Home » Games » Cultura Gamer » Comercial de Dead Island: Riptide é banido na Austrália por mostrar uma cena de suicídio

Comercial de Dead Island: Riptide é banido na Austrália por mostrar uma cena de suicídio

Dead Island: Riptide tem comercial que mostra suicídio de um casal banido na Austrália por "ter grande potencial sugestivo"

6 anos atrás

Dead Island: Riptide

Vocês se lembram do trailer de Dead Island: Riptide que causou certa comoção ao mostrar a cena de um casal cometendo suicídio como única solução para escapar do apocalipse zumbi para o qual foram arrastados? E lembram que foi uma tentativa de repetir a repercussão do trailer do game original?

Pode ser até que o segundo vídeo não tenha tanto impacto quanto o primeiro, mas pelo menos num lugar ele gerou comoção, e se você pensou Austrália, acertou. Após receber inúmeras reclamações de pessoas atentando para a violência gráfica (sendo que a única representação disso é o logo do game, que mostra um zumbi enforcado numa palmeira) e a opção de suicídio como "aceitável", o órgão local equivalente ao CONAR resolveu banir a peça, alegando que:

"O Conselho avaliou o conteúdo fantástico e a natureza estilizada do comercial e considera que o tema de suicídio é uma representação de violência que não é justificável, mesmo no contexto de uma peça publicitária de um jogo de computador direcionado ao público adulto.

O tema suicídio é um assunto muito significativo para a sociedade e consideramos que o uso das imagens tem grande potencial sugestivo, e não é apropriado no contexto de um comercial de televisão para um jogo de computador".

Que coisa, não? O comercial foi considerado uma peça com potencial de estimular suicídios. Onde vamos parar, dizer que videogames incitam a violência? 😉

Brincadeiras à parte, acho que a TechLand força nos trailers e peças publicitárias para compensar os games que não são tão bons assim. Querem vender pela polêmica, e não pela qualidade. Se tirarmos a média das três versões para XBox 360, PS3 e PC, Riptide amarga apenas 61 de 100 no Metacritic; a crítica desceu a lenha no segundo jogo tanto quanto no primeiro, com as mesmas acusações: jogo quebrado, desbalanceado e chega a ser monótono.

Como algumas pessoas dizem, é um problema para quem tem problema. Uma pessoa com distúrbios e tendências suicidas deve passar longe desse game, para começar. Não creio que a peça seja capaz de induzir alguém a se matar, até porque o contexto está muito bem colocado, é uma situação sem saída, morrer ou morrer como comida de zumbi. E outra, o game recebeu classificação para adultos, então não tem desculpa.

Fonte: Polygon.

relacionados


Comentários