contribuição permanece o mesmo.

Obviamente que a Disney não gosta nada de ver suas propriedades intelectuais de qualquer jeito, ainda mais com espertinhos fazendo dinheiro com algo que não lhes pertence, utilizando-se do velho “vai que cola”. Parece até coisa de brasileiro…

jedi-s-burger

É o mesmo caso da antiga Jedi's Burger, a hamburgueria gerida por uma turma de trambiqueiros que achou que não pegava nada fazer dinheiro com uma marca que não lhes pertence, e pior: ficaram ofendidos quando o processinho chegou, se fazendo de vítima quando foram obrigados a mudar de nome para Jeti's (com um monte de gente defendendo os espertos, because Brasil) Para mim foi pouco, eles deviam ficar até sem as calças (e para completar, a comida nem é tão boa).

No caso da Newmindspace o argumento é o mesmo, uma terceira não pode sem autorização se utilizar das marcas e conceitos de uma franquia registrada, lucrar com ela e não pagar os devidos direitos. Conclusão: o processinho foi despachado e a produtora, para não se enrolar ainda mais foi obrigada a reformular tudo, onde o evento passou a se chamar Cats in Space Tour.

cats-in-space

Apesar do nome e temática os “kit de fã” continuam sendo vendidos, agora sendo chamada de uma “espada de luz” para gatos. Se querem minha opinião a Lucasfilm/Disney deveria ir até o fim e jogar seus sith em cima desse pilantras, que posam de beneficentes enquanto enchem os bolsos com marcas alheias.

Fonte: SiliconBeat.

relacionados


Comentários