Home » Fotografia » Zenit — de volta dos mortos e mais cara

Zenit — de volta dos mortos e mais cara

Zenit vai voltar, mas com câmeras de luxo voltadas para um público seleto.

4 anos atrás

câmera_zenit

Existe uma boa  chance de que uma grande parte dos fotógrafos que começaram sua carreira entre as década de 70 e 90 terem conhecido ou serem proprietários de uma câmera Zenit. O equipamento, de origem russa,  era barato, o que justificava o seu sucesso, porém cheio de limitações. Embora tenha sido uma câmera barata e cheia de limitações (velocidade de sincronismo de flash em 1/30, velocidade máxima do obturador em 1/500, fotômetro que dava pau com pouco uso) ela era equipada com uma ótima lente Helios 50mm com abertura máxima de f/2,0.

Em meu caso essa foi minha primeira câmera reflex. Apanhei muito para domar o pequeno tanque de guerra, mas depois me rendeu ótimas fotos e momentos divertidos. A câmera está até hoje na estante, funcionando perfeitamente, mas já aposentada de seu serviço. Desde 2004 a produção de câmeras SLR da marca foi interrompida por conta do desenvolvimento e avanço da tecnologia digital. Porém, isso parece estar mudando.

Na semana passada a empresa estatal russa Rostec anunciou que vai ressuscitar a marca Zenit, porém com uma grande diferença em relação ao passado da marca. Agora eles querem produzir câmeras de luxo com alta tecnologia para concorrer diretamente com equipamentos da Leica.

A Rostec é proprietária da fábrica Krasnogorsky Zavod na cidade de Krasnogorsk. Durante o período soviético a fábrica se chamava Krasnogorsk e foi responsável pela produção de milhares de câmeras das marcas Zenit, Zorki e Krasnogorsk, além de filmes fotográficos. Agora os russos querem reativar a produção, mas entregando um produto com qualidade e acabamento voltado para quem possui recursos e não liga de pagar por qualidade de imagem.

Vai dar certo? Duvido muito. A Zenit sempre teve um público por ser barata e ter uma lente bacana (no tempo da fotografia de filme a lente era 70% da coisa e o filme escolhido fazia o resto). Além de ter a missão de deixar para trás essa fama negativa a Rostec vai ter que investir em uma tecnologia que eles nunca tiveram. A Sony teve que comprar a Minolta e investir mais de 10 anos em desenvolvimento de câmeras para a brincadeira começar a acontecer. Os Russos vão ter que partir do zero e conquistar um mercado exigente. Quem sabe daqui uns 20 anos.

Não foi anunciado nada sobre os futuros equipamentos, nem datas de lançamento e nem preços. Aguardemos.

Fonte: Petapixel.

relacionados


Comentários