Home » Engenharia » S-97 Raider — primeiro helicóptero fora da categoria “alvo”

S-97 Raider — primeiro helicóptero fora da categoria “alvo”

Depois de tanto tempo sem novidades na área, vem aí um helicóptero futurista de primeira, o S-97 Raider, da Sikorsky.

5 anos atrás

Raider_unveiling

Helicópteros são equipamentos muito úteis, voando pelo revolucionário princípio de que são tão feios que o chão os repele, mas como os russos descobriram no Afeganistão e os ucranianos na Ucrânia, a capacidade de sobrevivência deles em ambiente hostil é muito ruim. Nem por causa de caças — a maioria dos pilotos acha que um helicóptero não vale um míssil — mas por fogo de terra.

Como são lentos e barulhentos, carecem do elemento surpresa, então seu uso em reconhecimento acaba dependendo de agilidade e sensores de longa distância. O Kiowa foi muito usado assim. Só que quem gosta desses alvos queria mais. Mais velocidade, agilidade e versatilidade.

Fundada por Igor Sikorsky, um imigrante russo, a empresa começou fazendo aviões, mas o conceito de helicóptero era algo que mexia com Igor e seus engenheiros. Eles acabaram projetando o VS-300, o primeiro protótipo funcional de helicóptero, em 1939. Em 1945 dois marinheiros ficaram à deriva em uma balsa durante uma tempestade, com casco danificado e poucas horas antes de afundar. Barcos não conseguiam chegar perto. A polícia pediu ajuda à Sikorsky. A fábrica ficava próxima ao local do (futuro) naufrágio.

O piloto de testes, sobrinho do Sikorsky correu para um dos helicópteros, voou até a balsa e um ajudante desceu uma corda com uma mensagem, perguntando das condições. Os dois marinheiros explicaram que HELLLLLP!. Era preciso fazer algo inédito, e para isso teriam que utilizar um protótipo do Sikorsky R-5. Voltaram à fábrica, mas o R-5 estava com um rotor desmontado. Sem problemas, em minutos a equipe de terra instalou testou e certificou pra vôo. Eles voltaram para a balsa e utilizaram um equipamento nunca antes testado: um gancho hidráulico. Os dois foram puxados, mas só cabia um passageiro, então o segundo marinheiro ficou meio que pendurado, mas chegaram à praia são e salvos.

Hoje estima-se que 2 milhões de pessoas tenham sido salvas com helicópteros da Sikorsky.

sikorsky-s-97-raider-7

Outras vidas serão salvas com o S-97 Raider. Ele é baseado no X-2, um protótipo que bateu todos os recordes de velocidade para helicópteros, conseguindo 460 km/h em vôo reto e 480 km/h em uma descida de 2 graus. Isso com assinatura acústica equivalente à metade de um helicóptero convencional.

O S-97 Raider terá essa velocidade, completamente fora das capacidades de um helicóptero comum, seu motor de 2.600 bhp (1.900 kW) impulsionará o bicho a 407 km/h, com 570 km de autonomia. Teto de serviço, 10 mil pés.

Ele fará reconhecimento armado, resgate e salvamento em áreas “quentes” e também executará missões de ataque. Veja o vídeo de apresentação:

http://www.youtube.com/watch?v=6iWlLJm3v9sSikorsky Aircraft — The Sikorsky S-97 RAIDER Unveiled

O grande diferencial é o uso de rotores contra-rotativos, para eliminar o efeito giroscópico segundo o qual o helicóptero tende a girar na direção oposta do rotor. Os russos adoram essa solução, mas costuma exigir cuidados extras de manutenção. A própria Sikorsky tem modelos nesse estilo:

article-2083673-0F5E1D5900000578-668_634x423

É, também pensei no inferno que deve ser sincronizar esses rotores.

A vantagem é que se você tomar um RPG no rotor de cauda, perde propulsão adiante mas não sai girando feito um condenado com os alarmes fazendo pi pi pi como vemos nos filmes.

Claro, há o uso “menor” também, em ambulâncias aéreas, resgates em desastres naturais e transporte de material e pessoal essenciais para plataformas.

Não que ele chegue aos pés do melhor helicóptero de todos os tempos:

Airwolf_side

Fonte: Giz Mag.

 

relacionados


Comentários