Home » Hardware e periféricos » Seagate apresenta HD de 10 TB recheado com hélio

Seagate apresenta HD de 10 TB recheado com hélio

Seagate lança seu primeiro HD de 10 TB de capacidade com atmosfera interna de hélio, voltado para uso corporativo

4 anos atrás

ibm-3390

Em 2013 a Western Digital começou a trabalhar em novas tecnologias para aumentar a longevidade dos HDs, visto que os SSDs estavam se tornando cada vez mais baratos. A jogada foi óbvia, ganhar na capacidade de armazenamento, que nos discos de estado sólido ainda é inviável para a maioria dos mortais dado o alto custo. Como? Enchendo os cases com hélio.

O motivo é simples, hélio é 7 vezes menos denso que o ar, o que implica em maior velocidade de leitura e gravação devido a menor resistência a atrito do que o ar, o que também permite mais discos dentro do mesmo espaço. Começamos com discos de 6 TB da Western Digital, que logo depois cobriu a oferta ao anunciar estar trabalhando em modelos de de 8 e 10 TB. A Seagate, que andava quieta se mexeu, prometendo se empalherar à rival.

Como hélio é um gás nobre e é um recurso não renovável, as opções de discos de alta capacidade com a tecnologia são de uso exclusivo de grandes corporações. Não é desejo das fabricantes desenvolverem modelos para o consumidor final, esse que se vire com os HDs com ar ou morra em alguns muitos dólares para comprar um SSD.

seagate-hd-helium-10-tb

Agora a Seagate apresenta o primeiro modelo com hélio disponível para empresas com capacidade de 10 TB, ideal para soluções de grande porte. Ele possui sete discos e 14 cabeças de leitura, funciona provavelmente a 7.200 RPM e é compatível com a tecnologia PowerChoice da Seagate que entrega um HD que consome menos energia e mantém a mesma performance, porque é importante ser verde em 2016.

Ele virá em duas versões, uma com conexão SATA de 6 Gb/s e outra SAS de 12 Gb/s. Não há informação de preços mas especula-se que gire em torno de US$ 800, o que não é tão caro para empresas que precisam de armazenamento em larga escala. Quanto a nós mortais, esperemos que a guerra dos SSDs continue com as empresas se queimando para tornar os discos sólidos cada vez mais acessíveis.

Fonte: Ars Technica.

relacionados


Comentários