China bane Windows 8 de computadores do governo

windows-8-china-001

Conforme havíamos comentado anteriormente, a China não está tão empolgada em substituir o Windows Xp de seus computadores. Devido à grande concentração de software pirata utilizado no país, 70% de todos os seus computadores rodam o SO que a Microsoft está tentando matar e não consegue. O que acontece é que a totalidade dos PCs governamentais também rodam XP, e atualizar todos ao menos para o 7 de uma vez é um tanto inviável.

Se por um lado o governo inglês comprou um pacotão de atualizações estendidas, uma parceira da Microsoft disponibiliza suporte 24 horas por dia para cidadãos. As empresas que se virem, enquanto o governo resolveu que não vai arcar com essa despesa. Só isso explica a decisão de Pequim ao proibir qualquer equipamento governamental de rodar o Windows 8.

A decisão foi tomada pelo Centro de Aquisições do Governo Central, em uma página que discorre sobre economia no consumo de energia. O quinto artigo deixa claro que nenhum equipamento de informática (ao que interessa aqui são desktops, notebooks e tablets) poderá rodar a última versão do sistema da Microsoft, o que efetivamente inviabiliza a adoção de tablets Windows ew Surfaces por órgãos governamentais. Já a agência de notícias estatal Xinhua afirma que a medida visa garantir a segurança dos computadores.

china

Como era de se esperar, nem o governo chinês e nem a Xinhua elaboraram como a adoção de um determinado sistema operacional interfere no consumo de energia ou afetaria a segurança, mas fica evidente que não há a menor intenção por parte do estado em adquirir computadores novos e atualizados, algo que a Microsoft desejava. Afinal de contas, cerca de 90% de todo software que roda no país é pirata, e convencer Pequim a atualizar seu park com máquinas atualizadas era uma jogada inteligente.

A situação da China é algo que desagrada a Microsoft desde sempre. Em 2011, o então CEO Steve Ballmer teria confessado a empregados que apesar da venda de computadores no país rivalizar com os Estados Unidos, seus lucros em software na China eram inferiores aos da Holanda. E pelo visto continuarão no mesmo patamar.

Fonte: r/c.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar